[RP FECHADA] know your rights

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP FECHADA] know your rights

Mensagem por Joy Vølker Hovanesian em Qua Nov 30, 2016 2:54 pm

know your rights
a roleplay é iniciada pelo post de Mephis Erght, seguindo por Mors Erght. estando então, fechada para os demais. passando-se esta em VINTE E CINCO DE NOVEMBRO DE DOIS MIL E DEZESSEIS. o conteúdo é livre. atualmente as postagens estão em fase de andamento.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] know your rights

Mensagem por Joy Vølker Hovanesian em Qua Nov 30, 2016 3:30 pm

Gotham City, seu último destino. O príncipe atlante jaz distante de seu lar há meses por via de um desejo que deveras ser suprido por sua condição, ou melhor dizendo, sua obrigação. Atlântida já possui seu rei, que falta faria um príncipe que nunca visitara o solo inferior ao seus domínios? Os mares e oceanos fora tudo o que conheceu, e mesmo com a pouca idade que possui, esta fora suficiente para conhecer os domínios da família real a qual pertence em sangue. A superfície, porém, era o mistério que custara a desvendar. Não se surpreendera com os humanos, que insistentemente requeriam explorar seu reino devido os recursos naturais pertencentes a este. Contudo, era seu dever defender tamanha desordem que prejudica diretamente o povo comandando por seu irmão. Esquecera-se facilmente dos rostos  que cercavam-no nas primeiras semanas, fascinado com uma cultura demasiadamente contraditória a sua. Os humanos, falhos como são, tornaram-se encantadores sob suas íris castanhas que os vislumbram superficialmente o incompreendido. Tivera suas desavenças devido a violência outrora inexistente graças ao seu status, há atlantes que protegem seu lar e ainda mais a figura que representa logo atrás do mais velho. É servente do rei como os demais, mesmo que possua o mesmo sangue, cobrando ainda mais sua compostura. E graças a tamanha obrigação que devera anunciar sua ausência a Vossa Alteza, limitando sua estadia a um aprendizado necessário para sua governança. Despediu-se em sua intimidade, dando-lhe um breve adeus a tudo que conhecia sem que olhasse para trás.

As passadas são demoradas dentre os visitantes noturnos ao comércio e principalmente ao entretenimento barato oferecido no subúrbio da pacata cidade dominada pelo crime. Os atos do príncipe são premeditados, visto que prefere manter sua presença no anonimato a estender o prazo que voltaria a mirar os olhos prepotentes e críticos de seu irmão. Pois sabia que um mínimo gesto alheio o faria retornar para seu lar, de onde não deveria ter saído. Acostumou-se ao fato de ser vigiado e principalmente a ser protegido, mesmo que pudesse fazer o mesmo a terceiros que clamam por ajuda. Além de príncipe, é um guerreiro. Tomou como dever defender os fracos que são oprimidos por forças malignas, estas se tornando suas inimigas, pois tudo que busca é a paz entre a superfície e seu reino. Acredita que ambos podem viver em harmonia, mesmo com as diferenças esmagadoras em ambas culturas. Contudo, vê-se prepotente quando tamanha paz for conquistada. Para que serviria as coroas sobre suas cabeças na paz prevalecida? Sempre haveria com quem lutar, sempre haveria inimigos a serem eliminados e ele estaria lá. Mas não antes de conhecê-los.

Virou a próxima esquina, deparando-se com uma rua sem saída. Mas não fora este fato que tomou sua atenção. Esta encontrava-se vazia, a não ser por movimentos distintos de pragas que tomavam a superfície de concreto e as paredes gastas. E claramente a silhueta que reconheceria de qualquer lugar. Havia poder ali, e acima de tudo grandeza. Aproximou-se com certa relutância, com sua expressão endurecendo a cada passo executado. Mas já? Questionava-se, desapontado consigo mesmo. — Eu ainda estou no prazo.  — Pronunciou-se, sem dar espaço para que o outro fizesse. O breu não dificultou sua visão para que mirasse o rosto incólume do rei de Atlântida, e tampouco sentiu-se incomodado com a falta de modos em suas palavras. Distante da monarquia, eram irmãos, sangue de seu sangue. Sua cabeça não seria cortada a referir-se a Vossa Alteza como preferia.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum