MODZELEWSKI, Penelope

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

MODZELEWSKI, Penelope

Mensagem por Penelope Modzelewski em Sab Mar 18, 2017 9:33 pm

reencarnada




Escreva os dados


i. A NOMENCLATURA: Penelope "Poppet" Modzelewski;
ii. COMO É CONHECIDO: Feiticeira Escarlate;
iii. TIPAGEM SANGUÍNEA: Reencarnado;
iv. QUANTAS ESTAÇÕES VIVEU: Vinte e dois anos;
v. PRIMEIRO RESPIRO: 13 de novembro de 1995;
vi. DESCENDENTE DE QUE POVO: Americanos e gregos;
vii. COMPORTAMENTO: Neutralidade bélica;
viii. COMUNIDADE: Antiheróis.

Informe os atributos


i. PONTOS DE ATRIBUTO: 21-30 (60 PA);
ii. ESPECIALIZAÇÃO: Carismático (+5 em carisma);
iii. ATRIBUTOS:



FORÇA: 06INTELIGÊNCIA: 14
RESISTÊNCIA: 07AGILIDADE: 09
VIGOR: 10CARISMA: 14 (+5)



Diga as perícias


i. PERÍCIAS:

i. Resistência à tortura, nível calouro.


Cite os poderes


i. SUPER-PODERES:

I Manipulação de energia caótica - Magia do caos → Esse poder torna possível a manipulação da realidade em conjunto com a magia do caos concedida à mutante, causando efeitos e fenômenos estranhos.

Uma delas é a manipulação de probabilidade, que torna possível com que ela consiga alterar a sorte ou azar de um determinado alvo ou vários alvos, e mexer com as chances de que eventos incomuns procedam em prol do que ela quer que aconteça; coisas tais como a desestabilização de eventualidades, alteração os campos de energia e matéria, como resultado disso seus poderes acabam induzindo o caos. Tais poderes podem fazer com que os oponentes voltem ataques para eles próprios, e mesmo ataques diretos sejam desviados a partir da magia da Feiticeira Escarlate (isso se aplica tanto a ataques físicos quanto ataques mágicos).

Com seus poderes, Feiticeira Escarlate inicialmente poderia usá-los para causar fenômenos como a explosão e combustão de objetos e matéria, assim como cura e desintegração rápida de matéria, bem como também possui a dominação do controle de energia e inércia, podendo assim manipular de forma que pode transferir, interromper, amplificar a energia e a inércia. Seus domínios perante o controle de energia consiste principalmente no controle de energia caótica, dando-a a capacidade de transformá-la em uma arma, transformando a mesma em rajadas, orbes, raios, massas, ondas e mesmo explosões de energia que possuem grande capacidade de devastação. Também é capaz de transformar a energia caótica em um elemento físico, transmutando-a em telas ou campos de força. Seus campos de força, além de barrar projéteis físicos também podem protegê-la de ataques psíquicos. Sua capacidade de manipulação de energia caótica consegue dar a ela a capacidade de levitar e impulsioná-la para cima, dando-a a possibilidade de flutuar e levitar o próprio corpo, ademais de carregar objetos.

Essa capacidade de alterar as probabilidades, dependendo das escalas em que os poderes da mutante atue, dos alvos que afete e de que maneira possa agir, podem fazer com que o futuro se altere de diversas maneiras.

II Telecinese → Com a magia do caos como uma de suas capacidades, a mutante tem a capacidade de levitar e movimentar os objetos com a mente. Tendo isso em vista, seus poderes mágicos dão a ela esse poder. Tudo isso porque com a magia do caos a torna capaz de transformar energia caótica em um elemento físico de ataque; portanto ela também pode utilizar do mesmo para carregar objetos com sua magia. Sua capacidade de telecinese lhe acrescenta a aptidão de controlar moléculas, manipulando vetores, momento de inércia, pressão, estado da matéria, fricção e energia cinética.

III Telepatia → Feiticeira Escarlate pode ler mentes e explorar memórias alheias através de sua interface neuro-elétrica que lhe acrescenta a capacidade de telepatia. Isso inclui sua capacidade de mesclar sua consciência com a de outras pessoas. Pode assistir eventos a partir da leitura de pensamentos de outras pessoas, podendo ver através dos olhos das pessoas de quem está lendo os pensamentos.

IV Manipulação mental → Uma combinação perigosa se combinada com a sua telepatia, que assim como tal, funciona através de sua interface neuro-elétrica. É capaz de fazer com que as pessoas revivam momentos passados de sua vida e também pode dar a ela o controle perante as mentes das pessoas; que sob influência da magia da mutante, atuam como se fossem sonâmbulos e agem de acordo com a vontade da mesma. Seus poderes são o suficiente para até mesmo vetar os efeitos de hipnose induzidos pela Pedra da Mente. Ela pode manipular memórias, induzir o sono ou a dor, e criar ilusões (não tão boas quanto as dos mutantes que possuem essa capacidade, mas ainda sim fortes o suficiente para abalar a mente alheia). O que tudo indica também, a mutante não é capaz de adentrar a memória ou ilusão junto com a pessoa a mercê de seu poder e participar da mesma, apenas trazê-las à cabeça e manipulá-las de fora.

RESTRIÇÕES → A garota teve a manifestação de seus poderes pela primeira vez aos cinco anos, contudo foi apenas uma única vez em que suas emoções chegaram ao extremo. Penelope possuía apenas uma leve manifestação de seus poderes no início da puberdade, onde ela fazia pequenos objetos levitarem, lia a mente das pessoas involuntariamente e induzia o azar alheio sem querer. Contudo os acontecimentos ocorridos no fim de sua adolescência fizeram seus poderes despertarem por completo e fora de tempo quando submetida à tortura física e psicológica; isso porque até seus 18 anos de idade, a mutante reprimiu os poderes o invés de aprimorá-los, e uma vez que desenvolvendo-se com ela mesmo sem nenhuma tentativa de usá-los; ela se viu em uma situação em que eles foram necessários e depois disso ela nunca mais pôde reprimi-los outra vez. Por estar apenas aprimorando-os há poucos anos, ela tem controle muito básico sobre suas capacidades; apenas o suficiente para não se expôr, fazer coisas em média escala e conter a sua telepatia.

Todos os seus poderes são associados à sua Magia do Caos/Manipulação de Energia Caótica, e tais estão diretamente conectados à suas emoções e condições psicológicas, portanto quando está irritada, estressada, nervosa ou muito abalada seus poderes se manifestam sem que ela possa controlar. Ela levita e explode coisas que estão no entorno sem querer, e dependendo da intensidade de seus sentimentos, a atmosfera do entorno pode se tornar perigoso, pois Poppet não conhece o limite de seus poderes e nem como controlá-los em casos extremos.


Conte o histórico


Rússia; 15 de março de 1996. { O casal olha para a filha de poucos meses de idade na enorme casa de inverno em Moscou, acomodados com um berço móvel perto da lareira da sala de estar guarnecendo a menina de cabelos muito louros e envolta de cobertas tricotadas pela a avó da menina. A neve cai tranquila do lado de fora da casa, e a pequena família está protegida do frio que forma pingentes de gelo nas árvores típicas do clima da cidade. A mulher sorri para a menina e o pai olha satisfeito para as duas mulheres de sua vida, com as mãos dentro do hobby escarlate e encarando o exterior de seu novo lar. Haviam esperado o nascimento da mais nova criança da família Weinschel antes de se mudarem diretamente para Moscou, onde o patriarca da família havia conseguido uma oportunidade indispensável para crescer na vida. Não poderia estar mais feliz com a sua vida naquele momento. Sua esposa beija a testa de sua pequena no mesmo momento em que ele estica o dedo indicador e sente sua filha apertá-lo com firmeza, como se estivesse pedindo veemente para que ele ficasse com elas. — Não se preocupe, Karma. Nunca deixaremos você. — George murmura para a menina, enquanto Hope sorri para o homem. Nunca vira o marido tão terno com nenhuma outra pessoa que não fosse a sua filha.

Rússia; 21 de agosto de 2001. { A menina de cinco anos está brincando no jardim outonal de sua casa, arranjando diversão em coisas simplórias como perseguir um esquilo por mais de quarenta minutos até se deparar com uma pilha de folhas alaranjadas no fundo de sua casa. Sem resistir a tentação, a menina corre até a grande cama de folhagem e se joga em cima da mesma sem nenhum cuidado. Um riso escapa de seus lábios. Nunca havia feito algo tão descuidado e isso lhe despertou uma certa vontade por mais, uma felicidade por descobrir algo novo que nunca havia sentido. Podia parecer pouco para qualquer pessoa ou mesmo qualquer criança, mas a emoção tomou conta de Karma, que em função disso sentiu uma energia pulsar e fazer com que todas as folhas soltas flutuassem acima de sua cabeça com a matéria viva e escarlate que parecia ser algo novo para ela, apesar de parecer cômodo por ser parte dela. Quando ela escuta sua mãe chamar pelo seu nome do interior da casa, as folhas finalmente caem. Karma, cheia de pequenos ramos e folhas nos cabelos, adentra o lar pela porta dos fundos.

Rússia; 03 de outubro de 2003. { Parecia ontem que Karma estava rondando a sua mãe com seu barrigão enorme e colocando as mãos em concha fronte ao ventre alheio para se comunicar com sua irmãzinha como se fosse um megafone capaz de fazer com que suas mensagens chegassem ao bebê que estava no útero de Hope. Mensagens que ansiavam pelo nascimento de sua caçula. Enquanto os pais não se fazem presente no quarto da bebe, Karma entra de fininho no cômodo e flagra sua irmã acordada. A pequena Rose sorri para a irmã mais velha, e isso a motiva a fazer uma graça para sua irmã. Por poucos minutos, ela faz com que os pequenos origamis de passarinhos flutuem acima da cabeça da bebê com certo esforço por não ter total controle de seu estranho dom. A energia rubra pulsa no ar e Rose solta seu primeiro riso consideravelmente longo, o que tira a concentração de Karma e faz com que os origamis de pássaros caiam dentro do berço. Um fio de suor escorre da nuca de Karma, mas o esforço mental para fazer com que a caçula desse aquele riso valera a pena. Ela não conseguia fazer isso desde a primeira vez que a capacidade se manifestou, mas ainda jovem demais para se preocupar com o fato de suas fantasias estarem se concretizando, ela deixa o fato de lado e observa Rose cair novamente no sono profundo.

Rússia; 31 de julho de 2008. { A jovem de doze anos não conseguiu permanecer na mesa com a sua família durante o jantar, deixando o pai preocupado e uma mãe intrigada enquanto alimentava a pequena Rose. Ela se trancou em seu próprio quarto e sua cabeça parece estar à ponto de explodir, escutando cada mísero sussurro que ela não faz ideia de onde vem. Como se não pudesse ficar pior, imagens estranhas se repetem em sua memória por horas, como fragmentos de lembranças que não exatamente não eram dela. Karma pode jurar que um dia sussurrara frases que sabia nunca ter proferido ou muito menos saber sobre. “Sem mais mutantes.”

Rússia; 6 de maio de 2012. { Karma e Rose estão escondidas no armário de casa enquanto elas escutam os passos incontidos do homem que invadira seu lar com uma pistola carregada e muita munição de sobra para descarregar projéteis em um batalhão inteiro; tudo isso para aterrorizar uma família em busca de informações que o patriarca não poderia dar justamente por não saber do que se tratava. Apesar da vida de sua esposa e filhas estarem em suas mãos, George estava de mãos atadas. Alegando que não havia mais ninguém na casa a não ser ele e a esposa, as meninas estão protegidas até que o bandido foragido grita blasfêmias em russo e descarrega as balas em vários cristais, fazendo um barulho estrondoso e despertando o verdadeiro pânico de Rose, que grita por socorro, denunciando o fato do casal não estar sozinho. Karma tampa a boca de sua irmã menor com uma das mãos e escuta o homem. “Quem está lá em cima?” O som de botas pesadas subindo a escada faz com que Karma tome a decisão de se entregar para que Rose permaneça protegida. Ela sussurra no ouvido de sua irmã com urgência. — Por favor, por favor... Aconteça o que acontecer, por favor, fique em silêncio para que possamos proteger você. Não importa o que você escute. — Implorando essas palavras para a pessoa que mais amava no mundo, Karma dá um beijo na testa de sua irmã e sai do esconderijo, ficando a mercê do bandido.

Submetida à interrogatório assim como seus dois pais, o bandido russo não obtivera nenhum sucesso. Sendo assim, o homem não teve nenhuma outra decisão que não fosse torturar a garota na frente de seus dois pais para conseguir a informação que nenhum membro daquela família possuía. Utilizando a mesa de jantar como mobiliário cirúrgico, o homem amarrou a filha mais velha dos Weinschel no tampo de madeira do móvel e a cada pergunta não respondida, ela ganhava um novo corte profundo em seu corpo. Trincando os dentes para conter os próprios gritos para que sua irmã não os escutasse, Karma nunca precisou reunir tanta força de vontade em seus dezoito anos de vida. Chorou copiosamente à todo momento, desejando a própria morte a cada corte feito pelo homem. A mãe tinha os gritos contidos pela mordaça enquanto o pai implorava para que o outro deixasse sua filha em paz. Enquanto seu corpo parece ser banhado pelo sangue que saía gradativamente de seu corpo através dos cortes não letais, Karma se culpa por ter passado tantos anos de sua vida reprimindo seus poderes. A dor da culpa só não era pior que a dor de seus cortes que ficavam cada vez dolorosos. Quanto tempo mais demoraria para que o homem começasse a perder a paciência e começasse a transformar aquelas cicatrizes na causa de sua morte?

Quando o homem perdeu a paciência, trocou os métodos por meios mais diretos. Apontando a arma na cabeça da matriarca, exigindo pela informação e começando uma contagem que pareceu eterna. Todo o poder que estava concentrado e reprimido dentro de Karma veio à tona quando fitou os olhos claros da mãe através de suas lágrimas. No mesmo instante em que George clamou em plenos pulmões por misericórdia e toda a casa foi tomada pelo som seco do tiro da arma, Karma gritou. Uma luz escarlate e viva preencheu todo o interior da casa. Todos os vidros de janelas, lustres e outros itens se estilhaçaram e se espalharam como projéteis enormes, afiados e letais. O bandido e seu pai tinham os corpos atravessados por grandes fragmentos de vidro e levou-os à morte instantânea. O corpo frágil de Karma fora poupado por algum motivo e as cordas que as prendiam estavam frágeis em função do ocorrido. Aos prantos sufocados, ela vai atrás de Rose até o esconderijo, mas para no meio do caminho quando vê o corpo de sua irmã caçula jogado no meio da escada. Um único e solitário fragmento de vidro está no meio de seu peito e sangra sem parar. Karma sabe que quando a poça de sangue chega a um determinado tamanho, não existe mais salvação. Ela toma o corpo de Rose nos braços e sussurra seu adeus para a menor, que deixa de respirar segundos depois de se despedir de Karma.

Rússia; 16 de junho de 2012. { Quarenta dias depois da invasão, boatos correm em toda Moscou e a única sobrevivente do ataque recebera alta depois que seus ferimentos foram cicatrizados. Sem exatamente saber onde ir, ela retorna à sua casa e vê o local isolado por fitas que indicavam que o patrimônio estava sob custódia da polícia. Mesmo assim ela entra. E o alarme é dado para os que estão em busca da garota estranha que todas as pessoas da redondeza estão chamando por Feiticeira Escarlate. Os homens adentram o local e levam Karma para longe do que um dia fora o seu lar, diretamente para o manicômio de onde ela não sairia nos últimos três anos. Tirando-a de Moscou, levam a paciente para um hospital psiquiátrico na América, mas jamais a afastando da culpa.

Nova Iorque; início de 2016. { Karma já não atendia mais por esse nome. Na América, adotara um novo nome que foi dado por seu misterioso tutor e salvador que a tirou do hospital psiquiátrico onde era cobaia de médicos ruins. No crachá da estagiária de medicina do hospital local consta o nome Penelope Modzelewski, muito embora a médica que também era sua chefe chamasse-a carinhosamente por Poppet. Os cabelos castanho claros da menina se foram e deram espaço para as longas e louras madeixas cacheadas da estudante de medicina. Tais cachos platinados saltam em suas costas quando ela caminha pelo corredor até chegar ao quarto do paciente em coma que a Dra. Lethermann a encarregara de cuidar naquela tarde. Não era a primeira vez que cuida do mesmo rapaz de cabelos castanhos e pele pálida. Estava ali há anos, e sua família constantemente estava presente. Exceto pelo irmão do paciente, que estivera sumido pelos últimos tempos e que tinha exatamente as mesmas feições do paciente. Enquanto Poppet está alterando a dosagem de soro aplicada ao braço do jovem, ela percebe uma mudança. A respiração por aparelhos que antes estava constante agora parece entrecortada. Seus olhos escuros se prendem as feições do rapaz por um segundo antes que as pálpebras alheias comecem a tremer. — Eu não posso acreditar... — Ela sussurra e aguarda por mais alguns segundos.

Ele estava acordando...


Outras Coisas


FONTE 1. http://marvel.wikia.com/wiki/Wanda_Maximoff_(Earth-616)
FONTE 2. http://marvelcinematicuniverse.wikia.com/wiki/Scarlet_Witch


avatar
ANTI-HERÓIS
21

Desconhecida

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum