DZAGOYEV, Neryssá Adamecc

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

DZAGOYEV, Neryssá Adamecc

Mensagem por Adam Warlock em Sab Nov 19, 2016 12:20 am

A criança que você foi teria orgulho da pessoa que  é hoje?
Originada da transformação, Neryssá Dayenka Adamecc Dzagoyev foi a nomenclatura dada por aqueles que a conceberam, porém, aos olhos da sociedade corrupta é conhecida como Yakande. Natural de Rússia. Tende a ser confundida com Joana Gröblinghoff. A seleção natural mostrou-a ser dessemelhante em vista aos terceiros, uma Meta-Humana. O registro da sua data de nascimento é anotada como em CINCO DE AGOSTO DE MIL NOVECENTOS E NOVENTE E SETE, ou seja, tem as solas dos pés tocadas ao solo da Terra há DEZENOVE ANOS. O seu conceito moral de bem e mal a caracterizou como um NEUTRAL GOOD, o que permitiu se transformar em uma Teen Titan.

Como descendente da evolução, a sua habilidade primária é a capacidade de FISIOCINESE, usando para a bel-prazer, afim de saciar a própria satisfação; entretanto, também é dona da CURA.

Invejada por sua especialização de ENERGÉTICA. CINCO é a medida exata aplicada na Força do ser em questão; o exímio intelecto é algo reparável pela pontuação de OITO em Inteligência; segurA de si como uma parede, a escala até então de resistência é SETE; tão inalcançável como o vento, imperceptível como a sombra, a velocidade vitoriosa atinge atualmente em NOVE; a vitalidade é definida pelo vigor, e está nivelado em QUATORZE; carisma é sinônimo de cativar as pessoas, ou subjugá-las com a lábia, e chega a SETE.

"Ela é uma pessoa que me deixou intrigado. Lendo o seu histórico, pude noter que os seus feitos são admiráveis, mas quero saber mais."

"Não podemos julgar as pessoas antes de conhece-las”. Pensei enquanto colocava uma garrafa de leite dentro da minha cesta. E de fato eu não podia. Contudo, após observar a movimentação estranha de um homem que havia entrado na mercearia há poucos minutos. O rapaz andou pelos corredores do recinto com as mãos no bolso e cabeça coberta por um capuz, não era preciso ser nenhum gênio para notar que ele analisava as pessoas que ali estavam. O homem encapuzado girou os tornozelos dando meia volta e parou na entrada da mercearia retirando um revolver da cintura e dando um tiro para o alto anunciando o assalto.

“Tá aí seu julgamento, Nery”. Contestei enquanto me ajoelhava ponderando por alguns instantes. Eu tinha uma opção: Fazer o que eu entendo que é certo e acabar mudando o rumo das coisas podendo ou não ter sucesso. Mas o que é realmente certo? Eu tenho um modelo de vida sobre isso; onde o errado é algo que vá interferir na vida de outra pessoa de uma maneira negativa enquanto o certo é tudo aquilo que vem para benefício alheio ou até mesmo próprio, sem atrapalhar ou fazer mal a ninguém.

Engatinhei até a esquina do corredor olhando de soslaio para o que acontecia no caixa. O homem apontava a arma na direção do senhor de terceira idade que colocava relutantemente o dinheiro em uma sacola parda. Olhei em volta procurando qualquer coisa que eu pudesse usar para dar um jeito naquela situação, sendo desarmar o ladrão como meu primeiro objetivo. Avistei uma samambaia pendurada na parede não muito longe do caixa, fechei meus olhos concentrando meu poder na planta e assim que estabeleci contato, transfigurei suas células para que ela se transformasse em uma trepadeira. Abri meus olhos e estiquei a mão na direção do homem, a planta transmutada desceu pela parede de maneira imperceptível continuando seu caminho pelo chão até chegar aos pés do ladrão e com uma elevação rápida das mãos acima da cabeça ordenei que a trepadeira se alastrasse pelo ar  - sendo sustentada por meus poderes - até a arma, e assim ela o fez. Suas raízes se envolveram no cano do revólver puxando-o com força e jogando a arma para o outro lado do recinto. O homem encarou o feito assustado, sua primeira reação foi abandonar o lugar, entretanto, antes mesmo que ele pudesse realizar a fuga as raízes envolveram todo seu corpo e o apertou como uma jiboia. O homem debateu-se já no chão enquanto murmurava palavrões que eu nunca ousaria repetir.

— Escolheu o lugar errado para assaltar, amoreco. — Afirmei me aproximando dele dando uma piscadela em sua direção. — Está tudo bem agora. O senhor deveria chamar a polícia, tenho certeza que eles vão dar um jeito nisso. — Sugeri com um sorriso estampado no rosto, eu estava visivelmente satisfeita.

Com o passar do tempo percebi que nenhuma dessas definições serviam para alguma coisa.  No fim das contas o que é certo para mim pode não ser pra você, mas isso não quer dizer que eu não farei seja lá o que for só porque isso não te agrada. A questão é: você está pronto para lidar com as consequências daquilo que você julgou ser o certo a fazer? Eu estou, afinal, se não fosse por isso nunca teria me tornado uma titã.


avatar
ENTIDADES
2016

Vácuo do espaço-tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum