OFICIAL, {GOD} PART I

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Doctor Manhattan em Dom Out 02, 2016 11:19 pm

{GOD} PART I
A fina camada de pele da palma da mão de um ser humanoide de estatura mediana cujo corpo estava totalmente coberto por uma capa e capuz preto atritavam contra a parede de blocos de tijolos retangulares do lado esquerdo de um pequeno túnel com cerca de apenas um metro de largura, por outro lado a sua extensão beirava um quilômetro. Os trêmulos dedos da mão destra estavam firmados em torno de uma tocha improvisada, a chama consumia o oxigênio com voracidade, porém a iluminação que a mesma fornecia era escassa, a consequência de sua luz eram sombras que distorciam e até formavam algumas figuras devido a irregularidade que os tijolos estavam dispostos um sobre o outro, juntamente com pequenos animais que insistiam em habitar lugares tenebrosos como aquele. O túnel havia sido claramente restaurado um ou dois séculos atrás, pois sua idade real não condizia com a atual estrutura que ele apresentava, o mesmo existe desde que a humanidade se entende por sociedade e as primeiras seitas religiosas foram surgindo. A figura avançava em passos rápidos e leves a cada segundo que transcorria, aparentemente seu sistema nervoso estava tomado por um medo implícito que toda aquela situação lhe causava, mesmo aquilo sendo uma honra para o indivíduo. O mesmo parou de frente a uma porta de madeira, tábuas longas combinadas em paralelo com entornos e fechaduras de metal era uma boa descrição de tudo aquilo. Séculos atrás, o acesso à aquela porta seria impossível para aquela pessoa, mas agora a história era diferente, a porta não estava trancada, estava entreaberta, e isso lhe dava uma fresta pela qual desenhava-se no chão rochoso algumas sombras de formas distintas causadas pela própria iluminação da sala. Tomado por curiosidade e coragem para concluir o objetivo que fora lhe concebido, o ser avançou pelo espaço até posicionar o olho pela fresta para poder vislumbrar o que a sala continha, e assim que o cérebro captou e transformou em imagens os fótons que o sistema ocular capturou, o ser emitiu por debaixo das vestes negras pesadas um pequeno grito abafado, o mesmo soou agudo, o sexo do emissor só poderia ser feminino.

•••

O céu de Metrópolis foi tomado por uma coloração cinza assim que pesadas nuvens carregadas de hidrogênio passaram a reinar sobre a cidade, a iluminação natural do meio dia foi reduzida consideravelmente, as nuvens iam de encontro com o “dia ensolarado” que as previsões do tempo de todas as emissoras haviam disseminado. Por ser uma ciência com taxa de erro, o detalhe passou despercebido pela maior parte da população, que aceitou o fato sem questionar duas vezes. A estrutura dourada do planeta Terra no topo do edifício do Planeta Diário que estampava o fundo da cidade de Metrópolis estava em suas condições normais, até aí não havia tido nenhuma anomalia. Um impacto de quase 10 nuvens chocando-se umas com as outras emitiu um estrondo que assustou até as pessoas mais corajosas, bebês, crianças e animais de estimação agitaram-se ao ouvir o barulho que perdurou por quase três minutos interruptos, ao seu término, por entre as nuvens surgiu um enorme clarão, quem olhava diretamente para o céu havia sido momentaneamente cegado. Em questão de segundos, a esfera circular levemente achatada nos polos que representavam o corpo do planeta Terra fora atingida por um raio que definitivamente não deveria estar ali. A descarga elétrica foi sobrenatural, a intensidade que a corrente possuía foi o suficiente para penetrar nas estruturas do prédio e queimar todos os aparelhos eletrônicos que o jornal dispunha em seus escritórios, salas e cubículos, após um segundo de curto circuito, a energia cessou-se. Civis saíram aterrorizados do prédio quando uma nova descarga fora desferida sobre a esfera mais uma vez, a nova descarga veio acompanhada de outro som barulhento e particularmente perturbador, a mesma também possuía mais ramificações que a anterior e era especialmente mais espessa, tanto que o ponto de encontro com a matéria terrena fora apenas o globo, a descarga estendeu-se pelas laterais do edifício, mesmo com sua estrutura isolante aquilo não servia de nada para parar aquela descarga.

Uma das receitas de bolo alternativa para o caos estava pronta, algum evento sobrenatural ocorrendo com milhares de civis inocentes envolvidos e presenciando a olho nu. A descarga elétrica perdurou por segundos a fio envolvendo todo o edifício de seu topo até uma altura que faltasse apenas 1 metro de distância do chão. Instantaneamente, todos os materiais de expoente de combustão elevados como o papel passaram a ser consumido pelas chamas, então foi a vez do fogo alastrar-se pela madeira, em questão de segundos a maior parte dos andares do edifício estavam sendo dominados por enormes labaredas de coloração azul com puro gás carbônico, o oxigênio tornava-se escasso a cada milésimo de segundo para alimentar o fogo, os civis daquele prédio do primeiro andar em diante estavam condenados para a morte certa, os que não eram consumidos primeiramente pelas chamas morriam aos poucos por asfixia devido a abundância de CO² nos ambientes fechados, e quando os corpos caiam falecidos ao chão, as chamas se ocupavam de realizar o resto. No fim, só restaria as cinzas. — Onde estão os seus heróis e falsos messias? — Uma voz tornou-se presente pelo centro de Metrópolis que aparentemente não vinha de lugar nenhum. Em seguida, uma risada ríspida tornou-se audível e com clareza para todos que estavam dentro de certo alcance. Qualquer pessoa ou ser, seja ele em matéria sólida, intangível ou espectro, que tentasse se aproximar da estrutura em um raio de 1 metro seria repelido por uma espécie de campo invisível, e indivíduo apresentaria machucados consideráveis pelo corpo. Mais uma vez, “algo” riu para todos que presenciavam o seu espetáculo, a voz era rouca e ríspida, pesada e ruída como metal atritando com metal, para alguns o tom causava arrepios, para outros causava clareza. E novidade, pessoas surdas escutaram o que as vibrações daquela voz tiveram para decodificar no aparelho auditor.



informações importantes
1 — Vocês terão até as 21h59m do dia 03/10 para realizar a postagem. Por se tratar de um post de introdução, não precisa ter caprichos, apenas o necessário para não ser considerado flood e conter as situações descritas no post;
2 — No final de cada post deve constar, de preferência dentro de um spoiler, as seguintes informações: Espécie, Poderes, Atributos e HP;
3 — Nesta oficial haverá risco de morte, mas as chances para tal são extremamente baixas, portanto tomem cuidado ao realizar suas ações;
4 — Qualquer coisa, qualquer dúvida, é só me contatar por MP;

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Melanie Stark em Seg Out 03, 2016 10:12 am

Divine Wrath
Não é novidade, para quem me conhece, que eu nunca viria à Metrópolis por livre e espontânea vontade, por vários motivos, e garanto que nenhum destes inclui de qualquer forma o medo para com os seres poderosos que costumam aparecer principalmente neste lugar, mas sim a felicidade que se encontra nessa cidade sempre que o sol nasce ou se põe. Sério, eu não tenho nada contra tal sentimento, afinal de contas eu luto para manter esse mesmo em alta no mundo, mesmo a minha felicidade (sim, me preocupo comigo mesma também, não sou idiota), mas é que, chega a dar raiva ver como algumas pessoas dessa cidade parecem ter a vida perfeita, e vivem sorrindo a toa por aí, como se não houvesse nada de mal no mundo que pudesse atingi-los de alguma forma.

Claro que isso pode ser só impressão minha também, afinal eu acho que o brilho dessa cidade e de seu céu na maioria das vezes me irrita ainda mais que ver essa felicidade toda, então não precisa desgostar desse lugar só por minha causa, é apenas algo em mim que não me deixa gostar dessa cidade. Só que, de toda forma, para essas pessoas se sentirem tão seguras e a cidade brilhar de forma tão irritante, com certeza tenho que dar créditos aos seus heróis e heroínas, já que são eles que mantém esse lugar dessa forma, então não é mesmo de todo mal esse lugar. Sem falar que, é claro, às vezes aparece uma diversão que nem mesmo seus heróis conseguem lidar facilmente, e é aí que a Liga age.

Foi por esse motivo que eu vim hoje até essa cidade, pois aconteceu de outras heroínas (e, por que não, heróis também) estarem muito ocupadas para lidar com um sujeito relativamente poderoso em um canto afastado de Metrópolis, então eu fui chamada, por ser a mais próxima da cidade da Liga da Justiça que estava pronta para enfrentar tal ser. Devo dizer que não foi tão divertido quanto me fizeram imaginar que seria, afinal e contas ele não passava de um vilão com poderes grandes mas que não sabe utilizá-los muito bem, então foi bem fácil acabar consigo, o que me deixou realmente chateada ao fim da luta. Infelizmente, foi rápida a luta, mas haviam ainda alguns pontos positivos para se ressaltar ali, apesar de tudo que aconteceu.

Primeiro e mais importante, o sujeito não morreu, só teve um braço amputado, sangrou bastante e teve alguns ossos quebrados (ele se regenera, não se preocupe), mas felizmente consegui me controlar e não o matei, apesar de ele merecer. Em segundo lugar e, claro, mais óbvio e animador de hoje, a cidade não parecia assim tão alegre com aquele céu cinzento. Admito que me fez gostar um pouco mais da cidade, só não compensava o tédio que aquela luta fácil contra um vilão iniciante havia me trazido.

Decidida a afastar o tédio e aproveitar o clima que havia tirado a luminosidade e felicidade irritante do céu da cidade, pensei logo em ir tomar uma cerveja em um bar próximo, e até tirei meu capacete para poder relaxar um pouco, mas logo percebi algo estranho. Na realidade, por conta de minhas capacidades eu percebi aquilo antes das outras pessoas, e me virei na direção do prédio em que o raio iria cair, mas sem conseguir evitar a surpresa que tive ao ver a força e barulho anormal que aquele raio apresentava. Logo de primeira achei aquilo muito suspeito, e até olhei para os céus para ver se encontrava algum responsável por aquela descarga de energia anormal, mas apesar de não ter visto nada eu não consegui relaxar. O que foi sábio, pois logo em seguida veio a segunda descarga de energia, e essa fora muito pior.

Quando comecei à ver o incêndio começar dentro daquele prédio, e ouvi as pessoas agonizando lá dentro enquanto as chamas rapidamente tomavam conta do lugar, não pensei duas vezes e coloquei meu capacete outra vez, pronta para enfrentar o que fosse que estivesse fazendo aquilo. E já me preparava para andar na direção do prédio, para mergulhar nas chamas, quando ouvi uma voz vinda... bem, do nada... e que parecia falar com toda aquela região da cidade. Naquele momento, fui desencorajada à avançar contra o prédio e ajudar as pessoas agonizando lá dentro, pois vi que pessoas que avançavam pareciam ser impedidas por algum campo de força invisível, uma barreira, que também machucava seriamente quem tentara se aproximar.

Não gosto de ver pessoas sofrendo, mas de nada adiantaria me aproximar agora, tinha que encontrar quem é que estivesse fazendo aquilo para poder tirar o campo de força, depois veria o que poderia fazer com quem restasse das chamas. Era simples a ideia, mas não podia perder tempo, então comecei à olhar em volta com  atenção, tentando buscar o dono ou dona daquela voz, enquanto falava- É fácil falar grosso enquanto se esconde, não acha? -provocava, em voz alta, enquanto sacava uma de minhas espadas, e me preparava para sacar a minha arma à qualquer momento também, ansiosa para arrancar a cabeça do maldito responsável por aquilo- Por que não se revela? Ou tem medo de enfrentar uma garota? -continuava com a provocação, girando a espada entre meus dedos, furiosa por não estar vendo o causador daquele medo todo.

Por quanto tempo iria se esconder?

tag: NPC's| roupas: Uniforme

OFF: To muito nervosa ><  


<3

Informações:

HP: 100/100

Nível: 3
Raça: Humana (Reencarnada)

Força: 20
Inteligência: 20
Resistência: 15
Velocidade: 20
Vigor: 20
Carisma: 5

Perícia: Intelectual

Poderes:
Intelecto Aprimorado: Assim como é com seus demais poderes, por razões desconhecidas, Melanie possui um intelecto muito superior ao que os humanos poderiam ter, indo além de seus limites possíveis, e esse é seu maior triunfo. Funcionando em velocidades incríveis, sua mente é capaz de pensar e processar nove vezes mais rápido que é possível para um ser humano, e utilizar da sua mente muito mais do que um ser humano conseguiria, indo além dos dez porcento que os humanos utilizam, e ultrapassando os noventa porcento. Por causa disso, ela é dona de uma memória infalível, sendo capaz de memorizar perfeitamente qualquer coisa e ter a capacidade de armazenamento ilimitada. Sua mente é praticamente um computador, feito para estratégias e resolução de problemas, funcionando de forma ideal mesmo quando sob efeitos de fadiga ou estresse. Com preparo ou mesmo após alguma experiência analisando a adversários, ela pode, de forma instantânea, prever cada possibilidade de movimentos e táticas de qualquer inimigo, sem nunca esquecê-los, podendo até analisar comportamentos de inimigos para prever variações de seus movimentos.

Engenhosa em elaborar soluções para qualquer tipo de situações, com capacidade quase instantânea de fazer diversos cálculos em sua mente (especialmente quando envolve distância, velocidade e tempo), ela é capaz até mesmo de elaborar soluções para enfrentar mesmo seres com aspectos superiores aos dela, observando-os e explorando fraquezas. Lida muito bem com surpresas, é ótima em improvisar e tem um timing perfeito. É realmente incrível o que ela pode fazer por ter suas faculdades mentais tão acima do possível para um humano, sendo por isso em especial, uma ameaça real para quem a enfrentar, o que serve mesmo para super seres.

Reflexos Aprimorados: Surpreendentemente, Exterminadora possui reflexos, destreza e coordenação muito acima do possível para um humano. Sua velocidade de reação é tão grande, que ela pode desviar instantaneamente de tiros de vários inimigos ao mesmo tempo (mesmo em pontos cegos), e com a mesma velocidade pode discernir as intenções dos que estão à sua volta, o que na maioria das vezes lhe dá tempo de agir e reagir de forma quase automática e instantânea, praticamente infalível. É uma das suas capacidades que lhe permite enfrentar mesmo seres super velozes.

Velocidade Aprimorada: Não se sabe exatamente qual a velocidade que ela pode se mover, e ainda que não chegue a ser uma velocista, Melanie, a Exterminadora, pode atacar mais rápido que o olho pode seguir, e chega até a se envolver em combates com equipes inteiras de super humanos, mesmo com velocistas em seu meio.

Resistência Aprimorada: Um dos fatores mais surpreendentes da Exterminadora é, sem dúvida, sua resistência. Normalmente, ela consegue usar sua capacidade máxima durante dias antes de se mostrar cansada, sem falar de sua resistência a dor (que chega a ser sobre-humana, uma vez que ela já lutou mesmo perdendo muito sangue ou com ferimentos graves e sem demonstrar fraqueza), força de vontade, tenacidade e mesmo capacidade pulmonar, muito acima do nível humano.

Força Aprimorada: Seus músculos também são muito mais fortes do que aparentam, sendo muitas vezes superiores aos comuns para um humano, e é claro que ela usa muito bem essa força sobre-humana em combate, para aumentar os danos de cada ataque seu. Como demonstração de força, ela já foi capaz de pegar uma bala com os dentes, rasgar uma porta de aço e mesmo cortar um carro com sua espada sem nenhum problema. É dito que sua força é o suficiente para levantar algumas toneladas, o que a deixa bem longe de se equiparar com pesos pesados que se encontram por aí, mas certamente o torna capaz de enfrentar mesmo super humanos.

Agilidade Aprimorada: Melanie é extraordinariamente flexível, com seus tendões e demais tecidos corporais tendo uma elasticidade também acima do nível possível para um humano, ainda que também seja incrivelmente resistente. Com isso ela pode executar qualquer acrobacia considerada complicada, alcançar o estado de equilíbrio perfeito em qualquer posição, mesmo em cima de objetos, não importando o quão pequenos e estreitos forem, fazendo isso por instinto até.

Sentidos Aprimorados: Não menos importante, ela possui os sentidos aumentados a níveis muito elevados, podendo perceber e analisar as coisas muitas vezes mais rápida que um humano normal, beirando à perfeição total. É dona de visão noturna, além de ser sensível o bastante para perceber mesmo as mudanças mínimas no ar, o que lhe ajuda à reagir contra ataques mesmo vindo pelas suas costas, quase como um sexto sentido, que lhe permite esquivar de perigos mesmo sem vê-los, às vezes até supor algum acontecimento antes mesmo que ele aconteça. Tais aprimoramentos nos seus sentidos lhe dão também uma audição surpreendente, além de olfato e visão apuradíssimas (esse último que lhe torna uma dos melhores atiradoras de elite do mundo, se não a melhor, demonstrando até poder cortar ao meio uma mosca em movimento com um clipe de papel), o que também lhe proporciona uma visão noturna, ou seja, enxergar mesmo no escuro.

Durabilidade Aprimorada: O corpo de Melanie é surpreendentemente mais resistente que o de um ser humano normal, o que envolve não apenas a sua pele, como também demais tecidos, ossos e músculos, sendo extraordinariamente resistentes à lesões de vários níveis.

Fator de Cura Regenerativo: Seu corpo pode se regenerar de forma muito mais rápida e eficiente que um ser humano comum, quando tem seus tecidos ou ossos danificados ou mesmo destruídos. Ela pode regenerar qualquer coisa, desde tecidos danificados de alguma forma, a órgãos ou mesmo membros em falta, apesar de que não é instantâneo. Como consequência, tiros, cortes e ossos quebrados podem se curar em minutos, e por conta disso o seu corpo pode receber ainda uma quantidade enorme de dano antes de sucumbir à morte, o que ainda é possível, apesar que alguns ferimentos que seriam mortais para seres humanos comuns (como ser empalada em seu peito por uma arma, o que já aconteceu) apenas lhe atrasam.

Tal regeneração lhe proporciona ainda muitas outras coisas, mas principalmente a imunidade ao envelhecimento, sendo biologicamente imortal, sendo que suas células pararam com tal quando a Melanie atingiu seu auge físico, mantendo um estado de juventude e saúde perfeita de forma indefinida.

Imunidade Aprimorada: O corpo da Exterminadora neutraliza todos os contaminantes prejudiciais, tornando-a imune à venenos, toxinas, bactérias, vírus, doenças, parasitas, alérgenos, radiações, e etc. Aliás, sua mente também é imune à telepatia, controle da mente e coisas do tipo, assim como ele também tem força de vontade o suficiente mesmo para ser imune à possessão de corpo.

Adaptação: Uma das principais características dela, é que Melanie consegue adaptar rapidamente suas estratégias e estilo de combate em qualquer clima, em qualquer situação e contra qualquer inimigo ou coisa, o que lhe dá mais chance de sobreviver à qualquer coisa.

Visões precognitivas limitadas: Curiosamente, ela possui um sentido premonitório, que lhe permite ver o futuro em curtos espaços de tempo, o suficiente para ter chance de reação para qualquer ataque que vier contra ela, e combater o mesmo sem problemas.

Itens/Armas:
Armadura: sua icônica armadura e demais proteções corporais lhe deixam tão bem protegida e equipada que ela pouco se importa em parecer feminina ou não com tal equipamento, aliás os inimigos até confundem o seu sexo quando está pronta para matar, já que quase parece um homem de tanta proteção que carrega, mas incrivelmente não fica mais lenta por conta disso. Todo o traje que ela veste é incrivelmente resistente, feito de vários materiais, entre eles se encontram principalmente o Promethium (metal com propriedades especiais, e mais resistente que o normal) e o Nth (metal raro encontrado em Thanagar, muito mais resistente que o titânio), que não apenas lhe protege de danos provenientes de balas, pesadas explosões, lâminas e armas penetrantes (tendo uma proteção extra para estas últimas aliás), como também aumenta seus atributos já sobre-humanos, lhe permitindo resistir a ainda mais dano que o normal. Há ainda um revestimento interno feito com kevlar e malha de promethium, para absorver ainda mais os danos direcionados à mulher.

Há ainda um dispositivo em sua armadura que absorve energia cinética para se alimentar, e aumentar ainda mais a resistência padrão, utilizando a energia de movimentos da própria dona e até golpes recebidos por ela para se reforçar. Sua armadura já se mostrou tão resistente, que ela é capaz de lutar mesmo contra um kryptoniano, e sua armadura ainda assim continuar resistindo bem.

Duas Espadas: Melanie sempre porta espadas, todas surpreendentemente resistentes, feitas de promethium e mais duráveis que titânio. Tão afiadas que, em conjunto com suas capacidades físicas e habilidades, permitem à ela cortar mesmo diversos tipos de metais resistentes sem muita dificuldade.

Bastão de Energia: Praticamente indestrutível (feita de vários metais, dentre eles, é claro, promethium) e com a capacidade de descarregar explosões de energias poderosas, podendo até mesmo derrubar aeronaves ou mesmo grandes super humanos com tal dano. Ela também pode separar esse bastão em dois, podendo assim ter mais versatilidade em batalha, se tornando dois bastões menores que continuam sendo poderosos.

Assim como armas menos importantes: ganchos (que ela dispara de seus braços), granadas (de luz, de fumaça e explosivas), pistolas (duas à mostra em sua cintura, e duas escondidas em sua armadura), um rifle (em suas costas) e, por fim, uma faca de caça e duas lâminas escondidas pela sua armadura.
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Sadie Cassandra O'Keefe em Seg Out 03, 2016 11:35 am

Well, now that you've got your gun It's much harder now the police have come Now I'll shoot him if it's what you ask But if you just take off your mask You'd find out everything's gone wrong. Now everybody's dead And they're driving past my old school He's got his gun, he's got his suit on She says, "Babe, you look so cool, you look so cool,
Os primeiros feixes de luz invadiam o quarto, anunciando a chegada de mais um dia. Carros buzinavam com seus motoristas impacientes conduzindo-os, pessoas caminhavam de um lado para o outro nas calçadas e pássaros cantavam — mesmo que estes dois últimos não pudessem ser ouvidos — aos poucos a cidade despertava de um sono que nunca tivera.

Frances virou o rosto para o lado oposto ao qual a luz entrava, havia se esquecido de fechar as cortinas — ela não lembrava de haverem cortinas naquele quarto — deslizando a perna direita pelo lençol branco e macio da cama, formando um "P" distorcido ao encostar a planta do pé na parte interna da coxa.
Seu nariz sentiu o cheiro do xampu utilizado pelo parceiro na noite anterior, não era um que ela conhecesse, mas gostava do cheiro. Vencida pela voz da cidade e pelo odor suave que entrava em seu nariz, a platinada finalmente despertara, mesmo sem saber que horas eram.

Virou-se de costas para baixo e ergueu o tronco de uma só vez, como se houvesse levado um susto ou estivesse atrasada para algum evento importante. O frio da manhã tocou sua pele e a arrepiou por inteiro, e só então ela percebeu que encontrava-se desnuda, não só do tronco para cima, como todo o seu corpo, envolvido apenas pelo lençol branco como forma de esconder-lhe as partes íntimas.
Piscou algumas vezes e puxou o tecido para cima, de forma a tentar esconder o que o parceiro já havia visto. Olhou para o lado, vendo que o mesmo encontrava-se tão adormecido quanto ela e um pequeno sorriso surgiu em seus lábios, como se estivesse admirando uma lembrança nostálgica.

Moveu-se preguiçosamente em direção as costas do loiro, deslizando a mão esquerda pela coluna espinhal e deixando que seus dedos se espreguiçassem nos fios dourados do cabelo dele, enquanto um beijo estralado era deixando em seu pescoço. — Ei. Acorde. — Murmurou inutilmente. Sabia que Sisyphos jamais acordaria naquele momento — ele sempre fora mais preguiçoso que ela, e isso a divertia, porque ela tinha praticamente uma coleção de situações inusitadas em que o melhor amigo adormecera em festas ou na casa de alguém — mas não havia lhe custado nada fazer uma tentativa.

Enrolou-se no lençol, puxando-o do corpo do amigo e percebeu que este também encontrava-se da mesma forma que viera ao mundo, assustando a platinada por um momento ao perceber a extensão do corpo do mesmo e seus olhos observarem músculos que ela ainda não havia percebido no corpo dele. Transformou o tecido num belo vestido de gala com um nó aqui e outro ali, só não seria mais indicado para um evento de gala porque o tecido era semitransparente, revelando as auréolas rosadas dos seios de Frances. Deu dois passos em direção a janela, observando que o sol que a acordara minutos atrás agora sumia entre pesadas nuvens de chuva, o que causou um resmungo de insatisfação na inglesa. Fechou as cortinas e deu as costas para a mesma, tempo suficiente para que um som semelhante a um trovejar a fizesse dar um salto de susto.

Voltou a posição de segundo antes, escancarando as cortinas e observando as nuvens, que apesar de não retratarem relâmpago algum, emitiram o som pelo que parecia ser uma eternidade. Àquela altura, Sisyphos já deveria ter despertado, porém Frances não poderia saber, porque seus olhos azuis agora assistiam bestializados os acontecimentos que se seguiam no que seria um dos maiores símbolos da cidade: o globo dourado, que reluzia a ponto de cegar um desavisado em dias de pleno sol, agora estava envolvido em eletricidade, assim como todo o prédio. Gritos de desespero pouco a pouco nasciam abaixo dos pés de Frances e pelo resto da cidade, de pessoas que não entendiam o que aconteciam, mas já previam que seria o fim da era como conheciam. Olhares se voltavam para o espetáculo de horror, enquanto uma risada ecoava de algum lugar, divertindo-se com as chamas que lambiam o prédio pouco a pouco.
Sissy. — Chamou Frances. — Tem algo que você precisa ver.
lista de supermercado:

1. Informações gerais:
▲ Frances Hale a.k.a. Zatanna
▲ Reencarnada
▲ 18 anos

2. Níveis e atributos:
▲ Nível 12

▲ Inteligência: 15
▲ Força: 15
▲ Vigor: 15
▲ Resistência: 15
▲ Velocidade: 15
▲ Carisma: 15

3. Poderes e Habilidades
▲ Cinéticos:
Geocinese; Aerocinese; Pirocinese; Telecinese; Hidrocinese; Umbracinese; Lumocinese; Criocinese; Eletrocinese

▲ Físicos:
Teletransporte; Transformação; Cura; Alteração de tamanho;

▲ Outros:
Feitiçaria; Hipnose; Prestigitação; Telepatia; Voo;
they're making up another story;

_________________


Saturn
"  If crazy equals genius Then I'm a fucking arsonist  "
avatar
ANTI-HERÓIS
20

Conference House

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Henry Lockheart em Seg Out 03, 2016 1:56 pm


Oficial
Consultor

 
 
 


O que é ser um vilão, você pode se perguntar ainda mais um reencarnado que era um herói, como as pessoas sempre dizem a roupe não faz o herói e sim a pessoa que está de baixo dela e isso significa que nem todos possam ser bons e eu sou uma dessas pessoas ao qual a roupa não faz de que lado eu estou e sim eu mesmo, desde de pequeno eu roubava as coisa, morei na rua por boa parte do tempo e quando fiz uns 30 anos comecei a trabalhar de verdade e hoje em dia pode se dizer que sou importante.

Minha ultima visita ao museu foi um sucesso e eu até levei a roupa do Gladiador Dourado comigo e hoje eu sou quem eu me tornei agora um vilão, o dia estava perfeita para roubar as pessoas e então lá estava eu, com minha roupa que me proporcionava meus queridos poderes, mas algo no céu me fez parar e ao envés de azul ele tinha tomado a cor cinza e segundos depois uma voz que parecia vir do além, a mesma parecia um pouco assustadora, porém suas palavras me faziam sorrir.

-Você tem razão, vou ajudar no que puder senhor! - Dizia na esperança do dono daquela voz me ouvisse, pois eu estava cheio de esperança e ao mesmo tempo esperando que ele me desse alguma ordem para que eu pudesse ajudar ao máximo e em seguida olhava para baixo vendo as pessoas ali passando. -Diga-me senhor, qual é a minha ordem! - Dizia abrindo um largo sorriso sádico.

Poderes:
Roupa: Poderes abaixo;

Super Força: Super força geralmente envolve o reforço geral da músculos do personagem, o que lhes permite bater mais forte.

Escudo de Força: Campos de força são geralmente escudos invisíveis ou transparentes de energia que alguns caracteres produzem como uma forma de proteção. Embora campos de força são usados ​​em muitas maneiras diferentes, eles geralmente são mostrados em quadrinhos como um campo de energia esférica e claro que abrange o usuário.

Manoplas: Duas manoplas um em cada mão/pulso que atira raios de energia.

Visores: Poderes abaixo;

-Visão de Raio X: A capacidade de ver através de camadas de objetos, a critério do titular dessa superpotência.

-Visão Infravermelho: Basicamente pode-se ver a noite, como também visão analítica.

Cinto de Brainiac 5: Poder abaixo;

-Durabilidade: Resistência a danos físicos.

-Invulnerabilidade: Invulnerabilidade é basicamente o prazo para a capacidade de ser impermeável a prejudicar, sem medidas extremas.

Anel de Voo da Legião de Super Heróis: Permite que o mesmo voe.

Skeets: Como um robô Skeets não está sujeita a maioria dos problemas fisiológicos que a maioria dos seres humanos seria. Além disso, ele tem a capacidade de voo e devido aos seus bancos de dados, um conhecimento aprofundado do passado (ou correntes) eventos. Além disso, ele também tem uma seleção de armas e ferramentas mantidos no interior de seu escudo, Skeets também demonstrou a capacidade de produzir rajadas de energia azul.

Espécie:
Reencarnado de Booster Gold/Gladiador Dourado

Atributos:
Força: 30
Inteligência: 20
Resistência: 10
Velocidade: 10
Vigor : 10
Carisma: 10

HP:
100/100



copyright 2014 - All Rights Reserved for Larissa
avatar
VILÕES
20

Manhattan

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Amber Casferth Werdtaley em Seg Out 03, 2016 5:16 pm

Good Luck, That's all I need...


Amber ainda se encontrava em Metrópolis, não tinha conseguido completar seu objetivo, afinal. Desde o fracasso na joalheria, as chances da ruiva de entrar em contato com o submundo da cidade havia reduzido de forma drástica, principalmente pelo fato de que tinha matado alguns dos bandidos que ameaçaram a joalheria e o pior, tinha entregado um deles para a polícia.

A ruiva estava instalada num dos muitos hotéis da avenida do amanhã e estava pronta para sair, até ouvir o telefone tocar. A Werdtaley deslizou as mãos pela parte interna do sobretudo negro e de lá retirou um smartphone negro levando-o diretamente ao ouvido. Ela já sabia quem era.

— O que tem de novo, Josh? — ela questionou enquanto descia o elevador.

(...)

A informação tinha sido recebida e tudo o que ela tinha que fazer era andar alguns pouco metros no sentido do planeta diário. Joshua era seu informante, especialista em conseguir saber o impossível e era esse tipo de gente que a Werdtaley gostava de ter ao lado, fazia o tipo "hacker" e era o ás dos disfarces. Segundo o parceiro, ela conseguiria encontrar algo sobre o misterioso símbolo na caixinha da joalheira se visitasse uma velha livraria próximo ao planeta diário.

Amber estava tomada por uma alegria, finalmente as engrenagens da sorte tinham voltado a girar. Mas ela devia saber que aquilo estava bom demais para ser verdade, seus poderes não lhe permitiam ter esse tipo de "coisa" que os humanos chamavam de sorte. Eis que o caos começou a se instalar no planeta diário e uma espécie de ataque estava acontecendo. O inimigo, até então desconhecido, parecia se divertir com aquilo tudo. A ruiva apenas se pôs a observar, se não sabia com quem lidava, não havia o que fazer.


Informações:

Espécie: Reencarnada, Jinx.

Nível: 5

Pontos de Ação Atributos

Força 20
Inteligência 15
Resistência 10
Velocidade 15
Vigor 20
Carisma 10


Índole: Neutra

Poderes

Jinx tem controle de probabilidade, ou manipulação de sorte ou - no caso de Jinx - má sorte. Jinx é descrita como uma encantadora que detém o poder de má sorte, que se manifesta como rosa, explosões de energia em raios / ondas disparadas de suas mãos. Os poderes de Jinx retratam uma manipulação de probabilidade, ou mais especificamente, a capacidade de''azarar" de seus inimigos, daí o seu nome (em inglês, Jinx significa mau agouro ou azar). Quando ela está disparando ondas de energia seus olhos brilham num rosa brilhante, e pode fazer estruturas racharem. Ela é capaz de exercer sua magia para uma variedade de efeitos. Ela tem demonstrado a capacidade de usá-lo para explosões de energia, vôo, geração de ilusão e da manipulação elementar, entre muitos outros usos.
Quando ela quer que seus inimigos sejam " amaldiçoados ", ela usa principalmente suas ondas de energia para romper estruturas sólidas em seus arredores, embora outros efeitos também são possíveis, tais como ondas de maré . Sua energia de má sorte também pode servir um papel ofensivo direto como explosões concessiva.



Magia: Maldição de Objetos: A capacidade de tornar objetos mais fortes, mais rápidos e/ou mais poderosos do que já são, como transformar um carinho bate-bate para agir como um rápido carro de corrida. Explosão Hex: Ela pode atirar feixes para explosões de energia que podem derrubar objetos e pessoas.
Explosão Ótica: Jinx pode quebrar qualquer objeto usando seus olhos e sua mente.

Projeção de energia:  Às vezes chamado de "manipulação da energia", projeção de energia é a capacidade de gerar e ondas projeto variando de energia do corpo de um metahuman. Essa energia pode assumir a forma de explosões concentradas, explosões de concussão, ondas de força ou vigas auto-perpetuar. Estes feixes podem provir de qualquer lugar e ser utilizado ou dirigida de um grande número de maneiras, dependendo do carácter seja defensivo ou ofensivo.

Voar: Às vezes chamado de "levitação", Flight é um termo usado para descrever a capacidade de alguns personagens para resistir a força da gravidade de um planeta e navegar pelo céu sem a ajuda de tecnologia.

Geokinesis: Controle de Terra. Jinx é uma feiticeira elemental formidável que chama a sua magia da terra firme, natural. É por isso que ela deve ter contato entre o solo e os pés descalços em todos os momentos, ou então seus efeitos mágicos tornam-se enfraquecido ou perdido completamente.

Pyrokinesis:
Controle de fogo. É a capacidade mágica de criar e controlar o fogo, através das mãos. Ele permite que o usuário crie bolas de fogos, além de jatos de fogo, entre outras formas

Manipulação de Sorte:
Ela pode manipular a sorte de alguém para torná-la boa ou ruim.

Telecinese: Jinx tem a capacidade de manipular e controlar objetos com a mente sem o auxílio de nenhum movimento físico, podendo levitar, mover, atirar ou quebrar qualquer objeto físico em geral.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Nícola Elsternwick McBrax em Seg Out 03, 2016 6:02 pm





Oficial



Sweet dreams are made of this.Who am I to disagree? I travel the world. And the seven seas--
Everybody's looking for something.


Um pesado suspiro escapou dos lábios do vigilante conforme ele andava pelas ruas, o tão esperado dia ensolarado tinha se transformado em uma paisagem monótona e acinzentada. Sabia que a meteorologia não era uma das ciências mais exactas mas calcular mudança repentina em qualquer aspecto da cidade era motivo para desconfianças, ultimamente você encontrava um louco pior do que o outro com capacidades divinas por ai. Já não bastava uma força tarefa de aberrações genéticas, agora existia a possibilidade de uma força tarefa para barrar a diversão nos dias de sol. Era um último controle da população.
 Mas embora estivesse cauteloso, não ligava muito. Também existiam coisas maravilhosas para se fazer em dias chuvosos e seria mais estranho ainda se aquelas nuvens não fossem o prelúdio de uma queda torrencial de água. Nícola apenas abaixou a cabeça e se concentrou exclusivamente em seu café, ignorando as pessoas que reclamavam do tempo e o barulho diário e irritante de carros e essas coisas que são comuns em cidades grandes. O estrondo que se seguiu foi o bastante para fazer o homem apertar o copo em sua mão, derramando o café quente por seu braço e lançando um olhar espantado para o globo dourado que não ficava muito longe dali. Era quase um ponto de referência da cidade. — Filho da puta! Meu café. — Resmungou enquanto voltava a olhar para o chão. A tempestade já tinha começado e a chuva não, era estranho mas aquilo deveria ter sido só um raio qualquer que acabou por atingir aquele globo, Nícola tinha visão dos últimos andares da redacção do jornal e pode ver algumas luzes piscando dentro da construção, todas as luzes apagadas. Certamente a descarga eléctrica tinha causado um curto circuito no prédio. Então uma nova descarga rompeu os céus e atingiu o globo novamente, ele já conseguia ouvir os civis abandonando o local e correndo pelas calçadas. Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Ele sabia que aquilo era apenas uma crença popular mas não custava acreditar, algo estava definitivamente errado ali e como seu trabalho, deveria ajudar as pessoas a evacuarem o prédio. Cruzou as duas quadras que o separavam do edifício o mais rápido que podia.
 A construção ardia em chamas, pessoas gritavam e eram mortos lá dentro. Totalmente carbonizadas, alguns poucos corajosos se arriscavam e pulavam das janelas, a maioria morrendo pelo impacto, alguns poucos agonizando e clamando por ajuda. Aqueles que tivessem sorte, não seriam engolidos pela fumaça. Aquela voz ruidosa continuava falando, como se fosse algum tipo de deus. Ele sabia que precisava ter cautela, ainda não tinha identificado o oponente. Seus olhos captaram a imagem de alguns morrendo correndo para perto do prédio e sendo repelidos por uma barreira invisível, um teve o braço pulverizado, o outro, foi lançado a uma grande distância. Ele só podia esperar e ver o que estava para acontecer, tentando não ligar muito para o cheiro de carne queimada.

Informações:

1. Informações gerais:
▲ Nícola Elsternwick McBrax - Nebulosa
▲ Watchmen
▲ 32 anos

2. Níveis e atributos:
▲ Nível 7
▲ Especialização: Intelectual

▲ Inteligência: 40
▲ Força: 14
▲ Vigor: 14
▲ Resistência: 17
▲ Velocidade: 25
▲ Carisma: 10

3. Poderes e Habilidades
▲ Primários:
   ▲ Absorção e Manipulação de Energia Cósmica. ( Voo ; Super-Força ; Super-Resistência ; Super-Agilidade ; Campo de Força ; Cura ; Teletransporte ; Gravitocinese. )
▲ Secundários:
   ▲ Super Inteligência. ( Aptidão Intuitiva ; Visão Trigonométrica ; Prodígio )


THANK YOU SECRET!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Sophie Czarevich Brahms em Seg Out 03, 2016 6:40 pm


it can't be a mistake if i just call it change

Despertou cedo naquela manhã, encontrando a si mesma debruçada desconfortavelmente em cima dos controles que faziam parte do grande monitor que vigiava a cidade de São Francisco. Lembrou-se, então, que tinha passado grande parte da noite procurando por alguma atividade ilegal, ou qualquer outra coisa que deveria se preocupar. Pelo jeito, havia adormecido no meio da procura, sem achar qualquer rastro de um ato inconcesso.

Se levantou vagarosamente, sentia seu corpo dolorido e cansado. Enquanto se arrastava para o seu quarto pensando que aquele seria um bom dia para tirar uma folga e dormir até cansar, ouviu a porta da frente sendo praticamente esmurrada. Parou por um momento pensando em atende-la, mas logo retomou o caminho, resolvendo ignorar a inconveniência.  

Mas, talvez, a pessoa estivesse decidida demais para parar, pois as batidas não cessaram.

Girando o corpo bruscamente na intenção de mudar sua rota. O sono que sentia no momento não a permitiu tomar qualquer medida de precaução antes de abrir a porta do quartel general dos Titans, entretanto, tampouco precisaria; ao escancarar a entrada, deparou-se com uma figura conhecida por ela. — Levi? O que a foda você está fazendo aqui tão cedo? — Praticamente grunhindo, afastou-se para que o loiro pudesse entrar na habitação e se acomodar na sala de estar simples. — Senta aí, eu vou colocar algo mais decente. Não demoro.

Não era como se estivesse sendo grosseira ou algo do tipo, Levi era quase de casa. Ou costumava ser, antes de deixá-los em busca de algo que se adequasse mais aos seus desejos. Ela não o julgava, a própria se via revendo se seu lugar era realmente ali.

Seus passos à levaram até um dos quartos da construção. Não tinha muitos móveis, apenas uma cama de casal de maneira escura, e um armário do mesmo material, o que o deixava com um aspecto vazio. O atravessou, indo até uma porta que havia em seu canto, entrando no pequeno banheiro, tão simples quanto o cômodo antecessor. Ali lavou-se num rápido banho, trocou as roupas de dormir que consistiam em apenas uma camiseta longa e colocou um jeans surrado e uma camiseta de uma banda qualquer.

O caminho de volta à sala de estar foi mais rápido, já que a garota estava mais desperta. Trazia consigo uma toalha que usava para secar os fios negros em uma mão, e seus tênis em outra. — Então, me conte o motivo de sua deslumbrante visita. E não diga que sentiu saudades. — Deixou que seu corpo caísse em um dos sofás, ocupando-se em colocar seus calçados enquanto esperava que o rapaz dissesse o motivo de estar ali. O que não aconteceu, pois, antes que Levi pudesse mexer seus lábios, o barulho do painel que momentos atrás a servia como cama passou a fazer um barulho alto. O barulho de que algo não estava certo.

Trocou um breve olhar com o rapaz, antes de levantar-se num pulo, correndo na direção da sala de comando.  Entrou espalhafatosa na sala, seus olhos focando automaticamente na grande tela; o item mais chamativo do lugar. Não era a cidade de São Francisco que ela mostrava, o que deixou a morena preocupada. O painel só mostrava outras cidades cujo pico de poder meta-humano era forte demais.

A cidade era Metrópolis; e ela parecia ter sigo engolida pelo caos. Charlie não precisou pensar muito, tão logo que notou as ruas num completo pandemônio, tratou de apertar um dos vários botões que a mesa oferecia, alertando os demais titãs que eles tinham trabalho a fazer; em seguida, deu alguns passos para trás, pronta para se teletransportar para o local. A única coisa que a prendeu na sala foi a presença do antigo membro de seu grupo, que continuava um pouco atrás de si.

Virando-se meio de lado, olhou para o loiro com um sorriso de canto, lhe estendendo a mão destra. — Tem algum plano para hoje?

Informações. :

Reencarnada, Chaotic Good, nível onze, energética.

Atributos: Força - 15; Inteligência - 15; Resistência - 25; Velocidade - 20; Vigor - 30; Carisma - 10.

Habilidades: EMPATIA, Ravena possui a capacidade de ler ou sentir sentimentos e emoções. Esta habilidade também lhe permite ampliar ou reduzir emoções já existentes em seres vivos. Ela afeta qualquer tipo de emoção, como raiva, ódio, amor, confiança, etc. Pode também ser usado para acalmar seres vivos, ou deixá-los apáticos. Sua empatia se estende à planos etéreos, onde pode se vincular, sentir e ver almas e bem como entrar em contato com mentes com uma maior facilidade. Pode negar a dor de um ser e desfazê-la completamente. Através desta empatia, pode vincular-se a uma mente alheia para causar danos mentais, o que lhe dá vantagem contra seres de mente frágil. Suas capacidades empatas não se limitam apenas ao plano físico ou astral, mas também pode claramente explorar o plano mental. CURA EMPÁTICA, que lhe permite absorver a dor de feridos para aliviar seu sofrimento, os induzindo à cura rápida, entretanto, Ravena recebe uma parcela da dor do paciente para ela mesma. Isso não pode ser feito para grandes lesões. TELECINESE, a capacidade de manipular e controlar objetos com a mente, podendo levitar, mover, atirar ou quebrar qualquer objeto físico. TELETRASPORTE, uma forma de ignorar o espaço e o tempo entre vários pontos, locomovendo-se de um lugar para outro em um piscar de olhos. Usando sua própria alma, ela pode teletransportar a si mesma e outros seres em largas distâncias e como o de esperado teletransporte instantaneamente. LEVITAÇÃO, habilidade que a habilita desafiar a gravidade e literalmente voar. UMBRACINESE, capacidade de manipular escuridão, geralmente a acessando mentalmente de uma dimensão de energia negra ou simplesmente do Mundo Inferior. Com esse poder é capaz de criar formas sólidas, viajar pelas sombras em um simples teletransporte, invocar espíritos e criaturas das trevas sendo estes seus escravos sombrios. PROJEÇÃO ASTRAL, capacidade de deixar seu corpo com vida e ficar vagando como espírito pelos planos. MAGIA, MAGIA NEGRA E BRUXARIA, como dito, possui o dom da magia e da magia negra, sendo o último não muito utilizado por lhe trazer grandes consequências. É excepcional com bruxaria, lançar feitiços e derivados. SOUL-SELF, capacidade de projetar sua alma para fora do corpo, geralmente sob a forma de um corvo negro gigante, ou inúmeros corvos de tamanho normal, intangíveis ou não. MIMETISMO DEMONÍACO, capacidade de se mimetizar em um Demônio de até, aproximadamente, dois metros. Suas íris se tornam avermelhadas, sua pele adquire um tom bronzeado e o formato de suas orelhas mudam para um pontiagudo. Suas unhas se tornam garras, grandes e resistentes, asas crescem em suas costas, assim como uma causa preênsil afiada e retrátil, que pode servir tanto para ataque quanto para defesa. Em batalha, consegue roubar parte da stamina e vigor físico, tomando-as como benefício. Sua regeneração se torna mais rápida e, enquanto nessa forma, há a capacidade de controlar a pirocinese.

thanks

_________________


Fallen angels at my feet, whispered voices at my ear, Death before my eyes, Lying next to me I fear. She beckons me, shall I give in? Upon my end, shall I begin? Forsaking all I've fallen for I rise to meet the end.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Samwell Hunter em Seg Out 03, 2016 8:02 pm



The helper arrived

 A Liga da justiça decidira que minha presença iria ser imprecisa hoje, claro que não fora usado essas palavras para me dispensar, mas sim, foi mais ou menos isso o significado. Não estava ganhando muita chance de mostrar meu potencial como herói, porém, do mesmo jeito eu me arriscava sozinho pelas ruas, até porque eu tinha que continuar ativo para quando realmente fosse necessário, mas evitar roubos e perseguições entre policias e ladrões não era tão empolgante assim. Queria enfrentar algum ser que tivesse as mesmas habilidades que eu; que pudesse voar, correr rápido ou dar soco super-maneiro com previsão de derrubar uma parede, mas os lideres da liga ainda me achava "jovem demais" para arriscar-me.

O dia até aquele instante havia sido bem tedioso, mas tudo mudara em questão de segundos quando um barulho longo e demorado de ter um final me acordou, fazendo-me cair da cama e me levantar preparado para qualquer que fosse a situação, mas nada parecia ter ocorrido dentro de casa e sim fora dela. Teleportei-me para o porão da casa, recolhendo meu uniforme e vestindo ele o mais rápido possível. Lembro-me vagamente de ter visto tudo ficar branco do lado de fora da casa, mas não arrisquei olhar para a luz já que era tão clara ao ponto de cegar algum individuo temporariamente. - Será que a liga ta sabendo disso ? - indagava para mim mesmo, quase num sussurro medroso e hesitante. Quando um outro estrondo me assustou - dessa vez não demorara para ter um fim - decidi que era a melhor hora de saber o que era.

Ao colocar o nariz para fora de casa o céu estava cinza, diferente do que as previsões especulavam para hoje, mas havia uma parte que se destacava melhor, um lugar onde nuvens escureciam o centro de metropolis. - Isso não é bom - murmurei, teleportando-me até o local do incidente. De cima de um dos prédios próximo da onde ocorria um incêndio, observei algumas pessoas tentarem entrar para tentar apagar o incêndio que se alastrava em um dos prédios mais importantes da cidade, mas acabavam recebendo algum tipo de descarga elétrica que lhe causavam ferimentos bisonhamente feios. - O-que é isso !? - entrei em um estado de pânico ao pensar que alguma coisa grave pudesse estar acontecendo, mas o pior de tudo era ver as pessoas dentro dos prédios implorando por qualquer ajuda que fosse. Cansado de olhar aquela cena, tentei me teleportar-me para dentro do prédio, mais especificamente no sótão, só que todo meu esforço era em vão. Preocupado de ter perdido meu único dom como herói, tentei me teleportar para o meio da rua onde várias pessoas acompanhavam aflitas os acontecimentos e dessa vez havia dado certo.

- Que estranho... - murmurei, percebendo que não era o único com poderes ao redor do incidente; vários rivais e até parceiros da liga estavam apenas observando o que acontecia, me deixando cada vez mais em pânico por saber que nada podia fazer para ajudar os inocentes que infelizmente estavam no meio de todo aquele incêndio. Quando finalmente havia ficado calado, uma voz surgiu do nada, dizendo algo que me deixara particularmente puto, mas com muito medo. Quando o dono daquela própria voz começou a rir, me causando arrepios, várias pessoas começaram a correr, tentando abanar aquele som muito mais que audível para bem longe de seus ouvidos. Mesmo sem alternativas, continuava a tentar me teleportar para dentro da barreira, em busca de ajudar as pessoas, mas infelizmente nada acontecia e minha esperança ia se tornando cada vez menor. Quando ganhei conhecimento sobre meus poderes e decidi ajudar as pessoas, sabia que uma hora nem todos os inocentes poderiam sobreviver, porém não pensava que aquilo seria tão doloroso para mim, principalmente ao tentar entender a agonia que o pessoal do incêndio passava.

Espécie:
Meta-humano
Poderes:
Teletransporte + Cura
Atributos:
Força 5
Inteligência: 12
Resistência: 5
Velocidade: 7
Vigor: 10
Carisma: 5
Obs: Pontos ainda estão desatualizados no perfil, mas a distribuição ocorreu desta forma.
HP:
100/100

Cap. 1

Tks Maay from TPO
avatar
CIVIL E RECÉM-NASCIDO
18

Georgia - Atlanta

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Anthony E. Shawn em Seg Out 03, 2016 8:55 pm


Sense 1
 Metropolis nunca foi lá uma cidade tão normal como as outras, sendo vítima de ataques paranormais quase o tempo todo, não é atoa que o número de vigilantes e justiceiros crescera por aquela área. Mas havia acontecido algo extremamente bizarro e ao receber as notícias não hesitei em colocar o uniforme costumeiro como Asa Noturna, deixando para outros planos o novo, pois não queria estragá-lo justamente na primeira missão após a minha chegada a Gotham City. Após pegar meu equipamento e preparar a moto para sair, parti rumo à cidade que provavelmente estava acontecendo as os tais fenômenos anormais e um incêndio incontrolável. O que realmente me levava para Metrópolis era a curiosidade e não o tal incêndio, pois sabia que poderia ser controlado rápido, mas não é todo dia que ouvimos dizer que algo invisível evita a passagem das pessoas para perto do globo que havia caído... mais uma vez. Estava começando a achar que os seres de outros planetas não gostavam daquele objeto e não os culpava.

Ao chegar no local, o céu de metrópolis estava demasiadamente cinzento, enquanto uma tal voz acabava de dizer algo sobre os heróis salvarem os reféns do incêndio. Uma risada ecoou por todos os cantos, provocando medo em várias pessoas, enquanto tentava-me permanecer instável, observando todas as evidências estranhas possíveis. Não aparentava ser o único mascarado do lugar, conseguindo notar que vários outros heróis e até vilões haviam se reunido para ver o que estava ocorrendo. Existia até uma turma pequena dos chamados anti-heróis, pessoas que não eram tão confiáveis assim, digo isso por experiência própria. Querendo apenas observar o caos que na cidade era implantada, encostei-me no banco de minha moto, com os braços cruzados, o bastão prendido em minha mão direita, prevenindo-me de alguma coisa perigosa ao redor de minha pessoa. Permanecia quieto como sempre, continuando oculto da sociedade ignorante que tínhamos em todos os lugares desse mundo.

Espécie:
Reencarnado
Poderes::
Rastreador: Assim como Bruce, Robin tem um ótimo dom de rastrear e identificar as coisas, principalmente pistas deixadas para trás.

Acrobata: Com super-poderes lhe faltando, Robin usufrui de suas habilidades humanas, sendo muito ágil, tornando-o um ótimo combatente mano-a-mano.

Artes marciais: Sendo um dos maiores triunfos de Robin, suas especialidades são Judô, Tae Kwon Do, Escrima, Ninjitsu, Boxe, Karatê e Kung-Fu.

Estrategista: Ótimo estrategista, Robin sempre se destaca por isso, o transformando em um grande líder nas lutas em que acaba se metendo (quando se trata de mais alguém à seu favor, é claro).

Habilidade com armas brancas: Robin sempre leva consigo um bastão ao qual usa em combate, mas em alguns casos prefere não usá-lo, dependendo de seu adversário.

Nível de força elevado: Robin é bem mais avançados que as outras pessoas de sua idade, deixando isso claro, o principal motivo pode ser considerado a perda de seus pais tão cedo.

Trabalho em equipe: Enquanto alguns se arriscam sozinhos, Robin prefere uma "mão amiga" para ajudá-lo nas horas precisas, se tornando muito melhor ao unir suas forças com alguém.
Atributos:
Força: 11
Inteligência: 9
Resistência: 5
Velocidade: 20
Vigor: 7
Carisma: 8
HP:
100/100

local: Metrópolis vestindo: Traje do Asa Noturna by Nanda from TPO
avatar
HERÓIS
17

Gotham City

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Allen Forchhammer em Seg Out 03, 2016 10:03 pm


wake me up when september ends
Uma voz distante me pedia para despertar. Os nervos anestesiados de minha pele, em específico os da lateral do meu pescoço, receberam um curto beijo oriundos de lábios macios e finos. Meu cérebro foi despertando aos poucos para a realidade, os meus olhos mantinham-se fechados, algumas palavras sem nexo escaparam por entre meus lábios quase num tom de um sussurro. Continuei deitado, os resquícios de consciência que eu tinha do mundo exterior em volta do meu corpo estavam apagando-se aos poucos. Logo, tudo se tornou um enorme e infinito breu. Segundos, minutos, horas... eu não sei dizer quanto tempo exatamente se passou até eu despertar do meu sono novamente, ainda com os sentidos sensoriais prejudicados pelo sono, pude escutar a voz de Frances chamando por meu nome e solicitando minha presença para algo urgente. Abri a boca e um bocejo causado por um déficit de oxigênio em meu cérebro combinado com os esforços do subconsciente para me manter acordado passou despercebido por mim. Impulsionei meu tronco para frente e sentei sobre a cama, minha mão direita foi de encontro para meu rosto, a costa da mão atritou contra minhas pálpebras numa tentativa de afastar sono que insistia em recair em mim.

Tombei a cabeça para o lado e vi a pequena figura humana de frente para a janela, seu corpo pálido tornava-se ainda mais branco com os raios de sol iluminando a sua pele. Notei que o tempo provavelmente estaria fechado, a julgar pela intensidade da iluminação natural que repousava sobre ela e também por algum trovão aleatório que ficou gravado na minha memória momentos atrás enquanto eu dormia. Um sorriso bobo brotou nos meus lábios aos poucos, assim como eu, Frances acordara agora a pouco, ótimo, isso significa que não era tão tarde do dia. Minha nudez não me incomodava nenhum pouco, o sentimento de intimidação, vergonha ou aversão vindo de mim era totalmente zero, mas esse coeficiente para tais quesitos não eram compartilhados com a platinada, tendo em vista que seu corpo estava coberto por um delicado vestido de gala, que curiosamente possuía uma estampa semelhante a do meu lençol que eu também não estava encontrando por cima da cama, e aquilo dali era muito fino e transparente para ser vendido em uma loja de trajes a rigor, eu podia ver daqui perfeitamente os traços de seu corpo e o conteúdo por trás da saliência que seu mamilo rosado provocava no vestido semelhante a duas protuberâncias na região do seio.

Após chegar uma conclusão de que aquilo era o meu lençol com um leve toque de mágica vindo dela eu ri baixinho e levantei de uma vez da cama, meus pés automaticamente procuraram meus chinelos, estes não foram encontrados, vi-me obrigado a prosseguir descalço. Caminhei até a janela a qual ela observava tão atenciosa, apesar de estar curioso não procurei saber sobre o que seu olhar tanto matutava, apenas me posicionei atrás de seu corpo e lhe abracei por trás, minhas mãos a envolvia na altura de seu umbigo, a força aplicada a fez caminhar lentamente para minha direção e colar suas costas a meu peitoral. Inclinei a cabeça para baixo e mergulhei no mar prateado de seus cabelos, minha testa apoiou-se por cima do seu ombro direito, em seguida minha boca rumou para seu pescoço onde depositei um suave e demorado selinho de bom dia. — Oi... — Sussurrei rouco quando levantei a cabeça e posicionei meus lábios ao pé de seu ouvido, meus olhos estavam fechados para sentir melhor todo o aroma do cabelo e pele da garota que minhas cavidades nasais capturavam. — O que é tão importante, Fran? — Questionei-a preguiçosamente. Abri meus olhos e por uma questão de segundos fiquei estático enquanto meu cérebro processava a imagem do Planeta Diário sendo “eletrocutado” e as vibrações mecânicas de uma ríspida risada vinda do além.

ABOUT ME:
Raça: Kryptoniano

HP: 100/100

Nível: 9

Poderes:
♦ super força,
♦ vôo
♦ visão de calor
♦ visão de raio-x
♦ visão telescópica
♦ super audição
♦ sopro congelante
♦ velocidade sobre-humana
♦ regeneração
♦ longevidade
♦ invulnerabilidade.

▲ Inteligência: 25
▲ Força: 30
▲ Vigor: 20
▲ Resistência: 15
▲ Velocidade: 30
▲ Carisma: 10
ϟ mei

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Oliver Reely Burkhard em Seg Out 03, 2016 10:07 pm

Welcome to the room of people
Os dias têm se tornado cada vez menor. As noites, por sua vezes, mais longas. Apesar da diferença notável de temperatura – sob o sol era quente, sob o luar era frio -, algo em comum entre ambos os turnos é a intensidade. Nada era normal, a familiaridade já virou um item não presente na face terrena. Somente nostalgia de um passado perpétuo e, até mesmo, distante. A quantidade de delitos já era incontável em comparação ao tempo em que o rapaz era um pequeno gafanhoto, um jovem padawan.

Bons tempos àqueles onde tudo era mais simples.

O cérebro reproduziu, mentalmente, cenas da história já vivida por ele. A fecundação humana, que o deu a luz, foi num piscar dos olhos, a infância em velocidade próxima, a adolescência e o pré-adulto foram mais lerdos, pois possuíam muito mais highlights: a aparição de pelos em certas partes... Espera, isso não tem relevância alguma; enfim, nessa fase descobriu o que é, ou tomou ciência de parte disto. Os poderes foram desbravados. O controle sobre a forma elétrica em seus vários formatos.

Os dias como membro participante, mesmos que poucos, dos Teen Titans foram necessários para receber a informação de como é perante o caos, como vê as circunstâncias desastrosas. Não obstante, também ganhou amizade doutros integrantes do grupo de menores.

— Vamô acordando vocês aí. Na minha época não tinha essa moleza de dormir até as oito da matina. — As superfícies das dermes alvas das palmas se chocavam após a quebra da adjacência, seguido por um movimento de ida e volta. No processo, e por intermédio dessa ação, ruídos de espalmo eram criados enquanto a fala era solta em um bradar a fim de despertar os adormecidos. — ACORDEM! — Ascendendo notavelmente o vocal, deu prosseguimento à ordem. Seguidamente, o polegar e o indicador destros adentraram nos cantos da boca. Através do espaçamento entre os lábios ele soprou vorazmente e, assim, assobiou.

O clamar por atenção finalmente atendeu-se no instante em que a porta foi aberta por alguém. O que era mais estranho, a face não lhe era reconhecível. Concluiu que deveria ser um novato mesmo. Perdeu-se no interior, nos corredores só para não perder o costume de momentos históricos. Levando os olhos para trás, constou que já estava solitário no labirinto mental.

Novatos... Comentando no mental, subiu e desceu ligeiramente os olhos. Transpassava o olhar por tudo que o seu campo visual abrangia com o intuito de situar a sua posição dentro da sede dos jovens heróis. Permitiu-se o dorso relaxar ao ir de encontro a uma sólida planície vertical, arrastando-se com lentidão até que a pose final era sentando. Quem o visse ali, daquele jeito, teria a impressão que estaria se lamuriando. — Sala de estar. — Ergueu-se ao ajeitar o ereto da coluna, mirando as pupilas para uma placa indicativa. Seguiu-a.

Aguardou lá, no lugar antes destinado, com as nádegas repousadas no macio assento central do sofá – triplo -.

— O que eu tô fazendo aqui tão cedo? — Com a feição de surpresa lapidada, o loiro contraiu a musculatura facial, o que concedeu a expressão de cenhos arqueados. Entortou as arestas bucais, ao mesmo tempo em que as esticava lateralmente. Riu. — Deveria já estar atuando sozinha, ou em outro grupo. Estar no meio dos novinhos não te faz parecer velha? — Curioso. Libertou a indagação agora com a forma facial a demonstrar isso. [...] A Ravena sumiu por alguns minutos, deve ter ido se banhar, porque retornou com uma toalha. — Vim aqui ver como estavam os Jovens Titãs atuais. Faz tempo que não coloco os pés por aqui. — Gesticulou a resposta; as mãos acompanharam o dito, realizando gestos sem significado.

Wii U. Wii U. Wii U... Era o som do alerta de catástrofe acontecendo no planeta.

Os pés de ambos os conduziram velozmente até a sala de operações da base. No telão localizado no centro do cubo uma imagem se projetou e incandesceu a iluminação precária local, reproduzindo a eles o ocorrido. O inglês estava frio, com a visão voltada ao reprodutor, sério. O que é isso? Perguntou a si mesmo, franzindo o cenho. Literalmente, o que é isso. Não sei mais como funciona esse painel. Delineando uma careta de desentendimento, concluiu os pensamentos.

Piscou e já estava na cidade de Metropólis. — Que viagem eficiente. — Tinha os palmos guardados dentro dos bolsos laterais das calças jeans azulados. Tirou a destra, esta que se entrelaçou a da mais baixa, que tinha estendido a própria para em direção dele. Os olhares, pelos rabos das vistas, se cruzaram. — A pizza pode esperar. — Falou, mostrando um sorriso unilateral.

Levi:
Espécime: Reencarnado;
Nível: 10;
Codinome: Super Choque;

Poderes: Como um meta-humano com poderes diagnosticados como "inumanos", Static descende de habilidades de manipulação elétrica e variantes assemelhantes. Inicialmente, englobando a isso tem ELECTROMAGNETISMO. Na maior parte do tempo é conhecido como "magnetismo" e/ou confundida com "Manipulação Magnética", Electromagnetismo é tachado como a capacidade de manipular partículas eletricamente carregadas existentes. Static consegue, com a permissão do seu controle electromagnético, atrair e/ou repelir objetos - coisa que pode ser associada com poderio telecinético -, gerar e/ou comandar pólos magnéticos e criar e/ou manipular correntes elétricas, assim como se tocar um condutor humano.

Já foi mostrado que ele é capaz de utilizar o seu próprio corpo como um pólo magnético, enquanto outros vão carregar um corpo com uma polaridade para tudo seja atraído para si como um grande imã energizado. Ainda dentro do Electromagnetismo, Static ainda tem o poder de CAMPO DE FORÇA ao desenvolver uma espécie de barreria de electromagnética que repele e reflete o que lhe é direcionada. Também não pode esquecer de que ele capacitou a si mesmo de repelir o próprio corpo da terra, adquirindo, controladamente, a habilidade de VOO, coisa que geralmente faz com o auxílio de um tipo de veículo, uma prancha onde fixa sobre.

Ainda não privado de mais formas de combater com seus poderes elétricos, ele é portador da propriedade "mágica" de construção de energia elétrica, popularmente fichada como o nome de ELETROCINESE. Isso, em propriamente dito, é utilização da eletricidade em sua forma ofensiva. Com a mesma, as suas formas de uso depende da imaginação do usuário, embora um simples exemplo seja o disparo de cargas elétricas. É conhecido como PROJEÇÃO DE ENERGIA. Trata-se da capacidade de gerar e ondas projeto variando de energia do corpo de um meta-humano. Essa pode assumir a forma de explosões concentradas, explosões de concussão, ondas de força ou vigas auto-perpetuar e entre outros modos. Estes feixes podem provir de qualquer lugar e ser utilizado ou dirigida de um grande número de maneiras, dependendo do carácter seja defensivo ou ofensivo. RAIO EXPLOSIVO, ou explosão elétrica, é o nome aplicado a uma forma de ataque de descarregar um raio, ou seja, uma carga elétrica de proporções colossais. Com pouca importância, ou até mesmo importância nula, tem a ADESÃO, coisa que é a simples capacidade de escalar planos verticais. Faz isso com a eletrização dos dedos com o solo, o que causa um efeito semelhante a uma cola.

Como o seu metabolismo é tão rápido quanto o de um humano comum, ainda porta o dote FATOR DE CURA, regerando ferimentos com certa velocidade avançada referente a dimensão do ferimento.

Atributos:
- Força: 21;
- Inteligência: 25;
- Resistência: 21;
- Velocidade: 20;
- Resistência: 20;
- Carisma: 7

please, don't make any sudden move



_________________


Cause I am I'm the fury in your head. I'm the fury in your bed. I'm the ghost in the back of your head.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Doctor Manhattan em Seg Out 03, 2016 10:49 pm

{GOD} PART I
Após algum tempo as descargas elétricas que envolviam toda a estrutura do edifício cessaram, a tal manifestação de uma possível entidade se esvaiu assim como os trovões que ocasionalmente estrondavam pelos céus através das nuvens. A cidade estava um caos, todas as emissoras de grandes noticiários televisivos mandaram seus jornalistas mais próximos para cobrir o tal evento que estava acontecendo, o céu continuava com o clima fechado e com nuvens negras pairando sobre a sociedade. Dois caminhões do corpo de bombeiros da cidade estavam parados em frente ao prédio do planeta diário, os fortes e parrudos canhões d’água apontavam para as janelas dos andares superiores, era possível ver as chamas de plano de fundo estampando uma situação em que alguém corria para a janela para pedir socorro, a todo instante entravam e saiam homens da corporação devidamente trajados para suportar uma situação como aquela, alguns traziam computadores com arquivos importantes e outros traziam pessoas no braço, geralmente tossindo pelas cinzas impregnadas nos pulmões ao inalar todo aquele ar das salas fechadas por um tempo. Uma faixa de polícia amarela com detalhes pretos haviam fechado o perímetro numa área de 10 metros quadrados além das colunas de sustentação dos prédios, todos os civis estavam sendo alertados para não avançarem a linha, ou sofreriam repressão policial.

Quinze minutos após as descargas, mais viaturas de polícia, agentes do governo e carros de saúde com paramédicos devidamente equipados para primeiros socorros estavam chegando no quarteirão. Aos poucos os jornalistas dos andares mais superiores do edifício iam perdendo a esperança de um resgate, e por preferirem uma morte mais rápida do que uma por asfixia de CO² os mesmos se jogavam pela janela com a cabeça apontando para o chão, já haviam mais de uma dúzia de corpos desfalecidos e desfigurados pela queda, em uma visão superior eles pareciam emanar uma aura vermelha ao redor do corpo, mas na realidade era apenas a poça de sangue dos seus vasos sanguíneos rompidos. Vinte minutos após as descargas, um barulho estrondoso voltou a soar pelo quarteirão do Planeta Diário, mas desta vez não era nenhum sinal divino, era a estrutura do prédio cedendo as influências sobrenaturais que havia sofrido minutos antes. Aos poucos, a estrutura de sustentação da base se comprometeu, em questão de exatos 30 segundos o prédio desabou verticalmente, enquanto uma imensa nuvem de poeira escura se formava na rua e engolia todos os que não eram rápidos o suficiente para fugir dela.

O inesperado havia acontecido, o Planeta Diário estava no chão, desabado, reduzido a cinzas e uma pilha de entulhos e destroços com 100% de certeza de que haviam corpos esmagados por ali, matéria orgânica se misturava com mármore e ferro de uma maneira inusitada, não havia mais edifício, não haviam mais pessoas. Um clarão cortou as nuvens, cegando temporariamente os desavisados que focavam a atenção no céu. Mais uma vez um barulho ensurdecedor do que parecia ser meros trovões tomaram conta do centro da cidade, um murmúrio de desprezo fez-se presente vindo do além. — Vocês viram isso? — Anunciou a voz misteriosa cheio de si, demonstrando um orgulho exagerado em suas palavras. — Eu nem ao menos toquei nessa estrutura... vocês são tão falhos. Merecem o extermínio! — Soou imponente e um corão de trovões e descargas elétricas acompanhou a exclamação para enfatizar e dramatizar ainda mais a situação. Não se sabia ao certo se o extermínio se estenderia para o país, continente, raça humana ou qualquer espécie de vida encontrada no planeta Terra, mas agora todo e qualquer habitante dos Estados Unidos que estavam em seu solo natal poderiam escutar as palavras sendo ditadas com autoridade. — Quero que os mais fortes deste continente se encontrem no quarteirão de onde o Planeta Diário costumava ficar em no máximo três horas, é o tempo para a poeira baixar. Literalmente. Aos que não comparecerão, vivam a vida como se o mundo fosse acabar amanhã. O que não deixa de ser verdade. — E mais uma vez, a entidade aquietou-se, cessando suas influências sobrenaturais no plano material, mantendo apenas a concentração de nuvens pesadas que poderiam acarretar em uma chuva a qualquer momento.



informações importantes
1 — Vocês terão até as 21h59m do dia 05/10 para a postagem;
2 — No final de cada post deve constar, de preferência dentro de um spoiler, as seguintes informações: Espécie, Poderes, Atributos e HP;
3 — Nesta oficial haverá risco de morte, mas as chances para tal são extremamente baixas, portanto tomem cuidado ao realizar suas ações;
4 — Qualquer coisa, qualquer dúvida, é só me contatar por MP;
[/quote]

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Melanie Stark em Ter Out 04, 2016 1:56 am

Divine Wrath
Eu realmente não sou do tipo histérica, a que grita ou age por impulso quando vê algo de errado ou simplesmente chocante acontecer diante de seus olhos, na verdade geralmente fico calada o máximo possível, guardando minhas palavras sempre para quando é realmente necessário em missões. Em resumo, sou uma pessoa séria, então garanto que aquela minha ideia de provocar o que fosse aquilo que atacara o prédio, era apenas para acabar logo com a palhaçada e matar o sujeito que fazia tantas pessoas sofrerem dentro do planeta diário... mas tenho que confessar que eu pareci uma idiota gritando para o nada. e o pior é que foi tudo à toa!

Não sei se era felizmente ou não, mas a tal voz misteriosa me ignorou completamente (o que acabou  me obrigando à guardar minhas armas, minutos depois de ele não me responder), e durante um tempo até sumiu do centro de Metrópolis, o que de certa forma ainda foi bom, pois deu tempo o bastante para que as autoridades se mobilizassem por todos os cantos, estabelecendo um perímetro seguro para os curiosos não se machucarem ao tocar na barreira invisível, enquanto que ao mesmo tempo o resgate chegava, ainda que não parecessem poder fazer muita coisa quanto ao edifício que se encontrava em seu fim e, infelizmente, intocável. Nessa altura eu é claro que fiquei mal em ver aquilo que parecia ser um pequeno pedaço do inferno em cada andar do Planeta Diário, mas não desviei o olhar. Guardaria aquelas imagens, das pessoas se atirando do prédio, morrendo queimadas e agonizando diante dos meus olhos de tantas formas que eu mal conseguia contar... tudo para usar como motivação mais tarde, quando eu encontrar a criatura que fizera aquilo, e lhe devolver o favor...

Pois eu ia encontrar, cedo ou tarde eu sempre acho o meu alvo, e esse não seria diferente. Mesmo que eu morresse tentando, não pensava em recuar, não importa o quanto fosse poderoso, só teria que ir preparada.

Mas após as viaturas e os bombeiros chegarem, não tentei fazer mais nada, pois também não queria atrapalhar o trabalho deles, e como eu não tinha intenção de gastar munição tentando passar por essa barreira, não podia fazer muita coisa além de ficar em alerta e, infelizmente, assistir. Acho até que foram os meus anos de experiência em assassinatos que me deram estômago o bastante para ver toda aquela morte sem ficar afetada, como muitas outras pessoas estavam, mas isso de certa forma é irrelevante. Pois, alguns minutos depois aquele caos todo acontecer, e sem ainda nenhum novo sinal do ser que fizera aquilo, o prédio castigado não suportou mais, e aos poucos começou à desabar.

Por sorte eu sou treinada e rápida o bastante para que mesmo balas não fossem problemas para mim, então percebi com antecedência o que estava para acontecer, me dando mais chances de desviar-me daquilo. Porém, não podia fazer muito pelos civis que estavam no caminho do prédio, então segurei o máximo que eu pude naquele momento (uma criança e sua mãe, que estavam logo ao meu lado), enquanto saltava para o lado, tentando sair do caminho do prédio. Infelizmente, foi o máximo que eu pude fazer, mas não me senti mal por isso. Na realidade, depois eu fiquei furiosa com o que aconteceu...

Só por precaução, mesmo após a queda eu protegi com o meu corpo as duas que eu consegui salvar, tentando salvá-las de qualquer possível destroço do prédio que pudesse acabar voando em sua direção, só soltando as duas quando elas ficaram assustadas com a poeira que se levantou de repente.

Restou-me apenas olhar com fúria para os destroços após aquilo tudo, vendo o sangue, os órgãos e demais pedaços de corpos se misturando com o que restara do prédio... só me fez ficar mais zangada com quem havia feito aquilo. Mas consegui me manter quieta e concentrada quando a voz do maldito ser voltou à falar, apenas escutando-o desta vez. Mais uma vez ele viera acompanhado de um show de trovões e luzes, que primeiramente eu não consegui ver, mas depois pareceu até que ele falara mais alto, soando ainda mais ameaçador...

Bom, após seu ''pronunciamento'', sua convocação dos heróis mais poderosos do continente para o mesmo local em que derrubara um símbolo de Metrópolis, eu não disse mais nada, pois era óbvio o que teria que fazer agora. Olhei para os céus e vi aquelas nuvens carregadas ainda ali por cima, então procurei um local afastado e coberto, para que eu pudesse ficar escondida enquanto nada acontecia, procurando ter uma visão estratégica também, enquanto me limpava de toda aquela poeira que havia se levantado.

Eu havia até visto pessoas conhecidas ali, que eram inimigos da Liga ou mesmo até membros da própria liga, mas nunca fui do tipo social, ou mesmo que ama trabalhar em equipe, então continuaria na minha enquanto não viessem me incomodar. Estaria ali só para acabar com o maldito dono dos trovões, depois lido com os problemas da Liga...

tag: NPC's| roupas: Uniforme

OFF: To muito nervosa ><  


<3

Informações:

HP: 100/100

Nível: 3
Raça: Humana (Reencarnada)

Força: 20
Inteligência: 20
Resistência: 15
Velocidade: 20
Vigor: 20
Carisma: 5

Perícia: Intelectual

Poderes:
Intelecto Aprimorado: Assim como é com seus demais poderes, por razões desconhecidas, Melanie possui um intelecto muito superior ao que os humanos poderiam ter, indo além de seus limites possíveis, e esse é seu maior triunfo. Funcionando em velocidades incríveis, sua mente é capaz de pensar e processar nove vezes mais rápido que é possível para um ser humano, e utilizar da sua mente muito mais do que um ser humano conseguiria, indo além dos dez porcento que os humanos utilizam, e ultrapassando os noventa porcento. Por causa disso, ela é dona de uma memória infalível, sendo capaz de memorizar perfeitamente qualquer coisa e ter a capacidade de armazenamento ilimitada. Sua mente é praticamente um computador, feito para estratégias e resolução de problemas, funcionando de forma ideal mesmo quando sob efeitos de fadiga ou estresse. Com preparo ou mesmo após alguma experiência analisando a adversários, ela pode, de forma instantânea, prever cada possibilidade de movimentos e táticas de qualquer inimigo, sem nunca esquecê-los, podendo até analisar comportamentos de inimigos para prever variações de seus movimentos.

Engenhosa em elaborar soluções para qualquer tipo de situações, com capacidade quase instantânea de fazer diversos cálculos em sua mente (especialmente quando envolve distância, velocidade e tempo), ela é capaz até mesmo de elaborar soluções para enfrentar mesmo seres com aspectos superiores aos dela, observando-os e explorando fraquezas. Lida muito bem com surpresas, é ótima em improvisar e tem um timing perfeito. É realmente incrível o que ela pode fazer por ter suas faculdades mentais tão acima do possível para um humano, sendo por isso em especial, uma ameaça real para quem a enfrentar, o que serve mesmo para super seres.

Reflexos Aprimorados: Surpreendentemente, Exterminadora possui reflexos, destreza e coordenação muito acima do possível para um humano. Sua velocidade de reação é tão grande, que ela pode desviar instantaneamente de tiros de vários inimigos ao mesmo tempo (mesmo em pontos cegos), e com a mesma velocidade pode discernir as intenções dos que estão à sua volta, o que na maioria das vezes lhe dá tempo de agir e reagir de forma quase automática e instantânea, praticamente infalível. É uma das suas capacidades que lhe permite enfrentar mesmo seres super velozes.

Velocidade Aprimorada: Não se sabe exatamente qual a velocidade que ela pode se mover, e ainda que não chegue a ser uma velocista, Melanie, a Exterminadora, pode atacar mais rápido que o olho pode seguir, e chega até a se envolver em combates com equipes inteiras de super humanos, mesmo com velocistas em seu meio.

Resistência Aprimorada: Um dos fatores mais surpreendentes da Exterminadora é, sem dúvida, sua resistência. Normalmente, ela consegue usar sua capacidade máxima durante dias antes de se mostrar cansada, sem falar de sua resistência a dor (que chega a ser sobre-humana, uma vez que ela já lutou mesmo perdendo muito sangue ou com ferimentos graves e sem demonstrar fraqueza), força de vontade, tenacidade e mesmo capacidade pulmonar, muito acima do nível humano.

Força Aprimorada: Seus músculos também são muito mais fortes do que aparentam, sendo muitas vezes superiores aos comuns para um humano, e é claro que ela usa muito bem essa força sobre-humana em combate, para aumentar os danos de cada ataque seu. Como demonstração de força, ela já foi capaz de pegar uma bala com os dentes, rasgar uma porta de aço e mesmo cortar um carro com sua espada sem nenhum problema. É dito que sua força é o suficiente para levantar algumas toneladas, o que a deixa bem longe de se equiparar com pesos pesados que se encontram por aí, mas certamente o torna capaz de enfrentar mesmo super humanos.

Agilidade Aprimorada: Melanie é extraordinariamente flexível, com seus tendões e demais tecidos corporais tendo uma elasticidade também acima do nível possível para um humano, ainda que também seja incrivelmente resistente. Com isso ela pode executar qualquer acrobacia considerada complicada, alcançar o estado de equilíbrio perfeito em qualquer posição, mesmo em cima de objetos, não importando o quão pequenos e estreitos forem, fazendo isso por instinto até.

Sentidos Aprimorados: Não menos importante, ela possui os sentidos aumentados a níveis muito elevados, podendo perceber e analisar as coisas muitas vezes mais rápida que um humano normal, beirando à perfeição total. É dona de visão noturna, além de ser sensível o bastante para perceber mesmo as mudanças mínimas no ar, o que lhe ajuda à reagir contra ataques mesmo vindo pelas suas costas, quase como um sexto sentido, que lhe permite esquivar de perigos mesmo sem vê-los, às vezes até supor algum acontecimento antes mesmo que ele aconteça. Tais aprimoramentos nos seus sentidos lhe dão também uma audição surpreendente, além de olfato e visão apuradíssimas (esse último que lhe torna uma dos melhores atiradoras de elite do mundo, se não a melhor, demonstrando até poder cortar ao meio uma mosca em movimento com um clipe de papel), o que também lhe proporciona uma visão noturna, ou seja, enxergar mesmo no escuro.

Durabilidade Aprimorada: O corpo de Melanie é surpreendentemente mais resistente que o de um ser humano normal, o que envolve não apenas a sua pele, como também demais tecidos, ossos e músculos, sendo extraordinariamente resistentes à lesões de vários níveis.

Fator de Cura Regenerativo: Seu corpo pode se regenerar de forma muito mais rápida e eficiente que um ser humano comum, quando tem seus tecidos ou ossos danificados ou mesmo destruídos. Ela pode regenerar qualquer coisa, desde tecidos danificados de alguma forma, a órgãos ou mesmo membros em falta, apesar de que não é instantâneo. Como consequência, tiros, cortes e ossos quebrados podem se curar em minutos, e por conta disso o seu corpo pode receber ainda uma quantidade enorme de dano antes de sucumbir à morte, o que ainda é possível, apesar que alguns ferimentos que seriam mortais para seres humanos comuns (como ser empalada em seu peito por uma arma, o que já aconteceu) apenas lhe atrasam.

Tal regeneração lhe proporciona ainda muitas outras coisas, mas principalmente a imunidade ao envelhecimento, sendo biologicamente imortal, sendo que suas células pararam com tal quando a Melanie atingiu seu auge físico, mantendo um estado de juventude e saúde perfeita de forma indefinida.

Imunidade Aprimorada: O corpo da Exterminadora neutraliza todos os contaminantes prejudiciais, tornando-a imune à venenos, toxinas, bactérias, vírus, doenças, parasitas, alérgenos, radiações, e etc. Aliás, sua mente também é imune à telepatia, controle da mente e coisas do tipo, assim como ele também tem força de vontade o suficiente mesmo para ser imune à possessão de corpo.

Adaptação: Uma das principais características dela, é que Melanie consegue adaptar rapidamente suas estratégias e estilo de combate em qualquer clima, em qualquer situação e contra qualquer inimigo ou coisa, o que lhe dá mais chance de sobreviver à qualquer coisa.

Visões precognitivas limitadas: Curiosamente, ela possui um sentido premonitório, que lhe permite ver o futuro em curtos espaços de tempo, o suficiente para ter chance de reação para qualquer ataque que vier contra ela, e combater o mesmo sem problemas.

Itens/Armas:
Armadura: sua icônica armadura e demais proteções corporais lhe deixam tão bem protegida e equipada que ela pouco se importa em parecer feminina ou não com tal equipamento, aliás os inimigos até confundem o seu sexo quando está pronta para matar, já que quase parece um homem de tanta proteção que carrega, mas incrivelmente não fica mais lenta por conta disso. Todo o traje que ela veste é incrivelmente resistente, feito de vários materiais, entre eles se encontram principalmente o Promethium (metal com propriedades especiais, e mais resistente que o normal) e o Nth (metal raro encontrado em Thanagar, muito mais resistente que o titânio), que não apenas lhe protege de danos provenientes de balas, pesadas explosões, lâminas e armas penetrantes (tendo uma proteção extra para estas últimas aliás), como também aumenta seus atributos já sobre-humanos, lhe permitindo resistir a ainda mais dano que o normal. Há ainda um revestimento interno feito com kevlar e malha de promethium, para absorver ainda mais os danos direcionados à mulher.

Há ainda um dispositivo em sua armadura que absorve energia cinética para se alimentar, e aumentar ainda mais a resistência padrão, utilizando a energia de movimentos da própria dona e até golpes recebidos por ela para se reforçar. Sua armadura já se mostrou tão resistente, que ela é capaz de lutar mesmo contra um kryptoniano, e sua armadura ainda assim continuar resistindo bem.

Duas Espadas: Melanie sempre porta espadas, todas surpreendentemente resistentes, feitas de promethium e mais duráveis que titânio. Tão afiadas que, em conjunto com suas capacidades físicas e habilidades, permitem à ela cortar mesmo diversos tipos de metais resistentes sem muita dificuldade.

Bastão de Energia: Praticamente indestrutível (feita de vários metais, dentre eles, é claro, promethium) e com a capacidade de descarregar explosões de energias poderosas, podendo até mesmo derrubar aeronaves ou mesmo grandes super humanos com tal dano. Ela também pode separar esse bastão em dois, podendo assim ter mais versatilidade em batalha, se tornando dois bastões menores que continuam sendo poderosos.

Assim como armas menos importantes: ganchos (que ela dispara de seus braços), granadas (de luz, de fumaça e explosivas), pistolas (duas à mostra em sua cintura, e duas escondidas em sua armadura), um rifle (em suas costas) e, por fim, uma faca de caça e duas lâminas escondidas pela sua armadura.
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Sadie Cassandra O'Keefe em Ter Out 04, 2016 10:34 am

Well, now that you've got your gun It's much harder now the police have come Now I'll shoot him if it's what you ask But if you just take off your mask You'd find out everything's gone wrong. Now everybody's dead And they're driving past my old school He's got his gun, he's got his suit on She says, "Babe, you look so cool, you look so cool,
Chocada com as visões que seus olhos capturavam, nem mesmo o toque de Sisyphos fora o suficiente para despertar Frances de seu estado catatônico diante das atrocidades que ocorriam na cidade.
Carros de bombeiro, polícia e todas as outras corporações que serviam a cidade e ao governo agora reuniam-se no local do desastre, ela poderia não conseguir ver o que estava acontecendo, mas era um pensamento comum diante dos estragos que estavam sendo provocados naquele prédio.

Piscou duas ou três vezes, recobrando a consciência e identificando-se espacialmente. Virou-se de frente para o loiro e deu-lhe o beijo na bochecha, enquanto se desvencilhava de seu abraço e com um puxão no tecido que envolvia seu corpo, despia-se mais uma vez, apenas para catar algumas roupas aleatórias do chão — havia pego uma camisa dele no lugar da sua — e vestir-se para descer as escadas.
O que você está fazendo parado aí me olhando desse jeito? — Indagou, ao ver que Sisyphos permanecera estático enquanto a platinada vestia-se agilmente. — Tem gente lá fora correndo perigo. Sei que não somos heróis, mas deve ter alguém importante para alguém que não conhecemos no meio de toda aquela maldita bagunça. — Inspirou por um momento, apontando para a janela enquanto explicava seu ponto de vista. Atirou uma calça e uma camisa — que era a dela — para o loiro, enquanto dava-lhe as costas. — Não demore. — Avisou.


▲ — ▲ — ▲


A cena era pior vista daquele ângulo.

Haviam pessoas amontoadas a uma distância considerável de onde todo o ocorrido acontecia. Frances, já avistando aquele ninho de formigas curiosas por uma foto exclusiva para o jornal — estava claro que eram jornalistas e paparazzi's, custando-se da desgraça alheia para conseguir uma renda extra no final do mês — tratou de evitar aquela confusão, teletransportando-se para o outro lado da faixa. Não sabia se Sissy a estaria seguindo ou não, sua mente trabalhava a mil por hora, desenvolvendo planos para salvar o máximo de pessoas possível sem atrapalhar os bombeiros e sem que percebessem sua presença naquele local. — apesar de achar a fama interessante, ela não gostaria de ser reconhecida na rua ou ter fotos suas na internet — Avançou mais alguns passos, vendo toda a confusão e desorganização da polícia que tentava ajudar os bombeiros que tentavam ajudar os paramédicos que levavam os feridos para as ambulâncias e que impediam que mais pessoas, desesperadas por ajuda, não se jogassem das janelas do prédio e tivessem o mesmo destino daquelas cujo corpo já fedia devido a oxidação das poças de sangue envolta de seus corpos.

Desviou os olhos da visão trágica que o suicídio por desespero era naquele momento. Os canhões de água, se ajudavam, era muito pouco. A platinada correu para trás de um poste que fazia sombra para um prédio, de onde ela habilitou-se a controlar as chamas, para que se afastassem das pessoas, alternando entre esta e a aerocinese, para aqueles que saltavam do prédio pousassem em segurança no chão.

Conseguira salvar quatro ou cinco, não estava contando, mas era uma média aceitável para quem havia chegado tão tarde na cena do desastre como ela havia chegado. Desejava poder ter previsto aquilo, mas desejava ainda mais que aquilo não houvesse acontecido.
Outro som ribombante. Não, não era nenhum outro trovão — de que adiantaria outro trovão naquele momento? — Era o som do prédio, alertando que seus momentos finais estavam próximos e que todos que estavam perto demais deveriam se afastar por conta própria.

Apontou a varinha para os que corriam risco do prédio cair por cima de suas cabeças, e um a um, Frances os arrastada para longe do local, como um mouse que arrasta e solta elementos na tela de um computador. Os que eram arrastados por sua magia sentiam-se desnorteados e perdidos, como se algo os houvesse puxado para trás. E quando tentaram voltar ao local para continuar seu trabalho, somente haviam percebido que alguém salvara suas vidas, pois a poeira que subiu em seguida causava uma névoa incapaz de se enxergar além de um palmo de distância.

Frances tossiu devido a poeira do concreto, com os olhos fechados e o rosto voltado para a direção contrária a que a poeira se originava. Ergueu a varinha ás cegas, afastando a poeira com a habilidade do vento, para só então enxergar sangue manchando concreto e pedaços de braços e pernas, mutilados e esmagados.
Não tivera tempo de reagir, visto que a voz da risada de momentos anteriores finalmente se pronunciara. Ergeu o rosto, procurando por algum sinal de onde a voz se originava, mas infelizmente não viu quem era o vilão. O susto dos trovões que se seguiram após a primeira fala provaram que seus reflexos estavam perfeitamente em ordem, quando Frances apontou a varinha novamente para o prédio, crente por um segundo de que ele ainda estava inteiro, mas que jazia ao chão quando seus olhos o captaram novamente.

Diante do aviso, a platinada não pode fazer muita coisa. Aceitara o desafio, mesmo não sendo originária daquela cidade, algo naquela voz a incomodara, não por ser um vilão como qualquer outro, mas por acreditar estar mais perto de quem, de fato, havia a posto em Belle Reve. Apontou a varinha para as próprias roupas e num passe de mágica vestia uma roupa semelhante aos policiais daquele local, disfarçando-se em meio a toda confusão. Guardou a varinha e, não avistando Sissy pelos arredores — achou que deveria ter se escondido em algum local, ou sequer a seguira — tratou de ajudar os paramédicos e outros policiais.
lista de supermercado:

1. Informações gerais:
▲ Frances Hale a.k.a. Zatanna
▲ Reencarnada
▲ 18 anos

2. Níveis e atributos:
▲ Nível 12

▲ Inteligência: 15
▲ Força: 15
▲ Vigor: 15
▲ Resistência: 15
▲ Velocidade: 15
▲ Carisma: 15

3. Poderes e Habilidades
▲ Cinéticos:
Geocinese; Aerocinese; Pirocinese; Telecinese; Hidrocinese; Umbracinese; Lumocinese; Criocinese; Eletrocinese

▲ Físicos:
Teletransporte; Transformação; Cura; Alteração de tamanho;

▲ Outros:
Feitiçaria; Hipnose; Prestigitação; Telepatia; Voo;
they're making up another story;

_________________


Saturn
"  If crazy equals genius Then I'm a fucking arsonist  "
avatar
ANTI-HERÓIS
20

Conference House

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Henry Lockheart em Ter Out 04, 2016 5:58 pm


Oficial
Consultor

 
 
 


Estava tudo normal e eu ainda estava a voar por todos ali apenas esperando as minhas ordens e com isso apenas me divertia um pouco, até ver o globo do planeta diário cair ao chão, assim fazendo uma nuvem de poeira.

A voz logo volta a falar novamente sobre o acidente naquele quarteirão e o meu sorriso logo poderia ser visto, mas não pelas pessoas que estavam abaixo de mim e segundos depois olho para o pequeno robô que andava sempre comigo e ao ouvir a voz que viam do nada apenas não fiz nada e segui para o quarteirão onde ficava o planeta diário.

-Vamos Skeets! - Dizia lhe dando um ordem direta já indo para o quarteirão ao qual lá existia o planeta diário e sem nenhum palavras para os policias que ali secavam o lugar continuei a voar apenas esperando mais uma ordem.

Poderes:
Roupa: Poderes abaixo;

Super Força: Super força geralmente envolve o reforço geral da músculos do personagem, o que lhes permite bater mais forte.

Escudo de Força: Campos de força são geralmente escudos invisíveis ou transparentes de energia que alguns caracteres produzem como uma forma de proteção. Embora campos de força são usados ​​em muitas maneiras diferentes, eles geralmente são mostrados em quadrinhos como um campo de energia esférica e claro que abrange o usuário.

Manoplas: Duas manoplas um em cada mão/pulso que atira raios de energia.

Visores: Poderes abaixo;

-Visão de Raio X: A capacidade de ver através de camadas de objetos, a critério do titular dessa superpotência.

-Visão Infravermelho: Basicamente pode-se ver a noite, como também visão analítica.

Cinto de Brainiac 5: Poder abaixo;

-Durabilidade: Resistência a danos físicos.

-Invulnerabilidade: Invulnerabilidade é basicamente o prazo para a capacidade de ser impermeável a prejudicar, sem medidas extremas.

Anel de Voo da Legião de Super Heróis: Permite que o mesmo voe.

Skeets: Como um robô Skeets não está sujeita a maioria dos problemas fisiológicos que a maioria dos seres humanos seria. Além disso, ele tem a capacidade de voo e devido aos seus bancos de dados, um conhecimento aprofundado do passado (ou correntes) eventos. Além disso, ele também tem uma seleção de armas e ferramentas mantidos no interior de seu escudo, Skeets também demonstrou a capacidade de produzir rajadas de energia azul.

Espécie:
Reencarnado de Booster Gold/Gladiador Dourado

Atributos:
Força: 30
Inteligência: 20
Resistência: 10
Velocidade: 10
Vigor : 10
Carisma: 10

HP:
100/100



copyright 2014 - All Rights Reserved for Larissa
avatar
VILÕES
20

Manhattan

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Samwell Hunter em Ter Out 04, 2016 11:52 pm



The helper arrived

 
Metrópolis
Assombramento era a melhor descrição de tudo que estava ocorrendo. Nunca em toda minha vida um ser tão poderoso havia feito tal maldade com pessoas inocentes e que talvez nunca haviam feito mal a ninguém. A cena mais perturbadora de minha vida estava acontecendo aqui e agora, sem ao menos me dar a chance de ser maior de idade primeiro. As pessoas que estavam acima do primeiro andar estavam começando a se jogarem do prédio, cometendo suicídios, por já terem perdido as esperanças... esperanças ao qual a liga da justiça prometeu conceder à todas as pessoas. A última vez que algo parecido havia ocorrido fora em 11 de setembro, um ataque terrorista ao qual nenhum ser conseguiu ser pego de surpresa como o próprio governo dos EUA. Continuava calado em respeito e medo pelo o que estava acontecendo. O corpo de bombeiros ainda tentava amenizar as chamas do local, mas já era tarde demais. Inesperadamente o prédio começou a desabar aos poucos, demorando cerca de três minutos para a queda se completar por completo. As pessoas que ainda tinham esperanças, e que não haviam se suicidado, agora estavam debaixo daqueles destroços, mortas. Naquele momento meu corpo pareceu perder tudo quanto era controle de meus membros, fazendo-me bambear para trás, mas ainda assim ficando em pé. - Não... - sussurrava, segurando qualquer que fosse o vestígio de lágrimas se dissiparem por minhas bochechas. A voz voltou a falar, provocando um clarão no céu e um barulho ensurdecedor, parecido com o de antes. A mesma parecia debochar de todos os humanos, enfrentando os mais fortes, convidando-os para irem até o quarteirão onde o Planeta diário costumava exercer suas funções, mas que agora não passava de uma mera construção desabada. Os desafiados teriam três horas para se encontrarem lá, tempo o suficiente para o tal autor da voz para que o incêndio fosse contido e assim pudesse ser habitado normalmente para seu desafio.

Lar
Ao final de todo aquele terror real, teleportei-me até em casa onde minha mãe estava sentada de frente a tevê, ouvindo sobre o caos em um dos programas que cobriam o desabamento do Planeta Diário. Quando ela percebeu minha presença, não pareceu ter levado um susto como de costume quando eu sempre aparecia de surpresa. Sua expressão era de tristeza e parecia temer até mesmo respirar. - Você vai sair do país. - dizia, sem dar a chance de minha mãe falar, pois sabia que a discussão não levaria a lugar nenhum. Teleportei-me rapidamente para seu quarto, fazendo suas malas e logo depois voltando para a sala, tudo em questão de dois minutos. Agora a mulher estava de pé, suas mãos na cintura, contendo uma expressão mais do que de espanto. Quando a mesma tentou discutir sobre alguma coisa, toquei em seu braço, segurando a mala na outra mão, teleportando-me em seguida para o Canadá, direto para a casa de minha madrinha. Logo aparecemos de frente para a casa de minha madrinha, onde não teria risco dela perceber que o garoto Mercúrio se tratava de seu sobrinho. Quando ia me preparando para voltar a Metrópolis, minha mãe apoiou sua mão em meu ombro, pedindo para mim ficar longe dessa "briga" e logo senti meu coração ceder ao seu pedido tão sincero e temido. - Eu... - nesse momento mais nada saiu de minha boca, pois sabia que o risco de eu nunca mais vê-la, seja por minha morte ou a dela, era enorme - eu tenho que ir, mãe. - finalmente arranjava encorajamento o suficiente para continuar a falar. A mesma me abraçou, derramando algumas lágrimas em meu uniforme, algo que não me incomodou nem um pouco. Antes mesmo que minha madrinha pudesse perceber que realmente se tratava de mim, soltei minha mãe e teleportei-me até em casa novamente, reunindo equipamentos que provavelmente poderiam ser necessários contra A voz, pelo menos era assim que iria começar a chamá-lo a partir de agora.

O Quarteirão
Faltando meia hora para que o tempo que A voz havia estabelecido para "os mais fortes do continente", teleportei-me para Metrópolis novamente, terminando de comer um sanduíche preparado por mim mesmo às pressas. Algumas autoridades limpavam a bagunça feita a cerca de uma hora atrás, logo decidi ajudá-los, resgatando algumas vítimas que havia sobrevivido ao ato catastrófico, teleportando-as para o hospital mais próxima da cidade, voltando em seguida para ajudar os outros e assim por diante, até que restara apenas dez minutos para o horário estabelecido pelo A voz ter um fim. Sem hesitar, teleportei-me para o quarteirão, mas ficando um pouco oculto de alguns que já estavam ali, me distanciando dos outro por precaução, caso fosse alguma armadilha para executar todos os seres com poderes e não poderes do lugar. - My girl, my girl, don't lie to me... - começava a cantarolar uma das músicas do Nirvana, tentando ficar calmo e um pouco relaxado, mesmo com os últimos acontecimentos.

Espécie:
Meta-humano
Poderes:
Teletransporte + Cura
Atributos:
Força: 8
Inteligência: 13
Resistência: 7
Velocidade: 8
Vigor: 10
Carisma: 5
HP:
100/100

Cap. 2

Tks Maay from TPO
avatar
CIVIL E RECÉM-NASCIDO
18

Georgia - Atlanta

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Convidado em Qua Out 05, 2016 2:08 pm

De seus lábios entreabertos uma longa língua bifurcada testava o ar ao seu redor. “Apetitoso”, pensava consigo mesma ao identificar o agradável odor de rāmen que exalava da cozinha. Sua avó aparentava estar inspirada em suas refeições naquela amanhã, acordara cedo para iniciar suas fatídicas atividades diárias, Yanmei fora surpreendida ao encontrar uma pequena porção de baozi ao vapor acompanhados de uma tigela de wonton. A jovem mulher sentia-se agradecida, não só por novamente apreciar as comidas típicas de seu país natal, mas sim por sua avó estar voltando às suas raízes e matar a saudade que tanto dizia ter. Uma ligeira agitação no noticiário da pequena televisão fez com que seu transe fosse quebrado, um dos imensos edifícios da cidade havia sido tomado pelas chamas, os funcionários clamavam por ajuda aos bombeiros que, arduamente, trabalhavam para apagar as chamas e salvar os sobreviventes.

A espessa bruma acinzentada impedia que a câmera demonstrasse a real catástrofe que ocorria, da maneira como estavam trabalhando na retirada dos sobreviventes, dificilmente conseguiriam retirar todos dali com vida. Mesmo com tamanha dificuldade, era possível identificar algumas figuras caindo dos diversos andares, as pessoas optavam por pular para fora do edifício numa falha tentativa de se manter a salvo das chamas que lambiam o ar incessantemente. A câmera da emissora não mostrava, mas era provável que havia somente um destino para aquelas pobres almas, uma dolorosa morte de seus corpos prensados no concreto da calçada. – Lao lao? Surgiu um imprevisto no trabalho, acho que me atrasarei para o almoço. – Exclamou a moçoila para sua avó já da porta de saída, tomando como rumo o edifício em chamas do Planeta Diário.

[...]

Um estrondo ensurdecedor espalhou-se pelas quadras ao redor do Planeta Diário, em poucos segundos, o edifício em chamas desabou, deixando para trás apenas os destroços de mármore e ferro no terreno. Yanmei retrocedeu alguns passos ao ver o grande desastre, o estardalhaço que a multidão causava pela cena aterrorizante, os poucos sobreviventes estavam sendo atendidos nas ambulâncias, os mais graves eram levados para o hospital mais próximo. A jovem assustou-se mais uma vez ao escutar uma voz misteriosa provinda do além, trovões e descargas elétricas eram lançados contra a população em meio as palavras de um ser oculto. Apenas uma coisa era certa, todos corriam perigo. E o incêndio no Planeta Diário era apenas o início do que estava por vir.


Um pedido fora solicitado. Os mais fortes deveriam se encontrar no quarteirão do edifício em ruínas, os demais que aproveitassem o último dia de suas vidas. Poucas horas para tomar uma decisão que mudaria sua vida completamente, Yanmei poderia fingir que nunca esteve ali e retornar para o abraço aconchegante de sua avó e viver seu momento de felicidade por uma última vez. Ou poderia fazer a diferença, tentar descobrir o que estava para ocorrer e, talvez, mudar a ideia de um extermínio próximo. Decidida e encorajada pela adrenalina que lhe corria no sangue pelo momento vivenciado, a jovem aguardou pelas três horas que se passaram vagarosamente, ansiosa e temerosa pelo que estava para acontecer.
Files - [TOP SECRET]:
Informações Gerais: Qilin, sendo seu alter ego Woon Yanmei, possui 21 anos e é Meta-Humana. Seus poderes são Mimetismo Animal e Mímica Animal.

Atributos: For: 09 ✖ Int: 12 ✖ Res: 09 ✖ Vel: 13 ✖ Vigor: 09 ✖ Car: 18.

HP: 100/100.
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Sophie Czarevich Brahms em Qua Out 05, 2016 4:24 pm


it can't be a mistake if i just call it change

Nenhuma daquelas pessoas que corriam desesperadamente pelas ruas de Metrópoles pareciam se importar com as duas figuras que apareceram repentinamente no meio da rua. Charlie, desviando-se rapidamente de um ou dois indivíduos que vieram em sua direção, buscou Levi com os olhos, agradecendo-o por vê-lo ao seu lado, e não levado pela multidão. Aproveitou quando o rapaz pegou sua mão para apertá-la com certa força, arrastando-o para algum lugar mais calmo.

Parou ao alcançar à calçada, ficando rente às construções. Averiguando rapidamente o seu redor, percebeu o Profeta Diário em chamas, metros à frente, mas nenhum sinal da entidade que, até então, parecia divertir-se em transtornar aquela área de Metrópolis. Talvez, pensou consigo mesma, já tenha feito o suficiente.

Sem mais riscos de perder o loiro de vista, soltou sua mão, encostando-se totalmente na parede, fitando os policiais, repórteres e bombeiros passando numa velocidade frenética à sua frente. Sua empatia, um pouco mais desenvolvida à essa altura, lhe dava o gosto do que todas aquelas pessoas estavam sentindo, o que era perturbador. Não tanto pela dor que os feridos, mas, principalmente, por aqueles que estavam presos no prédio em chamas, sem esperança de saírem vivos. Daqueles que, não querendo prolongar seu sofrimento, se jogava dos andares mais altos, aceitando a violenta morte que teriam.

Isso é horrível. — Murmurou com a voz embargada ao se virar para Levi, quebrando o silêncio de sua parte. — Essas pessoas.... É horrível, Levi, horrível. Eu gostaria tanto de fazer algo. Qualquer coisa, mas.... — Calou-se, lembrando do discurso do prefeito Gordon, semanas atrás. Pessoas como ela e o loiro não podiam simplesmente intrometer-se onde queriam, as pessoas nunca os aceitariam. Provavelmente, se expor seria loucura, além de atrapalhar o serviço que faziam. — Você sabe. — Concluiu, imaginando que o amigo tinha pensando o mesmo que ela.

Jogando sua cabeça para trás e fechando os olhos, Charlie soltou um suspiro alto. — Ainda posso sentir uma presença desconhecida, mas, ou é apenas vestígios da criatura, ou ela é poderosa o suficiente para esconder seus sentimentos e aura. Não sei. De qualquer jeito, acho que foi um desperdício de viagem. Chegamos tarde demais, a cidade já foi destruída e o que nos resta é vê-los juntando os cacos. Como sempre. — Umedeceu seus lábios com a língua, uma mania de quanto estava muito nervosa. Observando essas coisas, não posso julgar o Gordon por querer nos capturar, matar, ou seja lá o que queria fazer. Pois, sempre onde há um meta-humano, ou um alienígena, há alguma confusão. E pessoas feridas. E, quase sempre, alguma morte...

Seus devaneios foram deixados de lado ao sentir o companheiro ao seu lado cutuca-la. Curiosa, Charlie abriu os olhos e o encarou, mais Levi não a olhava, prestava atenção em algo à frente de ambos. Girou seu corpo, então, e deparou-se com o edifício do Profeta Diário que, naquele momento, começava a ruir.

O único movimento que a garota conseguiu fazer antes que o grande estrondo repercutisse em seus ouvidos foi colocar as mãos na frente do corpo, criando uma esfera telecinética que envolvesse ela e o Khristoff, poupando-os de serem varridos juntos com os destroços e a poeira que a queda do prédio trouxe.

Foi difícil para a garota enxergar qualquer coisa que não estivesse há dois palmos de distância por um certo tempo.  Mas, prezando por sua segurança e a de Levi, permaneceu quieta até que as coisas se acalmassem, o que não demorou. Aos poucos, os escombros da construção ficavam visíveis, assim como a imensa quantidade de sangue e pedaços de membros que um dia, formaram um ser humano completo.

Tudo estava devastado.

Sentiu a bili subindo pela sua garganta, queimando-a com toda aquela cena. Entretanto, não pudera dar um passo sequer, pois, novamente, um lampejo forte de luz entrecortou os céus da triste Metrópolis, seguido por uma voz que fez todos os pelos da jovem se arrepiarem de pavor.

Que porra é essa? — Erguendo a cabeça para os céus, procurando por qualquer resquício da criatura que estava por trás daquele ataque. — Levi! Você não é o cara dos raios? Não pode fazer isso parar? — Questionou sem desviar as orbes do firmamento, sentindo seus olhos arderem à cada descarga elétrica que irradiava do céu.

Desistindo de encontrar algo, Charlie abaixou a cabeça, segurando-as entre as mãos, ouvindo as últimas palavras da entidade; um desafio. Olhou de soslaio para Levi, absorvendo suas expressões e tentando desvendá-las. — Você vai? — Praticamente miou ao lançar a pergunta, de tão fraca que estava sua voz. Não sabia explicar, mas sentia que algo muito ruim estava prestes a acontecer, e ela nunca estava errada sobre um pressentimento. Mas, ainda assim... — Eu vou. — Disse convicta, tirando as mãos de sua face. O perigo que aquela missão poderia ser sequer passou por sua mente. Ela deveria estar lá, era seu dever. Ela deveria estar lá. — Ficarei e ajudarei os sobreviventes no que puder até as três horas se acabarem. Mas daqui não saio.

Informações. :

Reencarnada, Chaotic Good, nível onze, energética.

Atributos: Força - 15; Inteligência - 15; Resistência - 25; Velocidade - 20; Vigor - 30; Carisma - 10.

Habilidades: EMPATIA, Ravena possui a capacidade de ler ou sentir sentimentos e emoções. Esta habilidade também lhe permite ampliar ou reduzir emoções já existentes em seres vivos. Ela afeta qualquer tipo de emoção, como raiva, ódio, amor, confiança, etc. Pode também ser usado para acalmar seres vivos, ou deixá-los apáticos. Sua empatia se estende à planos etéreos, onde pode se vincular, sentir e ver almas e bem como entrar em contato com mentes com uma maior facilidade. Pode negar a dor de um ser e desfazê-la completamente. Através desta empatia, pode vincular-se a uma mente alheia para causar danos mentais, o que lhe dá vantagem contra seres de mente frágil. Suas capacidades empatas não se limitam apenas ao plano físico ou astral, mas também pode claramente explorar o plano mental. CURA EMPÁTICA, que lhe permite absorver a dor de feridos para aliviar seu sofrimento, os induzindo à cura rápida, entretanto, Ravena recebe uma parcela da dor do paciente para ela mesma. Isso não pode ser feito para grandes lesões. TELECINESE, a capacidade de manipular e controlar objetos com a mente, podendo levitar, mover, atirar ou quebrar qualquer objeto físico. TELETRASPORTE, uma forma de ignorar o espaço e o tempo entre vários pontos, locomovendo-se de um lugar para outro em um piscar de olhos. Usando sua própria alma, ela pode teletransportar a si mesma e outros seres em largas distâncias e como o de esperado teletransporte instantaneamente. LEVITAÇÃO, habilidade que a habilita desafiar a gravidade e literalmente voar. UMBRACINESE, capacidade de manipular escuridão, geralmente a acessando mentalmente de uma dimensão de energia negra ou simplesmente do Mundo Inferior. Com esse poder é capaz de criar formas sólidas, viajar pelas sombras em um simples teletransporte, invocar espíritos e criaturas das trevas sendo estes seus escravos sombrios. PROJEÇÃO ASTRAL, capacidade de deixar seu corpo com vida e ficar vagando como espírito pelos planos. MAGIA, MAGIA NEGRA E BRUXARIA, como dito, possui o dom da magia e da magia negra, sendo o último não muito utilizado por lhe trazer grandes consequências. É excepcional com bruxaria, lançar feitiços e derivados. SOUL-SELF, capacidade de projetar sua alma para fora do corpo, geralmente sob a forma de um corvo negro gigante, ou inúmeros corvos de tamanho normal, intangíveis ou não. MIMETISMO DEMONÍACO, capacidade de se mimetizar em um Demônio de até, aproximadamente, dois metros. Suas íris se tornam avermelhadas, sua pele adquire um tom bronzeado e o formato de suas orelhas mudam para um pontiagudo. Suas unhas se tornam garras, grandes e resistentes, asas crescem em suas costas, assim como uma causa preênsil afiada e retrátil, que pode servir tanto para ataque quanto para defesa. Em batalha, consegue roubar parte da stamina e vigor físico, tomando-as como benefício. Sua regeneração se torna mais rápida e, enquanto nessa forma, há a capacidade de controlar a pirocinese.

thanks

_________________


Fallen angels at my feet, whispered voices at my ear, Death before my eyes, Lying next to me I fear. She beckons me, shall I give in? Upon my end, shall I begin? Forsaking all I've fallen for I rise to meet the end.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Anthony E. Shawn em Qua Out 05, 2016 7:29 pm


Sense 1
 A situação do caos só piorava, deixando até os mais otimistas com dúvidas agora. Viaturas e ambulâncias podiam ser vistas em todos os cantos de Metrópolis, tentando conter a multidão que só ficava mais aglomerada a cada instante. O prédio conseguia se firmar mesmo depois do fogo se alastrar por todos os andares acima do primeiro e os mais sábios, ao meu ver, começaram a se jogarem do edifício, cometendo suicídios sem nem ao menos pensar. Sabendo que eu nada podia fazer para ajudar, subi em minha moto e logo saía com cuidado da multidão, colocando o capacete e acelerando para uma outra rua onde ainda permanecia vazia e mais calma, deixando meu automóvel ali e observando tudo que acontecia de longe. Consegui voltar na hora exata em que a estrutura despencava, provocando um enorme impacto no solo, causando uma nuvem de destroços por mais ou menos sete metros ao redor do que antes era um prédio. A polícia começou a agir, isolando um total de dez metros de distância dos destroços, agora tentando conter e socorrer algum ferido. a proteção havia desaparecido, dando espaço para que o corpo de bombeiros destruíssem as chamas restantes, mas logo uma voz começou a falar.

Menosprezava de todos os cidadãos dos Estados Unidos, nos chamando de fracos e incompetentes. Alguns tinham expressões de puro horror em suas faces, outros preferiam expressar o ódio e desaprovação do que havia ocorrido. Comecei a andar para a frente quando o ser que falava tão alto que todas as pessoas do país podiam ouvir começou a falar sobre os mais fortes da pátria, desafiando-os para sabe-se lá o que, mas deixando uma dúvida ainda maior do que aconteceria ao encerrar e marcar um ponto de encontro que no caso seria no quarteirão que estava a poucos metros de mim. Sorri de lado ao pensar que talvez essa poderia ser minha chance de testar todo o meu tempo treinando com o velho que um dia salvara minha vida, dessa vez não se trataria de nenhum bandido ou vilão fraco... dessa vez se trataria de alguém que fosse capaz de despencar um dos edifícios mais conhecidos de Metrópolis.

Aproveitando as poucas horas que me restava antes do horário do desafio começar, caminhei até minha moto, estacionando-a em um beco vazio, que apenas continha algumas latas de lixo. Logo depois fui até um mini-mercado do outro lado da rua que atualmente estava sem o dono, peguei três burritos de frango e deixei o dinheiro em cima do balcão, seguida para fica sentado na porta de uma das lojas que estavam fechadas. O caos se instalava nas ruas, pessoas corriam para suas casas, pensando em fugir do país, mas sabe-se lá para onde iriam, outras preferiam partir para o vandalismo. Normalmente eu evitava tal ato, porém agora estava focado em outra coisa, uma coisa bem maior do que apenas uma lei infringida. [...] Quando já estava me cansando de esperar as horas passar, virei a esquina pela direita e me dei de cara com a vista dos destroços e alguns policiais e socorristas que ainda ajudavam a encontrar os corpos, embora soubessem que poderiam morrer se continuassem no meio daquilo tudo. Ao ver o quarteirão de longe, encostei-me na parede e continuei a aguardar alguma coisa anormal acontecer. Não era o único que estava ali, havia mais de dez pessoas reunidas no local, juntamente com civis curiosos que queriam saber de quem se tratava o dono da voz, homem ao qual havia provocado a ira de um país inteiro, quem sabe até de um continente.

Espécie:
Reencarnado
Poderes::
Rastreador: Assim como Bruce, Robin tem um ótimo dom de rastrear e identificar as coisas, principalmente pistas deixadas para trás.

Acrobata: Com super-poderes lhe faltando, Robin usufrui de suas habilidades humanas, sendo muito ágil, tornando-o um ótimo combatente mano-a-mano.

Artes marciais: Sendo um dos maiores triunfos de Robin, suas especialidades são Judô, Tae Kwon Do, Escrima, Ninjitsu, Boxe, Karatê e Kung-Fu.

Estrategista: Ótimo estrategista, Robin sempre se destaca por isso, o transformando em um grande líder nas lutas em que acaba se metendo (quando se trata de mais alguém à seu favor, é claro).

Habilidade com armas brancas: Robin sempre leva consigo um bastão ao qual usa em combate, mas em alguns casos prefere não usá-lo, dependendo de seu adversário.

Nível de força elevado: Robin é bem mais avançados que as outras pessoas de sua idade, deixando isso claro, o principal motivo pode ser considerado a perda de seus pais tão cedo.

Trabalho em equipe: Enquanto alguns se arriscam sozinhos, Robin prefere uma "mão amiga" para ajudá-lo nas horas precisas, se tornando muito melhor ao unir suas forças com alguém.
Atributos:
Força: 17
Inteligência: 12
Resistência: 7
Velocidade: 22
Vigor: 7
Carisma: 11
HP:
100/100

local: Metrópolis vestindo: Traje do Asa Noturna by Nanda from TPO
avatar
HERÓIS
17

Gotham City

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Oliver Reely Burkhard em Qui Out 06, 2016 11:56 am

Look, if you had, one shot, or one opportunity. to seize everything you ever wanted... one moment. Would you capture it, or just let it slip?
E, na repentina passar de segundos... Corriam, elas corriam. Saltitantes, desviando de quaisquer obstáculos alocados no trajeto do rumo. Desesperadas como um conjunto de cervos nos campos quentes da savana a fugir do seu predador natural, o rei sobre aquela raça animalesco, o leão. Ou a leoa. Como dizia uma cena dum filme, o nome não me recordo: “Run, Forrest. Run”. O que era aquela estranha sensação que o percorria por inteiro como o confronto dum raio? O que era o arrepiar em sua coluna espinhal, da qual o fazia contorcer-se em baixas temperaturas, ou negativas. Quem é responsável, o causador e por quais circunstâncias tais eventos desastrosos? Quem? Ou melhor, o quê?

O nativo terrestre, mais precisamente, da pátria da rainha mais famosa no mundo e, talvez, a única ainda em vida. Enfim, o inglês ostentava feições exteriormente composta por pura frieza, porém, interiormente exalava atmosfera de temor. Pavor até mesmo. Na realidade, quem conseguisse viabilizar através do que a carne permite, veria que ele estava sob um estado de “não estou me situando no que rola nessa caralha, velho”. Mentalmente só repetia as mesmas questões consecutivamente: “O quê?”, “Por quê?”, “Quando?”, “Onde?”, e etc.

Por sua irônica sorte, o universo e o destino jogaram as cartas futurísticas do que ocorreria. Ser pego pelo cogitar ímpeto de seres humanos não foi um dos resultados para essas. Amém. Por sua vez, diferente daqueles antes citados como um bando de homo sapiens, o rapaz deixou-se ser levado até um lugar supostamente seguro. Amém².

As solas dos pés tatearam o sólido concreto da calçada após o refúgio rapaz por reação mais do que imediata da mais baixa ex-colega de trabalho. Perdido nos pensamentos e ilusões de momentos históricos, despertou para a realidade com o abrir das pálpebras. Aparentava estar em um estado de translucidez espiritual e psicológica. Ela já tinha percebido a mesma coisa que ele, este pressentimento que algo caótico ocorrerá em tão breve, tão próximo que chegava a ser quase tocadas por mãos com segundas – más – intenções.

Diferente da jovem feminina, o outro não possuía ciência, fora o que era lhe era visível. O que é isso? Impulsos eletromagnéticos, dos quais se originam por meio dos neurônios no interior e subconsciente do cérebro, transcorreram por ele em sentido completo. Todo direção pelos membros superiores até atingir os extremos dos mesmos, o que possibilitou no cerrar dos punhos. O palmo recebeu dois tons de coloração divergentes: branco por conta da força imposta na execução da ação, privando certas regiões de corrente sanguínea; vermelhas foram aquelas onde o sangue se acumulou. — Não faço ideia do que isso seja, mas eu não gosto nem um pouco. — O timbre verbalizado mal era possuinte de volume, tanto que era quase inaudível. Tinha o olhar chocado ao solo enquanto. O oxigênio na atmosfera foi inspirado com mais ira quando notou que a outra fazia referência ao Gordon.

Aquietou-se depois te meditado nos devaneios com o intuito de recuperar a calma de outrora. Por ação das vias auditivas em conjunto ao sentido contribuinte, teve atenção voltada às palavras femininas então dissertadas. Nas feições masculinas pairava uma atmosfera tão séria quanto já fora vista um dia nele. Levou o dedo ela. Lhe cutucou no ombro.

Porém, no mesmo segundo do ato, as íris de ébano olhavam para outro algo. O prédio do Profeta Diário desabava lentamente. As paredes cimentadas se rachavam com calma e rumavam ao chão por interação da força gravitacional. Antes que pudesse fazer um movimento de reação contra o ataque alheio provindo da queda do prédio, já percebeu estar envolvido por uma esfera de energia telecinética. Obra da maga. Ou feiticeira. Para assegurar que não se machucasse, revestiu a camada que os defendeu com um campo de força elétrica. — Mas o quê? — Tanto indagou para si quanto para a companheira de circunstâncias com um voz que passava curiosidade e preocupação.

Entreabertos os lábios minimamente volumosos e carnudos do homem ficaram com o que visualizou acima. Eles tremularam de imediato. Um ser de forma desconhecida foi aquele responsável pela a demolição do jornal. Entretanto, onde estava o mesmo agora? E ainda descargas de eletricidade rondavam o cenário apocalíptico. — Não posso prometer nada... Mas vou tentar. — Moveu as palmas o suficiente para que os braços ficassem esticados para o céu, com estas apontadas para ele. Cerrou a pele que recobre as vistas, absorvendo ar com calma. Conseguiu dissipar a existências desses.

Um desafio? Arqueados eram os cenhos ao escutar tais palavras da criatura atacante. O semblante ainda sustentava a mesma preocupação. Contraiu os lábios para o inferior da sua cavidade bucal, logo em seguida prensando as dentárias na pele seca do ínfero. — Eu vou. — Convicto o loiro deu a sua resposta à morena depois de momentos de reflexão quanto à situação. Estava convencido que chances de falecer nesse evento eram muitos grandes, mas do que vale viver sem correr o risco de morrer? Encarou por segundos, olho a olho. — Se isso for um adeus... Foi bom trabalhar contigo, dona Charlie. — Um sorriso travesso e amistoso esticou os cantos bocais do inglês enquanto este repelia o próprio corpo dos polos magnéticos da Terra, alcançando voo e indo para o lugar marcado.

Levi:
SOBRE ELE


I. Espécime: Reencarnado;
II. Nível: 10;
III. Codinome: Super Choque;


PODERES


I. Como um meta-humano com poderes diagnosticados como "inumanos", Static descende de habilidades de manipulação elétrica e variantes assemelhantes. Inicialmente, englobando a isso tem ELECTROMAGNETISMO. Na maior parte do tempo é conhecido como "magnetismo" e/ou confundida com "Manipulação Magnética", Electromagnetismo é tachado como a capacidade de manipular partículas eletricamente carregadas existentes. Static consegue, com a permissão do seu controle electromagnético, atrair e/ou repelir objetos - coisa que pode ser associada com poderio telecinético -, gerar e/ou comandar pólos magnéticos e criar e/ou manipular correntes elétricas, assim como se tocar um condutor humano.

II. Já foi mostrado que ele é capaz de utilizar o seu próprio corpo como um pólo magnético, enquanto outros vão carregar um corpo com uma polaridade para tudo seja atraído para si como um grande imã energizado. Ainda dentro do Electromagnetismo, Static ainda tem o poder de CAMPO DE FORÇA ao desenvolver uma espécie de barreria de electromagnética que repele e reflete o que lhe é direcionada. Também não pode esquecer de que ele capacitou a si mesmo de repelir o próprio corpo da terra, adquirindo, controladamente, a habilidade de VOO, coisa que geralmente faz com o auxílio de um tipo de veículo, uma prancha onde fixa sobre.

III. Ainda não privado de mais formas de combater com seus poderes elétricos, ele é portador da propriedade "mágica" de construção de energia elétrica, popularmente fichada como o nome de ELETROCINESE. Isso, em propriamente dito, é utilização da eletricidade em sua forma ofensiva. Com a mesma, as suas formas de uso depende da imaginação do usuário, embora um simples exemplo seja o disparo de cargas elétricas. É conhecido como PROJEÇÃO DE ENERGIA. Trata-se da capacidade de gerar e ondas projeto variando de energia do corpo de um meta-humano. Essa pode assumir a forma de explosões concentradas, explosões de concussão, ondas de força ou vigas auto-perpetuar e entre outros modos. Estes feixes podem provir de qualquer lugar e ser utilizado ou dirigida de um grande número de maneiras, dependendo do carácter seja defensivo ou ofensivo. RAIO EXPLOSIVO, ou explosão elétrica, é o nome aplicado a uma forma de ataque de descarregar um raio, ou seja, uma carga elétrica de proporções colossais. Com pouca importância, ou até mesmo importância nula, tem a ADESÃO, coisa que é a simples capacidade de escalar planos verticais. Faz isso com a eletrização dos dedos com o solo, o que causa um efeito semelhante a uma cola.

IV. Como o seu metabolismo é tão rápido quanto o de um humano comum, ainda porta o dote FATOR DE CURA, regerando ferimentos com certa velocidade avançada referente a dimensão do ferimento.

ATRIBUTOS


I. Força: 21;
II. Inteligência: 25;
III. Resistência: 21;
IV. Velocidade: 20;
V. Resistência: 20;
VI. Carisma: 7



_________________


Cause I am I'm the fury in your head. I'm the fury in your bed. I'm the ghost in the back of your head.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Nícola Elsternwick McBrax em Qui Out 06, 2016 4:25 pm





Oficial



Sweet dreams are made of this.Who am I to disagree? I travel the world. And the seven seas--
Everybody's looking for something.


As nuvens cessaram seu ataque e qualquer atividade que extrapolava o comum se cessou na região. Talvez aquela voz misteriosa tinha se cansado de brincar com as estruturas do prédio e com a fé dos civis comuns que lançavam seus olhos curiosos para a área da tragédia. Embora o céu continuasse com o clima fechado e com as nuvens negras pairando sobre a cidade, as centenas de jornalistas que chegavam se mostrava como urubus atrás de carniça. Mas logo os " salvadores " também se mostravam eficientes, os enormes caminhões de bombeiros logo chegaram e já deixaram que os homens com o típico uniforme da corporação tomassem conta do amplo espaço que estava começando a ser delimitado por uma faixa da polícia. Alguns bombeiros manejavam os potentes canhões de água enquanto outros estavam esperando qualquer sinal de vida para entrar e resgatar as pessoas que ainda estavam presas na construção. Agora aquela barreira mística tinha se esvaído mas ainda era arriscado se aproximar e acreditava que os bombeiros estavam fazendo um bom trabalho, retirando os documentos importantes que ainda não tinham sido completamente consumidos pelo fogo e evacuando os civis indefesos que tiveram o desprazer de estarem ali durante um ataque daqueles na cidade. No lugar do som ensurdecedor dos trovões, agora as viaturas da polícia e dos diversos órgãos governamentais e até mesmo mais ambulâncias chegavam as presas ao quarteirão, praticamente expulsando a todos para que fosse liberado mais espaço. Ele respirou fundo, embora quase todos estivessem fazendo o máximo de esforço possível para continuar salvando aquelas vidas, cada vez mais jornalistas se atiravam do alto da construção para a morte certa, as poças de sangue e os corpos faziam aquela cena parecer algum assassinato em massa ou um filme trash com um orçamento baixo e cenas violentas e desnecessárias. Por conta da alta movimentação de pessoas especializadas em salvamento, Nícola pouco a pouco foi se distanciando do foco de toda a atenção naquele dia, talvez ele voltasse ao local mas só após o advento de alguma nova ameaça.
  Um ruído alto se fez presente enquanto Nícola caminhava, o estrondo o seguiu enquanto uma nova onda de gritos atravessou o quarteirão e levantou a cortina de poeira e detritos. O evoluído apenas se jogou em uma das ruas adjacentes e se protegeu com sua energia. E novamente aquela voz do além voltou a se manifestar, insultando novamente a humanidade e sua fraqueza. As descargas eléctricas, trovões e os outros tipos de fenómenos voltaram a se propagar pelos ares enquanto o desafio era lançado. — Parece um desafio. — Murmurou enquanto estava sentado, ainda no beco que estava quase completamente preenchido pela poeira. — Eu adoro desafios. — Sorriu, ainda protegido no interior da redoma azul enquanto esperava a poeira abaixar para ir até o local onde o desafio certamente ocorreria, ele queria ver quem mais estaria lá. Disposto a desafiar um ser mágico que parecia controlar o clima.

Informações:

1. Informações gerais:
▲ Nícola Elsternwick McBrax - Nebulosa
▲ Watchmen
▲ 32 anos

2. Níveis e atributos:
▲ Nível 7
▲ Especialização: Intelectual

▲ Inteligência: 40
▲ Força: 14
▲ Vigor: 14
▲ Resistência: 17
▲ Velocidade: 25
▲ Carisma: 10

3. Poderes e Habilidades
▲ Primários:
   ▲ Absorção e Manipulação de Energia Cósmica. ( Voo ; Super-Força ; Super-Resistência ; Super-Agilidade ; Campo de Força ; Cura ; Teletransporte ; Gravitocinese. )
▲ Secundários:
   ▲ Super Inteligência. ( Aptidão Intuitiva ; Visão Trigonométrica ; Prodígio )


THANK YOU SECRET!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Doctor Manhattan em Qui Out 06, 2016 9:04 pm

{GOD} PART I
Da mesma maneira que a voz havia surgido, ela desapareceu. Do nada. Sem aviso prévio. Nem ao menos um pagamento de salgado. Dezenas de helicópteros jornalísticos pairavam sobre o local do desastre, máquinas avançadas de captura de movimento e áudio gravando aquele acontecimento histórico através das grossas e levemente curvadas lentes. A desgraça de um compra a felicidade do outro. As matérias e transmissões exclusivas em primeira mão sendo transmitidas em resolução 4K atingiram um pico nunca visto antes na história do continente, é como se a humanidade tivesse voltado a consumir programas televisivos com a mesma frequência que acontecia nas últimas décadas com a ascensão das tecnologias de comunicação. Todo o perímetro estava coberto por uma camada tênue de 3 centímetros de cinzas dispersas pelos chãos e carros que estavam estacionados aos arredores. Em meio a nuvem de poeira cinza que a ruptura do edifício ocasionou era possível ver sombras indo e vindo a todo instante, umas em velocidade sobre-humanas, outras com algum tipo de campo envolvendo o corpo, algumas com alguma espécie de máscara e tinham também os desavisados que faltaram nas aulas de Biologia e tentaram bancar o herói sem proteção alguma ao nariz, estes estavam condenados.

A intenção de todas as pessoas que eram donas daqueles “borrões” era de boa índole, prezando em primeiro lugar salvar os possíveis sobreviventes antes e durante depois do comprometimento da estrutura, para depois de salvar o máximo de vidas possíveis, partirem para os bens materiais, como arquivos importantes de registros históricos sobre a cidade de Metrópolis e também de Gotham, alguns desses arquivos eram confidenciais e junto deles também encontravam-se matérias sobre falhas na segurança do governo que nunca iriam as bancas pois foram arquivadas pelo Sistema a fim de passar uma imagem de estado seguro e que mantém as “aberrações” sob controle. O que aconteceu a minutos atrás é a prova viva de que a imagem passada por quem está no poder é falsa. Todos estão vulneráveis aos males que predominam neste mundo, seja o alvo um simples mundano ou uma forma de vida alienígena inteligente com capacidades extremamente superiores aos habitantes naturais e dominantes do planeta em questão. Passaram-se uma hora desde a queda, o fluxo de sombras que estavam em busca de sobreviventes cessou-se quase que por completo, apenas os mais corajosos e bem-aventurados estavam na infindável busca por algum mero sinal de vida, um grande erro.

Todos aqueles que passaram no mínimo 10 segundos inspirando o pó da enorme nuvem de poeira que engoliu cerca de dois quarteirões em um curto espaço de tempo tiveram as cinzas impregnadas nas paredes dos pulmões. No final, a proteção ao nariz e boca durante a respiração na busca ou respirando durante a quedado prédio não resultou em nada, isso valeu até mesmo para os que usaram um campo, máscara ou algum outro sistema alternativo de filtração de ar. O sistema respiratório dos heróis passou a estar comprometido pelo simples desejo de ajudar o próximo. Independente das capacidades regenerativas de cada um, esse tipo de cinza havia algo a mais, um toque divino. No entanto, ninguém desconfiava de tal invasão no corpo humano até o momento. Dado o prazo das três horas, toda a cidade de Metrópolis encontrava-se basicamente deserta, até mesmo os subúrbios. Os helicópteros e jatinhos particulares do governo desapareceram em questão de minutos, havia apenas uma concentração de poucas e seletas pessoas organizadas no perímetro do local que jazia os escombros da ruptura. Alguns deles estavam com o corpo totalmente pálido, incluindo as vestes, totalmente coberto pelo tal pó. A hora havia chegado, não havia mais como voltar atrás.

Num estouro, algo caiu do céu na velocidade da luz, o objeto deixou como rastro para aqueles que tinham uma visão mais aguçada e apurada do tempo um enorme borrão amarelo. No local de impacto, abriu-se uma cratera de formato circular perfeito, o raio media exatos cinco metros e a profundidade era de apenas um metro. Com a queda, uma nova nuvem de poeira subiu, esta era menos densa e o fluxo dos ventos encarregaram-se de levar para longe a “cortina de poeira” em questão de segundos. Os corajosos que estavam ali aproximaram-se para observar o que de fato havia caído. Não era algo, era quem. No centro da cratera, no exato ponto de impacto, estava de pé uma figura totalmente desconhecida e de existência incompreendida para os que estavam ali presentes. Sua estatura corporal ultrapassava os três metros de altura, seu corpo estava coberto por uma pesada armadura dourada forjada do mais puro e resistente ouro divino que certamente estaria emanando um brilho intenso se a claridade natural não tivesse sido ofuscada pelo clima fechado do céu trancado por nuvens. Os traços de seu rosto eram impossíveis de se enxergar, pois havia uma sombra ocultando a face.

A sombra era de origem sobrenatural, porém uma teoria plausível é que a mesma estava sendo formada a partir do elmo também dourado que lhe protegia o crânio, as laterais do elmo que cobriam as bochechas do ser eram curvadas para a horizontal, as extremidades eram pontudas e extremamente afiadas, poderia perfurar carne humana com tanta facilidade como a de um dedo mergulhando em águas gélidas de um rio doce. Firmado em seu braço esquerdo, estava um enorme escudo oval de um metro e meio de altura por um metro de largura, o material que o compunha era desconhecido, porém totalmente impenetrável por qualquer lâmina já fabricada pela humanidade. No lado oposto de seu corpo, a mão destra estava munida de exatamente nada, o punho encontrava-se cerrado, envolvendo no máximo alguns átomos de oxigênio e de gás carbônico que escorriam por entre as milimétricas frestas entre os dedos, porém, algo diferente envolvia a mão direita, uma espécie de energia roxa escura fazia uma bolha perfeita englobando o punho, mas a forma não era algo fixo, em alguns momentos encontrava-se lisa se assemelhando realmente a uma bolha de sabão, mas outra hora a energia encontrava-se impaciente, agitando-se e tomando formas distorcidas.

Segundos após o surgimento do que parecia ser a forma física da entidade que causara todo aquele estrago, brotaram no ar cinco bolas roxas do tamanho de uma ervilha, uma posicionada cinco metros de distância da outra. Elas surgiram um tanto quanto distante da cratera, próxima a alguns heróis. As bolas nada mais eram do que pura energia concentrada, apesar da origem não ser confirmada e ninguém saber se havia ligação ou não com a que estava na mão do “cavaleiro”, uma coisa era certa, visualmente assemelhava-se com aquilo. Então, em tempo cronometrado e perfeito, todas as cinco bolas expandiram-se no ar e flutuaram trinta metros ao chão, as bolas iam crescendo e tomando formas humanoides, logo em seguida, era possível ver cinco entidades misteriosas flutuando numa altura de trinta centímetros acima do solo, elas trajavam um único manto negro que ocultavam-lhe todas as partes dos corpos, exceto as pontas dos dedos da mão, que possuíam uma coloração pálida e cinzenta semelhante a cor que estava o asfalto daquela rua, a pele era murcha e os ossos eram perfeitamente definidos e visíveis por tal condição, quem tentava procurar rosto onde o mesmo deveria estar sobre o capuz que todos usavam, não encontravam nada além da infinidade do vazio.

O silêncio por parte das entidades e do grande ser se estabeleceu nos primeiros momentos de suas presenças. O mesmo não foi correspondido por entre os heróis que estavam ali em busca do combate ou ao menos de uma explicação, as conversas explodiram numa onda de sussurro, o tom baixo era perfeitamente explicado por uma forma de respeito, confusão e medo do que poderia estar acontecendo ali. — Eu sei o que estão pensando. Mas não somos uma ameaça. — Afirmou com convicção a entidade flutuante que estava posicionada no centro dos cinco, com a atenção voltada para os meta-humanos, marcianos, kryptonianos e reencarnados. Apesar de ter sido o do centro que proferia a mensagem, os outros quatro também emitiram o mesmo som vindo do além, todas as cinco vozes perfeitamente em paralelo, as palavras sendo anunciadas em harmonia. — Nós somos o caminho. Aquilo que vocês estão vendo é algo que vai além de suas compreensões mortais, mas nós... nós podemos salvar vocês. Sem nossa ajuda, não terão poder suficiente para detê-lo, e então será o fim de sua raça. Tudo o que vocês têm que fazer é se ajoelharem e pronunciarem perante nós que a partir de agora, seu corpo e alma pertencem a Serpes. — Mais uma vez, as vozes soaram rítmicas e harmônicas. O tom transparecia verdade e tranquilidade, aqueles que aos poucos foram aceitando a condição, ajoelharam-se perante as manifestações em forma de pura energia e pronunciaram o que lhe foram pré-determinado. Enquanto ajoelhados, um por um, duas enormes mãos da tal energia roxa surgiram para cada convertido, e lentamente envolveram os corpos entre as palmas, assim permaneceram até que todos selaram o “pacto. Ao término dos acontecimentos, o que parecia ser uma risada baixa de desprezo se fez presente por todo o local. Sem aviso prévio e partindo do ponto de impacto da colisão do enorme corpo com o solo, uma enorme rajada de alastrou-se num raio de dois quilômetros, devastando as estruturas frágeis como as de vidro que encontravam pelo caminho e afastando do local dos escombros toda a camada de pó que cobria a cidade. A criatura agora classificada como divindade permaneceu estática em sua posição inicial e original. Uma nova modalidade de guerra a qual a humanidade nunca havia participado antes estava apenas começando.




informações importantes
1 — Vocês terão até as 17h59m do dia 08/10 para a postagem;
2 — No final de cada post deve constar, de preferência dentro de um spoiler, as seguintes informações: Espécie, Poderes, Atributos e HP;
3 — Nesta oficial haverá risco de morte, mas as chances para tal são extremamente baixas, portanto tomem cuidado ao realizar suas ações;
4 — Qualquer coisa, qualquer dúvida, é só me contatar por MP;
5 — Não é obrigatório selar o pacto com as entidades, porém, a mesma pode trazer benefícios. Ou malefícios;
6 — A partir das 18h do dia 08/10, o evento irá se tornar do tipo Quick Time, o prazo para a postagem será de 40 minutos, se você tiver algum compromisso durante esse dia, realize a saída do evento neste post. Será recompensado pelos posts que realizou, mas não receberá a bonificação total quanto um player que participou do início ao fim do evento;

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Samwell Hunter em Sex Out 07, 2016 5:18 pm



The helper arrived

 Até o momento nada acontecia, era algo desesperador saber que algo poderia surgir em qualquer lugar de Metrópolis, mas a voz havia marcado o encontro aqui, no quarteirão. Já estava cantando a mesma música do nirvana pela terceira vez, enquanto batucava meus pés no chão, tentando ficar calmo. Atualmente me encontrava encostado em um carro que havia sido destruído pela queda e agora não serviria nem para vender suas peças que não haviam sofrido impacto algum. Quando menos se esperava, um barulho estourou no céu de Metrópolis anunciando a chegada de algo estranho ao qual não seria capaz de descrever do que se tratava. Uma cratera abriu-se no chão, sendo bisonhamente inacreditável de acreditar. Saí de cima do carro, correndo até a margem da cratera e olhando para dentro do incidente. - Puta merda... - murmurei, não percebendo que havia acabado de quebrar uma das regras mais importantes implantadas pela minha mãe para que assim eu pudesse se tornar um membro da Liga da justiça: não pronunciar palavrões. Procurei alguma espécie de objeto não identificado ali dentro, mas nada surgia, apenas um ser de pé, encapuzado e com armaduras. Sem hesitar me preparei para oque quer que fosse, imaginando que talvez aquela criatura seria a dona da voz. Tudo naquele ser era estranho: sua aparência, seu visual (se é que tem alguma importância agora), suas armas e... aquela luz que jazia em uma de suas, acho, mãos. Tudo ficou ainda mais bizarro quando cinco esferas roxas surgiram, flutuando sem nenhuma dificuldade e se aproximando de todos os heróis que ali estavam, até de mim. - Opa - disse, dando mais alguns passos para trás e imaginando que aquilo poderia ser algum tipo de bomba, mas minutos depois fora comprovado ao contrário; as esferas na verdade eram outros seres iguais ao que carregava aquele tipo de energia em uma de suas mãos. Tentei enxergar algo além do capuz que todos os seres usavam, mas ali não havia nada, apenas uma imensa escuridão em suas faces.

Por mais que fosse um momento inapropriado, aquele momento fora incrível para mim; era a primeira vez que via um ser diferente da aparência humana, com armaduras e armas paralelas comparadas com as nossas. Quando o ser principal que fora o primeiro a dar as caras começou a falar, me acalmei ao perceber que a voz não era nada igual do autor de uma destruição em massa do Planeta diário. O que podemos chamar de "líder" disse que não eram uma ameaça, bem diferente do que todos achavam, inclusive eu ao escutar o baque vindo do céu. Quando o líder voltou a falar, enquanto os outros serviam como cópias do que era dito, esclareceu que eram o caminho, informando que o que estava acontecendo e o que poderia acontecer estava acima das compreensões humanas, dizendo, por fim, que podiam nos salvar, mas teríamos que nos curvar perante Serpes e proclamar que nosso corpo e alma pertenciam para a tal divindade. Engoli em seco, pensando retoricamente se era a coisa certa a se fazer. Por um lado eles poderiam salvar minha mãe e toda a raça humana de ser extinta, por outra, eles poderiam estar nos enganando e nos selando para sempre em uma vida escravizada, algo que eu não achava que poderia acontecer. - Se... se isso vai ajudar a salvar as pessoas, então... sim, me curvo perante Serpes. - Avisei, sendo o primeiro a aceitar o tal pacto, me ajoelhando e falando que meu corpo e alma a partir deste exato momento pertencia a Serpes. - Como já dizia um velho amigo meu: nenhuma descoberta até hoje foi feita sem um palpite arriscado. - Claro que Newton nunca fora meu amigo, mas realmente achava que ele seria se ainda estivesse vivo.

Talvez o que eu havia acabado de fazer era uma grande idiotice, mas não tinha muitas escolhas; ou eu ignorava e via de qualquer jeito os seres de todo o planeta terra morrerem, ou eu selava o pacto e garantia para todos os humanos mais alguns dias de vida. Uma mão tocou minha cabeça, em seguida mais uma e assim por diante, até que ao final de tudo uma risada ecoou pelas ruas de Metrópolis, quebrando vidros e afastando toda a poeira dos destroços de onde estávamos, fazendo-me ficar arrepiado por pensar que apenas uma risada da voz poderia me matar facilmente. - Okay... onde assina os termos ? - perguntei, erguendo minha cabeça para o líder e esperando o mesmo fazer alguma coisa em questão da extinção do mundo.

Espécie:
Meta-humano
Poderes:
Teletransporte + Cura
Atributos:
Força: 8
Inteligência: 13
Resistência: 7
Velocidade: 8
Vigor: 10
Carisma: 5
HP:
100/100

Cap. 3

Tks Maay from TPO
avatar
CIVIL E RECÉM-NASCIDO
18

Georgia - Atlanta

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Sadie Cassandra O'Keefe em Sab Out 08, 2016 1:06 pm

Well, now that you've got your gun It's much harder now the police have come Now I'll shoot him if it's what you ask But if you just take off your mask You'd find out everything's gone wrong. Now everybody's dead And they're driving past my old school He's got his gun, he's got his suit on She says, "Babe, you look so cool, you look so cool,
Sissy me devia boas explicações.

Ele poderia até não ter me seguido, ter esperado ver até onde a confusão iria ou se mais alguma coisa iria acontecer antes que a poeira baixasse e ele pudesse "entrar em cena". Mas depois que o prédio caiu e toda aquela nuvem de areia e concreto pairou sobre nossas cabeças, eu não conseguia imaginar o Sissy se enfiando naquela festa às cegas que era os minutos seguintes à queda do prédio.

Tudo o que se enxergava eram borrões de pessoas e meios de transportes — estes últimos, você identificava pelos faróis de neblina, o que te dava alguns milésimos de segundos para sair do caminho antes de ser atropelado e ser mais uma vítima ocasional do atentado a ser resgatada — e feridos sendo carregados nas costas, ou carregados por duas pessoas ou até mesmo enfiados em veículos particulares ou viaturas da polícia e sendo levados as pressas para os hospitais mais próximos da região. Havia uma sinfonia de gritos, choros e sirenes de ambulância, bombeiros e polícia, que para mim eram todas iguais, combinados com os jatos de luz que os helicópteros jogavam sobre nossos corpos, iluminando toda a área ao atravessar a poeira, como se aquilo tudo fosse um belo espetáculo de horrores para que quem estivesse em casa pudesse assistir de seu confortável sofá.


Tossi vez ou outra por causa da poeira, que por mais que eu afastasse com a varinha e com as mãos, ela parecia criar vida e tentar a todo custo penetrar nossos pulmões. Eu tinha certeza de que não conseguiria fazer muita coisa às cegas, então tratei de procurar uma viatura policial que estivesse vazia ou abandonada e entrar nela, bancando a motorista de emergência, apesar de eu não saber nada de direção e ter aprendido às pressas como se dirige um carro.

Depois de gastar todo o tanque e reabastecer umas duas vezes — uma dessas eu sequer paguei pela gasolina, espero que não se lembrem da minha face — levando feridos para os hospitais mais próximos — alguns mais distantes, porque todos num raio de 300 metros já estavam lotados — e ter não ter aprendido nem metade das sinalizações de trânsito — não me responsabilizo por arranhões na pintura e partes amassadas, não tenho culpa se todo mundo nessa cidade dirige que nem um louco — a população e todo o calor do momento se dispersavam, da mesma maneira que a poeira subia em partículas em direção ao céu acinzentado.

3 horas haviam se passado. Apenas eu e mais alguns outros pobres coitados — chamo-os de pobres coitados porque se soubéssemos o que está para vir metade de nós nem estaria ali ainda — permaneciam no local na tentativa de defender sua cidade e seus habitantes. Ainda vestida de policial, arremessei o chapéu para longe, sem mirar em nenhum lugar específico e me recostei na parede do prédio que ficava na esquina dos prédios que ficavam em frente ao ex profeta diário. Só aquele esforço de dirigir, de carregar pessoas feridas e de sequer ter tomado café da manhã pra aguentar todo aquele pique já haviam me cansado o suficiente para tirar uma soneca a tarde inteira. Bocejei preguiçosamente, enquanto observava as alianças entre desconhecidos sendo formadas, como forma de precaução e suporte para o caso de necessidade.

O tremor causado pelo impacto me despertou. Se não fossem pelas nuvens, eu precisaria de um óculos escuro para ver o que realmente havia acontecido: alguma coisa em forma humanoide despencou fazendo um buraco maior — como se já não fosse suficiente a maldita destruição do local — onde horas atrás era um belo e reluzente prédio cheio de jornalistas e repórteres em busca de sua próxima matéria de sucesso. Avancei alguns passos em direção ao local de onde a poeira se originava, cautelosa por, apesar de não saber de quem se tratava, gostava de chamar a atenção. A visão causou medo nos que haviam se aproximado demais. Aqueles que haviam chegado ao local por último, repensavam suas ações, e disso eu tinha certeza, porque era praticamente impossível não ouvir suas mentes atordoadas com a figura brilhante e seus anseios sobre se realmente voltariam para casa. Uma menina loira recuou, fugindo diante do perigo eminente para longe do local, acompanhada de um garoto ruivo. Provavelmente estavam ali esperando encontrar o dono da voz e da risada que assolara boa parte de Metropolis, mas que acabaram encontrando algo que parecia ser bem pior.

Além da estilosa e chamativa armadura de combate e do escudo estilo Capitão América em sua mão esquerda, na direita, era possível ver uma forma circular arroxeada, o que já foi suficiente para que eu pudesse sacar minha varinha e manter minha posição de ataque caso ele resolvesse partir para cima de nós de uma só vez. Mas o que havia acontecido no momento seguinte havia me pego desprevenida.

Uma pequena esfera do mesmo tom da que estava na mão do cara de armadura dourada surgiu a minha frente. Recuei bruscamente, quase tropeçando na calçada — se eu não tivesse olhado para trás na hora que estava caminhando — na tentativa de dar uma distância considerável que desse tempo de me defender do ataque. Em menos de cinco minutos eu estava diante de uma versão em tamanho real do mum-rá, com a diferença de que não se enxergava aquela cara de uva passa dele, mas que era possível ver suas mãos. Outra diferença também era o tom de voz. Era como se cinco vozes falassem de uma só boca, ou todas as outras cinco figuras que também haviam surgido estivessem falando ao mesmo tempo.

E o que eu ganho com isso? Olha só, nada é de graça nessa vida. Exceto um copo de água e um boquete. — Retruquei diante da fala da múmia, erguendo a sobrancelha esquerda e levando a mão direita à cintura. Fechei a mão em volta da varinha, apertando-a de maneira que os nós dos meus dedos se esbranquiçassem. Aquela história estava cheirando pior que as cuecas do sissy em dia de sexta feira.
lista de supermercado:

1. Informações gerais:
▲ Frances Hale a.k.a. Zatanna
▲ Reencarnada
▲ 18 anos

2. Níveis e atributos:
▲ Nível 12

▲ Inteligência: 15
▲ Força: 15
▲ Vigor: 15
▲ Resistência: 15
▲ Velocidade: 15
▲ Carisma: 15

3. Poderes e Habilidades
▲ Cinéticos:
Geocinese; Aerocinese; Pirocinese; Telecinese; Hidrocinese; Umbracinese; Lumocinese; Criocinese; Eletrocinese

▲ Físicos:
Teletransporte; Transformação; Cura; Alteração de tamanho;

▲ Outros:
Feitiçaria; Hipnose; Prestigitação; Telepatia; Voo;
they're making up another story;

_________________


Saturn
"  If crazy equals genius Then I'm a fucking arsonist  "
avatar
ANTI-HERÓIS
20

Conference House

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Oliver Reely Burkhard em Sab Out 08, 2016 2:44 pm

Look, if you had, one shot, or one opportunity. to seize everything you ever wanted... one moment. Would you capture it, or just let it slip?
Mediante àqueles eventos inoportunos de outrora, uma incerteza volitou a forma em que os pensamentos mundanos do rapaz com certa idade, mesma que esta não seja muito devido aos produtos Ivone ao material genético provindo de seus familiares, se projetam. Uma dúvida se alastrou por cada região centimétrica dali, recriando um câmbio de mudança dos quais nunca imaginou que teria um dia de sua nobre existência. Sempre creu que o seu alinhamento e posicionamento em relação a todas as coisas que possam ser julgadas como "bem e mau", porém, as circunstâncias onde era visto formaram essa palpável indecisão.

Diferente de muitos momentos difíceis já presenciados, esse propriamente dito ele não sabia nem ao menos como reagir. Aquela figura diviníssima e dourada era tentadora, a sua imagem cativava as pupilas, estas que se dilataram conforme viabilizou o deus. Suplicou ao subconsciente por uma resposta para aquela velha questão: "sim ou não"; o meio-termo, logo, o talvez, não coexistia nessa sentença, só ou negar, ou aceitar. [...] Os pés já não possuíam o contato com a planície do solo de outrora, estavam suspenso, tal como o próprio; flutuava, imerso na imensidão intangível da atmosfera rarefeita, dispersa de densidade e peso, exceto pela força gravitacional. O seco ingerido rasgava as paredes do tecido do órgãos, precisamente do esôfago durante a sua descida até o estômago.

— Então está oferecendo para mim e para os outros a oportunidade de nos juntar a vocês, Ó nobre místico e celestial ser? — Praguejou o questionamento com perceptível sarcasmo, enquanto repousava as nádegas no sólido concreto duma beirada do topo de um prédio com inumeráveis andares. Os fios emaranhados dourados naturalmente caíam em frente aos globos, uma franja que foi desfeita mais tarde com o repuxar destes para trás com o intuito do semblante ser visto com perfeição. Pelos rabos dos olhos mirou a garota de antes, fazendo um sinal com o movimentar do crânio para que fosse vá embora. — Ótimo, eu aceito. — Tomou voo novamente, direcionando a eles com lentidão.

Levi:
SOBRE ELE


I. Espécime: Reencarnado;
II. Nível: 10;
III. Codinome: Super Choque;


PODERES


I. Como um meta-humano com poderes diagnosticados como "inumanos", Static descende de habilidades de manipulação elétrica e variantes assemelhantes. Inicialmente, englobando a isso tem ELECTROMAGNETISMO. Na maior parte do tempo é conhecido como "magnetismo" e/ou confundida com "Manipulação Magnética", Electromagnetismo é tachado como a capacidade de manipular partículas eletricamente carregadas existentes. Static consegue, com a permissão do seu controle electromagnético, atrair e/ou repelir objetos - coisa que pode ser associada com poderio telecinético -, gerar e/ou comandar pólos magnéticos e criar e/ou manipular correntes elétricas, assim como se tocar um condutor humano.

II. Já foi mostrado que ele é capaz de utilizar o seu próprio corpo como um pólo magnético, enquanto outros vão carregar um corpo com uma polaridade para tudo seja atraído para si como um grande imã energizado. Ainda dentro do Electromagnetismo, Static ainda tem o poder de CAMPO DE FORÇA ao desenvolver uma espécie de barreria de electromagnética que repele e reflete o que lhe é direcionada. Também não pode esquecer de que ele capacitou a si mesmo de repelir o próprio corpo da terra, adquirindo, controladamente, a habilidade de VOO, coisa que geralmente faz com o auxílio de um tipo de veículo, uma prancha onde fixa sobre.

III. Ainda não privado de mais formas de combater com seus poderes elétricos, ele é portador da propriedade "mágica" de construção de energia elétrica, popularmente fichada como o nome de ELETROCINESE. Isso, em propriamente dito, é utilização da eletricidade em sua forma ofensiva. Com a mesma, as suas formas de uso depende da imaginação do usuário, embora um simples exemplo seja o disparo de cargas elétricas. É conhecido como PROJEÇÃO DE ENERGIA. Trata-se da capacidade de gerar e ondas projeto variando de energia do corpo de um meta-humano. Essa pode assumir a forma de explosões concentradas, explosões de concussão, ondas de força ou vigas auto-perpetuar e entre outros modos. Estes feixes podem provir de qualquer lugar e ser utilizado ou dirigida de um grande número de maneiras, dependendo do carácter seja defensivo ou ofensivo. RAIO EXPLOSIVO, ou explosão elétrica, é o nome aplicado a uma forma de ataque de descarregar um raio, ou seja, uma carga elétrica de proporções colossais. Com pouca importância, ou até mesmo importância nula, tem a ADESÃO, coisa que é a simples capacidade de escalar planos verticais. Faz isso com a eletrização dos dedos com o solo, o que causa um efeito semelhante a uma cola.

IV. Como o seu metabolismo é tão rápido quanto o de um humano comum, ainda porta o dote FATOR DE CURA, regerando ferimentos com certa velocidade avançada referente a dimensão do ferimento.

ATRIBUTOS


I. Força: 21;
II. Inteligência: 25;
III. Resistência: 21;
IV. Velocidade: 20;
V. Resistência: 20;
VI. Carisma: 7



_________________


Cause I am I'm the fury in your head. I'm the fury in your bed. I'm the ghost in the back of your head.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, {GOD} PART I

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum