[RP Fechada] So cute!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP Fechada] So cute!

Mensagem por Freya Romanova em Dom Mar 26, 2017 2:10 am

So Cute!
A roleplay é iniciada pelo post de Eustass Kolarov, seguindo por Freya Romanov. Estando, portanto, FECHADA para os demais. Passando-se esta em 01 de Fevereiro, Radisson Martinique on Broadway. O conteúdo é SOMENTE PARA MAIORES. Atualmente, as postagens estão EM ANDAMENTO.



_________________


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Eustass Kolarov em Dom Mar 26, 2017 2:49 am



Brainwreck

Quake & Rage

Tudo ia de mal a pior no cotidiano do jovem Russo, Eustass Kolarov, que há tempos estava perdido no labirinto que se formava em seu cérebro, a velocidade e facilidade em adquirir informações a respeito das pessoas lendo as mentes delas era algo que o pequeno meta-humano ainda não conseguia lidar. Ainda que pudesse controlar grande parte do seu poder mental, muitas vezes as coisas aconteciam de forma involuntária e as vozes invadiam seu interior.

Aquele dia não foi diferente. Eustass estava caminhando tranquilamente pela rua quando despertou sua fúria em mais um de seus surtos psicóticos. Com um grito extremamente forte ele expeliu o ar de seus pulmões, esticou ambos os braços para frente na altura do tórax. De repente tudo começava a tremer, as ondas sísmicas que saiam das mãos do jovem abalavam o perímetro. Alguns prédios rachavam, pessoas corriam com medo dele e se afastando o mais depressa possível antes que algo pior acontecesse.

Seus olhos reviraram pelo uso exagerado de seu poder psíquico em somatória à cinese, e não demorou para que, sobrecarregado mentalmente, o menino caísse no chão inconsciente, desmaiando ali mesmo no meio da rua.

• • •

Aos se passarem algumas horas Eustass abria os seus olhos pela primeira vez desde o ocorrido, ainda com forte dores de cabeça e com a visão turva. O choque fora grande e levou a mão direita até a cabeça atenuando a dor que o assolava naquele momento, mas tudo parecia estar tranquilo. Estava deitado em um sofá, com um lençol cobrindo seu corpo e uma almofada apoiada na cabeça, provavelmente alguém havia cuidado dele todo esse tempo, mas quem? Sentou-se no sofá levantando vagarosamente o tronco esguio, e se endireitou no sofá macio em que estava.

Que lugar é esse? - Disse consigo mesmo, sem imaginar onde estava. Não se lembrava de nada do ocorrido, sua mente sobrecarregou de tal maneira que acarretou em sua perda de curta prazo fazendo-lhe esquecer do que aconteceu horas antes. Olhou para os lados e não viu ninguém, receou que estivesse sozinho naquele lugar desconhecido pois não sentia nenhuma presença por perto e não conseguia usar sua telepatia, já que seu cérebro estava sobrecarregado e sua cabeça doía muito.



copyright 2013 - All Rights Reserved for Larissa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Freya Romanova em Dom Mar 26, 2017 12:18 pm

Calm down!


Já haviam se passado alguns dias desde que eu havia sido libertada de minha prisão mística construída pelo mago Shazam, e eu ainda mal conseguia acreditar no quanto esse mundo havia mudado. Televisões enormes, máquinas de doces, hospitais gigantescos e com máquinas eletrônicas que fariam o meu maldito pai morrer (de novo) de inveja... Algumas coisas para mim ainda pareciam como mágica, de tão avançada que estavam as coisas (eu nunca imaginei que existiriam tantas luzes nas cidades, e telas em cima de prédios, por exemplo) e por isso ainda estava bem perdida ali, mas para a minha sorte eu já tinha alguém me ajudando a não ficar como uma errante no mundo de hoje... Só que, eu não podia ainda assim descansar e deixar de lado a minha verdadeira missão, por isso eu continuei à explorar esse mundo, ainda que já tivesse um lugar confortável e seguro para voltar, com meu... amigo...

E apesar de não gostar disso, fico um pouco menos perdida quando vejo que algumas coisas nesse mundo não mudam nunca. Pois, mesmo com a nossa derrota e a queda do meu pai na segunda grande guerra, ainda existiam malfeitores que não desistiam de tentar ganhar a vida de forma fácil, ou seja, ferindo inocentes. O que foi o suficiente para me motivar ainda mais à continuar com minha luta como Black Eve, pois ainda haviam  vilões para eu destruir, e os deuses me apoiavam nisso...

É por conta disso que eu ainda faço minha vigília, em busca de criminosos para punir, sejam comuns ou não, eu não podia deixar de forma alguma as pessoas sofrerem como o meu povo sofreu, pois o mal não merece qualquer chance nesse mundo! E foi assim que eu estive todos os dias, assim como hoje também, em que eu procurei por cada canto da cidade por bandidos que, infelizmente, não pareciam tão intimidados em agir à luz do dia, então eu praticamente não parava com minhas atividades como Eva Negra, o que para mim não era nenhum incômodo, já que parte de ser eu envolve também não envelhecer e nem precisar de comida ou água, então se tornava até um saudável passatempo! Mas confesso que chegou em um momento em que eu me assustei sim, não com bandidos ou vilões pois eles nunca me assustam, me dão é raiva, mas ver aquele garotinho fazer a cidade inteira tremer ao gritar... me impressionou! Sendo sincera, nem imaginava que existiam pessoas assim hoje em dia, mas pelo visto eram mais comuns do que eu imaginava, tendo em vista que ele era o segundo com poderes que eu havia encontrado nesses meus primeiros dias após sair de meu confinamento...

Tudo bem que o garoto causara o maior caos ali com aquele seu surto, pessoas gritaram e vi até alguns carros derrapando pela pista enquanto que ele permanecia parado, gritando enquanto o chão parecia tremer e os prédios rachavam. Fiquei com suspeitas de que ele estivesse apenas com medo, e por isso os gritos, mas de acordo com Thoth, o deus da sabedoria que vive em minha cabeça, não restava dúvidas de que a energia que parecia perturbar o solo vinha do garoto, o que me partiu o coração... afinal, ele estava perturbando a cidade, e eu tinha que pará-lo... Por isso, devagar eu fui me aproximando dele, voando pelo seu ponto cego, para que pudesse terminar aquilo sem lhe causar dor, mas, para a minha alegria, logo que alcancei as suas costas ele desmaiou. De início não entendi bem o que havia acontecido, mas com uma rápida conversa com o deus na minha cabeça eu compreendi, ele não fazia nada daquilo por que queria, estava descontrolado e ainda era novo com seus poderes, logo, não deveria ser culpado por nada, certo?

Nossa, eu fiquei tão aliviada por entrar nessa conclusão junta de Thoth, que realmente não me segurei e sorri sem parar, para o menino desmaiado. Pois acontece que agora eu podia ajudar ele, não precisava machucar ninguém, e ele poderia talvez viver uma vida tranquila e feliz, quando conseguisse controlar seu dom. Só tinha um problema: com quem eu iria deixá-lo? Afinal, o governo iria querer explorar as suas habilidades, então não poderia deixá-lo no hospital para que cuidassem dele, e nem existe uma escola para crianças com poderes, certo? Foi por conta disso que eu não vi muita escolha, e resolvi cuidar dele eu mesma... pelo menos até eu saber o que faria com ele...

Então após alguns minutos parada no meio da rua, olhando para o garoto e imaginando qual seria meu próximo movimento (causando até algum congestionamento, já que estava parada no meio da rua, mas não liguei), eu passei meus braços por debaixo de seu corpinho pequenino e leve, e então saí voando dali com ele, voando e olhando de janela em janela nos prédios, procurando um local bom para que ele pudesse descansar e se recuperar, mas não foi fácil. A maioria parecia estar ocupada, e eu não podia tirar as pessoas de suas casas ou atrapalhar as suas vidas com um problema novo, então continuei procurando, até que eu encontrei o Radisson Martinique on Broadway, local que parecia ser mesmo um hotel muito bonito. Não que eu tivesse dinheiro, mas precisava urgentemente de um lugar para ajudar ao garoto, então eu tive que invadir... Então eu abri a janela do último andar (acho que chamam de cobertura) sem danificar nada, e fui pousando com muita calma no chão, ao lado do sofá, para poder deixar o garoto descansando, e depois lançar o feitiço naquele apartamento, para que ninguém entrasse enquanto eu o checava, só para ter certeza de que ele ficaria bem... o que é claro que eu cancelaria assim que ele quisesse, se estivesse bem ao acordar, já que não estava sequestrando ninguém...

Usando minha magia, estendi minhas mãos abertas por cima de seu corpo e deixei com que minha energia mística percorresse seu corpo, sem lhe causar qualquer sensação, pois era apenas uma forma de rastrear qualquer ferida que ele pudesse ter, o que para minha alegria, não resultou em nada. Então, mais tranquila, eu fui até o armário do quarto e peguei cobertas e um travesseiro para o garoto, para que ele ficasse confortável ali, enquanto eu arrumava a cama para ele deitar melhor.  Mas, sabe, enquanto eu o cobria e afofava seu travesseiro, notei uma coisa que não consegui segurar- É tão fofo! Não dá para acreditar que esse anjo tenha tanto poder como demonstrou... -comentei com um sorriso para Thoth, na minha cabeça, aos sussurros para não acordar ao menino...

Assim que tive certeza de que ele ficaria bem, fui tratar de verificar a cama para ver como é que ela estava (se estava suja, confortável ou não, já que... bem, na minha época, os hotéis não eram tão limpos, então eu não quis arriscar) antes de pensar em colocar o menino ali, mas me ocorreu uma ideia logo após terminar de arrumar tudo... O garoto havia caído na rua, não é? Então deveria estar sujo, ou ao menos precisava de um banho, e por isso eu fui preparar a banheira para ele, como era de costume fazermos antigamente. Acontece que foi mais rápido do que eu imaginava! Afinal, a água já saía quente da torneira depois que Thoth me ensinou a programá-la, e acontece que eu nem precisei esquentar nada dali, o que me deixou embasbacada! Enfim, pelo visto tinha também sabão, shampoo e todo o tipo de produto ali para ele se limpar, então eu fiquei mais aliviada. Só que, quando eu pensei em sair do banheiro para voltar a prestar atenção no garoto e em como ele estaria ao acordar, eu acabei ouvindo sua voz (que reconheci, por conta de seu grito) do outro cômodo, e fiquei extasiada!

Feliz por saber que ele estava bem, quando ouvi suas primeiras palavras ao acordar, acabei até usando sem querer minha super-velocidade para ir até ele, de tão animada que estava, então me ajoelhei na sua frente, me sentei no chão mesmo e o abracei. Envolvi seu tronco com meus braços, e então pousei meu rosto no seu ombro, aplicando menos força que fosse possível no abraço, já que eu não queria machucar ou matar o coitado, só queria mesmo mostrar que estava feliz por ele estar bem e, claro, que não estava sozinho ali- Graças a Deus você está bem, eu fiquei tão preocupada! -confessei, enquanto ainda o abraçava... e assim fiquei, por longos dois minutos, até que estivesse realmente aliviada- Ainda bem que você acordou, eu... -ia começar à falar, ao soltar aos poucos o menino para lhe dar espaço, mas... ele parecia ainda tão desconfiado e assustado ao me ver ali, que eu não consegui continuar com o que eu queria dizer. Tinha que tranquilizá-lo antes de continuar, então me sentei à sua frente para falar, mas não me afastei dele, nem um pouco, e nem queria... pois é, ainda o achava uma gracinha, então não deu para evitar!

- Desculpa, eu não queria te assustar, mesmo! Não estou aqui para lhe machucar, tá bem? Você não precisa ter medo de mim! -disse com calma para ele, com uma das minhas mãos na sua bochecha e acariciando-o ali com calma usando o meu dedão, com os outros quatro dedos segurando sua bochecha, sorrindo enquanto eu falava de forma tranquila- É que eu te vi usar os seus poderes, e daí você caiu na rua, então... Tive medo de te levar para o hospital, e que te levassem para alguma base secreta do governo para te machucar e... Bem, eu te trouxe para cá, tudo bem? -perguntei, um pouco envergonhada- Não se preocupe, ainda está em New York, e esse lugar é bem no meio da cidade, então... se quiser que eu vá embora, ou precisar de ajuda, é só gritar que aposto que vai vir muita gente para ajudá-lo. Ainda mais se for para um garoto fofo como você! -dizia com calma, de início tentando tranquilizá-lo, mas depois eu encerrei a frase apertando um pouco a bochecha dele com a mão que estava ainda no seu rosto, e ri um pouco, pois era uma forma de descontraí-lo, além de um elogio sincero.

Enfim, olhando o tempo todo em seus olhos para transparecer toda a verdade, sorri mais uma vez para o menino, enquanto arrumava seus cabelos e acariciava seu rosto, ainda analisando-o um pouco, admito, para ter certeza mesmo de que estava bem- Pode confiar em mim tá? Eu prometo tentar não lhe decepcionar! -disse, sorrindo mais uma vez para ele- Aliás... qual o seu nome, querido? -perguntei, curiosa mesmo, mas é claro que para ele confiar mesmo em mim eu tinha que dar o primeiro passo, então nem esperei ele responder e me apresentei, para tentar deixá-lo mais à vontade- Eu me chamo Freya, mas você pode me chamar como quiser, tá? -completei a frase com um sorriso doce para ele.

Claro, ele parecia ser um fofo, e talvez precisasse de um pouco de atenção, mas juro que o deixarei em paz depois que tiver certeza de que ele está bem e não precisa mais de mim, tá? É só... não sei... instinto de mãe? Os deuses da magia me dizendo que era o certo me preocupar com ele? Bem, seja o que for, não deve ser ruim, já que é sempre bom cuidar da próxima geração...

tag: Eustass | roupas: Black Eve

OFF: Ish, empolguei-me, sorry! >////< 


<3

_________________


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Eustass Kolarov em Seg Mar 27, 2017 12:58 pm



Brainwreck

Quake & Rage
Eustass ainda confuso não imaginava onde estaria naquele momento, só que de repente uma garoto que aparentava ter 25 anos - apenas aparentava - surgiu em meio à sala como um vulto, confundindo ainda mais o jovem Russo. Quem era ela? E o que ela era, eram as perguntas que rondavam na mente do pequeno que não conseguia usar seus poderes mentais para descobrir. A princípio não parecia querer fazer mal a ele, mas ainda assim Eustass permaneceu na defensiva sem se aproximar da moça que o apertava as bochechas, mantendo-se atento ao que ela falava e tentava explicar. Para o garoto eram muitas informações, ele ainda não havia entendido o que aconteceu anteriormente nem do surto que teve no meio da rua.

Os olhos azuis e chamativos da desconhecida - até aquele momento - deixava-lhe enfeitiçado, possuía uma doçura e simplicidade verdadeiras que ele era incapaz de sentir ódio por ela. Talvez estivesse encantado pela beleza da jovem, não sabia ao certo o que estava sentindo, mas aos poucos ficava envergonhado ao vê-la ali de joelhos bem a sua frente enquanto tocava-lhe a face. Ao olhá-la de cima, o vestido curto e preto da garota deixavam à mostra suas roupas íntimas, o que não era propositado porém deixava-o ainda mais envergonhado.

Eustass enrubesceu envergonhado e estreitou os olhos desviando o olhar. Seus olhos pretos miravam agora a janela, seu coração parecia acelerado, não sabia o que dizer, todavia um bom primeiro passo seria responder a pergunta que lhe era feita.

— Me chamo Eustass… - Freya, como havia se apresentado, parecia estar bastante interessada em ajudar o jovem meta-humano que ainda estava desnorteado. Entretanto, seria difícil fazê-lo confiar em alguém que não seja ele mesmo.

Os olhos ligeiros do garoto reparavam em cada canto do quarto, as janelas quadradas, os móveis todos bem postados e a vista da janela que dava para o horizonte, ao que tudo indicava ele não estava muito longe do último local que ele se lembrava, e estava aparentemente em um quarto de hotel, só que ainda haviam muitas perguntas pelas quais ele queria saber as respostas, não se lembrava sequer de ter usado seus poderes, Freya havia lhe explicado tudo e ainda assim ele estava confuso.

— Frey, obrigado por sua ajuda, mas não precisava.



copyright 2013 - All Rights Reserved for Larissa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Freya Romanova em Seg Mar 27, 2017 8:33 pm

Calm down!


Quando saí hoje para caçar criminosos, eu realmente não me imaginava encontrando um garoto perdido e com poderes descontrolado no meio da rua, mas fiquei realmente feliz em ser a primeira a encontrá-lo, pois assim poderia protegê-lo e, claro, ajudar ao menino. E olha que inicialmente eu nem prestei atenção direito no garoto, só pensei mesmo em ajudá-lo, mas depois que consegui vê-lo dormindo no sofá... nossa, deu tanta vontade de apertá-lo, acredita? Ele parecia um anjinho desmaiado daquele jeito, e eu quase realmente esqueci das minhas coisas ao me sentar ali ao seu lado e fazer um cafuné nele, mas é claro que não podia fazer isso, pois tinha que terminar de garantir que ele estaria bem... E quem sabe depois eu faria mais um pouco de cafuné, certo? Pois era muito bom fazer carinho nesses cabelos macios dele, e olhar para seu rostinho de anjo relaxar enquanto isso...

Só que, para a minha alegria, logo após eu preparar a banheira para um banho quente, eu o ouvi despertar e se perguntar aonde estava, o que só poderia significar que ele estava bem, e por isso não aguentei meu ânimo e realmente avancei nele, abraçando-o com todo carinho que alguém poderia ter com um menino tão fofo e bonito. Porém, essa minha aparição surpresa não pareceu ser vista com bons olhos pelo garoto, que pareceu realmente surpreso com aquele abraço que eu lhe dera e... bem, com todo o resto do que tentei fazer para ele.

Não posso culpá-lo, já que eu mesma reconheço que fui muito repentina ao me aproximar dele, mas ainda não dava para resistir e... bem, acabei tentando deixá-lo confortável com a minha presença, ao dar um pouco de carinho ao mesmo, e eu não sabia se estava funcionando. Olhei em seus lindos olhos castanhos, que aos poucos pareceram ficarem mais curiosos quando me analisaram, e ao vê-lo todo sem graça praticamente em seguida (por algum motivo que desconheço, mas achei uma gracinha) eu acabei sorrindo em sua direção, soltando aos poucos seu rostinho para que ele tivesse mais liberdade, mas deslizei minha mão pelo seu braço direito até encontrar com a sua mão, segurando-a com carinho, enquanto que a outra eu continuava afagando seus cabelos... tentando conquistar ainda a sua confiança.

Foi então que ele se apresentou, e vendo suas bochechas coradinhas, eu abri um divertido sorriso para ele, sem conseguir evitar, antes mesmo de lhe dizer- Eustass? É um nome muito bonito! -comentei, afagando ainda as costas da sua mão com um de meus dedos de uma mão que o segurava ali, enquanto que continuava com o cafuné cuidadoso, com meus dedos da outra mão entre os fios de cabelo seus- Que nem você. -elogiei, complementando meu comentário anterior, só deixando claro o que achava dele. Mas é claro, ele estava tão curioso que talvez nem tenha me ouvido, pois começou à vasculhar o quarto com seus olhos ao ver que estava em um lugar talvez totalmente novo para ele, e é claro que compreendi e o deixei em paz, já que eu fiz o mesmo quando saí da minha prisão mística no mês passado.

Então, vendo o quanto ele estava ainda confuso e curioso, me levantei do meu lugar (apoiando-me em meus joelhos) e lhe dei espaço para ficar à vontade ali no quarto, dando alguns passos para trás, andando de costas na direção da porta para o banheiro, observando ao menino consideravelmente mais baixo que eu, e sorrindo para aquela fofura toda, mesmo enquanto conversamos- Não precisa agradecer Eustass, mas... Como assim não precisava? Eu não podia deixá-lo jogado na rua, podia? Você parecia tão confuso e sozinho ali, e eu não podia deixá-lo assim por lá. Ninguém merece isso, e eu nem conseguiria fazer isso... -explico para ele, ao ouvir do menino, deixando claro que não conseguiria mesmo ignorar alguém em apuros como ele parecia pensar... Talvez isso fosse algum sentimento de culpa, ou talvez alguma raiva quanto à si mesmo para desejar algo assim, ou talvez só estivesse pensando alto mesmo, mas de todo jeito, decidi tratar aquilo como se fosse só um comentário seu mesmo, como parte de seu agradecimento, pois o coitado deveria estar só confuso mesmo.

Enfim, após alguns minutos vendo-o se acostumar com o quarto, e comigo já cansada de ficar encostada na porta do banheiro, decidi chamar a sua atenção, após torcer para que ele já estivesse se acostumando com minha presença ali, pois realmente precisava de sua confiança agora, para o que iria falar em seguida- Bem... você está com fome? Ou cansado? Por que eu arrumei a cama, mas... você está todo sujo, por causa de algumas coisas na rua... -digo, apontando para suas roupas, com um olhar de preocupada- Então, se quiser, podemos tomar banho, e depois vamos comer alguma coisa. O que acha? Por minha conta! -digo, tentando animar ao menino, enquanto abria a porta do banheiro, para que ele visse a banheira, cheia de água quente, espuma e todo tipo de shampoo e sabonete em sua beirada, coisa que os ricos de hoje devem adorar- Vem? Eu já deixei a água quente. -digo, com um sorriso simpático para ele, lhe convidando para entrar no banheiro logo atrás de mim, enquanto que eu ia na frente, para checar a banheira antes.

- Desculpa, mas... tudo bem eu ficar com você aqui? -pergunto, olhando para o menino enquanto me sentava na beirada da banheira, checando a temperatura da água com as pontas de meus dedinhos- Não entenda mal, é só que, depois do que houve, tenho medo de você desmaiar na banheira e acabar se afogando, então... por segurança, a porta poderia ficar aberta? Prometo que não olho nada e fico até de costas para você, se estiver com vergonha! -explico, com um sorriso divertido para ele, enquanto tirava as minhas botas do traje, para ficar mais à vontade enquanto falávamos. E claro, também queria que o menino ficasse à vontade comigo, mesmo que eu estivesse sendo tão... paranoica, por vigiá-lo tanto, então tentei continuar a conversa, para tentar fazê-lo esquecer de qualquer embaraço que eu sabia que estava lhe causando- Enquanto isso, podemos falar de você, o que acha? Pois eu fiquei curiosa para saber que menino maravilhoso você é. -digo, ao me aproximar dele novamente, andando pelo banheiro agora sem as botas, de pés descalços, só para fazer um cafuné nele- Tem algum lugar seguro onde eu possa te deixar? Me conte tudo! -pedi, sorrindo para ele e esperando para saber o que ele decidiria.

Será que aceitaria se trocar na minha frente, ou talvez preferisse privacidade? De toda forma, não há problemas, certo? Ele é um garoto, e tudo bem com isso, ao menos para mim, então continuaria agindo de forma natural, independente do que ele fosse decidir, mas tinha que lhe incentivar à ir para o banho, caso ainda estivesse desconfiado de mim, então resolvi apelar um pouco- Vamos? Depois de você tomar banho, eu tomo um banho também e então vamos tomar sorvete! E eu estou doida por um de creme! -pisquei para ele, torcendo para que ele entrasse na brincadeira.

Eu estou sendo muito infantil? Nossa, eu espero que não, mas... confesso que nunca cuidei de alguém mais novo que eu antes, então acho que ainda vou me atrapalhar muito... só espero que Eustass tenha paciência comigo...

tag: Eustass | roupas: Black Eve

OFF: Awn, que lindooos >////< 


<3

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Eustass Kolarov em Seg Mar 27, 2017 10:32 pm



Brainwreck

Quake & Rage
Freya além de ser linda era doce e atenciosa, estava nítido que ela queria cuidar do garoto e parecia se importar com o bem-estar dele, e aquilo o deixava melhor, sabia que estava em boa companhia. Ela enchia-o de elogios e palavras bonitas, a preocupação e Freya a fez preparar o banho anteriormente para Eustass e pediu-lhe que tomasse um banho para descansar, afinal estava sujo pela queda que teve no meio da rua. — Você é muito gentil. - murmurou o pequeno, olhando nos olhos da mulher. Observou ela se levantar e o vestido curto subir rapidamente mostrando novamente o que estava por baixo dele, aquela roupa deixava-a muito sexy e até mesmo para um vilão como ele era difícil de resistir à um pedido e uma pessoa tão linda e cobiçada.

Levantou-se do sofá e a seguiu em direção ao banheiro, e analisou o banheiro cheio de sabonetes, uma banheira enorme, shampoos na beirada e tudo mais. Freya demonstrou mais uma vez estar preocupada com ele e ofereceu-se para vigiá-lo, e ele aceitou — Tudo bem…como preferir. Mas garanto que não há nada de interessante sobre mim, fiz e faço coisas que não gostaria de saber - Disse o meta-humano tirando a camiseta e a calça lentamente jogando a peça de roupa no chão ali perto. Se aproximou da beirada da banheira onde a mulher estava e verificou a temperatura da água, se inclinando próxima à ela. Tão logo retirou a sua roupa íntima ficando despido diante de Freya, um pouco envergonhado mas nada que o impedisse de ficar nu na frente de uma mulher.

Levou a mão esquerda até o sabonete e lentamente deslizava-o sobre o seu corpo, começando pelos braços e descendo até o tronco, espumas se formaram e rapidamente a água estava coberta de espuma, escondendo o corpo de Eustass dentro da água. Fitou ligeiramente o rosto de Freya para ver se ela não estava olhando-o, mas queria mesmo era que ela se juntasse à ele na banheira e que os dois aproveitassem o tempo que tinham juntos, afinal ela era uma moça muito bonita, cuidadosa e parecia ter gostado da presença de Eustass, e ele começava a nutrir sentimentos mais íntimos em relação à garota, passando a desejá-la como nunca antes havia desejado alguém. Sentia um calor invadir seu peito, não tirava a menina da cabeça e ficava a imaginar como seria vê-la nua bem ali, na sua frente.


copyright 2013 - All Rights Reserved for Larissa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Freya Romanova em Qua Mar 29, 2017 12:24 am

Calm down!


À cada momento estava mais e mais encantada com aquele jovem, e talvez até tenha sido a sua timidez inicial quando percebeu a estranha que estava ali para cuidar de si, mas quando aos poucos eu fui observando-o melhor, mostrou-se ainda mais motivos para gostar dele. Fora o fato de ele era muito bonito e fofo, ele ainda foi paciente enquanto me ouvia falar tanta besteira, me ouvindo até o final antes de falar qualquer coisa, ouvindo-me com atenção, e confesso que adorei isso (mulher gosta de ser ouvida, nunca se esqueça disso), quase tanto quando ouvi suas primeiras palavras para mim, e ele pareceu perceber meu esforço para cuidar de si e me elogiou. Talvez isso seja até um pouco bobo para algumas pessoas, mas para você entender bem, ele era um cavalheiro e muito lindinho, eu realmente tinha vontade de apertá-lo, não acredita como foi difícil resistir a isso!

Mas, tudo bem, tínhamos que nos concentrar em deixá-lo mais limpinho para que ficasse confortável antes de irmos tomar sorvete, nos deitarmos para que ele pudesse relaxar ou qualquer outra forma de aproveitar esse maravilhoso dia de hoje, coisa que eu também queria para mim, já que não é sempre que eu tenho essa folga. Felizmente (para mim), ele acreditou em mim quando disse que apenas queria vê-lo limpinho, após ter se deitado na rua há cerca de algumas meia hora atrás, após desmaiar, então não tive muito problema em fazê-lo me seguir para dar uma olhada no banho que eu havia preparado para ele. E não sabia se ele havia gostado muito do meu trabalhinho para ele, mas ele ao menos aceitou que eu ficasse ali para vigiá-lo, apenas por segurança, caso algo acontecesse de novo e ele precisasse de ajuda, o que foi um alívio e grande alegria para mim, pois ele parecia confiar mesmo em mim e... é, eu muito disso, alguém que confie mesmo em mim...

Só que, enquanto tirava sua camiseta, ele não parecia muito feliz ao falar de si- Mas como assim? Você é interessante! Além de ter poderes, você é um fofo e... -pensando bem, analisei um pouco suas palavras por um outro ponto de vista, outro ângulo, mas ainda assim permaneci positiva- Olha, se você fez algo de ruim, não tem pelo que se preocupar, pois eu mesma faço isso às vezes... Mas o que importa é aceitar seus erros para seguir em frente e, se precisar, eu estarei aqui para isso, tá? Pois eu também erro muito, mas já estou começando a aceitar esse meu lado... ruim... e usando-o para o bem... Vai ter uma hora que você vai conseguir fazer algo assim e se controlar, querido. -disse à ele, enquanto acariciava seus cabelos e dava um pequeno sorriso para ele, tentando animá-lo um pouco.

Só que, pouco depois de tirar a camiseta, olhei para seus músculos em formação e achei até fofo sabe? Enquanto ele se aproximava de mim para medir a temperatura da água (e eu torcendo para que tivesse acertado) ainda olhei mais de perto para seu peito e... bem, para ele em si, analisando-o e vendo o quanto ele se exercitava, mas logo eu pude ver é o resto dele. E não entenda mal, mas isso, para nós do interior da Alemanha de cerca de cem anos atrás, era completamente normal, já que vivíamos em um vilarejo seguro e pacífico, quase que uma utopia, então eu realmente não fiquei sem graça quando o vi nu. Talvez tivesse ficado um pouco vermelha sim, por ele estar perto de mim e eu poder com detalhes seu corpinho e... olha, quando vi o que ele tinha, ali em baixo, não me decepcionei, pois ele estava ótimo para a idade... Na realidade, imaginei que ele estivesse com vergonha por eu vê-lo assim, então decidi lhe animar um pouco- Olha, suas futuras namoradas vão ser sortudas viu? -comentei, piscando para ele, e torcendo para que ele tivesse entendido. Será que ele já tinha alguma malícia? Bem, eu esperava que não, pois iria ficar ali, como ele havia permitido mesmo.

Por fim, eu o ajudei a entrar, e então o vi começar a tomar seu banho, ao mesmo tempo que analisava seu corpo por dentro da água e, claro, o vi espalhar o sabonete por todo seu corpo, com cuidado e... não entendi bem por que, mas em certo momento ele olhou para mim e parecia... não sei, pensar em algo. Não sei se ajudava a sua vergonha eu estar olhando para seu corpo enquanto ele se banhava, mas em dado momento nem podia mais ver o que estava debaixo da água mesmo, por conta da espuma na água, o que para mim foi uma pena, mas... bem, me deu outra ideia, pela forma com a qual ele me olhava como se talvez quisesse ajuda. Então eu me ajeitei na banheira e me aproximei dele um pouco- Posso ajudar? -perguntei, me aproximando dele com o shampoo em mãos, e fazendo sinal para que ele chegasse mais perto de mim. Tudo para que o banho fosse mais rápido, é claro.

Bem, não tinha por que ter vergonha dele agora que havia visto-o nu, sem falar que ele era mesmo um adolescente apenas, então eu ergui um pouco minha minissaia ao me virar na direção do garoto, colocando minhas pernas para dentro da água quente, me posicionando para ficar com ambas em cada lado do menino, como se o cercasse para que ele não fugisse quando eu o chamei em minha direção, enquanto que eu estava realmente sentada na beirada da banheira, só que agora quase para dentro, para poder alcançá-lo. Tudo bem que, daquele jeito que estávamos, ele estava um pouco próximo demais de uma certa parte do meu corpo que era bem íntima, mas estava ainda bem vestida, então... bem, eu apenas melei minha mão com shampoo e comecei a passar na sua cabeça sorrindo para ele, ao lhe ajudar e ver a sua reação que, confesso, era ao mesmo tempo fofa e um pouco engraçada, mas eu evitei de rir para não constrangê-lo.

- O que houve? Tem vergonha de mim? -perguntei à ele, tentando olhar em seus olhinhos enquanto espalhava o shampoo pela sua cabeça com meus dedos de forma bem gentil, controlando a minha força. Só que, com essa minha distração e brincadeira, nem percebi que estava escorregando lentamente pela beirada molhada da banheira, então antes que desse por mim, acabei escorregando mesmo para dentro da banheira, praticamente mergulhando ao fazer isso, deixando agora a água da banheira no limite, já que haviam dois ali dentro agora e... É, não deu para evitar, então acabei dando risada logo após aquilo- É, acho que tenho que tomar banho logo, isso deve ser um sinal! -disse entre risadas enquanto apoiava minhas mãos nos ombros de Eustass, sem nem perceber que me encontrava no colo do garoto- Já molhei o cabelo mesmo, então... tudo bem se eu tomar banho junta de você querido? -perguntei, olhando em seus olhos, e esperando a sua resposta antes de começar a tirar a minha roupa.

Assim que ele me respondeu, sorri para ele e depositei um delicado e carinhoso beijo em sua bochecha, após lhe fazer um carinho e tirar com água o sabão que estava ali, é claro, como forma de agradecimento por ele confiar tanto em mim. Enfim, logo me levantei e ainda dentro da banheira tirei a minha roupa, começando pela minha minissaia, depois tirei minha blusa e enfim, minha calcinha, deixando meu uniforme mágico todo jogado no canto do banheiro, e então me sentei onde estava outra vez. Só que, agora fiquei vermelha ao perceber que havia sentado no colo dele, por isso de imediato eu pedi- Ai, me desculpa, eu não tinha percebido... Te machuquei? -pergunto, fazendo carinho em suas pernas (procurando algum machucado que a desastrada aqui poderia ter feito) enquanto deslizava meu corpo pelo seu colo, aproveitando que estava ensaboado para escorregar e me sentar à sua frente, mas continuei bem perto e... bem, de pernas abertas, para que ainda assim ele estivesse encurralado, e tivesse que deixar que eu lhe ajudasse com o banho. Enfim, com minhas pernas nos dois lados de seu corpo, eu o puxei para perto de mim com minhas pernas, e então voltei a me preocupar com o shampoo no seu cabelo, que aos poucos eu tirava agora.

- Eu te ajudo e você me ajuda depois, pode ser? -pergunto para o menino, olhando em seus olhos e sorrindo para ele, tentando animá-lo enquanto passava água para tirar o shampoo de seu cabelo. Mas ele parecia tão envergonhado por algum motivo, que eu resolvi... bem... puxar assunto com ele, enquanto passava água pelo seu cabelo e massageava seu couro cabeludo, aproveitando que seu rosto estava mais próximo de mim naquele momento, já que eu precisava dele assim para tirar o shampoo- Mas e aí, tem algo para me contar? Quais os seus poderes? Tem alguma namoradinha ein? -brinquei com ele, lhe fazendo um carinho em seu peito ao terminar de falar isso, passando sem querer o meu dedo em seu mamilo enquanto isso, mas logo depois voltei à limpar sua cabeça.

É, estava praticamente me sentindo como em casa agora, muitas décadas atrás... fora essa banheira chique, é claro...

tag: Eustass | roupas: Black Eve

OFF: Awn, que lindooos >////<


<3



OBS:
Lembrando que ela parou de envelhecer/amadurecer ainda cedo, por conta disso seu humor e alguns aspectos de sua personalidade são os mesmos de uma adolescente (o que explica a sua raiva), e sua inocência é explicada por ela ter sido criada em um lugar onde praticamente não havia perversão ou maldade. Os deuses ainda a ajudam com conselhos e conhecimento, mas em certos momentos pessoais (como esse) onde não há perigos ou suspeitas de qualquer envolvido, não interferem.

_________________


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Eustass Kolarov em Qua Abr 12, 2017 11:45 pm



Brainwreck

Quake & Rage
Ainda que estivesse desconfortável pela presença da garota desconhecida, Eustass não deixou-se levar pelos elogios dirigidos à ele sobre “futuro” pois para ele não havia espaço para romantizar qualquer relação. Enquanto banhava-se, viu a garota se aproximar com o shampoo e oferecendo ajuda, a princípio o rapaz não deixaria que ela se aproximasse tanto mas Freya já ia entrando na banheira sem que tivesse tempo de responder.

Os fios emaranhados e molhados do garoto eram esbranquiçados agora pela espuma do shampoo, os dedos finos e macios de Freya acariciavam a cabeça do garoto enquanto o ajudava. A pergunta que se veio a seguir era estranha, deixou-o corado e sem palavras, jamais havia tomado banho com outra pessoa ainda mais do sexo oposto, mas a vontade de vê-la nua já era motivo o suficiente para aceitar, e em voz baixa respondeu: — Pode ser…

Despindo-se despreocupada, Freya acabou por sentar no colo do garoto que a segurou com as mãos pela cintura. Aparentemente não fora intencional e ela desculpou-se pelo ocorrido, Eustass sorriu para a menina desastrada mas não disse nada, apenas a admirava. Enquanto ela massageava a cabeça de Eustass, um calafrio percorria-lhe a espinha, pela primeira vez uma garota estava tão perto e nua sobre ele, sentia sua intimidade enrijecer lentamente ao sentir as coxas e a bunda dela movimentar sobre seu colo.

— Namoradas? Eu não me preocupo com essas coisas….eu não tenho nada para contar e, bem, meus poderes não são interessantes. Mas o que você faz aqui sozinha? Você mora aqui?


copyright 2013 - All Rights Reserved for Larissa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Freya Romanova em Qui Abr 13, 2017 4:01 am

Calm down!


Não podia deixar de perceber o quanto ele ainda estava tímido com relação a minha aproximação. Na realidade, ele parecia nem gostar disso inicialmente, como se eu estivesse realmente lhe incomodando à princípio, mas fora gentil demais para não me falar ou mesmo demonstrar isso, o que me deixou ainda mais interessada sobre ele. Dava para ver que ele não parecia ser um garoto lá muito sociável, ou popular entre os seus, mas... ainda assim... como é que ele conseguia atrair tanto a minha atenção? Tá, antes de brincarem de dizer que eu sinto atração por problemáticos, eu devo dizer que tenho quase certeza que foi aquela fofura toda dele ao ficar vermelho com minha aproximação que me deixou ainda mais com vontade de estar próxima dele. Afinal de contas, ele era uma graça, mas ficava ainda melhor todo envergonhadinho!

Tudo bem que, não era simplesmente por conta disso que eu faria com qualquer um o que eu fiz com ele, afinal... bem, não sei se expliquei antes, mas antigamente era normal certas pessoas tomarem banho juntas, ao menos de onde eu vim, e eu já estou acostumada à dar banho em crianças, então, por isso, não foi nenhum problema pra mim me aproximar dele desta forma, pensando de tal forma inocente. Porém, mal sabia eu o que me aguardava...

Como aquela era uma banheira bem lisa e estávamos lidando com sabão, shampoo e... bem, um monte de água e outras coisas escorregadias, eu toda desastrada como sou, uma hora acabei escorregando e me molhei toda, ao cair praticamente para dentro da banheira, mas por sorte acabei não machucando ninguém. Porém, já estava molhada mesmo, e pretendia de toda forma tomar banho depois, então por que não unir o útil ao agradável, e acompanhar ao garoto em um banho? Afinal, ele era bem menor que eu (suspeito que isso não mudaria mesmo se eu não estivesse com minha aparência mais crescida, por conta da minha transformação, mas não importa), e pareca ser bem tímido, então não imaginei que algo pudesse acontecer. Claro que, as coisas começaram a mudar quando eu escorreguei para dentro da banheira, e acabei caindo sentada em seu colo, logo após eu tirar toda a minha roupa na frente dele...

De início eu apenas fiquei preocupada com ele, tentando sair de cima dele para ter certeza de que ele estava bem, mas logo fiquei paralisada ao sentir ele me segurar em meu lugar, logo após apenas fazer a menção de sair de seu colo.

Suas mãos em minha cintura já me fizeram arrepiar de uma ponta à outra do meu corpo (e por isso interrompi os movimentos dos meus dedos no cabelo do menino, que antes espalhavam toda aquela espuma desde as raízes de seus lindos fios de cabelo), pois demonstrara que ele realmente não parecia querer que eu me afastasse dali, e, por isso, comecei a imaginar o que ele deveria estar querendo com aquilo. Olhei em seus olhos após aquele seu ato (ainda que ele estivesse em uma altura abaixo da minha, com seu rosto na altura dos meus seios, para ser exata), quase como que com uma grande interrogação em meu olhar, tentando analisar profundamente seus olhos escuros em busca de uma resposta, que eu sabia que já tinha a resposta, só não queria admitir... Mas logo a verdade não pôde mais ser escondida, por mais que eu quisesse manter a inocência do garoto aos meus olhos, pois quando eu senti aquela cutucada em minha bunda, logo abaixo de mim, eu fiquei bem vermelha, mas não tirei meus olhos dos do menino. Pois realmente, ainda não entendia tudo sobre ele, e isso era óbvio, mas... o que será que ele pensava daquilo tudo?

Por que não descobrir?

Claro, para ter certeza de que estava certa em minhas suspeitas, eu... bem, deslizei uma das minhas mãos, dos cabelos de Eustass até a sua intimidade, deslizando meus dedinhos por todo seu corpo devagar antes disso, como se o acariciasse, seguindo caminho pelos seus braços até os seus dedos, depois descendo para as suas pernas, e logo em seguida sim fui para sua região mais íntima. Foi então que, deixando-me guiar pela sensação daquela coisa que ficava cada vez mais rígida contra a minha pele, eu levei a minha mão até a origem de tal sensação, para verificar o que é óbvio que eu sabia o que era, mas algo me dizia que era bom ter mesmo certeza daquilo... De toda forma, ao tocar com meus dedos ensaboados ao membro do menino pela primeira vez, fui bem gentil, deslizando meus dedos ali como se não soubesse o que era aquilo, tocando curiosa desde a ponta de sua cabeça até a base do mesmo, tocando ele e o envolvendo com calma enquanto analisava com cuidado aquela parte de Eustass, para saber melhor como ele era.

Enquanto fazia isso, eu ainda olhava em seus olhos, e é claro que não conseguia esconder a minha vergonha por estar fazendo aquilo, pois sabia o que era e... bem, havia acabado de conhecer o garoto, após salvar a sua vida... mas, por algum motivo, eu não conseguia me controlar. Nessa altura, enquanto o tocava naquela sua região tão íntima com uma de minhas mãos, eu já até esquecia do que estava fazendo com a outra, apoiando meu outro braço no ombro de Eustass, deixando-o descansar ali, enquanto que o olhava de cima (por conta de nossa altura) e me aproximava dele aos poucos, para... para... analisar mais de perto as suas reações, quando continuei a me movimentar em seu colo com os meus quadris apenas. Bem, ele havia reagido bem quanto a isso, com minha bunda, minhas coxas e minha intimidade se movimentando por cima dele e... bem... até mesmo sendo esfregadas às vezes no membro dele... era engraçada a sensação, mas queria saber dele...

- Não, eu não moro aqui... -comecei a respondê-lo, olhando em seus olhos e sussurrando para ele agora- ... só estou usando esse lugar para ajudar um grande menino, sabe... -brinquei, sorrindo um pouco para ele enquanto mordia meu lábio inferior, ao usar um trocadilho que... bem, esperava que ele entendesse a indireta, já que me referia à uma parte dele que uma de minhas mãos ainda segurava- Mas sobre não ter namoradas, é bom... não aprovariam se soubessem o que... bem... -me atrapalhei um pouco em perguntar, mas continuei sussurrando para ele, sem parar com os movimentos da minha mão em seu membro, assim como meus quadris em seu colo, mas ia devagar e de forma discreta, me movendo bem pouco- Você já ficou assim antes, querido? -pergunto (apertando levemente seu membro agora, que eu segurava naquele momento), agora encostando minha testa na dele, olhando em seus olhos bem de perto agora,- O que está sentindo agora? Quero que fale tudo para mim...

Será que eu estava indo muito longe? E... por que é que eu estou fazendo isso? Por que é que esqueci que aquilo era para ser só um banho? Pelos deuses... o que deu em mim? E por que eu estou gostando tanto disso?

tag: Eustass | roupas: Black Eve

OFF: Awn, que lindooos >////<


<3

_________________


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Eustass Kolarov em Sab Abr 29, 2017 7:10 pm



Brainwreck

Quake & Rage
O torax do menino preenchia pelo ar tomado para dentro de seus pulmões, sua respiração profunda o ajudava a manter o controle, queria estar em plena calma naquele momento por mais dificil que fosse controlar seus desejos, quase nunca deixava de fazer o que sentia vontade, mas aquele momento pretendia não ser muito precipitado. Seu coração palpitava em velocidade, seus ouvidos já não escutavam mais nada apenas o som abafado de sua respiração e os batimentos cardíacos pulsando em suas têmporas. Devagar. Era nesse ritmo que a mão fria e esguia de Freya deslizava pelo corpo do menor, com uma certa ingenuidade e curiosidade ela descia cada vez mais e o jovem vilão sabia onde aquilo ia parar, se estivesse com as mãos livres e com a mente calma conseguiria se focar para ler a mente de Freya porém não estava em condição disso, teria apenas que deduzir o que se passava na cabeça da garota.

Ensaboados, o menino sentiu os dedos dela acariciando seu pênis ereto com cuidado, de forma facilitada pelo sabão das mãos e água. Os olhos de Freya encheram-se de malícia e vontade, ele podia sentir isso exalando do corpo da jovem, fechou os olhos enquanto aproveitava a gostosa sensação de ser tocado e receber prazer, seu corpo estremeceu por um calafrio repentino, era a voz da heroína cortando o silêncio do momento com perguntas sobre os sentimentos do garoto naquele momento. Seus olhos fitaram os seios redondos dela por alguns minutos, ela estava mais próxima - não tanto quanto gostaria - e sua altura conseguia olhá-lo por cima com perfeição, estava sendo domado pela menina que parecia ter certa experiência. “Você já sentiu assim?” Era a pergunta que ecoava em sua mente, o Kolarov balançava a cabeça negativamente.

Estava nítido que o rapaz gostava do que estava recebendo, e mais nítido ainda que era virgem, não sabia o que fazer a seguir e precisava ser guiado — Eu não sei o que é isso que estou sentindo - Respondia com sinceridade, olhando os olhos de Freya - mas eu não quero que pare… - Sua mão esquerda apalpava com certa força as nádegas da garota, enquanto suavemente ele levava sua outra mão até o seio direito dela preenchendo a palma de sua mão. Tentava manter o controle para não ser tomado pela estranha sensação que estava sentindo, com apenas uma das mãos em seu ponto fraco Freya o dominava quase que completamente e pela primeira vez via-se tão vulnerável.




copyright 2013 - All Rights Reserved for Larissa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP Fechada] So cute!

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum