Dawkins, Nicholas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Dawkins, Nicholas

Mensagem por Nicholas Dawkins em Dom Mar 19, 2017 6:45 pm

original




Escreva os dados


i. A NOMENCLATURA: Nicholas "Nick" Dawkins;
ii. COMO É CONHECIDO: Silverfang;
iii. TIPAGEM SANGUÍNEA: Mutante;
iv. QUANTAS ESTAÇÕES VIVEU: 21 anos;
v. PRIMEIRO RESPIRO: 18/10/1995;
vi. DESCENDENTE DE QUE POVO: Estados Unidos;
vii. COMPORTAMENTO: Benevolência Neutra;
viii. COMUNIDADE: Herói.

Informe os atributos


i. PONTOS DE ATRIBUTO: 60 pontos;
ii. ESPECIALIZAÇÃO: Ágil (+5 Agilidade);
iii. ATRIBUTOS:



FORÇA: 13INTELIGÊNCIA: 10
RESISTÊNCIA: 12AGILIDADE: 13
VIGOR: 11CARISMA: 11



Diga as perícias


i. PERÍCIAS:
i. Furtividade, nível experiente;
ii. Intimidação, nível calouro;


Cite os poderes


i. SUPER-PODERES:

Canídeo: Trata-se da habilidade em transmutar o próprio corpo a um animal canino como cães.

i. ADQUIRE: SENTIDOS AGUÇADOS, PRESAS DESENVOLVIDAS, SUPER-AGILIDADE, VELOCIDADE SOBRE-HUMANA, FORÇA SOBRE-HUMANA, RESISTÊNCIA SOBRE-HUMANA;
ii. Tem duas formas:
- A intermediária, a qual refere-se a um estágio entre o humano e o canino. Um tipo de canino bípede, com características humanizadas, pelagem desenvolvida;
- A completa, esta o canídeo torna-se um canino de enorme porte, maior do que um canino já visto, com certa de 2,5m de comprimento.

Sub-poder: Percepção

Percepção é a habilidade precognitiva de interver ataques através de visões instantâneas do presente. Consegue manipular os movimentos para desviar de ataques que já preveu anteriormente, tal como perceber se está sendo seguido, ou se alguém está mentindo, por exemplo.


Conte o histórico


Estava tudo escuro exceto pelo ponto luminoso no céu. Era a lua em sua plenitude, cheia, magnífica, com sua luz serena sendo emanada como nunca antes mas, ainda assim, Estava tudo escuro. Não havia chão, não havia paredes ou qualquer lugar para se apoiar, o que fez Nicholas imaginar onde estaria pisando.

Olhou para as próprias botas, movimentando os dedos dentro delas em pura distração. Imaginava que não estava mais em sua realidade e aquele era um dos sonhos febris que ocasionalmente lhe visitavam, por isso não deu tanta importância, olhando em volta e caminhando alguns passos para frente, pisando em um vazio negro que mesmo assim faziam seus passos ecoarem. Continuou seu rumo até sentir seus pés molhados. Arqueou uma sobrancelha com a sensação e atentou-se novamente às botas, dessa vez estava descalço e pisava em água.

As ondulações criadas pelas passadas no líquido eram visíveis à luz da lua, que era refletida nesta com uma cor mais avermelhada. E nesse momento o líquido passou a ficar mais denso e o cheiro forte de sague preencheu as narinas do jovem, que torceu o nariz e usou as mangas longas da camisa que usava para cobrir as entradas de suas vias nasais. O olhar varreu o ambiente novamente até encontrar um corpo no chão, com o pescoço dilacerado de onde vinha o sangue esparramado no chão.

Nick sabia quem era ali, mas mesmo assim se aproximou. Torturar-se era um dos passatempos favoritos do garoto desde sua descoberta. O rapaz morto ainda soluçava tentando encher os pulmões vazios com qualquer molécula de oxigênio, mas conseguia apenas enchê-los de sangue. O cigano sentiu o sabor, então desviou o olhar para aquela cena e amaldiçoou-se, cutucando o corpo da vítima com o pé que novamente estava com botas. No exato momento que fez isso, os ouvidos detectaram sons de passos leves vindo à sua frente, então o rapaz ergueu os olhos e encontrou-se de frente com uma criatura negra com características mescladas a um lobo e um humano. Andava bípede, mas com patas, com polegares opositores nas mãos e braços e um peitoral mais semelhantes ao formato humanoide, apesar dos longes e espessos pelos escuros como a noite. Uma cauda balançava de um lado para o outro com impaciência enquanto os olhos amarelos da besta não se desviavam dos de Nicholas.

- Você o matou. – Acusou a fera.

- Você o matou! – Replicou o jovem demonstrado impaciência. A besta e o humano estavam de frente um para o outro como em um espelho, entre eles, o corpo do moribundo. – Eu não mato pessoas, eu não sou o demônio feral que você é.

- Você é um herói! – Zombou o lobisomem. – O salvador da humanidade que combate os malfeitores na calada da noite. Você uiva para intimidá-los e os prende, entrega-os para as autoridades vestindo essa ridícula fantasia de lobisomem para se redimir da noite em que matou seu melhor amigo.

- Eu não o matei, você o matou. – Disse erguendo o punho e percebendo que usava seu traje de lobo, que deixava suas garras para fora. O tecido leve compensava os revestimentos à prova de bala que usava. Sentiu o peso da máscara sobre o rosto e viu-se em seu traje que usava para combater o crime – Não sei que espécie de demônio você é, que mata por diversão, que sente a necessidade de ver o desespero nos olhos das vítimas enquanto ainda as devora vivas, mas eu não sou você! Você pode estar em minha mente e ainda aparecer em meus sonhos, mas eu não sou você! Quer passar a ilusão de que você é o meu lado maligno oculto, mas você não é!

- E o que eu sou?

- Você não é nada!

E quando terminou de falar, Nicholas saltou sobre a besta cerrando os dentes e com a mão direita se erguendo acima da cabeça para uma descida violenta com as garras projetadas para fora em direção ao peito do lobisomem, que se defendeu saltando para trás e contra-atacou rapidamente com uma mordida direcionada ao antebraço do rapaz, que por sua vez também se esquivou recolhendo o braço e desferindo um soco na lateral da cabeça do lobo.

A criatura saltou sobre o garoto, dessa vez fincando as garras em seu traje e levando-o ao chão, mas não sem antes sentir as próprias unhas de Nick afundando contra sua pele nas laterais do corpo. As garras de ambos tentavam rasgar aquilo que agarravam, mas nenhum cedia. A fera afastou a cabeça tomando impulso para uma mordida contra o rosto de Nick, que previu o ato e jogou a cabeça para a esquerda, se safando por pouco, em seguida desferiu uma cabeçada contra o focinho do lobo, que novamente tentou morder o cigano, mas acabou por arrancar sua máscara.

Em um impulso instintivo, Nick soltou as garras e colocou-as à frente do rosto, viradas para o lobo que em mais uma investida teve a mandíbula e o maxilar presos pelas mãos do humano, que começo a espaçá-los e cravar as unhas contra sua epiderme, o que fez o monstro rugir e usar também as patas para fazer o mesmo com ele. Enquanto um dilacerava o rosto do outro, o chão parecia esfarelar-se e em questão de segundos, Nicholas caía enquanto a criatura arranhava as trevas, tentado alcançá-lo.

Aquela alucinação sem fim levou o rapaz até outro piso negro, dessa vez estava deitado, sentia o rosto sangrar e arder pelas garras da criatura, provavelmente faltavam alguns pedaços, talvez morreria, não sabia dizer. Ouviu passos novamente, dessa vez, era o jovem com a garganta dilacerada que se aproximava, com o olhar vazio.

- Não sei dizer como ele se eleva sobre os ventos através das nuvens e voa pelo céu. – Disse ele olhando para a lua. Ou seria para o lobisomem? - Hoje eu vi o Dragão.

Aquelas palavras soaram como um impacto, lançando Nicholas novamente pela escuridão como se estivesse em queda livre, fechou os olhos sentindo a falsa brisa contra o rosto, mas quando abriu, viu-se com a boca no pescoço de um humano, arrancando-lhe a traqueia violentamente. Assustou-se com o que fazia e se afastou, nesse momento ergueu os olhos e viu-se encarando a si mesmo com o traje que usava para combater o crime. Observou as próprias mãos, agora ele era o lobo.

- Você não é nada. – Disse o humano avançando contra Nicholas com a mão direita elevada acima da cabeça com as garras projetadas para fora, dessa vez o golpe lhe atingiu o peito.
______________________________________________________________________

Sentiu o peito doer quando abriu os olhos e estava deitado em sua cama. A luz da manhã invadia o quarto pelas cortinas, ofuscando a sua visão, então levou as duas mãos até os olhos e suspirou pesadamente, sentando-se nu sobre a cama.

- Dia. – Disse em um tom sonolento, com os olhos pesados vasculhando o ambiente, até que pararam sobre um cão branco que dormia ao pé da cama. Naquele momento o anima ergueu a cabeça e abanou a cauda, abrindo a boca e fazendo a língua pender pelo canto esquerdo. Faltava um olho no animal - Bom dia, Romanita.

Outras Coisas


i. Baseado levemente no Daredevil;
ii. Usa traje de traje de herói (sem a lâmina e o capacete) e uma máscara.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum