Only a coffee

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Seg Mar 20, 2017 11:00 pm

Only a Coffee
A roleplay é iniciada pelo post de Brand Dayne, seguindo por Serqet T. Bakhita. Estando, portanto, FECHADA para os demais. Passando-se esta em data INDEFINIDA, Elite Pastries Cafe - Bayside. O conteúdo é LIVRE. Atualmente, as postagens estão EM ANDAMENTO.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Ter Mar 21, 2017 12:33 am


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

Todo santo dia, uma piscadela pelas ruas, boom, um novo rosto. Sério, raramente tu via alguém que já viu antes, parecia que todos as merdas dos dias mais e mais gente nova entrava na cidade. Mas, bom, isso não é problema algum, isso faz os dias serem especiais e únicos, qual a probabilidade de você ter que ver as mesmas pessoas sete dias por semana? isso já era um costume na minha antiga cidade, ao menos na área em que eu morava. Não era ruim, mas não era bom. Novidade é sempre uma coisa boa, e porra, eu agora moro em New york city! muitas pessoas invejariam, muito provavelmente aqueles safados do leste do país, já me disseram para não confiar neles.

Jeans, uma camisa branca - aquelas que se você suar fica colada no corpo - em conjunto com aqueles casacos que apenas provam que você já foi o jogador número um de um próprio time estudantil, o pacote babaca atraente completo. Não era sempre que eu queria passar essa mensagem, mas eu estava indo para o Queens, e se uma gatinha quiser algo comigo no meio do caminho? Ninguém quer namorar um cara com esse perfil, no máximo um pente, talvez essa fosse a intenção. Mas, nada de paquera, essa era somente minha roupa casual, quando to afim de ir em algum lugar o mais rápido possível, com preguiça de ter que pegar roupas no armário e ter que combinar as peças pra ficar bacana, eu ia com essa roupa.


[11:20] meteorologistacinza: Oi! Então, já saí de casa e daqui a pouco estou chegando, ok!?
[11:23] eu: beleza, já sai de casa, entao acho que chego logo logo
[11:50] eu: ei, ja to aqui, ta chegando?

Rapidamente, mandei uma mensagem para Serq através do aplicativo daora de conversa que tínhamos no celular, meus dedos agiam tão rapidamente quanto aqueles nerds de campeonatos virtuais, talvez um dia eu também devesse seguir a profissão! Desde a reunião, descobrimos coisa em comum, e tipo, nos tornamos melhores amigos de new york! apelidos, intimidade que se criou rapidamente, e eramos companheiros de surra! Eu ia meter a porrada nos inimigos enquanto ela, sei lá, joga água neles? Não lutamos lado a lado ainda, uma caçada entre equipe não rolou, mas a empolgação de dar uns socos corroía o corpo, e enquanto isso não acontecia, uma companheira para balada e cafés era essencial. Apenas sendo muito minha amiga pra me tirar da cama antes do meio-dia, mas quem sabe a gente não marca uma matinê ou algo do tipo?
Mesmo tendo mandado a mensagem que tinha chego, eu estava ainda a quase um quarteirão de distância, então, quando cheguei realmente no estabelecimento verde - a decoração parecia já perto da década de São Patrício -, arfando super-levemente, apenas para passar imagem de pessoa normal, abri a porta, que tiniu um barulhinho fino de um sino acima da entrada, me sentando próximo a janela, em uma mesa qualquer. Bastava somente a mulher do tempo chegar para bater um bom papo



avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Ter Mar 21, 2017 1:16 am


Coffee?

This is what we will see.
Saindo de casa apressadamente, havia um compromisso em mente e não planejaria se atrasar, ainda mais por ter sido ela mesmo que convidou. — Vamos lá, você consegue. — Pensou enquanto andava em passos largos pela calçada, estava um tanto frio, fazia em torno de onze graus Celsius. Várias pessoas indo para variáveis direções e todos aparentemente haviam algo em comum com a jovem; pressa. A menina vestia uma calça jeans da coloração branca, da espécie "colada". Uma pequena bota de salto -2~3 cm-, da coloração cinza-claro. Já na parte superior, uma regata branca que era escondida por um sobretudo curto de camurça contendo sua coloração negra.

Era uma roupa básica social, ainda mais pelo friozinho que fazia. Alguns esbarrões eram evitados por conta da percepção da jovem, já que as pessoas ali, aparentemente rudes, sequer prestava atenção ou se prestavam, não se importariam em cair em cima de alguém. Como podiam ser tão ignorantes? Era uma pergunta que não teria uma resposta tão cedo. — Hurm hurm — Era acordada de seus pensamentos com o vibrar do celular, que estava no bolso direito do sobretudo. Com certeza era Brand, já havia falado com ele mais cedo, será que estava tão atrasada assim?

[11:20] Eu: Oi! Então, já saí de casa e daqui a pouco estou chegando, ok!?
[11:23] Troglodita ♥: beleza, já sai de casa, entao acho que chego logo logo
[11:50] Troglodita ♥: ei, ja to aqui, ta chegando?
[12:03] Eu: Então, daqui a dois quarteirões eu já estou aí
[12:03] Eu: Desculpa a demora ;-;
[12:03] Troglodita ♥: atrasada como sempre né? estarei esperando, mas meu café não

Após ler a mensagem que havia chegado no aplicativo que usavam para comunicações, guardara o celular e dava uma leve corridinha para atravessar a rua mais rapidamente, chegando e passando pelo último dos quarteirões restantes. Virava a esquina e já podia ver a cafeteria, respirava profundamente e soltava pela boca, tentando não deixar tão claro a euforia por ter quase corrido durante todo o percusso. Serqet passava pela fachada do recinto, com a mão direita, abre espaço empurrando a porta para o mesmo lado, fazendo um som de sino acima de sua cabeça. Esta olhava rapidamente para todas as mesas e conseguira localizar o ruivo.

— Oi, boa... tarde? — Dizia com uma voz serena e um tanto culpada, pelo atrasado, fazendo uma feição de "desculpas".

Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Ter Mar 21, 2017 2:04 am


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

- привет! - Cumprimentei-a em russo, sabe se lá porque, eu e ela sabíamos falar várias línguas, acho que era apenas uma maneira especial de iniciar uma conversa? E sabe-se lá como eu aprendi dominar tantos idiomas rapidamente, era como se, praticamente, de um dia pra outro, habitei-me ao vocabulário estrangeiro. Nada novo na vida de um estranho. - Caiu na fossa enquanto vinha pra cá? Porra, meu café tá quase acabando. - Fazer piadas e se xingar era comum na nossa amizade, de primeira impressão achei que ela era algum tipo de hippie ou uma aluna de artes, mas enganei-me, era muito mais que isso. Enquanto ela se sentava, tomei um gole do meu café, que por coincidência também estava em um recipiente verde. Talvez o dono do lugar acreditasse naquele lance do simbolismo das cores e quisesse atrair muita sorte ou dinheiro... muito provavelmente dinheiro.

- Então alguma novidade? - Aquelas trambiqueira de diálogos, perguntar como foi o dia, se está bem, a maneira perfeita de começar uma conversa e mostrar que se importa. Uma coisa simples assim podia ser feita através de sms, mas mano-a-mano era muito mais legal, e quando, sei lá, se pega um cara ou mulher, algum roteiro alá adolescente, é sempre melhor contar ao vivo. Não fiz nenhum pedido para Serq, como eu não gostaria que pedissem por mim, retribui o mesmo. Um simples café me acompanhava, por enquanto, tinha tantos lanches agradáveis no cardápio que não ia ficar apenas nos goles. Um filósofo muito sábio disse uma vez, o dia pode começar no croissant mas terminar na rosca. Claramente, é um pensamento de minha autoria.



avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Ter Mar 21, 2017 2:35 am


Coffee?

This is what we will see.
A menina era respondida com um simples "olá" na língua russa, o que a fez sorrir. — Privet. — Respondeu, entrando na "brincadeira", enquanto ainda sorria. Este sorriso puro se tornara em pouco tempo incrédulo e sarcástico, por conta do comentário que o homem havia feito. — Estou fedendo pra ter caído numa fossa? E se seu café está acabando é por culpa de ser um guloso de merda. — Respondeu com seu tom irônico, enquanto sorria e sentava-se a cadeira que era confortável. Com o cardápio em mãos, logo fizera o pedido de um capuchino com chantili no topo.

— Novidades? — Fez uma expressão pensativa, tentando se lembrar de alguma que já não havia contado para o intitulado "melhor amigo". — Fora que, estou ansiosa pra cacete pra fazer alguma coisa com o komanda, nada demais. — Disse encerrando o assunto com a entrega de seu pedido. Serqet dava um leve gole, para sentir a temperatura e também o gosto da bebida. — Ah, me lembrei de uma coisa. — Disse após dar outro gole na bebida. — Eu estou no sétimo módulo na faculdade. — Comentava com um sorriso feliz e realizado no rosto, em pouco tempo se formaria como médica. — Mas e você, tem alguma novidade? — Dizia fitando o rapaz que estava vestido de uma maneira bem social, típico o popular jogador de futebol da escola nos filmes adolescentes.

Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Ter Mar 21, 2017 3:09 am


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

Meu celular vibrou suavemente no bolso da minha calça, a sensação do toque em minha perna era engraçada, mas apenas dei uma espiada através do visor, mensagens que eu poderia ver depois, mexer no celular enquanto se conversa era um pouco, hmmm, antiquado? A resposta da Serq me fez rir suavemente, ela falar sobre sua ansiedade me fez ficar ansioso, quando aquele cara ia finalmente agendar algo de importante?

- Pois é! Eu mal espero ele reunir a equipe, para, sabe, usarmos nossas coisas especiais - Com empolgação, me aproximei, tentando sussurrar, mas parece que o movimento importuno chamou atenção de uma velha próxima, tudo bem, ela imaginaria que no máximo utilizamos heroína. Me acalmei, suavizei minha posição e tomei um longo gole do meu café, me deparando com o copo vazio. Ouvi-la comentar sobre
sua faculdade e seu desempenho gerou-me uma interna confusão, seria eu um jovem-adulto perdido no tempo? seguindo carreira linguística, ainda com dúvida se aquele era realmente meu caminho. Essa seria uma confusão normal se, tipo, eu não tivesse poderes! - Estou decidindo realmente o quero fazer da minha vida, e as coisas novas só me deixam mais confusos! Tipo, quando o manda-chuva lá vai nos chamar para algo? Mas não é só isso, me sinto apagado socialmente aqui... - New york era tão grande, tanta gente famosa morava ali, eu não tinha a mesma reputação da minha cidade natal, tanta ausência de reconhecimento me gerava preocupação, que com essa diversos outros sentimentos. Será que se mudar realmente do Canadá foi uma boa ideia? Ou seria eu a nova Margo fugindo da cidade de papel? Dessa vez, solene na cidade de... carvão. - Então, você tem algum plano pra hoje? - Apoiei meu corpo na mesa, observando-a, assim como meu copo vazio, as poucas gotas de café restantes, caso vivas, se sentiriam tristes ou alegres? seu único propósito era ser tomada, devorada, enquanto as poucas ficavam no recipiente, sozinhas, as devoradas progredindo no suco gástrico e as isoladas em uma lata de lixo. Talvez eu seja uma gota de café, apenas esperando qual rumo tomar.




avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Ter Mar 21, 2017 3:57 am


Coffee?

This is what we will see.
O lugar era bastante arrumadinho, haviam enormes fornos elétricos com a parte do vidro virado para a clientela, onde todos podiam ver vários bolos de diversos sabores conservados e sempre quentinhos, o que lhe fazia pensar em qual escolheria em instantes. A agonia de não fazer nada não era algo originário somente da própria, aparentemente o rapaz a sua frente também estava sofrendo desse sentimento deveras ruim.

Enquanto Brand falava, acabara por se empolgar e gerando atitude suspeitas á uma senhora por se aproximar demais da jovem, o que fez com que a mesma desse um sorriso sem graça. O engraçado era ver o ligeiramente ruivo tentando se concertar após o ato, mas se conteve somente a observa-lo. As falas alheias penetraram aos ouvidos de Serqet, que o fitava de forma consoladora. — Eu também quero fazer alguma coisa, ver a real intenção daquilo. — Pausou, dando um leve gole em seu capuchino e sem delongas continuara — Quanto ao sentir-se apagado socialmente, inicialmente eu também me sentia da mesma forma. É difícil se acostumar com outra cultura, ainda mais quando se vem de um lugar tão longe quanto eu. — Explicava, dando uma pausa a direito de outro gole na bebida. — Entenda, sempre que precisar, a qualquer hora; lugar; seja o que for. Sempre poderá contar comigo, ok? — Dizia fitando nas íris do rapaz, visando reconfortá-lo por dentro. Para desviar de um clima tenso, respondera a próxima pergunta do jovem. — Pra hoje a noite? Receio que não, mas se quiser podemos marcar algo. — Após indagar, um gesto fora feito com sua mão direita, chamando o responsável por anotar os pedidos. — Quero um pedaço desse bolo aqui por gentiliza. — Esta, apontava para um bolo feito de chocolate recheado em três camadas, sendo elas: Doce de leite, brigadeiro e leite condensado respectivamente. — E você, vai querer algo? — Dizia, se referindo ao Brand.


Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Ter Mar 21, 2017 4:51 am


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

Índole era uma coisa bem variável para mim, as vezes eu sentia necessidade de ajudar algumas pessoas, outras de, bem, tá, na maior parte do tempo, cometer coisas que chamariam de ruim. Na realidade, eu vejo tudo que estou fazendo como uma ação própria minha, não porque quero cometer o bem, o mal, e sim porque eu sinto e quero fazer isso. As coisas que faríamos em equipe, reunidos pelo homem misterioso, tudo desconhecido, mas eu não deixaria de ser eu mesmo.

Vagão do café, parada depressão. Nosso encontro amigável ali não era para esses pensamentos tristes, meu comentário foi mais algo para ficar paralisado em linha do tempo, eu não sou uma pessoa assim, chateado integralmente, e sim penso sobre coisas que quero mas não tenho, aí fico triste. Como mais cedo, todos meus trident em casa tinham acabado, e eu estava NECESSITADO por um chiclete, especialmente aquele sabor-gelo, um halls preto adiantou temporariamente, mas, esta bala, em especial, é guardado para certas ocasiões. Posso muitas vezes parecer o clichê de otário, mas no fundo sempre fui estudioso, leitor, carente, leal, apesar de esconder esses traços. Se fizessem uma biografia bem podre sobre mim, seria bem similar a qualquer babaca de Beverly Rios, mas 1) eu precisaria ter feito algo importante para alguém escrever sobre mim; 2) o escritor obviamente seria alguém que pouco me conhece.

Entendia Serq parcialmente, ela vinha de muito longe, eu parecia mais abatido por algo estúpido, mesmo canadenses tendo um pouco de rivalidades - existente exclusivamente pelos estadunidenses - com o povo daqui, nada se comparava com ela. Retornei para minha pose animada e alegre, soltando um sorriso tímido para a meteorologista.

- Sabe, não precisa ser tão boazinha assim comigo, é só mandar um: cala essa sua boca filho da puta cheio de privilégios, só pare de ser um babaca; não sei reagir quando você fica altruísta assim - Mostrei um largo sorriso, informalidade em conjunto com intimidade na maioria das vezes acalmava uma situação desconfortável e que eu não sabia como reagir, sabia que ela me apoiava e que é uma grande amiga, mas como retribuir isso?

- É, podemos marcar. Por aqui tem várias baladas a noite, e sabe, é bom para conhecer pessoas novas. Você parece bem carente, com um pouco de milagre e conseguiria arranjar alguém. - Brinquei com ela, Serq é muito bonita, apesar de nunca tê-lá vista com ninguém, ela poderia até ser bv, mas que mal tem? A vejo apenas como uma amiga, uma grande amiga. - Eu quero alguma coisa com limão, pode ser uma torta. - Pedi algo simples com minha fruta favorita para o moço que anotava os pedidos, exprimindo os olhos para um semblante de gratidão, em contrapartida, o pedido da cinzenta era cheio de frescura. - Opa. Cuidado com as diabetes. - Brinquei novamente.



avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Ter Mar 21, 2017 11:33 am


Coffee?

This is what we will see.
A jovem era repleta de inseguranças, mesmo que não transparecesse isso, após tais palavras começara a refletir sobre sua vida, algo que nunca havia parado para faze-lo anteriormente. Uma garota de cabelos brancos, olhos cinzas, que veio do Egito onde sofreu por conta de sua aparência e anomalia. Basicamente, era isto sua história de uma forma reduzida, mesmo que "escondida", sempre era alvo de vários -se não todos- tipos de discriminações, as vezes até assédio.

Aquela cafeteria poderia ou não fazer parte de uma das grandes memórias que tiveram juntos, isso só era questão de como o futuro iria se mostrar. Acordará de seu devaneio quando o ruivo começara a falar, mesmo que de forma sem graça pelo o que a jovem havia falado. — Eu não sei se consigo te ofender nesses momentos, vai que você entra em depressão profunda? — Brincou com o rapaz, dando uma leve risada seguida de um sorriso duradouro no rosto. De fato, não era algo que tinha tanto costume a fazer, palavrões, já que, mal teve contato com gente de onde vinha, e quando chegou em NY estava ocupada com a faculdade e tudo mais.

Serqet observava o estabelecimento, a movimentação daquele lugar ia aumentando gradativamente ao passar do tempo, devia ser pela horário do almoço de muitos trabalhadores locais. A resposta de seu amigo a deixou perplexa, enquanto fazia uma espécie de feição dizendo "seu sem graça" ou algo do gênero. — Pode ser que sim. — Entrava na brincadeira do mesmo, enquanto dava o último gole do seu capuchino. — Ainda bem que temos um garanhão aqui, lindo, quase um deus grego e poderá saciar sua vontade quando quiser. — Ela ria após sua frase, mesmo que falasse num tom irônico, era inegável a beleza do rapaz. Ele parecia ter vários tipos de experiências na parte amorosa, aquele tipo de homem "galinha", e não o julgava por isso, cada um é cada um e isso de fato é ótimo.

Assim que pedira um pedaço de bolo, o parceiro de mesa acompanharia a jovem com um pedaço de torta de limão. Tortas... eram realmente muito boas, limão estava no ápice de qualquer torta já feita no mundo, uma das melhores -se não- a melhor de fato. Enquanto o funcionário ia embora cumprir seus afazeres, como encomendar os pedidos, ela ria do comentário que Brand havia feito. — Consequências a gente lida depois, e também, torta não é algo salgado sabe... — Dizia num tom brincalhão, como se quisesse dar o mesmo aviso ao rapaz.

Serq se pôs a pensar sobre aquilo que o jovem havia falado, sobre sua carência, sabia que ele disse num tom de brincadeira, mas não era isso de fato. Mal teve contato com pessoas durante sua vida, mesmo que ainda não sentisse falta de afeto carinhoso, por que foi algo que nunca teve ainda -exceto por Brand-, um dia iria se sentir carente e quando chegasse, não queria parecer desesperada. Sua feição ficará pra séria em um breve momento. Mas, enquanto ainda não necessitava de algo assim, estava feliz por ter alguém que possa confiar e poder contar todas as suas frustrações. Um sorriso fora esboçado, na tentativa de afastar alguns pensamentos ruins. — Tem algo em mente? — Indagou, enquanto sorria para o homem.


Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Ter Mar 21, 2017 10:41 pm


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

Sentimentos são confusos, repentinos, são como a chuva de verão -, elas as vezes vem com grande potência, deixa um forte cheiro e no fim some. Tá, talvez no meu caso era assim. Tédio me deixa triste e frustado, talvez uma polymerization de ambas as coisas.

- Eu? Triste? Em tipo, semanas de amizade, quantas vezes você me viu triste? - Imaginando todas as vezes que andamos por aí juntos, mantive um rosto de dúvida, até me lembrar uma ocasião específica. - Ok, sem constar aquela vez que deixei meu sorvete cair no chão... Poxa, era três bolas com cobertura, qualquer um ficaria triste. - Dei uma risada suave, conversar sobre qualquer merda me alegrava, mas sentimentos é... algo complicado. FALAR SOBRE O INTERIOR NUNCA MAIS!

Ver Serq falar palavrões era engraçado, parecia que ela tinha medo de fala-los, receio, como se não tivesse acostumada a esse linguajar. Bom, eu estou, e manias são contagiantes. - Sabe, talvez eu seja uma reencarnação masculina da Afrodite ou até o próprio Adônis, quem sabe... - Fiz uma piada, em relação com a minha possível auto-estima alta e mitologia grega. Os pedidos chegavam rapidamente, eles claramente não faziam tudo momentaneamente, apenas já estavam preparadas a um tempo e conservadas quentinhas e gostosas. - Bom, o que posso fazer? Torta de limão deve ter sido uma invenção do próprio Zeus. - Realmente, o sabor do doce me possuía, assim como a maioria dos outros sabores cítricos. Isso me lembrou de um ficante que já tive, eu o chamava carinhosamente e amigavelmente de limão, ele nunca soube porque. - Ah, poderíamos, tipo, ir numa balada a noite, uma bem popular aqui perto, e ver se arranjamos alguém pra tirar seu bv. - Sorri novamente, meus dentes brancos e, de acordo com minha última dentista, perfeitos, são brilhantes e atraentes, expor eles é uma regalia. Interiormente clamando pelo sabor da torta, coloquei o primeiro pedaço em minha boca, suavizando meus lábios em minha colher, comprimindo os olhos, sentindo toda a luxúria do doce. Era como se isso mais tarde não pudesse virar cocô, e sim sair como um arco-íris, um arco-íris somente verde e delicioso. - Caralho isso é bom demais



avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Qua Mar 22, 2017 2:06 pm


Coffee?

This is what we will see.
Como conversar de algo que poderia machucar, ou até mesmo se machucar por alguma coisa que nunca havia tido durante sua vida inteira? Realmente, sentimentos era algo difícil de ser falado, ainda mais pelos poucos que tivera, em sua grande parte era negativo ou falso. A conversa ali era pra ser algo descontraído, então com um método simples e prático, poderia resolver isso, trocando o assunto. Parecia que Brand também havia adotado da mesma prática, fazendo um de seus comentários engraçados para desviar o assunto, o que fez a jovem rir.

O companheiro de mesa era um amigo em tanto, parecia que haviam uma sintonia, sempre ajudava um ao outro em seus momentos e fraquezas, mesmo que um deles -ele- as vezes não admitia o que estava sentindo. Uma piada fora exercida pelo rapaz, dando a resposta sobre o que Serq havia falado antes quanto a beleza do rapaz em tom irônico. A mesma dava uma baixa gargalhada, já que ali era um lugar público, devia manter a "normalidade" no nível mais neutro possível.

Os pedidos eram entregues, a torta de limão que parecia fantástica aparentemente e o seu tão clamado O Bolo, sim, ele havia ganhado um nome. Este tinha sua massa composta com barras de chocolate, recheado em três camadas - Doce de leite, brigadeiro e leite condensado -, sua cobertura era de creme de avelã com vários "mm's" por cima, bordado na parte de trás com chantili de chocolate e havia um formato triangular. Acordava de sua hipnose pela sobremesa com o ruivo falando da torta. — Do jeito que você fala dela, eu acho que vou querer um pedaço. — Brincou com um tom de verdade, realmente parecia estar bem gostosa e não custaria nada ele dar um pedaço pra ela.

Com a colher, a menina do tempo cortara um pedaço da ponta do bolo, desfazendo o formato triangular e levou até a boca, repousando o doce sobre sua língua e tirando o objeto, deixando no prato. — Hm... — Murmurou como um leve gemido, transparecendo o que achava do sabor. Brand seguia com o diálogo, dando uma sugestão do que podiam fazer. — Eu não acho que estou pronta pra isso. — Indagou com um tom suave, ela não queria ter a vida que já era ocorrida, atrapalhada por um... amante? Ela mal entrara em um grupo que não sabe como vai ocupar seu tempo, tem sua faculdade também e outros assuntos, ela não poderia arriscar se apaixonar por ninguém e quem dirá ser perseguida por um cara que não gosta.

Cortara mais um pedaço da sobremesa e levara a boca, colocando a mão sobre ela. — Mas se... — Parava pra mastigar, já que ainda estava com o doce dentro, pra quem já havia intimidade isso não seria um incômodo. — ...você quiser, podemos ir, vou adorar ver você no "campo de batalha". — Brincou com o garoto, falando de forma límpida, por conta de já ter engolido o pedaço.


Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Qui Mar 23, 2017 11:35 pm


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

Focalizei por um momento somente na minha colher com a saborosa consistência verde-açucarada, devaneando em memórias, como se eu ainda morasse em Ottawa, sempre viajando para o interior, comendo a sobremesa de minha já velha avó, a qual não tinha mais notícias, ou de qualquer familiar. Sempre fui próximo a minha família, o clichê estudantil, sempre julgado pelos filmes burro e de personalidade falha, sendo apenas um rosto bonito e bom em esportes, por trás de toda essa casca podia ser inteligente, amável e próximo de seus parentes? eu sou. Tá, era antes de abandona-los, o meu bilhete deve ter sido o suficiente para não acharem que morri, mas com certeza estariam preocupados. Isso apenas me voltava a ser o garotinho canadense, em meia transformação de verde para laranja, estaria estagnado nas estações.

- Você verá habilidades de um nobre guerreiro. - Pisquei, brincando, voltando a realidade, o pedaço da torta permanecera muito tempo sem ser mastigado, uma delícia dessas não pode ser subestimada. Arrumei meu cabelo com uma mão, ele geralmente era bagunçado, pessoas arrumam o cabelo para parecer bagunçado, o meu brigava com meus dedos, insistia em desobedecer meus comandos de arrumação, eu já não insista, apenas passar a mão no topo da cabeça era algo bom.

- Então... - Pausei, canalizando minha mente para algum assunto, era como se as coisas tivessem se encaminhando para o final do encontro. - Você está trabalhando ou algo do tipo? e morando em que lugar? nunca soube onde você mora. - Perguntei, informações assim era tipo, essencial em um laço, e sempre as primeiras a serem questionadas. Me dei conta que nunca tinha falado sobre isso com Serqet.


avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Sex Mar 24, 2017 3:20 pm


Coffee?

This is what we will see.
Aquele bolo... dava pra sentir o gosto de cada elemento que havia, uma mistura que dava tão certo, o prazer de comer aquilo era imenso. A conversa seguia a um rumo que logo se esvairia, então para não se tornar algo chato, haviam de continuar os assuntos. Outro comentário engraçado do troglodita, de fato, a jovem adorava essa característica nele, sempre fazendo-a rir e não foi diferente desta vez.

Com a colher, cortava novamente outro pedaço do bolo, que era tão gostoso quanto aparentava, e o lhe direcionava até sua boca, tateando o sabor com sua língua. Reparara que o homem passava a mão no cabelo, estaria ele preocupado com a aparência? Não achava que ele ligava para essas coisas, já era bem bonito de fato, mas vaidoso não havia se revelado até o momento. Serq sorria vendo aquilo, mesmo não parecendo, a jovem também cuidava de sua aparência sempre que dava.

"— Então..." Esse é o tipo de fala que se encerra um encontro ou algo do gênero, aquela palavra que já entrega a falta de assunto e coisas semelhantes. As perguntas que foram lhe direcionada eram pessoais, de fato nunca havia falado sobre aquilo com ele e era sempre importante conhecer melhor as pessoas com que anda. — Eu trabalho em um hospital como aprendiz de enfermagem, já que ainda estou fazendo a faculdade para isso e também é uma forma de eu aprender na prática. — Pausava, cortando outro pedaço do bolo. — Eu moro em Manhattan, no bairro de Gramercy por conta da "segurança" e também por ter um parque exclusivo aos residentes daquele lugar, é uma boa região pra se morar pacificamente. — Após responder, levava o pedaço da sobremesa até a boca mas sem comer ainda. — E você? — Perguntava sorrindo, colocando agora, o saboroso pedaço em sua boca, mastigando enquanto sorria sem mostrar os dentes, apenas mostrando a expressão de um.


Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Dom Mar 26, 2017 2:08 am


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

Prato vazio, barriga ainda não cheia. Eu pediria alguma outra coisa, mas engordar é fácil, e eu não gostaria de ter que pegar pesado em alguma academia - e ter que gastar dinheiro com isso. Acordar cedo sempre será um saco, minha vontade ainda era de me enterrar no cobertor com o ventilador ligado, observando a tela do celular, jogando conversa fora, sem ter que movimentar a boca.

- Eu moro por aí no Queens, vivendo dos bicos que faço, algumas tarefas ali, outras aqui... - Em seguida pensei em eu, a camisa estrela de um time importante americano, muitas pessoas torcendo por mim nas arquibancadas... Apenas um sonho distante, mas quem não sabe um dia real. - Pelo jeito nossa comida acabou... - Olhei para ambos os pratos, vazios. - A regra é de quem chegou por última pagar, esteja avisada. - Brinquei, rindo em seguida para mostrar que não estava falando sério, mas não impediria de ser sério caso ela quisesse. Não tava a fim de gastar dinheiro.


avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Dom Mar 26, 2017 2:55 am


Coffee?

This is what we will see.
A menina degustava o último pedaço de seu bolo, enquanto prestava atenção no rapaz a sua frente. Com certeza aquilo que comia podia dar uma grande quantidade de calorias mas não precisara se preocupar por conta de que sua vida tinha uma rotina corrida, onde sempre andava por longas distâncias, sempre mantendo sua boa forma.

O rapaz respondia o que lhe fora indagado, Serq sempre esboçava um sorriso amistoso durante a conversa. Os dados fornecidos pelo rapaz esbelto era que este morava naquela região ali, um dos motivos dele ter chegado primeiro. O mesmo afirmara que sobrevivia de alguns empregos não fixos, trabalhando como autônomo pela cidade, o que lhe impressionara, jamais imaginaria algo do tipo. Realmente, as aparências enganam, atrás de rostos bonitos, há histórias fortes e não diria triste, mas, indesejada?

O devaneio da jovem de cabelos cãs fora descontinuado pela próxima frase de Brand, comentando que já havia acabado as sobremesas, uma notícia triste por conta daquele nobre pedaço do Bolo. Mas não parava o comentário só por aí, ele explicava uma regra que dava a perceber que fora recém-criada. — Certo. — Afirmara rindo, enquanto tirava uma carteira de bolso de um dos bolsos do sobretudo preto, enquanto chamava o responsável pelo pagamento até a mesa. — Tem algum lugar pra ir depois daqui? Você deve conhecer melhor que eu a cidade. — Demandava transparecendo conforto, enquanto pagava o que devia á loja.


Elite Pastries Cafe - Bayside

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Brand Dayne em Dom Mar 26, 2017 4:34 am


Just a coffee guys
  May your coffee kick in before reality does

A brincadeira acabou rendendo uma economia para mim; um doce de manhã basicamente gratuito. Mas foi uma exceção única, não seria legal repetir novamente. Me levantei da mesa e toquei em meu bolso para verificar se minha chave e celular estava ali, já andando brevemente para a saída.

- Eu conheço um parque bem bacana aqui perto. - Falei, indicando o caminho para onde se localizava, enquanto abria a porta que tinia um sino, para que Serq passasse primeiro. Uma gentileza temporária por ela ter pago o café. - Exceto pelas bocas de fumo na redondeza. - Falei com seriedade, como se fosse um absurdo. Estamos em New York. Maconha, drogas, abuso de remédios, normalidade nas cidades dos sonhos. Andei na direção da próxima parada, falando sobre algumas besteiras com a cinzenta durante o caminho.


avatar
ANTI-HERÓIS
terra dos otários

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Serqet T. Bakhita em Dom Mar 26, 2017 2:05 pm


Coffee?

This is what we will see.
Após o pagamento da refeição que fizeram, o ruivo replicava sua pergunta, anunciando que conhecia um parque nas proximidades de onde estavam. Esta seguia-o até a saída do recinto, onde o mesmo abrira espaço pra jovem sair primeiro, um gesto de cavalheirismo, devia ser para mostrar a gratidão que tinha por Serq pagar a conta.

A seguinte afirmação do homem o fizera rir. — O pessoal aqui então é perigoso? — Perguntava com um tom suave, sua preocupação era mais de algum ataque a eles a obrigara a utilizar seus dons. Estes seguiam até um ponto, onde embarcaram em um ônibus e seguiram até o tal lugar. Assim que chegaram ao parque, pudera ver que a ambientação do lugar era bem límpido, haviam árvores e gramas e vários bancos espalhados pelo local. — Aqui é bem lindo, sabe um ponto específico para ficarmos? É meio grande aqui. — Indagara explicitando amabilidade.


Park - Queens

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Only a coffee

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum