The turn of the night [+18]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

The turn of the night [+18]

Mensagem por Liam Hughes Sawyer em Seg Abr 03, 2017 1:55 pm

The turn of the night
A roleplay é iniciada pelo post de Liam Hughes Sawyer, seguindo por Mavra Köpp. Neøszlevczyk. Estando, portanto, FECHADA para os demais. Passando-se esta em 27 de março, na Angel's Club. O conteúdo é SOMENTE PARA MAIORES. Atualmente, as postagens estão EM ANDAMENTO.



_________________


It's time to trust my instincts!
Some things I cannot change
But till I try, I'll never know!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The turn of the night [+18]

Mensagem por Liam Hughes Sawyer em Seg Abr 03, 2017 9:30 pm

The teenage rush
When the call came down the line


Não tornaria aquilo um trabalho oficialmente, mas dançar por dinheiro me atraia parcialmente pela aventura e porque me forçava a ficar fisicamente saudável, ou não teria lucros. Voltei a frequentar uma academia pra manter tudo durinho e talvez aumentar alguma parte com mais esforço e empenho pra não acabar parando. Claro que não iria no mesmo lugar que a última vez, essa oportunidade seria na Angel’s Club onde era mais aberto pra qualquer cliente, só que mais focado nos gays pelos shows.

Não me recordo de ter visto mulheres ali, mas depois de Magic Mike não duvidava que houvessem moças no local e o estabelecimento fosse fechado para alguma festa de solteiro, ou solteira por exemplo. A noite começava bem, com os garotos nas jaulas e alguma atração no palco principal quando cheguei, mas não me atentei muito pois gostava de ser instintivo e se visse com certeza acabaria copiando algo.

Entrei para o camarim, me arrumei com aquele meu uniforme brilhante de sempre e subi no palco esperando minha vez. Minha mente borbulhava com pensamentos sobre passos e possibilidades de danças, mas a música não era exatamente do meu repertório comum de músicas. Como em boa parte das reproduções daquela música, cheguei andando com pressa como em um desfile, parando um pouco olhando para um lado e mexendo meu corpo como uma onda mais lenta.

A Bey parou de coro, me virei e continuei andando em linha reta, logo parei novamente meus passos me virando para o outro lado e repeti o mesmo movimento apenas atiçando sem muito prolongar aquele início. Cheguei enfim ao palco circular, a letra começaria e olhei para os dois lados rapidamente antes de cair no chão. Copiei deliberadamente alguns passos do clipe com uma dança deitada, me levantando um pouco até ficar de quatro e rebolando a bunda enquanto respirava forte e balançava a cabeça como que negando alguma coisa.

Deixei-me cair e rolei no chão, empurrei meu quadril pra cima algumas vezes, segui me virando de lado e me ergui com o apoio da mão direita como um exercício. Abri minha conexão mental como que um feedback dos clientes, nada demais com críticas e elogios até que ouvi uma perturbação mental de quem estava irritado com alguma coisa. Me levantei usando o poledance e olhei para a origem, era uma mulher com algum idiota perturbando ela e tocando em seu braço.

Arqueei as sobrancelhas sorrindo porque ele com certeza ficaria sem braço se ela insistisse mais. Aproveitei a música e desci do palco caminhando na direção deles. Me atentei ao que era falado enquanto continuava dançando pelo caminho. Me apoiei em uma das mesas deixando minha bunda tremendo um pouco, mas me endireitei e segui pelo local novamente. Parte do Jay-Z e estava bem perto deles, segurei o braço dele com uma rajada psiônica de dor com o meu toque e o empurrei pra longe dela.

Segui a música quase como uma dublagem pelo rap que repetia quase decorado previamente, mas na verdade o bartender sabia a letra e apenas antecipava a música com a performance. O homem que não era muito maior do que eu tentou me tirar do caminho, mas fora seu segundo erro da noite, logo que tocou meu ombro, segurei seu punho enquanto envolvia sua perna direita com a minha. Aproveitei da minha agilidade e puxei a perna pra um lado enquanto girava o braço dele com força para o outro, fazendo então ele ficar com a cara no balcão e o braço torcido.

Tratei de deitar sobre ele e o endireitei com uma ordem: - Não seja machista e vai embora seu bebe chorão. - O cara de fato se desvencilhou de mim quando o permiti e saiu correndo dali com as mãos no rosto. Sorri me virando e me sentei no balcão do balcão com uma pose colocando a cabeça para trás, encerrando a música. O show acabou e fui para o camarim tirar aquele ar de briga de mim, mas só bebi água e guardei o dinheiro que me deram durante a dança. Era estranho eu não pensar nisso, mas me incomodaria se me atentasse a cada mão invadindo minha cueca colocando dinheiro.

Bebi um pouco de tequila pra sentir que ainda tinha estomago para o salão, foi como um nitro interno me lembrando que não era pra ser fácil realmente. Me levantei da cadeira colocando o Jose na mesa e retornando para fora olhando envolta. Estava ainda de cueca e gravata douradas, segui até a mulher e toquei no balcão perto dela, arqueei uma sobrancelha e sorri sem graça: - Desculpe ter afastado ele, mas você parecia que ia matar ele. - Toquei em minha testa com o indicador e arregalei os olhos suavemente com a minha frase para que ela entendesse. Não era errado se houvesse de fato um propósito bom, ela não merecia problemas porque o idiota estava sendo um idiota.




Informações:
Reencarnado X-Man
Nivel: 10
Especialização: Intelectual.

Atributos:
Código:
FORÇA: 17 INTELIGÊNCIA: 12 + 5
RESISTÊNCIA: 20 AGILIDADE: 21
VIGOR: 20 CARISMA: 14

Perícias:
Código:
i. LUTA DE RUA, nível experiente;
ii. MUAY THAI, nível experiente;
iii. RESISTÊNCIA À TORTURA, nível experiente;
iv. PRONTIDÃO, nível experiente;
v. MIRA, nível experiente;

Poderes
Código:
i. TELECINESE: é o poder do ganho da manipulação e controle de copos somente com a força mental, sem o auxílio de nenhum movimento físico. O uso de tal poder depende da criatividade do telecinético, mas em geral permite a levitação, locomoção, o disparar ou o quebrar qualquer objeto físico;


ii. TELECINESE MOLECULAR: um dos poucos telecinéticos capazes de controlar moléculas, alterando a forma física e química de um objeto;


iii. ILUSÃO TELECINÉTICA: consegue distorcer e manipular poeira e vapor para refratar ondas de luz, criando ilusões telecinéticas;


iv. INVISIBILIDADE TELECINÉTICA: um dos poucos telecinéticos capazes de distorcer lasers e até mesmo a luz, para tornar-se invisível;


v. TELEPATIA: telepata de primeira ordem mesmo sem tanto treinamento como muitos telepatas famosos. Consegue ler o que outros pensam, além de induzir ou manipular terceiros. Também por meio disso, projetar seus próprios pensamentos como forma de comunicação;


vi. HIPNOSE: habilidade de introduzir sensações ao cérebro de outra pessoa, o conduzindo ao transe. A hipnose pode ser usada para persuadir uma pessoa, conduzi-la a fazer ações ou responder a perguntas;


vii. RAJADA PSIÔNICA: capacidade de sobrecarregar a mente, causando dor, perda de memória, perda de consciência, estado vegetativo ou morte depois de ter criado uma conexão psiônica com a mente da pessoa;


viii. REGENERAÇÃO: permite acelerar o processo de regeneração de si mesmo, ou de outras pessoas, dependendo da ferida pode ser mais rápido, ou inútil. Esse poder não faz milagres;


ix. TELEPORTE: capaz de se teleportar para qualquer lugar;


x. PREMONIÇÃO: habilidade de prever acontecimentos futuros. Ele alega ter mais de 300 meios de prever o futuro, entrando em diferentes correntes temporais;


xi. CLARIVIDÊNCIA: capacidade de sentir e ver acontecimentos que estejam ocorrendo naquele instante;


xii. RESISTÊNCIA MENTAL: habilidade de resistir mais a ataques psiquicos de outros telepatas, ou até mesmo a aguentar poderes que afetem a mente como ilusionismo e sedução. Em comparação de poder, poderia nem sequer sofrer danos se o oponente for mais fraco;


xiii. PSICOMETRIA: capacidade de ler resíduos psíquicos em objetos, como uma história do objeto mostrando outros donos, por onde já esteve e até mesmo quem já o tocou;


xiv. CAMPO DE FORÇA: confere ao poderio de gerar um campo de força protetor ao redor de um personagem ou em um local específico. Este campo pode ter diferentes propriedades e níveis de resistência de acordo com o desejado pelo usuário;


xv. PROJEÇÃO ASTRAL: é a capacidade para deixar seu corpo com vida e ficar vagando como espírito. Essa habilidade é perigosa se não for utilizada sob  total isolamento para proteger seu corpo contra um possível ataque;


xvi. EMISSÃO DE ENERGIA CONCUSSIVA: é a capacidade de lançar através do seu olho esquerdo, ou pelas suas mãos, um raio de energia concussiva, que não emite calor, podendo ser de forma voluntaria.

_________________


It's time to trust my instincts!
Some things I cannot change
But till I try, I'll never know!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The turn of the night [+18]

Mensagem por Mavra Köpp. Neøszlevczyk em Ter Abr 04, 2017 8:54 pm

Through The Night
Mavra observou a boate em si com intensa curiosidade. O nome era sugestivo e até mesmo atrativo. Angel's Club. A entrada estava lotada e parecia estar assim sempre, o que fez a jovem revirar os olhos diante da possibilidade de fincar raízes ali até finalmente entrar e finalizar seu trabalho. Oh sim! Ela não buscava diversão naquela noite, mas como sempre, a diversão parecia perseguir a russa. Com um toque de sorte, a jovem percebeu que conhecia um dos seguranças e sorriu quando se lembrou de que o tal segurança lhe devia um favor e unindo o útil ao agradável, conseguiu entrar pelas portas dos fundos como se fosse uma funcionária do local.

A boate, diante dos olhos inquisidores de Mavra, não era nada demais. Ela olhou em volta e sentiu-se tranquila sem ter que se desvencilhar de homens bêbados e sem um pingo de senso. Só lá dentro percebeu que se tratava de uma boate gay e ela gostou daquilo, os achava intensamente divertidos. As atrações eram homens vestindo apenas cuecas douradas e gravatas borboletas de mesma coloração, o que Mavra achou divertido, porém ficou um pouco decepcionada, pois ali eles curtiam a mesma fruta que ela.

O fato de Mavra estar ali naquele momento se devia ao um informante que provavelmente lhe daria pistas do cara que ela perseguia fazia uns dois meses, uma missão extra que levantaria sua moral por alguns séculos, mas é claro, se fosse bem executada. Ela escolheu um lugar pouco visível e perto do palco, ela queria ver um pouco do show ou acabaria entediada. Um ruivo chamou a atenção de Mavra, de início ela pensou ser o tal informante, mas ele começou passos de dança e conseguiu roubar a atenção da russa que se sentiu fascinada pelos movimentos sensuais do jovem.

Entretida com a dança do homem, ela nem sequer percebeu que um homem havia sentado ao seu lado e encarava fixamente, xingando-se internamente por ter se distraído tão facilmente, ela se virou para o homem que a mirou de cima a baixo. Homens.

Vamos direto ao assunto. – ela iniciou e fitou os olhos do homem com seriedade.  — Qual é a informação que você disse que me iria “ofertar” tão bondosamente? – ela murmurou inserindo um falso carisma em sua voz e o homem deu um riso baixinho, deixando Mavra levemente irritada.

Acha que eu vou dar uma informação dessas para vocês sem um agradinho? Oh não, minha querida! – ele murmurou para Mavra e ela revirou os olhos, já imaginando que aquilo não seria tão fácil. Ela empurrou um pacote em direção ao homem e ele riu mais uma vez devolvendo o pacote. — Não, não queridinha! Não é dinheiro que eu quero. – ele mordeu o lábio mirando novamente o corpo da jovem.

Você não está pensando que eu vou dormir com você, está seu vermezinho imundo? – ela levantou da cadeira onde estava sentada o olhando com desdém, apoiou as mãos sobre a mesa e inclinou o corpo em direção ao homem. — Acredito que foi uma perda de tempo vir aqui, pois pelo visto você é só mais um daqueles babacas que se acham úteis e tentam tirar proveito da situação. – ela bateu na mesa com a palma das mãos e se afastou dando as costas para o homem, numa clara irritação.

Você não vai me dar as costas, sua vadia! – o sangue de Mavra ferveu ao ouvir ele a insultar e então ela se virou para encarar o homem, se pudesse, ela teria o fulminado ali mesmo apenas com o olhar, um verme a mais ou a menos no mundo não iria fazer diferença, mas ela estava em uma corrida contra o tempo e mais cedo ou mais tarde eles se cruzariam novamente. Com esse pensamento, ela virou-se novamente para sair da boate, mas então o babaca resolveu segurar em seu braço. Quando ia se virar para socar a cara dele, um homem atravessou seu caminho e começou uma luta com o homem que outrora ela estava discutindo. Ela não esperou para descobrir quem era e ia virando as costas quando avistou o bar. Oh, aquela situação merecia um bom drink.

Depois de algum tempo, ela observou o idiota que se passara de informante correndo em direção à saída, na certa devia ter tomado uma boa surra. Ela tomou um longo gole de seu drink se sentindo frustrada por ter sido arrastada em direção àquela situação, mas apenas deu de ombros e pediu mais uma dose ao barman.

Quando ia levantar para ir embora, sentiu a presença de alguém se aproximando dela. Preparando-se para socar a cara do indivíduo ela se virou, mas era o ruivo sensual que estava ali.

Oh! Eu não iria me dá o desprazer de mata-lo em público. Há muitas testemunhas aqui. – ela murmurou e levou seu olhar pelo corpo do rapaz e achou graça da situação, pois analisava o corpo do ruivo como o homem outrora analisava o seu e ao retornar o seu olhar para o rosto do homem, ela mordia o lábio ínfero. — Acho que devo agradecê-lo por seu meu super-herói... – ela murmurou com ironia e sorriu maliciosamente tomando mais um gole de seu drink, mas em meio ao flerte ela se tocou de que ele deveria ser gay e riu enquanto tomava o restante do Dry Martini que saboreava e suspirou olhando mais uma vez para o rapaz. Seria uma pena se ele fosse gay, não para os homossexuais e sim para as mulheres que perderiam aquele belo exemplar.


_________________


WONDER
WOMAN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The turn of the night [+18]

Mensagem por Liam Hughes Sawyer em Qui Abr 06, 2017 6:39 am

The teenage rush
When the call came down the line


O comentário da garota me fez ver que embora estivesse com raiva e quisesse, ela não era tão idiota assim, mesmo que eu duvidasse de seu controle mediante a insistência do ameaçado chorão. Parcialmente considerei se eu mesmo poderia tê-lo matado, mas na verdade não achava possível, pois o problema não era meu e mesmo se fosse a mente dele já estaria bem ferrada antes de sequer chegar perto de realmente matar o imbecil.

Minhas consideração voaram para longe assim que as novas palavras dela chegaram em meu ouvido. Neguei com a cabeça fazendo uma cara de nojo negando o elogio e levantou a mão direita aberta: - Não me chame disso por favor, posso ajudar algumas pessoas às vezes, mas nada que mereça o peso dessa palavra. Se quiser chamo o babaca de volta e retiro o que fiz na cabeça dele.

Olhei para atrás dela como se verificasse se ele estava visível, mas sorri negando com a cabeça: - Não, não chamaria ele de volta. Não sou idiota a esse ponto, dançar aqui por passatempo já é minha idiotice do dia. - Dei de ombros revendo os últimos momentos e analisando como se fosse um anagrama que não percebi, repetindo talvez a cena de Código Da Vinci no Louvre. Via partes do ocorrido, trocava a ordem, revia as falas, os poderes e até mesmo o que sentia nela, o que ouvi ela pensando.

Logo alguma coisa peculiar surgiu e me aproximei mais dela sorrindo: - Em sua homenagem pode me chamar de herói, se você for pagar meus serviços de um modo mais pessoal seu. - Revirei os olhos maliciosamente e retornei a focar os dela: - Eu sei que sabe laçar e amarrar bem forte se quiser, posso prometer não escapar se for valer a pena. O que me diz? - Não estava jogando verde, eu derramei o verde todo nela, ou ela me diria sim, ou estaria com a mão no meu pescoço tentando me sufocar.




Informações:
Reencarnado X-Man
Nivel: 10
Especialização: Intelectual.

Atributos:
Código:
FORÇA: 17 INTELIGÊNCIA: 12 + 5
RESISTÊNCIA: 20 AGILIDADE: 21
VIGOR: 20 CARISMA: 14

Perícias:
Código:
i. LUTA DE RUA, nível experiente;
ii. MUAY THAI, nível experiente;
iii. RESISTÊNCIA À TORTURA, nível experiente;
iv. PRONTIDÃO, nível experiente;
v. MIRA, nível experiente;

Poderes
Código:
i. TELECINESE: é o poder do ganho da manipulação e controle de copos somente com a força mental, sem o auxílio de nenhum movimento físico. O uso de tal poder depende da criatividade do telecinético, mas em geral permite a levitação, locomoção, o disparar ou o quebrar qualquer objeto físico;


ii. TELECINESE MOLECULAR: um dos poucos telecinéticos capazes de controlar moléculas, alterando a forma física e química de um objeto;


iii. ILUSÃO TELECINÉTICA: consegue distorcer e manipular poeira e vapor para refratar ondas de luz, criando ilusões telecinéticas;


iv. INVISIBILIDADE TELECINÉTICA: um dos poucos telecinéticos capazes de distorcer lasers e até mesmo a luz, para tornar-se invisível;


v. TELEPATIA: telepata de primeira ordem mesmo sem tanto treinamento como muitos telepatas famosos. Consegue ler o que outros pensam, além de induzir ou manipular terceiros. Também por meio disso, projetar seus próprios pensamentos como forma de comunicação;


vi. HIPNOSE: habilidade de introduzir sensações ao cérebro de outra pessoa, o conduzindo ao transe. A hipnose pode ser usada para persuadir uma pessoa, conduzi-la a fazer ações ou responder a perguntas;


vii. RAJADA PSIÔNICA: capacidade de sobrecarregar a mente, causando dor, perda de memória, perda de consciência, estado vegetativo ou morte depois de ter criado uma conexão psiônica com a mente da pessoa;


viii. REGENERAÇÃO: permite acelerar o processo de regeneração de si mesmo, ou de outras pessoas, dependendo da ferida pode ser mais rápido, ou inútil. Esse poder não faz milagres;


ix. TELEPORTE: capaz de se teleportar para qualquer lugar;


x. PREMONIÇÃO: habilidade de prever acontecimentos futuros. Ele alega ter mais de 300 meios de prever o futuro, entrando em diferentes correntes temporais;


xi. CLARIVIDÊNCIA: capacidade de sentir e ver acontecimentos que estejam ocorrendo naquele instante;


xii. RESISTÊNCIA MENTAL: habilidade de resistir mais a ataques psiquicos de outros telepatas, ou até mesmo a aguentar poderes que afetem a mente como ilusionismo e sedução. Em comparação de poder, poderia nem sequer sofrer danos se o oponente for mais fraco;


xiii. PSICOMETRIA: capacidade de ler resíduos psíquicos em objetos, como uma história do objeto mostrando outros donos, por onde já esteve e até mesmo quem já o tocou;


xiv. CAMPO DE FORÇA: confere ao poderio de gerar um campo de força protetor ao redor de um personagem ou em um local específico. Este campo pode ter diferentes propriedades e níveis de resistência de acordo com o desejado pelo usuário;


xv. PROJEÇÃO ASTRAL: é a capacidade para deixar seu corpo com vida e ficar vagando como espírito. Essa habilidade é perigosa se não for utilizada sob  total isolamento para proteger seu corpo contra um possível ataque;


xvi. EMISSÃO DE ENERGIA CONCUSSIVA: é a capacidade de lançar através do seu olho esquerdo, ou pelas suas mãos, um raio de energia concussiva, que não emite calor, podendo ser de forma voluntaria.

_________________


It's time to trust my instincts!
Some things I cannot change
But till I try, I'll never know!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The turn of the night [+18]

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum