[RP FECHADA] Hunt and Hunter

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Qua Out 19, 2016 2:12 pm

Meanwhile in the suburbs...
A roleplay é iniciada pelo post de Samantha Beihofner, seguindo por MELANIE ZENETTI. estando então, fechada para os demais. As noites de Gotham não são conhecidas por serem as mais seguras de se perambular por aí, principalmente nos subúrbios, longe dos olhos da polícia, onde a lei é feita por gangues. conteúdo é livre. Atualmente as postagens estão finalizadas.

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Qua Out 19, 2016 3:18 pm

The rain keep falling in the streets
Just like the bodies of the innocents...



A chuva caía torrencialmente, mantendo a grande maioria da população sitiada em suas casas, apartamentos ou pequenos abrigos feitos de papelão e restos de utensílios indesejados pelos mais afortunados. Observava tudo isso de cima, no terceiro andar de uma escada de emergência que ladeava uma velha pensão. Na janela próxima, o som chiado de uma rádio pirata, sintonizada com o canal da polícia, alertava aos oficiais que o alarme de uma loja de conveniências havia sido acionado, a poucos metros de onde estávamos.

“Atenção, unidades próximas. Temos uma invasão de propriedade privada nos subúrbios de Gotham...” – Não obteve respostas.

Não era algo incomum a polícia se acovardar e não executar chamados simples como estes nos arredores da grande metrópole. Geralmente chamados assim eram passados para o Cavaleiro das Trevas, e apenas ele entrar com todo o seu maquinário nas ruas estreitas e bem vigiadas pelas gangues.

- Porcos medrosos. – Sorri por baixo da máscara, protegida pelo capuz e a jaqueta pesada.

Em um movimento rápido, pulei da grade e me segurei na debaixo, repetindo o processo até chegar ao chão e finalizar a queda com um rolamento digno de parkour. Assim que já estava recomposta e caminhando tranquilamente, passei mentalmente o trajeto até a loja, já sabendo que naquele tipo de ocorrência os ladrões não tinham pressa, pois ninguém apareceria para interrompê-los naquela noite.

A loja se apresentava em minha frente, após alguns minutos de caminhada. As portas escancaradas, com os vidros quebrados, davam passagem para qualquer um que se arriscasse enfrentar o bandido lá dentro, mas a chuva reduzia a quase zero qualquer bom samaritano com um pouco de coragem a correr nas veias.

Adentrei a loja.

A única coisa que cortava o silencioso som da chuva caindo do lado de fora era a pilhagem do marginal, ensacando o dinheiro do caixa enquanto soltava algumas baixas risadas. Estava visivelmente alterado por entorpecentes e, quando me viu, soltou a bolça no balcão e empunhou uma espingarda calibre 12.

- Quem é você?! – Fúria descontrolada na voz. – O Batman achou um novo ajudante? – Apenas maneei a cabeça em negativo, mantendo o silêncio. – Como você se chama? O Corvo? – Ele riu e atirou.

O impacto dos chumbos presos no cartucho me fez cair de costas no chão. A dor se espalhou rápido pelo corpo, mas por baixo da máscara eu estava de rosto inexpressivo. O sangue que deveria sair e me matar por conta da sua falta permaneceu correndo em seu devido lugar, sem se importar com os poucos buracos que haviam se aberto em meu ombro.

- Filho da puta... – Disse baixinho, fechando os olhos e me concentrando para controlar o sangue e fazê-lo coagular, mas não sem antes expelir as pequenas esferas de chumbo.

Sem esperar que eu ainda estivesse viva, o bandido riu e foi para o fundo da loja, me dando tempo para ficar de pé e sacar um afiado machete, escondido dentro do casaco. Caminhei pelo corredor ao lado do que ele percorria e, quando saímos na outra ponta, praticamente simultaneamente, seus olhos se arregalaram e pude sentir o cheiro do seu medo. A espingarda foi apontada para mim, mais uma vez, mas desta vez a golpeei, fazendo o tiro desviar pela minha lateral. Segurei em seu pescoço e o empurrei até a parede, o levantando do chão, usando manipulação sanguínea no processo e impedindo-o, também, de se mexer.

- Você tem noção de que essa sua brincadeira de dar tiro me deixou com fome? – Enfiei a lâmina em seu abdome, não deixando que o sangue saísse dali. Queria apenas que sentisse dor. – Não se preocupa, você não vai morrer... ainda. – Com a mão livre, removi a máscara, pronta para drenar sua vida.


Thanks Tess

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Melanie Stark em Qui Out 20, 2016 12:30 am

Stranger Things...
Sabe, eu realmente não sou muito fácil de conseguir amizade, eu sei bem disso, mas... olha, não dá para dizer que eu não tentei. Digo, eu bem que conversei com alguns policiais depois que terminei de ajudá-los na investida à uns gangsters, mas eles eram tão idiotas e machistas que eu mais uma vez achei um inferno ter que honrar o bom nome da Liga da Justiça e não poder arrancar as bolas deles com uma faca qualquer do restaurante em que estávamos... Mas, é claro, como já é óbvio, tive que me comportar e não machucar ninguém. Na realidade, eu só continuei a conversa com eles por que estavam pagando a comida, e ela estava ótima, então não tinha nada à perder.

Idiotas, me deram comida de graça achando que iriam conseguir algo comigo. Bem, não sou tão fácil assim, mas de toda forma agradeci pela refeição. Uma pena que a conversa com a dupla durou toda a tarde... nem pude cortar os dois, por questão de educação, mas finalmente tive um alívio quando saí do restaurante.

O sol já havia se posto, e a chuva já estava forte, o bastante para afastar a maioria das pessoas das ruas, e isso para mim foi uma maravilha. Esquecer meu guarda-chuva não foi o bastante para estragar essa minha noite, não tinha nada que fosse estragar caso molhasse, e nem sou de açúcar, então não me incomodei de ficar ensopada também, então até aproveitei a caminhada na chuva. E, sabe, não que seja muito importante, mas quero destacar que é em horas assim que sou agradecida de verdade por ser imune à doenças, não tenho risco de pegar qualquer gripe por conta de algo tão bom.

Aliás, enquanto eu andava, pensava em certas missões que haviam sido repassadas para mim pelos meus empregadores, e... olha, eu não preciso de dinheiro algum, já sou muito rica depois de tanto que trabalhei como mercenária, mas ainda assim me faz muita falta encarar alguns trabalhos que parecem ser impossíveis, só para me exercitar e não ter que me segurar.

Agora, foi muita coincidência eu de repente captar com meus sentidos aguçados, além do barulho causado pela chuva intensa, o som de uma pessoa morrendo de medo, e implorando para não morrer, logo do outro lado da rua em que eu passava, nos fundos de uma loja. Me senti com sorte, pois aquilo significava para mim uma diversão que a liga não poderia estragar, ou seja, podia agir mais como se fosse eu mesma! Então, é, eu nem pensei duas vezes.

Quando parei de pensar tanto, tirei meus saltos e os segurei com uma das minhas mãos, para poder andar discretamente na direção dos fundos da loja que eu havia ouvido os murmúrios do lojista, e assim que ouvi que tinha alguém preparando-se para atirar, levantei um pouco meu vestido (quatro dedos acima da metade da coxa, ficando assim) e corri em torno do prédio, procurando uma brecha, até encontrar uma janelinha de um banheiro, do qual eu pude me esgueirar para entrar sem ser percebida. Ignorando o mal cheiro do lugar, andei nas pontas dos pés na direção dos fundos da loja, até me deparar com o bandido, de costas para mim.

Foi simples, enquanto ele ameaçava o lojista para receber a senha de algum cartão de crédito (ou...sei lá se era de um cofre, não prestei atenção, desculpa), cheguei por trás dele e tampei sua boca com a minha mão esquerda, e apoiei a minha direita na sua nuca, girando sua cabeça em 360 graus em torno do seu próprio eixo. Em resumo, quebrei seu pescoço de uma forma linda, que eu até sentia saudades de fazer. Mas, aproveitando que estava ali já, ignorei o homem morrendo de medo e peguei a faca e a pistola do sujeito que havia acabado de matar, e fui para a frente da loja, acabar com o outro que eu havia ouvido enquanto fazia seu trabalho no caixa. Mas, quando cheguei lá, ele já estava dominado.

Mais do que isso, ele parecia até um refém de alguém que... sei lá por que usava aquela máscara estranha, mas imaginava que era uma espécie de justiceira, pela sua voz, então fiquei mais sossegada. Mas, ainda assim fiquei apoiada atrás da parede, escondida e ouvindo o que ela falava com o bandido que acabara de render, só agindo mesmo quando a ouvi dizer as suas últimas palavras para o bandido, e então eu não me aguentei. A bondade no meu coração falou mais alto, mas agi pelos instintos da assassina que eu aprendi à ser em todos esses anos, e atirei na cabeça do sujeito, matando-o na hora antes que ela começasse o que queria com o mesmo. Não me senti mal por isso, mas devo confessar que foi um alívio ver que ao menos o sujeito não iria ser torturado sem motivo, e agora estaria onde merece... no inferno.

Feito aquilo, não havia por que caçar encrenca com a mulher, que havia ajudado também (até onde eu sei pelo menos), então me encostei na parede sem cruzar os braços, mantendo ainda o dedo no gatilho da pistola, enquanto que minha outra mão se ocupava com a faca. Então, decidi ser simpática- Oie! -disse para a mulher, com um leve sorriso no rosto e olhando em seus olhos, analisando suas feições enquanto via sua reação ao meu tiro no bandido em seus braços- Não estraguei a sua diversão né? É que... sabe, não acho necessário torturar alguém sem motivos. -resumi para ela, justificando minha ação- Mas e aí, o que ia fazer com ele? Vai devorá-lo, ou ouvi errado? -pergunto, curiosa sobre... bem, como ia matar a fome com o bandido- Ou sua fome é de outra coisa...? -não consegui evitar de soar um pouco sem vergonha com essa pergunta, mas novamente, não fiquei incomodada, estava só curiosa mesmo quanto a minha nova amiga ali.

- Aliás... quem é você? -pergunto, ainda analisando a mulher, tentando descobrir se ela era amiga ou inimiga...

tag: Samantha | roupas: aqui

OFF: Especialmente pra você :x


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Qui Out 20, 2016 5:57 pm

The rain keep falling in the streets
Just like the bodies of the innocents...



Os segundos que antecediam o ápice da noite pareciam passar mais lentos do que normalmente passavam. Eu podia sentir o seu coração pulsar na palma da minha mão e soar em meus ouvidos enquanto o sorriso se alargava cada vez mais. A presença de adrenalina no sangue apenas fazia a refeição ser melhor, como um tempero extra. Senti-lo se debatendo enquanto consumava o ato era sempre uma das melhores partes. Vê-lo tentar lutar, debilmente, pela sua vida, era um dos maiores prazeres de se alimentar de criminosos, que não hesitavam em tirar vidas, até que...

BANG

O som de um disparo se fez retumbante no espaço apertado da loja e meus ouvidos chiaram com um som agudo. O homem o qual fazia de refém, agora, não se debatia mais. Suas mãos, inclusive, soltaram meu pulso e o seu corpo pendeu inerte. Um furo no centro de sua testa fazia o sangue escorrer pelo nariz e queixo, gotejando em minha mão.

- Oie! – Uma voz feminina soou atrás de mim e, assim, soltei o cadáver, lambendo a gota em minha luva. – Não estraguei a sua diversão, né?

- Na verdade, estragou. – Comentei com a voz rouca e olhei por cima do ombro, logo depois de recolocar a máscara na frente do rosto.

- É que... sabe, não acho necessário torturar alguém sem motivos. – Se explicava como se realmente importasse para mim o fato de ela ter tirado a vida que eu ia tirar. – Mas e aí, o que ia fazer com ele? Vai devorá-lo, ou ouvi errado? – Apenas negativei com a cabeça, virando de frente para a bela mulher prostrada em minha frente, com a arma ainda em punho.

- Eu ia... – Corrigi o tempo verbal, já que não me alimentaria mais daquele, agora, cadáver.

- Ou sua fome é de outra coisa...? – Identifiquei a malícia em sua pergunta e, por baixo da máscara, não consegui evitar um sorrisinho. – Aliás... quem é você?

Com um comando mental, tranquei cada músculo do seu corpo, impedindo que o sangue fosse usado para qualquer outra utilidade que não mantê-la estática e respirando. Podia notar um pouco do pânico presente em seus olhos, talvez por nunca ter visto uma habilidade como aquela. A menina não era má, não matara ninguém realmente importante para a sociedade, mas ainda assim, roubara minha única fonte de prazer.

- A minha fome não é de outra coisa... – Caminhei até ela, que ainda mantinha o braço levantando com a pistola, agora, apontada para lugar algum. – E eu não posso recusar quando a presa entra assim, em minha frente, de tão bom grado, não é? – Abaixei o seu braço e caminhei em sua volta, parando em suas costas, tirando o cabelo longo e moreno da frente do pescoço. – Afinal, você foi a responsável por eu não ter um bom jantar... – Deixei os dedos deslizarem pela pele quente e parei em sua frente, finalmente tirando a máscara para ela poder ver meu rosto. – O pessoal das redondezas me chama de Black Plague. – A respondi, sabendo que ela não sairia dali com vida. – E você, quem é? – Perguntei, tirando a luva da mão direita.


Thanks Tess

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Melanie Stark em Qui Out 20, 2016 7:52 pm

Stranger Things...
Ainda nem havia visto o rosto daquela que conversava com a sua vítima nada inocente, mas já não acreditava que ela fosse muito confiável, por falar daquela maneira com outro ser humano. Tudo bem que eu não sou alguém que possa falar sobre valorizar a vida humana, justamente por que eu sempre trabalhei contra esse ideal, mas como ando querendo mudar, ou ao menos me controlar... me pareceu mesmo certo matar logo o sujeito que havia feito tanto mal apenas para enriquecer, sem se importar como que o pobre lojista ali ficaria depois do assalto...

Aliás, eu matei também o outro bandido que estava nos fundos da loja, não? Então seria muita hipocrisia ficar com pena de matar esse também, né? Bem, de toda forma, já foi. Não demorei nem dois segundos para matar o infeliz que estava nos braços daquela mulher, mas continuei ali para saber quais seriam as intenções dela depois de acabar com os bandidos. Afinal de contas, havia ainda um inocente ali, mesmo que ela não o tivesse visto ainda, eu não queria correr o risco de deixar o coitado sozinho no mesmo local que alguém que talvez fosse tão ruim quanto os bandidos. E em parte foi uma boa ideia fazer isso, pois logo tive a confirmação quanto ao caráter da mulher, mas... não foi tão bom, pois logo eu virei alvo da mesma.

Sabe, eu imaginara que ela era só uma esquisita de Gotham que decidira fazer o trabalho da família morcego, mas paguei o preço por subestimá-la. Pois apareci para a estranha despreparada e nem ao menos com minha armadura padrão, estava de vestido apenas, e uma arma roubada de um bandido que acabei de matar ao entrar ali, e isso bem que não faria muita diferença se ela fosse como um dos bandidos ou mesmo heróis comuns que vivem por essa cidade corrupta. De repente, meus músculos foram paralisados, não consegui apontar para o ombro dela quando ela se mexeu, como eu teria feito se pudesse, e então fiquei... surpresa. Não assustada, mas surpresa por aquilo ter acontecido, pois nunca havia enfrentado uma meta-humana com um poder desses antes.

Mas pouco depois disso, caiu a minha ficha... eu estava no pior tipo de situação, a que eu menos gosto de estar: era uma refém, e isso me fez ficar muito, muito zangada. Isso fez diferença? Não. Eu até estava tentando com todas as minhas forças e minha determinação (que aliás, é boa o bastante para resistir mesmo contra telepatas poderosos, mas... bem, não fará diferença contra alguém como ela) resistir à aquele poder da mulher, só que não deu certo. Então enquanto eu tentava forçar meus músculos para se moverem, olhava para ela, enquanto se movia em minha direção, mexia em mim e me manipulava como queria... me deixando ainda mais ''p'' da vida. ainda assim, tentei brincar- Presa? Como assim? Já quer me comer assim? Sem nem pagar um jantar? -digo de forma sarcástica, tentando não me deixar levar pela raiva de ter ficado impotente diante da mutante.

Agora, devo dizer que me arrepiei um pouco quando ela tirou meu cabelo do pescoço, e tocou minha pele delicadamente... até sorri um pouquinho com isso, em outro momento até gostaria de um toque como esse, mas... logo fui juntando as peças do que ela estava falando. Como por exemplo, sobre o que ela havia dito com a cabeça sobre não ter intenção de devorar o sujeito, e agora fazer esse movimento clássico dos livros de fantasia ao tratar meu pescoço com tanto cuidado, se referindo à mim ainda como presa e... Bem, eu até suspirei quando a conclusão veio à minha mente, indignada por não ter pensado antes nisso- Espera... saquei, Batsi... você tem poderes sobre o sangue, não é? Por isso não me movo? E é isso que você quer de mim... o meu sangue... -digo, olhando agora para ela, vendo a mulher tirar a máscara e se apresentar. Aliás, meu relógio de pulso apitou bem baixinho quando eu disse a palavra ''Batsi'', se ela tivesse audição sobre-humana, que nem eu, poderia muito bem escutar.

Mentiria se dissesse que ela não é bonita, mas para mim isso não importava no momento, apenas me importava como é que eu iria sair dali. E admito, estava difícil pensar sozinha, então decidi partir para o plano reserva de sempre- Black Plague? Olha, nome legal! Mas acho que não é de uma heroína, certo? -pergunto e sorrio, tentando aliviar a tensão e pensar um pouco.

- Ah, uma pena, para um rosto como o seu estar do lado dos bandidos... mas, sabe, sobre mim... eu tenho alguns nomes. A maioria me conhece por Exterminadora, sabe? Maior mercenária do mundo, atual treinadora e afiliada da Liga da Justiça, coisa e tal. -explico em um tom de deboche, para tentar disfarçar a vontade que eu tinha de pular naquele pescoço dela e rasgá-lo com as minhas mãos... é, sou uma ótima atriz, eu sei, obrigada- Então, quer me soltar? Ou vai esperar o Batman chegar? Sabe que o tempo de resposta dele é bem pequeno... -comento, olhando nos olhos dela, mas agora mais séria- Deixo você ficar com esse bandido que eu matei, e o outro bandido que está nos fundos da loja também. Mas tem que sair agora, ou o Batman vai chegar à qualquer momento, e ele não é burro. Vai chegar usando gás sonífero o bastante para derrubar um elefante, nem vai dar chance para você controlá-lo.

Bem, quando eu posso ter chamado o Batman? E como ele saberia desse poder dela? Tá, não importa, só queria saber agora o que ela faria agora- Então, se quiser continuar aqui, podemos conversar. -digo, em um tom irônico, mas sem ofender, apenas brincando- Está a quanto tempo em Gotham? Já fez quantas vítimas por aqui? É por necessidade ou desejo mesmo? -pergunto, como se não tivesse acontecendo nada demais, ao menos tentando fazer soar assim ao falar, mas continuava tentando fazer força para me livrar do poder dela, e descobrir se a o poder da mente dela sobre o meu corpo era maior que a minha força sobre-humana, torcendo para que o fato de ter um corpo mais forte que o normal e estar com o coração acelerado por conta da minha raiva dificultasse o uso do poder dela- Quantas vezes topou com o Batman? Também achou ele tão previsível pessoalmente? Sério, ele tem tanto potencial para melhorar, se não fosse tão... frutinha! -comento, tentando continuar o assunto.

É, estou começando a ver que não sou uma boa piadista. Chega de fazer esse papel só para eu relaxar, não está adiantando de nada para mim... a raiva por estar como uma refém ali não diminuía em nada, fosse pelas brincadeiras ruins minhas ou pela ajuda estar à caminho, nada adiantava para me acalmar...


tag: Samantha | roupas: aqui

OFF: Difícil viu? hahahaha


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Qui Out 20, 2016 8:42 pm

The rain keep falling in the streets
Just like the bodies of the innocents...


No momento que fiz a pergunta, levantei o seu braço ainda paralisado e enganchei a máscara ali, transformando a pistoleira em uma espécie de porta-casacos. Sorri para ela de forma pouco agradável e, com a mão nua, levantei levemente o seu queixo, mantendo os olhos fixos na veia aorta.

- Black Plague? Olha, nome legal! Mas acho que não é de uma heroína, certo?

- Certo... – Pousei a mão no pescoço da mulher, sentindo a pele macia e quente, não segurando um suspiro.

- Ah, uma pena, para um rosto como o seu estar do lado dos bandidos... mas, sabe, sobre mim... eu tenho alguns nomes. A maioria me conhece por Exterminadora, sabe? Maior mercenária do mundo... – Deixei que minha unha comprida do polegar desenhasse um fino corte ali em, sua pele, fazendo um pouco de sangue escorrer.

- Você fala demais... – Desviei os olhos do corte para suas írises azuis e, em seguida, voltei para o local do ferimento que havia feito. – E eu não estou do lado dos bandidos...

Segurei a parte oposta do pescoço da garota que se denominava Exterminadora e me aproximei, a puxando em sincronia. Passei a língua em sua pele, limpando o filete escarlate que escorria até o osso da clavícula, e acomodei a boca no ferimento, onde comecei a beber sem pressa alguma. Pude sentir a sua pausa por causa do inesperado, talvez, mas logo ela completou

- Atual treinadora e afiliada da Liga da Justiça, coisa e tal. - Abri os olhos, ainda provando do seu ferimento.

Me afastei, deixando um fino fio de saliva ainda ligar meu lábio à sua pele alva. Limpei com o dedo e, ao mesmo tempo, comandei mentalmente que o seu sangue coagulasse ali, fechando o ferimento. Não era uma vilã e não sabia como não havia ligado o nome à pessoa: máscara laranja, arsenal pesado...

- Então, quer me soltar? Ou vai esperar o Batman chegar? Sabe que o tempo de resposta dele é bem pequeno... – A olhei séria, sem entender porque o Morcego viria ali, sabendo que ela estava ali para cuidar. – Deixo você ficar com esse bandido que eu matei, e o outro bandido que está nos fundos da loja também. Mas tem que sair agora, ou o Batman vai chegar à qualquer momento, e ele não é burro. Vai chegar usando gás sonífero o bastante para derrubar um elefante, nem vai dar chance para você controlá-lo.

- Eu não estou, de fato, viva... – Aproximei nossos rostos e parei a centímetros de seus lábios, sustentando um sorriso triunfante. – Está sentindo? – Me referia à falta de respiração, pois eu não o fazia. – Eu não preciso respirar.

- Então, se quiser continuar aqui, podemos conversar. – A garota também sorriu e eu me afastei, pegando a máscara em sua mão e soltando-a da paralisia. – Está a quanto tempo em Gotham? Já fez quantas vítimas por aqui? É por necessidade ou desejo mesmo?

- Já que estamos conversando... – Fui até o cadáver e passei o dedo em sua testa, provando o sangue, em seguida. – Azedou... – Torci o nariz. – Eu vim pra Gotham por que pessoas morrem em Gotham todos os dias. Comida fácil e discreta.

- Quantas vezes topou com o Batman? Também achou ele tão previsível pessoalmente? Sério, ele tem tanto potencial para melhorar, se não fosse tão... frutinha!

- Geralmente, com quem eu topo, não sobrevive pra contar história... Nunca topei com o Batman – A olhei dos pés à cabeça. – Mas eu não quero a Liga atrás de mim por ter matado alguém importante... – Sorri abertamente, acabando por exibir os caninos alongados. – E eu acho que você só foi pega por que não esperava nada de alguém com uma máscara dessas. – Exibi minha proteção de identidade e proteção contra o sol.


Thanks Tess

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Melanie Stark em Sex Out 21, 2016 12:35 am

Stranger Things...
Falar bastante estava adiantando, pois ela parecia me acompanhar, e... bem, essa era a única parte boa dali, sendo sincera. Me sentia uma inútil paralisada daquela forma e vendo que anos e anos de treinos meus não valeram de nada... nem mesmo a droga da minha outra vida parecia ter alguma resposta para esse problema com a sanguessuga. Fora tentar enrolar, só podia ver e sentir o que ela fazia comigo, e não era pouca coisa.

Primeiro, foi ridículo ser transformada em cabideiro por ela, e pior ainda quando ela abriu aquela ferida na minha pele (que não doeu, ou melhor dizendo, não senti) e... me experimentou. Bem, a única coisa de relevante que ela disse antes de começar a me experimentar, foi que não estava do lado dos bandidos, então eu fiquei um pouco confusa. Mas... mentiria se dissesse que consegui pensar muito nisso, pois me arrepiei mais ainda ao sentir sua língua contra o meu pescoço, e até tive que segurar um leve suspiro que quase saiu pela minha boca ao sentir a boca dela contra a minha pele, no local da ferida...

Enquanto eu tentava não ceder e deixar escapar qualquer coisa que demonstrasse prazer naquele ato, ela sugava o sangue da ferida do meu pescoço, e aos poucos dava para perceber que sozinha a minha ferida ia se fechando, vagarosamente, mas foi se fechando até que... ela mesma ajudou a fechar com seu poder. Mas eu ainda sentia o fio de saliva que havia restado dela em meu pescoço, e... céus... nunca me senti tão suja...

Bem, eu não entendi nada, mas continuei tentando puxar assunto, e prolongar a conversa para que meu reforço pudesse chegar rápido, pois imaginava que agora ela iria me matar logo por eu já ter avisado sobre o reforço à caminho. De qualquer forma, sabia que ele chegaria e a pegaria, mas eu no lugar dela já teria matado meu alvo à muito tempo, então não duvidava que ela fizesse isso à qualquer momento... mas não foi isso que ela fez. Na realidade, assim que me ajudou, ela só me olhou séria enquanto eu falava do Batman, e então se aproximou do meu rosto, dizendo que não estava viva e até demonstrou- É verdade... -comento, olhando-a bem zangada quando se aproximou de mim, para mostrar que não respirava.

Eu geralmente tenho uma mente nada inocente, então adoraria ter alguém assim perto de mim dessa forma... mas não alguém como ela, não desta vez- ...nós já derrotamos mortos-vivos antes, bem maiores que você aliás, não faz diferença. -completei, de forma simples, já que prolongar não estava adiantando. Enfim, ao fim das minhas palavras, ela pegou de mim a máscara e me soltou, e isso foi muito bom.

De repente eu respirei profundamente e olhei para a arma em minhas mãos, do bandido, e... bem, matá-la agora iria ser desonroso. Só conseguir por que ela permitiu... sim, isso iria ferir meu orgulho, então eu, na raiva, só amassei a pistola com as minhas mãos, torci seu metal e rasguei o mesmo, deixando as duas partes no chão. Em parte garantindo que ninguém mais o usasse, mas também era bom para descarregar a raiva pelo que acontecera.

Enquanto isso, ela foi verificar o cadáver do sujeito que matou, mas ignorei como é que ele estava agora para ela, mas prestei atenção quando ela falou do motivo de vir para essa cidade- Ah, tá. Então você se alimenta mesmo de pessoas, e tem que ser... frescas, pelo visto. -digo, olhando com repugnância para o bandido morto ali, enquanto arrumava o meu vestido prateado, para que voltasse ao seu cumprimento normal, já que não precisava lutar mais, deixando-o agora mais baixo, na altura dos meus joelhos, enquanto a olhava, ao continuar a conversa.

Então eu percebi os caninos, e tudo fizera sentido- É uma vampira... entendi. -disse, ignorando o que ela disse sobre não querer me matar por causa da liga, isso logo após de me analisar por inteiro... Bem, nem preciso mais dizer como estou brava né? Enfim, suspirei antes de continuar- É, sei. Tanto faz... -disse, zangada, e praticamente ignorando... bem, o ''consolo'' que ela tentava me dar por ter sido pega tão facilmente. Então levei o dedo até atrás da minha orelha, fingindo que falava com alguém por um ponto oculto ali, mas na verdade era pelo comunicador que se encontrava no relógio- Quando chegar, me dá uma carona para casa, estou te esperando. -mandei, para a pessoa do outro lado do comunicador, em tom autoritário mesmo, e... bem, como já ficou óbvio, ainda zangada.

Enfim, fui até os fundos e, como já imaginava, o lojista havia sumido, então segurei um dos pés do bandido que havia matado nos fundos, e o arrastei como se fosse um pedaço de isopor, até a parte da frente da loja, junto do outro bandido, e os deixei juntos- Se quiser ir embora, à vontade. -disse, ainda tentando acalmar meu próprio mal humor, enquanto olhava em volta, procurando álcool e fósforos- Vou só sumir com meus vestígios. Pegue o lanche se quiser, agora é a hora. -comento, ainda sem olhar para ela, indo até os produtos que eu precisava.

É, sou uma péssima perdedora... e acho que dificilmente algo mudaria meu humor agora, depois de só escapar com vida por piedade da adversária...

tag: Samantha | roupas: aqui

OFF: Bem... é isso... se quiser continuar, to aí, posso tentar depois, mas hoje não sai nada melhor, mesmo... sorry :/


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Sab Out 22, 2016 6:41 pm

The rain keep falling in the streets
Just like the bodies of the innocents...


Observei a menina fechar a cara e não consegui evitar que um pequeno sorriso se desenhasse em meus lábios. Ela parecia se comunicar com alguém do lado de fora, nas redondezas, não sabia dizer. Os batimentos de toda a vizinhança podiam ser captados por meus sentidos e era como escutar uma verdadeira multidão conversando. Não podia dizer com certeza se alguém apareceria logo ou não.

- Quando chegar, me dá uma carona para casa, estou te esperando. – O tom de voz era irritadiço, o que me fez sorrir um pouco mais largo. Me pus de pé e caminhei até ela, mas não sem antes segurar o pé do bandido com a bala na cabeça e arrastá-lo pelo chão.

Ainda sentia o gosto do seu sangue em minha língua e desejava mais, saber que havia provado daquela garota e que não havia terminado com ela, tampouco saciado minha sede, me deixava extremamente excitada, desejando aquela garota. Talvez fosse aquele o motivo de eu sempre terminar com as minhas vítimas, porém, aquela havia sido a primeira pessoa a sobreviver de um ataque meu.

Ela se desvencilhou e foi para os fundos, me deixando parada a observar o seu caminhar pela loja até sumir por entre as prateleiras de enlatados. Fui até a rua, arrastando o cadáver, e o soltei na calçada, voltando a vestir o capuz do moletom avermelhado. Fiquei estática olhando para o nada, aguardando de mãos nos bolsos do moletom a chegada da garota que, assim que se apresentou, deixou um segundo corpo que eu sequer havia sentido.

- Se quiser ir embora, à vontade. – Ela observava o ambiente ao redor, procurando por algo para carbonizar os corpos. Apenas observava o seu corpo e a forma como a água da chuva percorria os seus contornos. – Vou só sumir com meus vestígios. Pegue o lanche se quiser, agora é a hora. – O comentário me arrancou um sorriso traquino.

- Promete não lutar? – Fiz menção de pegá-la como lanche, mas não esperei por uma resposta. – Está esperando o seu namorado?

Olhei para os corpos e usando o resto do combustível que ainda tinha, fiz o sangue dos homens escorrerem por seus poros até que nada além de corpos mumificados sobrassem ali. Também fiz o líquido escarlate evaporar e sumir no ar, deixando apenas as roupas de seus corpos com um punhado de pele e ossos.

- São meus vestígios. – Buscava seus olhos na hora de conversar, por mais que ela tentasse evitar. – Você não precisa de mais mortes nas costas... Já eu sequer existo para o governo ou liga.

Me aproximei um pouco mais dela, sem usar dos poderes, desta vez, e analisei o seu rosto, com os cabelos grudados à pele por conta da chuva que ainda caía. Não consegui evitar de descer os olhos para o decote agressivo no vestido prateado. Eu sabia que me arrependeria de não matá-la ali e agora, mas eu simplesmente não conseguia mais. Aquela Exterminadora não era apenas mais um corpo para mim.

- Aliás, o seu sangue tem um gosto bastante... peculiar. – Umedeci os lábios e a olhei nos olhos. – Vamos nos ver de novo, Exterminadora?


Thanks Tess

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Melanie Stark em Dom Out 23, 2016 8:21 pm

Stranger Things...
Podia até ser o meu orgulho ainda falando bem alto, mas não estava gostando de ser observada pela tal vampira... tanto por ser ela, quanto por ser daquele jeito tão... arrogante. Estava com os nervos à flor da pele ainda,  tensa por causa do resultado do nosso encontro, e ainda me sentindo uma inútil por ter sobrevivido apenas por pena dela... é, foi a junção de tudo isso que me fez procurar logo algo para fazer nesse lugar, e foi por isso que me lembrei logo de limpar meus rastros, mesmo que ela ainda estivesse aqui. Não que precisasse dessa pressa toda também, mas qualquer coisa que tirasse ela da minha frente era bem vindo.

Fiz tudo o que sempre fazia em ocasiões assim, procurei uma maneira rápida de limpar meus vestígios, e talvez até fazer tudo parecer um acidente... ou talvez um ataque de um meta-humano qualquer, então estava tudo sob controle. Novamente, percebi que ela me observava enquanto eu tentava dar um fim às provas sobre mim que estavam naquele corpo, e por estar outra vez incomodada com isso, dei sinal para que ela fosse embora se quisesse, mas... novamente, ela preferiu testar os limites da minha paciência...

Arqueei a sobrancelha e olhei um tanto incrédula para ela, quando a vi fazer a brincadeira de beber o meu sangue. Prefiro nem dizer o que pensei dela nessa hora, mas fiquei olhando fixamente para ela, com a sobrancelha arqueada, enquanto continuava espalhando o álcool pelo corpo que estava na minha frente- Eu não namoro. -resumi a minha resposta para ela, ainda seca e grossa. Poderia completar, dizendo os motivos, que ainda não havia achado ninguém interessante o bastante para merecer ser meu namorado ou namorada, mas... não queria me explicar para ela. Já havia sido humilhada demais por uma noite, só Deus sabe o que ela pode fazer comigo se eu começar à me abrir para ela sem motivo...

Mas, é claro, tinha que ao menos responder à sua primeira pergunta, ainda que ela não tivesse dado espaço para eu fazer isso antes- E... por que não tenta a sorte? -pergunto, me referindo à brincadeira inicial dela, deixando escapar um ínfimo... sorriso para ela, de cano, mas logo em seguida desvio meu olhar, que vai agora para o corpo do bandido, enquanto vou despejando álcool em torno do mesmo, no piso da loja. Não que faça alguma diferença jogar esse álcool todo ali, mas é que... bom, eu estava com vergonha (até um pouco corada, acredito) por ter deixado escapar aquele sorrisinho, mas... o que posso fazer? Foi mais por instinto que eu disse e fiz isso.

Na realidade, era para soar como um desafio mesmo, pois ainda estava zangada, mas... bem... o tom de voz e esse sorriso meu... não deixaram transparecer isso...

E quando eu tentei me acalmar, olhei confusa para o que acontecia com os corpos na minha frente, tentando não deixar transparecer o quanto estava surpresa por ver o que ela fazia com aqueles corpos. O sangue saindo pelos poros e seu corpo secando... céus, foi uma cena horrível... E diante disso, mais uma vez me senti uma inútil, pois ela poderia muito bem fazer aquilo comigo se quisesse, o que não deixava meu orgulho muito melhor, mas ainda assim ela me ajudou, um pouco, então virei meu rosto para ela- Obrigada. -agradeci, após ouvir dela que não precisava de mais aquela morte, e ela tinha razão, mas... bem... não iria falar muito mais, pois meu orgulho já estava mutilado demais para isso mas acabei soltando um- É, entendo por que não existe... -comento, olhando para o corpo, e então ascendo o isqueiro, jogando-o no que restava do mesmo e me afastando, só para garantir que não restariam provas mesmo.

- Vai ser nosso segredo então? -perguntei, de forma simples, sem nem perceber como é que aquilo poderia soar... bom, prefiro não comentar, mas aquela era só a minha maneira de perguntá-la se queria que eu mantivesse segredo, ou se eu poderia falar algo. Claro que eu já sabia a resposta, mas perguntar não ofende... Sem falar que, se ela quisesse, como demonstrara agora, poderia acabar comigo à qualquer momento mesmo, então não precisava se preocupar com muita coisa...

A olhara nos olhos enquanto falava agora, como parecia que ela queria, mas não me deixei ser intimidada, apesar de tudo que ela demonstrara poder fazer. Nem recuei quando ela se aproximou de mim mais uma vez, só que fiquei muito curiosa com a forma com a qual ela me analisava. Olhando para o meu rosto, meu cabelo... meu decote... Não vou mentir, nesse momento não me incomodou que ela me olhasse, até acabei olhando para ela com mais atenção também, analisando seu rosto e até o seu corpo como podia, mas não podia ver muita coisa, então desisti. De toda forma, não imaginava por que é que ela fazia aquilo, até que voltou à falar. Ainda assim, permaneci onde estava, próxima dela, olhando com atenção para o rosto dela, analisando suas feições e... os seus olhos, para tentar continuar lendo-a.

- De novo? -coloquei as mãos na cintura, olhando para a boca dela enquanto via ela umedecer a mesma sem nenhuma vergonha, na minha frente, deixando claro para mim suas intenções- Já quer mais do meu sangue? Porque não tenta encontrar outra vítima? A noite só começou... plague! -não vou negar, voltei à ficar um pouco irritada com aquelas intenções dela, mas... tudo bem, já havia aceitado mesmo que nada poderia fazer se ela quisesse fazer algo comigo, então resolvi entrar na brincadeira, e me aproximei um pouco dela também- Nos encontrarmos outra vez, só para você me usar e matar sua sede? Acha que sou o que? -pergunto, olhando de seus olhos para a sua boca, sem me afastar ou mesmo demonstrar medo, apesar de tudo.

Tentava intimidá-la, para mostrar que não tinha mesmo medo dela, ainda que tenha visto o que pode fazer, mas também confesso que estava curiosa quanto ao meu sangue... o que eu tenho para fazer uma vampira ficar tão interessada em mim? Talvez seja algo herdado de minha outra vida, não sei, mas... sendo sincera, era preocupação para outro momento.

Enfim... sabe que, por algum motivo, não estava mais tão zangada quanto deveria? Estranho, pois sei que sou uma péssima perdedora, mas... bem, a conversa deve ter desviado o meu foco... talvez...

tag: Samantha | roupas: aqui

OFF: Haaa, to animada de novo <33


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Dom Out 23, 2016 10:57 pm

The rain keep falling in the streets
Just like the bodies of the innocents...



A chuva caía e molhava os cabelos da Exterminadora, descendo em gotas por sua pele alva e de aparência deliciosa. Os seus olhos, grandes e claros, estudavam meu rosto ao compasso que eu a analisava minuciosamente. Aquele vestido prateado salientava as suas curvas, ainda mais agora, encharcada pelo clima úmido de Gotham.

- De novo?! – As suas mãos foram para a cintura fina e bem definida. Não pude deixar de analisar o seu movimento com interesse. – Já quer mais do meu sangue? – Dei de ombros. – Por que não tenta encontrar outra vítima? A noite só começou... Plague.

- Pode me chamar de Samantha... ou Sam. – Sorri maliciosa, e o sorriso só se alargou mais quando ela se aproximou.

- Nos encontramos outra vez, só para você me usar e... – Todos os sinais indicavam que eu podia fazer aquilo, então o fiz.

Aproximei o rosto do seu, colando nossos lábios em um movimento rápido e inesperado. A macies dos seus lábios era ainda mais instigante que a textura de pele de pêssego do seu pescoço. O selinho se prolongou por mais alguns segundos enquanto o crepitar das chamas consumiam os corpos secos ao nosso lado.

Quando me afastei, abri os olhos e olhei em suas írises azuis, notando a surpresa do ato inesperado. A entreguei um meio sorriso e umedeci os lábios, com o seu gosto ainda ali. A forma como a luz do fogo tocava sua face era tentadora. Seus olhos de um selvagem quase louco, me analisando sem entender.

- Você fala demais... – Disse de forma bem articulada, sentindo a língua dançar em minha boca, em um fio de voz. Inclinei a cabeça um pouco para a esquerda. – Aliás, como cortesia por eu ter dito meu nome, você poderia me presentear com o seu, não é?


Thanks Tess

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Melanie Stark em Seg Out 24, 2016 11:31 pm

Stranger Things...
Odiava a forma com a qual ela analisava cada gesto meu, cada aspecto e cada gota de meu cabelo, do meu corpo e... céus, eu já não sabia o que fazer com ela, mas agradecia silenciosamente que já havia acabado nosso trabalho ali, pois mais nada nos prendia a esse lugar, então poderíamos ir embora à qualquer momento. Aliás, por um segundo me perguntei por que é que eu não me mandava logo dali e deixava essa mulher falando sozinha, mas nem precisei pensar muito para ter uma resposta... O dono da loja já havia sumido, só estávamos nós duas ali, então eu só queria ter certeza mesmo de onde ela iria agora que tudo havia acabado.

E sim, posso afirmar para você que é pura curiosidade... só queria mesmo saber para onde ela ia, para assim poder escolher a direção oposta, e não cruzar com aquela arrogante outra vez...

Ela me tratava praticamente como uma criança, sabe? Quando eu ficava incrédula pela forma com a qual ela falava comigo, como simplesmente pedia mais do meu sangue e era indelicada, quando demonstrei ficar furiosa com isso, ela nem se importou, mesmo quando eu tentei ofendê-la com seu próprio apelido/codename, chamando-a de praga pelas entrelinhas. Ela só sorriu para mim de forma irritante, sem se importar com a minha raiva. Inclusive ficou ainda mais sorridente quando me aproximei e tentei intimidá-la, o que só me deixou ainda mais brava... E eu já estava quase surtando quando, de repente, ela me interrompeu em meio à uma frase minha, de uma forma que me deixou... em choque.

O silêncio reinou quando nossos lábios se tocaram, sendo cortado apenas pelo barulho do fogo ali perto de nós, o que deixou um certo clima romântico entre nós duas... Minha reação inicial foi abrir um pouco os olhos, quase arregalando-os, surpresa com aquele selinho que ela me deu de repente, mas depois... algo dentro de mim me fez fechar os olhos e aproveitar o momento, ao menos um pouco... Meu corpo se arrepiou com aquele beijo repentino, e apesar de não gostar de admitir mesmo para mim, naquele momento eu senti o quanto Samantha era saborosa, o quanto ela era macia apesar de, segundo ela mesma, não estar viva, e o quanto me causava... bem, não sei explicar... mas era algo estranho dentro de mim, e era muito diferente de raiva, ou mesmo felicidade... Sinceramente, não sabia explicar, então só deixei acontecer.

Fiquei com minhas mãos praticamente paradas e erguidas na altura dos meus ombros, como se estivesse rendida, mas me recusei à tocá-la... Eu inclusive às mantive assim, para cima, mesmo quando Samantha se afastou, quase como se eu estivesse paralisada. É, eu ainda fiquei em choque por um tempo após o beijo, olhando nos olhos claros dela, enquanto a via umedecer os próprios lábios enquanto abria um meio sorriso para mim... Não sabia o que ela estava fazendo, e nem por que havia feito mas... eu não conseguia parar de olhar para os lábios dela, e enquanto que, assim que voltava à me mexer, tocava em meus próprios lábios, eu mordiscava meu lábio inferior bem de leve, provando o que eu sabia ser o gosto dela. E algo parecia gritar na minha cabeça, dizendo que eu não esqueceria tão rápido aquele sabor, o que me deixava... confusa.

Sério, eu senti em meu peito um misto de felicidade por aquilo ter acontecido, com algumas gotas de raiva e desconfiança, mas nada apontava com certeza o por que aquilo aconteceu, até que ela falou... e me deixou mais confusa- Que? -perguntei, ao ouvir que eu falava demais, sem entender se isso era bem um motivo, e... nem percebi, mas fiquei corada enquanto olhava para a língua dela, entre uma palavra e outra sua- Ah, sim, eu... me chamo Melanie. -disse, após respirar profundamente, para não gaguejar ao falar com ela, ainda sem entender exatamente o que havia acontecido.

Então, é claro, chegou o momento em que eu não consegui resistir mais, e comecei- Mas, espera... Sam... -disse, um pouco sem graça por chamá-la pelo diminutivo de seu verdadeiro nome, mas sentia que já havíamos passado das formalidades mesmo, então que se dane- Por que isso? O que foi... isso? -pergunto, balançando o dedo indicador entre nós duas, e apontando para nós enquanto eu mesma falava. Ainda estava confusa, tanto pelo acontecido quanto... bem, pelo que eu sentia naquele momento- Eu... -não entendi, era o que eu queria continuar dizendo, mas estava tão sem palavras e confusa com aquilo tudo que tive até mdo de me atropelar se continuasse, então me interrompi e fiquei olhando-a, sem querer deixando até transparecer pelos meus olhos a minha confusão...

Estava nervosa por ter ficado dessa forma tão de repente, por isso não sabia se a matava, enquanto que ao mesmo tempo também não sabia se havia sido tão ruim e, sei lá, essa outra parte minha só tentava me tirar dali, antes que eu acabasse fazendo alguma besteira.

E dava para ouvir, do lado de fora, o carro parando, e meu relógio tremendo no meu pulso, o sinal de que minha carona havia chegado, mas eu queria ainda muitas respostas...

tag: Samantha | roupas: aqui

OFF: Menina!!! Me deixou doida aqui!!! o.o


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Samantha Beihofner em Qua Out 26, 2016 1:20 pm

The rain keep falling in the streets
Just like the bodies of the innocents...




Sorri com cada reação vinda da heroína. O seu coração batendo acelerado por conta do excesso de adrenalina; a respiração pesada que fazia o seu peito subir e descer com velocidade; as mordiscadas que ela mesma dava no lábio inferior, se permitindo sentir o gosto que eu deixara ali, talvez até mesmo desejando mais. Podia sentir que suas pupilas dilatavam, graças à quantidade de sangue que se acumulava ali.

Seus braços levantados, como em rendição, me faziam ter ideias do que fazer em seguida, mas não era assim que aquele jogo funcionava. Não mesmo. Vesti a máscara novamente, ao passo que a Exterminadora voltava a se mover.

- Que? – Agora o sangue se acumulava em seu rosto. Eu ainda exibia o sorriso triunfante no rosto. – Ah, sim, eu... me chamo Melanie. – Sorri de leve.

- É um belo nome, Melanie... – Recuei dois passos, pronta para bater em retirada, quando a sua voz chamou a minha atenção.

- Mas, espera... Sam... – Aguardei ali, olhando-a pelas lentes de vidro da máscara de corvo. – Por que isso? O que foi isso?

Seu dedo se movia de mim para ela e vice-versa. Eu sabia que ela estava confusa por não entender o real motivo de eu tê-la beijado... ou a feito calar a boca. Cruzei os braços na frente dos seios, aguardando pela conclusão de seu raciocínio, mas ela não parecia pegar no tranco. O cérebro estava paralisado.

- Eu... – Dei dois passos para trás.

- Foi um beijo... e foi por que eu quis. – Sorri, maliciosa, mas sabia que a Exterminadora não podia ver. – A sua vida é curta demais para ficar se perdendo em detalhes assim.

Dito isto, corri para longe, entrando em um beco. As escadas externas foram rapidamente vencidas e logo estava no terraço. Mantinha em meu radar os seus batimentos para o caso de ela me seguir, assim, eu teria a noção de onde ela estaria para poder me esconder eficazmente.

Lá de cima do terraço, oculta pela escuridão, observava os movimentos de Melanie, até ela entrar em um veículo. Com o pouco de sangue que havia coletado, algumas horas atrás, criei asas rubras em minhas costas e segui de cima o carro. Ele percorria por ruas estreitas, fazendo curvas e mais curvas, enquanto eu, volta e meia, pousava no topo de algum prédio, aguardando semáforos vermelhos se tornarem verdes. O caminho continuou até que o veículo estacionou na frente de uma bela e casa.

- Então... é aí que você mora... – Comentei com um sorriso e, de longe, aguardei que tudo se acalmasse, como uma gárgula que espera pelo momento certo.


Nota: Desculpe pela demora em postar. O forumeiros saiu do ar ontem e eu tive que sair, também. Espero que goste <3

_________________


O mal é um ponto de vista

Codename: Black Plague

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Melanie Stark em Sex Out 28, 2016 1:00 am

Stranger Things...
Eu bem que queria não deixar tão na cara que havia ficado confusa com aquele beijo, mas não dava para esconder, não dessa vez. Meu rosto se avermelhava conforme eu a via sorrir para mim sem esconder mais a satisfação que tinha ao perceber a minha vergonha, mas ao mesmo tempo também morria de raiva em vê-la tão triunfante, após já ter me deixado tão indefesa momentos atrás. Mas, aos poucos, infelizmente a raiva foi perdendo o lugar, e eu fiquei muito curiosa com os possíveis motivos de ela ter feito isso comigo tão de repente, sem nenhum aviso.

Não me permiti falar nada quando a ouvi elogiar meu nome, ainda estava confusa e, devo dizer, um pouco com raiva de tudo que aconteceu, então apenas aceitei seu elogio, sem deixar ela saber que eu havia gostado, um pouco...

Bem, para a minha sorte, ela não parecia querer mais nada comigo, e até se preparava para ir embora, pela forma com a qual colocava sua máscara, então resolvi fazer uma última pergunta, só para matar a minha curiosidade e, sendo sincera, para não ter que ficar pensando naquilo o resto da noite. Afinal, queria mesmo ter coisas melhores para pensar do que um beijo roubado por uma desconhecida, mas... não acredito que isso seja possível hoje... de toda forma, eu perguntei, pois não me aguentei segurar.

Ela recuava ao mesmo tempo que falava comigo, preparando-se para ir embora assim que terminasse, então aguardei ansiosa pela sua resposta, prestando atenção, mas não esperava ouvir o que ouvi dela- Que? -disse, com a sobrancelha arqueada, levemente chocada com aquela coragem toda dela- Mas que... -merda, abusada, desgraçada... qualquer uma dessas servia, mas não consegui terminar de falar pois ela havia se afastado de mim, e estava longe demais para me ouvir.

Nesse momento, até me arrependi de ter amassado aquela arma... realmente, deveria ter guardado as balas que restavam lá para descarregar nessa vampira abusada...

De toda forma, assim que ela se foi, minha carona chegou, e eu não podia estar mais aliviada. Os corpos secos queimavam logo atrás de mim, enquanto eu entrava no carro do meu amigo, que havia estado do outro lado da linha do meu comunicador do relógio. Pois é, eu havia fingido que era um membro da liga que iria vir me ajudar, quando na verdade era um dos mercenários que trabalham para mim, e que estaria trazendo meus equipamentos e outras coisas para me ajudar contra minha adversária... Nada disso precisou ser usado, mas também não me pediu explicações, já que eu sou a sua superior e, enfim, já era muito tarde para conversarmos, então falamos apenas do básico pelo caminho de casa. Sobre como estavam os pagamentos dos últimos trabalhos, como estavam os mafiosos e o que precisaria ser feito ainda hoje... claro que, para a minha sorte, a resposta dessa última pelo menos foi positiva para mim, pois não precisaríamos fazer nada mais, então eu poderia descansar.

Enfim, quando chegamos no meu lar (uma mansão, bem grande, prometo que depois saberá dos detalhes), eu respirei fundo antes de dispensar o mercenário, guardando eu mesma o carro com meus equipamentos de guerra contra o crime. Então, antes de ir me arrumar para dormir, ativei todos os sistemas de seguranças que tenho contra humanos, meta-humanos e aliens, mas ainda fiquei pensando... no por que de ter despertado aquela vontade em Samantha... e também pensei se eu deveria ou não adicionar um sistema de segurança contra vampiros em casa...

Na verdade, isso não importa agora... estava sozinha, de banho recém tomado e de camisola leve, pronta para só relaxar e dormir... não é hora de me preocupar com coisas inúteis...

tag: Samantha | roupas: aqui (considere que está fechado)

OFF: Olha só, troquei o link das roupas dela... olha só como ela está agora :x


<3
avatar
HERÓIS
59

Arredores de New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Zatanna em Sex Out 28, 2016 2:49 am

RP FINALIZADA.
_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Hunt and Hunter

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum