TALLARITA, Marcel

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TALLARITA, Marcel

Mensagem por Marcel Alessio Tallarita em Seg Mar 20, 2017 10:22 pm

reencarnado




Escreva os dados


i. A NOMENCLATURA: Marcel Alessio Tallarita
ii. COMO É CONHECIDO: Harpia
iii. TIPAGEM SANGUÍNEA: Reencarnado
iv. QUANTAS ESTAÇÕES VIVEU: Vinte e dois anos
v. PRIMEIRO RESPIRO: Vinte e sete de maio de mil novecentos e noventa e quatro
vi. DESCENDENTE DE QUE POVO: Ítalo-americano
vii. COMPORTAMENTO: Benevolência Neutra
viii. COMUNIDADE: Herói

Informe os atributos


i. PONTOS DE ATRIBUTO: 21-30 (60 pontos)
ii. ESPECIALIZAÇÃO: Atacante (+5 de força)
iii. ATRIBUTOS:



FORÇA: 11 (+5)INTELIGÊNCIA: 10
RESISTÊNCIA: 10AGILIDADE: 10
VIGOR: 12CARISMA: 07



Diga as perícias


i. PERÍCIAS:

i. Furtividade, nível calouro;


Cite os poderes


i. SUPER-PODERES:

Melhoria genética: Harpia possui uma genética superior à de humanos comuns, o que lhe concede habilidades especiais, podendo por exemplo dobrar aço com as próprias mãos por conta de sua força sobre-humana ou se curar de feridas letais graças ao seu fator de cura acelerado. O ultimo infelizmente também traz consigo a maldição de ter uma longevidade maior, envelhecendo lentamente enquanto todos à sua volta partem mais rápido em direção à morte numa velocidade tamanha que nem o próprio Hárpia consegue alcançar apesar de sua agilidade sobre-humana.


ii. HABILIDADES

Habilidades de combate e acrobacias: Herdando as habilidades de uma agente da S.H.I.E.L.D que foi a primeira de sua classe de treino, Harpia é mais do que preparado para uma luta corpo-a-corpo. Do Tae Kwon Do ao Kung Fu, Bobbi Morse tinha um conhecimento em artes marciais invejado por qualquer lutador de elite, sua pericia em combate, destreza com bastões e acrobacias fizeram de Barbara uma pessoa capaz de rivalizar com Steve Rogers. Além da habilidade com bastões de batalha, Bobbi também dominava diversos tipos de armas e tinha aptidão para lutar em ambientes fechados.

Habilidades em espionagem: Sendo uma agente de elite da S.H.I.E.L.D, Bobbi Morse foi treinada tanto em técnicas de espionagem como contraespionagem, sendo reconhecida como uma valiosa, habilidosa e versátil espiã pelos seus superiores.

Conhecimento sobre biologia e bioquímica: Outro presente concedido à Harpia por sua “reencarnação” foi o conhecimento que uma pessoa com doutorado em biologia teria, possuindo também habilidades envolvendo bioquímica.


Conte o histórico


Muitos julgam a prática de manter um diário pessoal, nessa era digital esse ato é visto como brega, antiquado, dispensável, simplesmente ultrapassado. Agora os jovens querem mostrar a sua vida para o mundo, expor ela, esfrega-la na cara dos outros, é uma pura ansiedade de simplesmente se expor, quem sabe até mesmo conseguir ser famoso. Mas sempre existem exceções, tem aqueles que reconhecem o poder de se expressar pela escrita, ter uma conversa consigo mesmo por meio da folha de um caderno, simplesmente desabafar, encarar seus medos e se libertar daquilo que lhe sufoca.

Ma quando si alzerà il sipario, io sarò lì ad affrontare la folla.

“Nem toda história foi feita para os teatros, essa é uma verdade, não são todos que tem uma vida emocionante, cheia de tragédias, eventos de tirar o fôlego, acontecimentos surreais que fazem qualquer questionar o deus em que acredita. Nem todo mundo tem uma vida de herói. A minha vida é um exemplo disso, ela nunca viraria um filme, nem mesmo um livro, no máximo seria usada em uma palestra para ajudar estudantes que estão sofrendo bullying no ensino médio, não que isso seja algo pequeno, sério, ajudar um adolescente que está passando por dificuldades tem o seu impacto, mas virar um filme é outro nível. Meu pai provavelmente iria ficar orgulhoso, o sonho dele era que eu fosse um cineasta.

Eu  acho que não consigo parar de pensar em como decepcionei o meu pai. Não é minha culpa, pelo menos é o que eu digo pra mim mesmo sempre que me deparo com esse sentimento, e de fato essa é a pura verdade, não tenho responsabilidade pelas fantasias que ele criou para uma vida que não é dele. Provavelmente a culpa é toda dele, mas que pai não faz isso, principalmente um que criou o filho sozinho. Hoje em dia eu entendo melhor o lado dele, quer dizer eu não entendo, apenas tento. As atitudes dele me machucaram, eu nunca tive culpa, eu não escolhi nascer assim.

Nascer assim. Não, não estou falando sobre as minhas habilidades, afinal eu consigo esconder elas com muita facilidade. Por “nascer assim” estou-me referiando a ser gay. Isso foi meio complicado para o meu pai, mas sério, pra mim foi muito mais. Sempre me maltrataram na escola, as meninas não, elas me adoravam, quer dizer a maioria pelo menos, mas os garotos, eles eram terríveis comigo. Não tinha um dia na escola que eu não apanhava, por vezes eram apenas empurrões e chutes, em outros dias eu chegava em casa com o rosto inchado por conta de um soco que quebrou meu nariz. Meu pai odiava quando eu chegava machucado, não por sentir pena, não por tristeza, simplesmente por vergonha de ter um filho que não se comportava como um garoto deveria se comportar, que não conseguia revidar, que só chorava, que era sensível, fraco. Incontáveis foram as vezes que ele descontou sua raiva em mim, por meio de insultos e golpes que doíam de uma forma inimaginável, fisicamente, emocionalmente. Eu não conseguia entender como um pai conseguia bater em um filho, humilhar aquele que deveria receber o seu amor incondicional.

Só uma coisa me machucou mais do que isso, e você sabe como eu odeio falar sobre isso, mas eu sei que eu preciso, sim, essa semana essa coisa tem me sufocado mais do que o normal. Tem dias que eu acordo com a imagem do próprio demônio, ainda marcada na minha mente, ainda quente do pesadelo da noite, outras vezes eu escuto suas ameaças ecoando na minha cabeça, a voz grave, as palavras sujas. Quem me dera estar falando de um demônio de verdade, quem me dera estar falando do próprio satanás, não, eu estou falando de um homem, um professor, uma pessoa que prometeu dedicar a sua vida ao ensino, a criar um mundo melhor, a ajudar jovens, mas que apenas sugou suas vidas. Por trás do sorriso amigável do treinador,da postura de bom moço, dos bons dias e de todas as boas ações, existia uma alma perversa, um ser sujo, um desgraçado que violou e destruiu a vida de jovens. Eu lembro a dor no meu corpo, na minha existência, o sentimento de impotência, o medo das intimidações, o temor pelo meu pai. Todo dia era um desafio, uma luta que eu batalhava sozinho, uma guerra que eu estava perdendo, as vezes a única coisa que eu queria era morrer, simplesmente desistir, o desejo de viver já não existia mais, não era possível encontrar motivos, já não tinha alegria, apenas dor, apenas terror.

Uma pessoa destruída, um rapaz sem sonho era o que eu tinha me tornado, um ser de escuridão. Depois de um tempo eu já não sabia mais o que era chorar, eu não conseguia, ódio era tudo que eu conhecia. Eu tinha raiva do meu corpo, da minha aparência, da minha existência, a culpa corria pelas minhas veias. Até hoje eu não entendo o que me manteve em pé, não sei se foi uma divindade, algo maior do que minha compreensão, mas o importante é que fui forte e enfrentei essa batalha, e eu a venci.

Enfrentei meus monstros, confrontei os demônios da sociedade, juntei tudo que restava de um garoto quebrado e quando a cortina se levantou, eu estava lá enfrentando a plateia. Fui bravo, não destemido, medo corria pelo meu ser, mas eu estava determinado a fazer o que era certo, chega de ameaças, chega de intimidações, chega de me detestar e me culpar, eu já não aguentava mais, ou eu desistia da minha vida, ou enfrentava o mal que me consumia por dois anos. Após a denuncia ser feita, demorou para que conseguissem provar o que aconteceu, como se minha palavra não bastasse. Sai de uma luta e entrei em outra, fui julgado pelos meus professores, pelos meus colegas, pelos vizinhos. Me culpavam, queriam continuar cegos – “como pode um homem tão bom ter feito uma coisa dessas?” – eu escutava coisas nos corredores, mas sempre mantive minha cabeça erguida independente da dor, prometi pra mim mesmo que não deixaria ninguém me derrubar. Um garoto que nem idade para beber tinha, enfrentando o mundo, é como eu gosto de descrever essa fase da minha vida.

O final você já sabe. A justiça venceu. Eu venci. Ainda carrego as marcas dessa batalha, tem dias que elas me machucam ao ponto de me sufocar, em outros são apenas marcas que latejam, mas o importante é que agora eu reaprendi a chorar. Eu sei que não foi minha culpa, eu sei que meu corpo não é sujo, e não sinto raiva de mim mesmo. O meu ódio se transformou em esperança, virou um desejo de ajudar os desprovidos de força, conquistar a vitória ao lado deles, custe o que custar.

E agora que eu escrevi isso eu posso dizer que eu nunca vou ser retratado em algum filme, mas que com certeza essa é a história de um herói.”

Questo è solo l'inizio

Outras Coisas


i. Fontes: Marvel Wiki, Marvel Universe Wiki, Comic Vine, Hawkeye vol 1. #2

ii. Os bastões da Harpia podem se extender a até 4 Pés, além de também serem acoplaveis, podendo ser usado como um Bastão Bô ou até mesmo uma vara de 8 Pés.

iii. O uniforme da Harpia possui óculos de visão noturna, além de ser à prova de balas e resistente ao fogo.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum