ROMANOVA, Freya

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ROMANOVA, Freya

Mensagem por Freya Romanova em Sex Mar 24, 2017 1:26 pm

Reencarnada




Escreva os dados


i. A NOMENCLATURA: Amélie Eileen Verena Hitler / Freya Nathalie Kattrina Romanova
ii. COMO É CONHECIDA: Eva Negra / Black Eve (Reencarnação feminina de Black Adam)
iii. TIPAGEM SANGUÍNEA: Reencarnada
iv. QUANTAS ESTAÇÕES VIVEU: Noventa e Nove anos
v. PRIMEIRO RESPIRO: Doze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete
vi. DESCENDENTE DE QUE POVO: Alemã
vii. COMPORTAMENTO: Malevolência Neutra
viii. COMUNIDADE: Anti-Heroína

Informe os atributos


i. PONTOS DE ATRIBUTO: 180 PA (120 pela idade + 60 dos níveis da antiga personagem)
ii. ESPECIALIZAÇÃO: Atacante (+ 5 de Força)
iii. ATRIBUTOS:



FORÇA: 45INTELIGÊNCIA: 30
RESISTÊNCIA: 30AGILIDADE: 30
VIGOR: 30CARISMA: 20



Diga as perícias


i. PERÍCIAS:

i. Prontidão, nível iii pedagoga;
ii. Corpo a Corpo (Luta de Rua), nível iii pedagoga;
iii. Resistência à tortura, nível iii pedagoga;
iv. Armas Brancas, nível ii experiente;
v. Lábia, nível i caloura
vi. Psicologia, nível i caloura


Cite os poderes


i. SUPER-PODERES:

Em sua forma normal, Freya aparentemente não apresenta ter muitos poderes, exceto um grande dom para a magia, mas que não afeta em nada seu físico, sendo ainda assim como uma humana tão vulnerável quanto às demais pessoas nesse mundo nessa forma, mesmo podendo realizar esses feitos mágicos. Porém, quando pronuncia a palavra ''Shazam'', um raio mágico atravessa o corpo da garota, e assim ela se transforma de sua forma mortal para a campeã da magia e dos deuses, Black Eve. Nessa sua forma a sua aparência muda pouco, mas ainda é notável a sua mudança, pois ganha um pouco mais de altura, suas roupas se transformam e, claro, ela recebe incríveis poderes!

Tudo isso por que Freya teve a sorte de ser a reencarnação do ser conhecido antes como Teth-Adam (ou, Adão Negro), herdando os seus incríveis poderes, que diferentemente do rival Shazam, que adquire os poderes de deuses do panteão grego, os dela vem de deuses do panteão egípcio, recebendo assim o vigor de Shu, a velocidade de Heru, a força de Amon, a sabedoria de Zehuti, o poder de Aton e a coragem de Mehen. Com isso, ela recebe várias capacidades e poderes diferentes, todos grandiosos por conta de suas origens místicas e divinas, mas praticamente iguais às adquiridas por Shazam, seu rival, com a diferença apenas de que ela possui bem mais experiência com o uso de seus poderes, os quais estão listados logo abaixo.

- Shu: Com o S sendo para o vigor de Shu, o deus egípcio do ar cujo nome significa ''aquele que se levanta'', e é ele que permite à Black Eve a capacidade de suportar e sobreviver à maioria dos tipos de agressões físicas extremas, permitindo-lhe a sobreviver mesmo à eventos astronômicos poderosos, mesmo que à queima-roupa. Com os poderes adquiridos por esse deus, Black Eve ainda tem a capacidade de auto-sustento enquanto estiver em sua forma de campeã dos deuses, ou seja, com isso ela não necessita comer, dormir ou mesmo respirar, podendo sobreviver no espaço de forma indefinida sem qualquer ajuda, tornando-a efetivamente incansável, com sua resistência física ilimitada.

- Heru: H é para a velocidade de Heru, também conhecido como Hórus, o deus egípcio do céu e a vitória personificada, e é com esse poder que Black Eve é capaz de lutar ou se mover em velocidades muito superiores à luz, podendo mesmo viajar pelo universo através de enormes distâncias sem pouquíssimo tempo, além de também ser esse poder o responsável pela capacidade da garota de voar, através de sua pura vontade. Ao canalizar o poder de Heru/Hórus, Black Eve também possui reflexos super humanos, permitindo-lhe reagir a inimigos diversos em altíssima velocidade. Os limites para as velocidades alcançadas pela garota nesta forma não são estabelecidos, mas é dito que se confunde com teletransporte ao se mover.

- Amon: A primeira letra A é para a força de Amon, o rei dos deuses egípcios, assim como também um deus da virilidade e do ''sopro da vida'' em si. Com esse poder, Black Eve possui níveis absurdos de força, que a classifica facilmente como uma das criaturas mais fortes da Terra, e lhe permite não apenas erguer pesos gigantescos (incluindo, é claro, objetos em escala planetária) como também lhe permite destruir materiais extremamente resistentes. Por seu nível de força ser de uma escala incrível, Black Eve na maioria das vezes se limita à usar apenas a força necessária para todo desafio que enfrenta, tomando cuidado com seus níveis de força para não acabar causando destruição desnecessária, já que sua maior intenção é preservar e salvar a vida na Terra, mas ela gosta muito de arranjar uma forma de se soltar contra alguém que mereça um verdadeiro soco seu, por isso é até normal ela causar um banho de sangue às vezes com essa sua força incrível. Aliás, não é incomum que ela se descontrole de vez em quando e acabe causando sim certa destruição, por conta de seu temperamento, mas não é algo que ela goste.

- Zehuti: Sendo o Z para a sabedoria de Zehuti, também conhecido como Thoth, o deus egípcio da magia e da escrita, Black Eve consegue com isso acesso ao nível divino de conhecimento, tanto místico quanto mundano, podendo simplesmente adquirir conhecimento apropriado para uma situação quanto ser aconselhado melhor quanto ao curso de ação que deva seguir, recebendo conselhos diretamente do deus que lhe confere esse poder, ou mesmo de outros deuses que lhe dão seus outros poderes, dependendo da vontade de Zehuti/Thoth. Essa capacidade ainda lhe confere uma espécie de clarividência, uma memória infalível (conhecida pelos mortais como memória eidética) assim como dicas de táticas de guerra, matemática, entre outros. São muitas as habilidades intelectuais conferidas à ela através dessa forma, mas algumas ainda são desconhecidas pela mesma, então há muito ainda que isso pode lhe reservar, mas sabe-se que ela possui conhecimento do próprio Zehuti, aquele que escreveu o livro que era dito tornar o mago mais poderoso do mundo aquele que o conseguisse ler, o que a garante conhecimentos enormes no que se refere à magia também.

- Aton: O segundo e último A é para o poder de Aton, o deus egípcio do disco solar e da própria criação, e é ele quem alimenta o raio mágico que transforma Freya em Black Eve (com isso, ela consegue o grande dom de manipular a eletricidade em si, mística ou não), mas vai ainda além disso, pois com o poder desse deus ela também aumenta suas demais capacidades, físicas mentais ou mesmo místicas. Sabe-se que é através dessa divindade que ela consegue os níveis mais elevados na magia (cujo limite ainda é desconhecido e deve ser explorado, já que nem a própria Freya conhece os limites desse presente) para realizar feitos místicos de uma variedade realmente ilimitada, principalmente por ser combinada com a sabedoria de Zehuti, podendo atuar na garota mesmo quando não está transformada (sendo um dos únicos poderes seus a funcionar desta forma, como se fosse inerente à mesma), permitindo-lhe realizar feitos místicos incríveis mesmo sem estar na forma de campeã dos deuses. O poder de Aton também lhe dá a capacidade de se teletransportar até a Pedra da Eternidade, através de viagens interdimensionais. Por fim, além de aumentar as suas já incríveis capacidades físicas (como sua força incrível, sua resistência física, etc), esse é o poder também responsável pela sua imunidade à magia.

- Mehen: Por fim, a letra M é para a coragem de Mehen, o deus egípcio serpente, guardião do sol, e que dá um poder para Black Eve que atua não apenas psicologicamente na mulher como também fisicamente, tornando-a praticamente indestrutível tanto quanto a divindade serpente em si, ao conseguir acessar quantidades de força interior super-humanas impressionantes. Com tal poder, Black Eve possui uma força de vontade considerada indomável, que permite a mesma à perseverar mesmo com todas as probabilidades contra si, e ainda em situações que são aparentemente imbatíveis, o que também lhe concede uma invulnerabilidade de nível divino à qualquer tipo de ataque à sua mente, intrusão telepática ou mesmo qualquer tipo de controle sobre sua mente e corpo, e isso se estende até para a sua forma mortal, como Freya, sendo o único poder além da magia em si que funciona consigo mesmo sem estar transformada. Esse poder também lhe permite se curar ou a outras pessoas de forma instantâneas, ao utilizar-se do seu relâmpago. O poder de Mehen também lhe permite ter uma certa graça divina, o que lhe dá uma sorte inata e orientação divina que lhe ajuda muito ao lidar com ações e relações de outros, lhe auxiliando muito em sua capacidade de liderança. Por fim, Mehen também presenteia Black Eve com a imortalidade, pois enquanto ela estiver em sua forma de poder, ela não sofre de qualquer doença ou mesmo envelhece.


Conte o histórico


Nascida há mais ou menos cem anos atrás, no antigo Império Alemão, uma garota chamada Amélie veio ao mundo com um destino muito maior do que ela ou mesmo seus familiares imaginavam, pois ela teria a capacidade de causar inúmeras mudanças no mundo, se encaminhada para o caminho certo poderiam até ser boas. Mas quem disse que o mundo é gentil com seus habitantes?

As coisas conspiraram contra a garota desde antes mesmo de seu nascimento, na realidade ela já corria perigo de não nascer pouco após a sua concepção, quando uma jovem médica zangada com seu marido da época (que havia lhe traído e engravidado duas de suas melhores amigas), resolveu drogar um dos seus pacientes para poder conseguir fazer amor com o mesmo (culpa de sua raiva e sua imensa vontade de se vingar de seu marido), sem que houvesse qualquer relutância em um simples ato de vingança contra seu marido. Acontece que ela quase fora pega ao realizar tal ato, o que quase custou a sua carreira e, talvez até mesmo sua vida, já que drogara um soldado ferido e estavam em meio a que seria chamada futuramente de Primeira Grande Guerra mundial, pois talvez até fosse tomada como um ato de traição para com o seu governo, mas... Para a sua sorte, ela conseguiu se vingar do marido e o soldado em questão nem se lembrou do que aconteceu, como bônus pelas drogas que ela havia lhe dado, e assim ela pôde seguir em paz com a sua vida, agora que havia feito o que queria.

Porém, aquilo não terminou por ali, pois é claro, ela ficara grávida daquele soldado que ela havia drogado, o que acabaria por se tornar um desastre muito maior do que se pode imaginar! Afinal de contas, pouco após trair sua esposa (Olga, mãe de Amélie), Aaron havia sido castrado sem querer por conta de um tiro disparado por um inimigo de forma errônea, o que o impediria de ter qualquer criança, então a mulher não poderia alegar que era dele a criança. E agora, o que ela faria? Seu marido era conhecido por ser realmente violento e andava armado ainda, se ele não a matasse com certeza daria um fim à vida da criança quando nascesse, então ela tinha que tomar rápido uma decisão, antes mesmo que sua barriga começasse a aparecer. Por isso, se viu obrigada à planejar às pressas uma fuga urgente para o interior da Alemanha, o que poderia ser considerada uma covardia extrema, já que o exército precisava de toda ajuda possível com os feridos em batalha, por conta da grande guerra que ocorria, mas ela não se importou. Tinha que dar prioridade para si e para sua prole, certo? Por isso ela arrumou as suas coisas e, em segredo, fugiu com um amigo seu para o interior da Alemanha, até uma cidade pequenina que era praticamente um vilarejo sem nome, que era perfeito para ela se esconder.

Foi ali que ela viveu em paz por muitos e muitos anos. Quando sua filha nasceu, ela deu o nome à garota de acordo com a junção do seu, de seu amigo (que lhe ajudara na fuga, e naquela altura havia se tornado seu segundo marido) e, por brincadeira, também a nomeou com o sobrenome do soldado que ela lembrara ter drogado, como uma piada interna para os chifres de seu primeiro marido canalha, pensando que nunca iria ter importância o sobrenome de ''Hitler'' para uma garotinha do interior, já que ela nem sonhava que o soldado poderia ter qualquer destaque naquela guerra... Bem, ela estava certa sobre o soldado nessa primeira grande guerra, mas nem imaginava o que esperava por esse nome após esse conflito.

De toda forma, durante alguns anos eles viveram em paz no interior desse vilarejo, que os acolheu de forma adorável, sem se importar se eles eram ou não fugitivos da guerra, já que eles todos também odiavam a mesma, mas davam graças à protetora deles por manterem todos longe da guerra, graças aos seus poderes mágicos que ela demonstrava ter. Como era considerada uma santa pelo vilarejo, ninguém tinha medo dessa tal senhora, por isso ela era sempre vista como bondosa e confiável por todos durante muitos e muitos anos de sua vida, então tornou-se comum ela cuidar de certos assuntos quando não tinham para quem pedir, desde coisas simples como cuidar de plantações a até mesmo cuidar das crianças do vilarejo quando os pais queriam ficar um pouco livres, e nunca se arrependeram de nada, já que ela nunca fizera mal ou mesmo tocara em qualquer criança durante todos os anos em que estava com eles. Mas isso foi apenas até essa mulher conhecer a bebê de Olga, Amélie, pois desse dia em diante ela sofreu sim algumas mudanças...

Não que ela tenha se tornado má, ou mesmo fizera algo com a bebê, na realidade só o que aconteceu foi que essa senhora começou à fazer de tudo para poder passar algum tempo com Amélie, ainda que Olga e Moisés (padrasto de Amélie, e segundo marido de Olga) nem soubessem, pois a mulher usara discretamente sua magia por diversas vezes para causar doenças ou alguns pequenos desastres, por tempo o bastante para que tivessem que dar a criança aos cuidados dela, enquanto cuidavam de arrumar as coisas, até a próxima vez que a senhora iria querer ter a criança para si por mais um tempo. Mas acredite, a criança nunca passou por nada demais nas mãos dessa senhora. Não que ela soubesse...

Só o que importava para Amélie no início era ser uma criança normal, brincar e fazer amizades, procurar encrenca e... bem, todo tipo de besteira que crianças fazem, entende? Mas sem nem saber, Amélie sempre tivera sua mente sondada por essa senhora, quando a mesma tinha algum tempo consigo como babá, e nunca encontrara nada demais... até que as memórias começaram à aparecer em sua cabeça...

A criança nem sabia do que se tratava, ficara extremamente confusa no início, e seus pais até acreditavam que a pequena estava só tendo alguns pesadelos bem vívidos, por isso não deram muita importância, mas a menina quase entrou em pânico na época. Afinal, imagine você, com cinco anos de idade, ter a imagem de assassinatos e batalhas contra seres poderosos passando o tempo todo na sua cabeça? Toda aquela violência, a brutalidade dos embates... ela quase entrara em pânico, mas foi salva pela senhora que parecia ter um interesse especial nessas memórias, ainda mais do que proteger o vilarejo com sua magia...

À partir do momento que a criança mostrou ter tais lembranças, a senhora pareceu muito feliz, mais que o normal, mas que ficou desconhecido o que era durante muito tempo. Mas o que importa é que ela ajudava Amélie sempre que a menina via qualquer imagem nova em sua cabeça que parecesse com tais lembranças, dizendo que somente ela poderia auxiliar a garota à colocar tudo em ordem para que entendesse o que estava acontecendo, e assim a criança se viu basicamente dependente da senhora, já que ela era a única que sabia acalmá-la e organizar seus pensamentos quando tais imagens aconteciam, ao usar de sua magia para isso.

Com isso, Amy passou à frequentar muito mais a casa da senhora, e viu coisas que nenhum outro do vilarejo podia ver, mas que ela dizia que Amy poderia, já que um dia ainda iria aprender a verdade sobre a magia, dizendo quase que o tempo todo que ela era uma espécie de ''escolhida'' pelos deuses. Entre essas coisas que ela via, estavam vários e vários rituais de magia, do qual a criança participou inúmeras vezes, principalmente quando se tratava de conversar com os mestres da bruxa, os deuses aos quais ela servia e pareciam gostar muito da criança. Ela aos poucos foi se lembrando que já havia visto eles antes, em uma encarnação passada, como deuses que lhe auxiliaram inúmeras vezes em trazer a justiça verdadeira para os malvados, e por isso que foi confiando neles, quase que cegamente, o que a fez se envolver cada vez mais com os tais deuses.

Ela estava mergulhando de cabeça nessa ideia de magia e seus deuses enquanto crescia, o que não a impediu de se tornar uma linda jovem como todos esperavam. Ela era justa e às vezes até sarcástica, mas nunca chegava a ser malvada de verdade, pedindo sempre desculpas quando machucava demais alguém com suas palavras, o que muitos admiravam na jovem. De toda forma, o envolvimento de Amélie com a senhora bruxa aparentemente não havia afetado-a enquanto crescia, assim como também não atrapalhara o vilarejo e sua paz, o que ainda ajudou à todos a continuar com sua vida tranquila. Mas é claro que, como essa não é uma história feliz, tinha que acontecer algo, certo?

Bem, aconteceu, e foi pior do que pode imaginar. Pois Olga viu o erro que havia cometido ao dar o sobrenome pai de sangue da garota como vingança, ao ficar sabendo (quando visitou a cidade vizinha) quem é que havia conseguido subir ao comando da Alemanha, se tornando assim o Führer da Alemanha na época: Adolf Hitler, o soldado que ela havia drogado e do qual havia engravidado... Olga ficou com tanto medo que fosse descoberta, que no dia seguinte fez de tudo para que Moisés, seu segundo marido, roubasse todos os documentos que poderiam dizer o nome da garota, para que pudessem guardá-los, enquanto que ela mesma tratou de mudar o nome da menina, para o de uma avó sua, mãe de sua mãe. Claro que isso havia sido uma boa ideia, mas ela precisava garantir que a filha não iria correr nenhum risco MESMO, por isso planejou logo após isso que iria fugir mais uma vez com sua família, mas desta vez para fora da Alemanha Nazista... oq ue era ao mesmo tempo uma boa e também uma má ideia.

Boa, pois assim Freya (novo nome da garota) iria ficar bem longe de seu pai legítimo e da guerra que o mesmo estaria prestes à começar, e má pois... a bruxa precisava muito da garota, e ela não deixaria mesmo a menina ir embora...

Quando a senhora soube que a família iria embora do vilarejo, foi a vez DELA entrar em pânico, pois ela sabia que os deuses precisavam daquela garota à todo custo, e ela não sabia o que fazer para convencer ao casal para ficar, já que agora ela tinha ainda mais medo de ser descoberta pelo líder Nazista do que tinha do exército ou de seu primeiro marido. Então, vendo que não tinha mesmo como convencer Olga ou Moisés a ficarem no país por bem, ela fez a única coisa que conseguiu imaginar como atalho: tentou matar ambos e sequestrar a jovem Freya. Acontece que nem tudo deu certo, pois Freya viu a cena de seus pais serem assassinados, e reagiu. Tudo bem que ela não tinha qualquer poder, e a bruxa dizia que se ela contasse para outros o que havia acontecido, ela seria obrigada a matar o vilarejo inteiro para poder ficar com a guarda da menina, o que só a deixou ainda mais apavorada, e a forçou à fugir, ou ao menos tentar, pois a bruxa era rápida, e a perseguiu. Em certo momento dessa perseguição pela floresta, os deuses (que eram chamados de mestres pela bruxa) apareceram para Freya, quando a garota estava exausta e sem esperança de fugir, oferecendo a ela um acordo.

Eles disseram que poderiam dar à ela todo o poder para não apenas se salvar, como também para proteger ao seu mundo, mas só pediam em troca que ela se tornasse a campeã deles, que lutasse com todas as forças para trazer a paz ao mundo, custasse o que fosse, sem nunca corromper esse seu propósito, não importando os meios necessários. Claro, avisaram também o custo que teria ao ter tanto poder, e suas responsabilidades, mas tomada pelo desespero a menina nem pensou duas vezes... e, ao aceitar, pela primeira vez eles disseram então que ela poderia dizer a palavra mágica que invocaria a força dos deuses que haviam tomado-a como sua campeã, e assim foi a primeira vez que ela disse a palavra mágica, e os deuses egípcios agradeceram-na, quando viram que ela havia se tornado... Eva Negra, a reencarnação de Adão Negro.

Shazam! Um trovão caiu, acertando em cheio a menina, e chamando a atenção da senhora bruxa, que foi logo atrás ver o que havia acontecido, sem saber que caminhara para a morte. Uma vez que Freya sentiu o poder que havia recebido ao gritar aquela palavra, e ainda tomada pela raiva que tinha das ameaças da bruxa e, principalmente, do assassinato de Olga e Moisés, ela não pensou duas vezes antes de avançar contra a bruxa e dividi-la em dois, ao chutar a mesma na altura da cintura, com mais força do que imaginava ter. Inicialmente ficou atordoada com o que fizera, mas logo sua consciência se aliviou, quando teve que realizar o enterro de sua mãe e seu padrasto, se lembrando do que a senhora fez, e que ela merecia mesmo aquilo... E claro, ela não guardou segredo do vilarejo, e para a sua sorte eles acreditaram nela, até participando do funeral de seus pais e da cremação do corpo da bruxa.

Para alívio daquelas pessoas, ela prometeu que ficaria por lá no lugar da bruxa, e os protegeria muito melhor que ela, de forma justa e sem pedir nada em troca, o que também serviu de bastante distração/consolo para a garota, já que agora ela era ainda mais amada por todos, agora que era a nova protetora. Porém, as coisas ruins não haviam acabado, pois na semana seguinte, os nazistas chegaram ao vilarejo (sem querer mesmo, em uma patrulha), que agora desprotegido pela magia da senhora, estava novamente aberta para visitas...

O pior de tudo era que o vilarejo era composto por 90% de Judeus, o que para ninguém ali dentro era ruim, mas... bem, tendo em vista como eram os Nazistas com os Judeus, já deve imaginar que não tiveram uma interação muito amigável com a população, certo? Pois bem, Freya tentou argumentar e pedir para que não fizessem nada com seus protegidos, mas não a ouviram, e ela foi obrigada a massacrá-los, sem deixar nenhum sobrevivente... Ela os salvou, mas ainda assim não era o fim, já que ela imaginava que viriam mais, como os deuses sussurravam ao seu ouvido, então ela tinha que buscar uma forma de proteger o vilarejo novamente...  Infelizmente, os deuses que lhe auxiliavam não sabiam bem quais magias a bruxa usava para proteger a vila, então ela se viu obrigada a perguntar pessoalmente para o espírito da bruxa em questão. Fazer o ritual para a comunicação foi fácil, mas a questão era que a senhora não queria mesmo colaborar consigo, sendo bem irônica e brincalhona com a garota, agora que ela sabia que não poderia ser tocada pela mesma (afinal, estava morta), e irritando muito à Freya, que tentou de todas as formas pressionar a fantasma, mas sem sucesso.

Pior do que isso foi o que a velha fez, pois conseguiu distrair tempo o suficiente a garota no plano astral, enquanto que no vilarejo os seus protegidos foram atacados de surpresa pelos soldados nazistas que chegaram na surdina, após darem a falta dos seus companheiros e seguirem os rastros de batalha que eles tiveram no dia anterior. Imaginando que os civis foram os que conseguiram reagir aos soldados, e encontrando-os se livrando dos corpos, eles tomaram a atitude de reunir todos no meio da cidade para decidir o que fazer, mas os mataram todos de uma vez quando descobriram que, além de tudo, eles eram judeus... Quando Freya acordou, só conseguiu encontrar corpos atrás de corpos, e soldados nazistas aos poucos recolhendo-os, para fazer sabe-se lá Deus o que...

Ela ficou tão furiosa com aquilo que dizimou ao exército com as suas mãos, e depois disso foi ainda em busca de mais, tudo por conta das palavras que a senhora bruxa havia dito pouco antes de se despedir dela do plano astral... Pois acontece que, pouco antes da conversa da senhora e de Freya terminar, no plano dos espíritos, a bruxa debochou da garota toda poderosa, dizendo que não poderia proteger ninguém do futuro que os aguardava agora que ela havia morrido, e seria tudo culpa dela e dos deuses da magia que conspiraram contra si, uma simples bruxa que buscava mais poder... E todas essas palavras provocativas arrogantes da bruxa, juntas da visão dos corpos de todos que a garota amava, fizeram ela surtar, de forma que ela foi bem além de matar apenas os soldados que haviam atacado seu vilarejo, como também foi na direção de que eles vieram, tentando encontrar os seus líderes, o que levou a garota em uma série de assassinatos, já que naquela altura os Nazistas estavam realmente tentando limpar a sua sociedade de judeus.

Isso foi terrível o bastante para atrair a atenção do Mago Shazam e do Conselho da Eternidade, que se encontrava ali perto para investigar a explosão mágica que acontecera alguns dias antes e se repetia (o raio que caía em Freya, sempre que ela se transformava), e se viram obrigados à lutar contra a desconhecida descontrolada. Foi uma batalha intensa, Freya acabou até matando a maioria do conselho, mas Shazam como sendo o último sobrevivente diante da garota, conseguiu aproveitar uma brecha para jogar a garota em uma caverna profunda no subterrâneo, selando-a com a magia que ele juntara no momento da morte dos outros membros do conselho para o poderoso feitiço (feito esse que ele mesmo disse não poder repetir, já que usara a força do restante dos membros do conselho no momento de suas mortes, o que só ajudou a fortalecer a magia), tendo em vista que não conseguia afetar diretamente a mulher como queria, mas assim pôde garantir que o mundo enfim estaria livre dela... mas, por quanto tempo?

Depois daquilo, Freya não sabia o que Shazam foi fazer, mas ela refletiu por muito tempo sobre o que havia feito, e tudo o que havia provocado... Demorou, mas como ela teve muito tempo para pensar, ela acabou enxergando que realmente havia se exaltado, e aprendeu com os sussurros dos deuses na sua cabeça como é que deveria se portar depois desse dia. Por isso, após vinte anos tentando quebrar as barreiras do mago Shazam com seus próprios punhos e até magias, ela aceitou que teria que aguardar ali até que fosse libertada, e pelo restante do tempo ela ficou meditando, não apenas para se controlar, como também para se acostumar com os poderes e responsabilidades que tinha agora. Com o tempo, aprendeu até magias com os deuses, se tornando uma guerreira ainda mais completa, assim como conseguiu aos poucos direcionar toda aquela sua raiva para o seu dever. Isso a tornaria ainda mais implacável na luta contra o mal, mas, se a ajudaria à se concentrar em seu dever, que fosse!

Ela ficou aprisionada durante muitas décadas, até que recentemente foi libertada, não apenas pela morte recente do grande Mago Shazam, como também pela escavação realizada pelos humanos em busca de petróleo, que acabou danificando de fora as runas feitas pelo grande mago na caverna subterrânea em que a garota se encontrava, e terminou de libertá-la. Só que, dessa vez, ela já estava mais controlada e ciente de suas ações, Black Eve prometera para os deuses egípcios que não repetiria mais seu erro, sabia que agora só devia punir à quem merece, os verdadeiros vilões.

Hoje, Freya sabe se misturar e treina o tempo inteiro seu auto-controle, para garantir que não irá mais ter nenhum episódio de raiva mais. Tende a usar sua transformação com responsabilidade, punindo sem piedade aos criminosos, e, claro, visando cumprir a principal promessa que fez aos deuses egípcios: exterminar o mal do mundo. E acredite, ela pretende transformar esse mundo em um paraíso, mesmo que para isso precise mandar todos os seres malignos para o inferno usando seus próprios punhos!

Outras Coisas


i. Fontes e referências para os dados da personagem: aqui, aqui e aqui e aqui

ii. Como se trata de uma linha do tempo diferente da nossa, tomei a liberdade de incluir uma coisa pequena nessa linha temporal, mas não muito importante: o soldado em questão que a mãe de Freya drogara (e do qual ela engravidara sem querer) durante a Primeira Guerra Mundial para se vingar de seu marido se chamava Adolf Hitler, que fora hospitalizado por conta de um ferimento na coxa na época de 1916, e mais tarde viria à ser conhecido como o líder do partido Nazista, o Führer mais conhecido hoje em dia, o que torna a garota realmente a filha de sangue do ditador. Um fato que apenas complementa a história da personagem, e a torna semelhante à sua versão masculina de outra linha temporal: o Adão Negro, já que ambos possuem o sangue de governantes em suas veias.

iii. Apesar de ser considerada uma Vilã pela esmagadora maioria, Freya se declara abertamente como Anti-Heroína, pois procura lutar mais por um mundo sem guerras, ditadores e qualquer tipo de maldade, e irá fazer qualquer coisa para conseguir isso, mesmo que tenha que massacrar milhares ou milhões que se oporem à essa ideia. Às vezes ela adota o pensamento de que a humanidade necessita de uma boa liderança para lhe levar ao caminho correto, e é por às vezes pensar que ela seria a governante perfeita para tal tarefa que faz com que muitos a vejam como uma vilã (além de, é claro, suas atitudes), mas ela não se importa com o que achem. Só o que ela quer mesmo é um mundo de paz, ainda que para que ela tenha que alcançar tal objetivo ela seja obrigada à matar qualquer um que se oponha à tal ideia.

iv. A transformação de Black Eve para sua forma comum, Freya, não a faz envelhecer, como era com uma antiga versão de Black Adam, usando como referência HQ's e animações mais atuais, em que ele era permitido voltar à forma humana comum sem sofrer com isso. Ainda assim, é normal se ver Freya andando por aí quase sempre transformada, como forma de se prevenir contra qualquer tipo de surpresa.

v. Os deuses egípcios estavam à procura da reencarnação de Black Adam afim de honrar o antigo acordo de Set, mas precisavam de ajuda para isso, por isso se comunicavam com diversos magos que os adoravam e estavam espalhados pelo mundo, a bruxa que encontrou Freya só teve a sorte de encontrá-la, e após isso os deuses só tiveram que esperar que ela voltasse à ter consciência de sua missão (o que aconteceu, quando ela se deu conta de que era a reencarnação de Black Adam) para que fosse digna, e assim lhe devolveram a capacidade que sua antiga encarnação tinha, e voltou a poder se transformar na campeã dos deuses da magia. Porém, diferentemente da figura bondosa que é Shazam, Black Eva tem a missão de punir os injustos e trazer a paz ao mundo, custe o que custar, e os deuses do panteão egípcio a apoiam totalmente em cada decisão sua.

vi. Por conta das décadas que ela tem de experiência com o poder de Shazam, há algumas coisas que Freya pode fazer que devem ser levadas em conta. Como por exemplo, ela pode sim dizer a palavra Shazam sem invocar qualquer raio se assim quiser, ou mesmo invocá-lo ao se concentrar um pouco na palavra Shazam, sem precisar dizer nada, ainda que não seja tão prático dessa forma. Freya também aprendeu a guiar o raio até ela através de outros meios (ao ser conduzido por outros corpos até ela, como por metais ou mesmo a água por exemplo), podendo fazer o raio mágico passar por outros e objetos sem causar ferimentos ou destruição, para que, quando chegar na garota, ela se transforme ao tocar ou ser tocada pela eletricidade mística do raio. Porém, ela pode escolher também permitir que o raio siga seu curso natural ao invocá-lo,como sempre faz, danificando quem ou o que estiver no caminho entre o raio e a garota, para ela se transformar. Essas capacidades foram pegas de HQ's envolvendo Shazam que eu vi, e envolviam um Shazam (Freddie Freeman) já experiente e em uma situação parecida com a de Black Adam, que recebia também seus poderes diretamente dos deuses e não do mago em si, por isso achei plausível adicioná-las à personagem, para dar-lhe um pouco de ar de experiência para ela.

vii. É importante dizer que os deuses egípcios perdoam seu descontrole ocasional, tendo em vista que ela ainda está se acostumando à ser quem deve ser, mas possui o coração no lugar certo para sua missão.



Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum