[RP Fechada] — All we do is think about the feelings that we hide

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP Fechada] — All we do is think about the feelings that we hide

Mensagem por Alathea Gumoth em Sab Out 01, 2016 2:55 pm

All we do is think about the feelings that we hide
a roleplay é iniciada pelo post de Cersei Dianne Vileneuve, seguindo por Melanie Zenetti. estando então, fechada para os demais. passando-se esta em 25 de setembro, em gotham city o conteúdo é livre. atualmente as postagens estão em fase de andamento.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] — All we do is think about the feelings that we hide

Mensagem por Alathea Gumoth em Sab Out 01, 2016 4:34 pm

Sick and full of pride
Your laugh echoes down the highway Carves into my hollow chest, Spreads over the emptiness It's bliss

A noite era fria e escura, as pessoas andavam com caras fechadas e roupas escuras. Ascella chegava a possuir uma aparência angelical naquele momento, caminhando entre as pessoas com seu rosto relaxado, seu casaco felpudo de pele sintética, seu vestido curto e justo e suas sandálias de tiras, de salto alto. As pessoas trombavam nela, naquela noite o centro urbano estava bastante movimentado, mas ela conseguia se desviar às vezes, não podia chamar atenção muito menos ser vista. As luzes da cidade eram tão brilhantes, ela queria aproveitar a sensação que sentia quando respirava o ar fresco da noite, mas não podia se desviar da sua atual missão: seguir Melanie Zenetti. ”Amigas cuidam uma da outra, certo?”, pensou enquanto seguia os passos da morena.


Seguiu a morena até um bar, estava um pouco vazio, exceto por um grupo de homens jogando sinuca, algumas mulheres bebendo ao fundo do bar e alguns rapazes no balcão. Olhou ao redor e sentiu um arrepio, não se sentia bem ali. Costumava sentir-se assim onde pessoas haviam sofrido antes da morte. Respirou fundo tentando se concentrar na amiga, mas após os primeiros passos em direção ao banheiro onde ela estava, uma voz sussurrou em seu ouvido suplicando por ajuda, pedindo ajuda para contatar a família. ”Tudo era mais fácil quando trabalhava no circo”, pensou e se desculpou com aquela alma perdida, dizendo que no momento não podia ajuda-la. A voz desapareceu e a sua cabeça doeu brevemente, o bastante para deixar Ascella zonza por alguns segundos. Segurou-se na parede e caminhou em direção a porta onde Melanie havia entrado.


Ela estava ali, na pia lavando suas mãos. Ascella olhou para ver se não havia manchas de sangue na roupa ou na pia em que a amiga lavava as mãos. ”Amigas confiam”, disse para si mesma se aproximando. Não era por que ela estava lavando a mão que havia matado alguém, ela podia estar apenas exercendo o mínimo de higiene pessoal que é lavar a mão após usar o banheiro. Com o olhar da amiga sob ela, Ascella não conseguia distinguir o sentimento naqueles olhos eram de raiva ou decepção.


– Você está bem? – Perguntou se aproximando mais um pouco. Engoliu seco e umedeceu os lábios, um pouco constrangida. Se sentia burra por não ter pensado antes em como iria reagir quando se vissem. Se escorou na parede ao lado da pia e estendeu a mão para a amiga – Você me deixou preocupada... Saiu e não disse absolutamente nada. Extermi... Mel, vem comigo. Vamos tomar alguma coisa e conversar.

JESS ♥

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] — All we do is think about the feelings that we hide

Mensagem por Melanie Stark em Ter Out 04, 2016 1:53 am

True Friends
Eu geralmente me proíbo de andar nessa cidade sozinha, ou acabo fazendo alguma besteira. Também, o que é que eu posso esperar de uma cidade que parece ser praticamente tomada por políticos e policiais corruptos, assim como bandidos e mafiosos? É até uma pena ver as poucas pessoas nas ruas que pareciam ser honestas ou mesmo pacíficas se comparadas com o resto da população de Gotham... sempre tenho vontade de agir por essas pessoas e acabar com os lares dos bandidos e organizações criminosas que todos por aqui conhecem, queimar suas casas e abrir suas cabeças com as próprias armas que eles tem o costume de usar para cometer seus crimes...

Mas não, esse é território da família morcego, não estou afim de ouvir sermões de nenhum deles por fazer o trabalhos dele da forma que deveria estar sendo feita por aqui... Sem falar que, hoje eu não vim aqui para trabalhar.

Pois é, por mais que eu normalmente goste de me esticar em minhas missões, aproveitar o calor da batalha para me manter afiada o tempo todo, e descarregar os meus instintos assassinos quebrando os ossos de alguns criminosos (por mais que a Liga da Justiça deteste isso), às vezes também gosto de parar um pouco para pensar, tirar um tempo para euzinha. Acho que não sou a única à pensar assim, certo? Qualquer pessoa enlouqueceria se vivesse 24 horas por dia lutando, matando, e... bom, já fiz tanto ultimamente, que realmente não me sobrou muita coisa para fazer, mesmo de meus empregadores secretos que meus colegas da liga nem fazem ideia que existem, então eu meio que não tive escolha...

Tá, eu tinha opção de marcar um treinamento surpresa com alguns novatos da liga, para afiar seus instintos ou algo assim, mas eu realmente não estou com paciência hoje para aguentar amadores, então foi bem melhor ter ido para a minha casa e me preparado para um dia normal. Ou o mais normal possível.

Não sou idiota, pois é claro que eu saí de casa armada e com proteções ocultas, e não apenas por que eu sou bem precavida, como também por que sabia que estava indo para Gotham, a cidade com um dos maiores índices de criminalidade de todo o mundo. E parte de mim estava torcendo para que nenhuma proteção ou arma se fizesse de necessária hoje, mas a outra parte... bem, você que já me conhece, sabe como é a Exterminadora, certo?

Enfim, quando cheguei ao bar que eu mais gosto de comparecer quando venho para essa cidade (parte por que a bebida daqui é ótima, e também por que é aqui que mais encontro criminosos e possíveis empregadores, onde quase sempre consigo arrumar alguma encrenca, mesmo que sem pedir), já procurei uma cadeira para me acomodar, beber um pouco antes de procurar algum Robin para eu encher o saco, ou melhor ainda, a Caçadora, mas... é claro que eu percebi desde algumas quadras atrás que estava sendo seguida, e como a pessoa havia tido a audácia de vir mesmo até aqui atrás de mim, eu tinha que levá-la para uma parte mais reservada do local, onde nenhum morcego de Gotham (ou satélites) pudesse ver e me repreender quando cuidasse de quem estivesse me seguindo, e por isso fui até o banheiro.

Porém, para a sorte de nós duas, quem me seguia não passava de uma amiga minha, que parecia apenas preocupada comigo. Sim, você leu direito, amiga, eu tenho a capacidade de fazer amizades. Algum problema com isso?

- Ah, é você. -digo meio desanimada (gosto muito dela, não se engane, estava só um pouco decepcionada pois parte de mim esperava mesmo que fosse alguém que quisesse brigar comigo, mas tudo bem, também estava muito bem em vê-la ali), assim que a vejo, e então fecho a torneira, parando de fingir que estava lavando as mãos só para ver pelo reflexo quem me seguia. Vou até o canto pegar as toalhas de papel para me secar, enquanto ela continuava falando- Eu estou ótima sim, e você? -pergunto, com um leve sorriso para ela, olhando-a agora diretamente, enquanto secava as mãos.

Após secar as minhas mãos, não relutei em acompanhá-la, segurando sua mão com calma logo em seguida- Vamos, eu pago a primeira rodada e você me explica quando foi que eu fiz isso... -digo, confusa enquanto andava ao seu lado, ainda segurando sua mão de forma carinhosa- É que eu saio muito em missões, você sabe... vida de heroína, nunca se sabe quando vem a próxima missão, né? -digo de forma um pouco mais animada, e sorrindo um pouco mais para ela, tentando aliviar um pouco minha amiga dessa preocupação, pois me sentia mesmo bem.

Chegando no balcão, não me sentei ainda, só fiquei do lado dela, e de lado para o balcão que eu me apoiava agora com meu cotovelo, olhando para Ascella, só esperando-a agora- Vamos, faz seu pedido e me diga, o que te preocupa? -pergunto, agora sem sorrir, mas nem um pouco zangada também. Só estava bem, não o bastante para sorrir (aliás, coisa que é rara para mim, essa última, mas é irrelevante nesse momento), mas ainda assim... tudo bem, ela entende, é minha amiga mesmo, tudo bem.

tag: Ascella | roupas: aqui

OFF: Vamos, que já ta fofo!


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] — All we do is think about the feelings that we hide

Mensagem por Alathea Gumoth em Sex Out 07, 2016 7:20 pm

Sick and full of pride
Your laugh echoes down the highway Carves into my hollow chest, Spreads over the emptiness It's bliss

Quando viu que a amiga estava bem, Ascella acalmou-se e tudo ficou mais claro: talvez ela soubesse mesmo que Melanie só iria andar por aí, e que ela só estivesse afim de seguir a amiga para tomar algum álcool e se livrar das preocupações diária – como o futuro da humanidade e esse tipo de coisa. Sentou-se de frente para o balcão, a amiga estava ao seu lado e no momento nada a preocupava. Respirou fundo, sentindo o cheiro de cerveja, amarrou seu cabelo em um rabo de cavalo, com uma pulseira de borracha que tinha nos pulsos. E pegou o cardápio, olhando todas as opções que ela poderia escolher.

– Uma vodca, grande, com azeitonas e morangos em cubos – Ascella pediu esboçando um sorriso nos lábios. Se virou analisando Melanie, Ascella ouvia vozes e não conseguia raciocinar muito bem, mas então, respirou fundo e voltou-se para amiga, ainda sorria, e tentava retirar os mínimos sinais de preocupação de seu rosto. – Então, agora que eu vi que você tá bem, eu também estou bem... Eu realmente... – Respirou fundo novamente antes de dizer – Eu to super bem de ver que você tá bem, talvez eu só tenha te seguido porque realmente precisava de sentar nessa balcão e beber alguma coisa.

– Você sabe que poderia ter me falado isso, não sabe? – Melanie disse, e Ascella riu. Mas a grande verdade é que as vezes ela tinha medo de Melanie, ela já havia visto Melanie matar pessoas e não é muito agradável ficar pensando que a qualquer momento ela poderia tirar uma espada da calcinha e cortar o seu corpo em dois. Ascella pensava a mesma coisas sobre si mesma, ela não entendia como as pessoas poderiam suportar ficar perto dela, é por isso que ela sempre procurava ser o mais agradável possível. Ela via, conversava, interagia com gente morta. Ascella não sabia realmente como alguém gostaria de tê-la por perto, por isso e muito mais ela se sentia grata por ter a amizade de Melanie.

A bebida chegou e ela deu um gole. Sentindo a vodca queimar sua garganta enquanto ela mastigava alguns morangos e evitava engolir uma das azeitonas. Ofereceu para Melanie, que deu um gole e em seguida fez a mesma careta que Ascella costumava fazer quando terminava sua dose de tequila. A loira estava acostumada com bebidas alcoólicas, a vida em um circo necessitava de drogas para ser no mínimo suportável. Ascella preferia o álcool e os seus cigarros, com os quais ela já havia parado desde que entrou para a Liga da Justiça, mas na época em que ela trabalhava junto com a caravana, havia gente que usava coisas muito piores, e muito mais pesadas do que vodca e alguns cigarros mentolados.

– Sim, eu sei... Mas foi muito mais divertido te seguir, me fala que a sensação de ser seguida não te dá um friozinho na barriga – Respondeu Ascella, gargalhando em seguida alto suficiente para ser escutada por todo o estabelecimento. Após ter terminado sua risada, a loira deu mais um gole, saboreando sua bebida e já pensando na próxima.


JESS ♥

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] — All we do is think about the feelings that we hide

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum