— trainwreck

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

— trainwreck

Mensagem por Damian Fairchild em Sab Abr 15, 2017 9:26 pm




trainwreck
O treinamento envolve DAMIAN FAIRCHILD e HEIKO VON GRANNZREICH, sendo assim, HERÓIS (VIGILANTES). Passa-se esta em 03 DE MARÇO, NOVA IORQUE. O conteúdo é LIVRE . Atualmente, o exercício está EM ANDAMENTO e será fixado uma quantia de XX POSTAGENS.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — trainwreck

Mensagem por Damian Fairchild em Sab Abr 15, 2017 9:39 pm

you’ve always loved the strange birds
now i want to fly into your world
As horas que gasta tentando ser um adolescente nromal é um verdadeiro martírio para Damian - um garoto arredio, energético e com graves problemas de hiperatividade.

Sua vida na escola vai de mal a pior - depois de ter adquirido a soberania do anel violeta e ministrado os magníficos poderes da tropa das Safiras Estrelas, inerte a todo o resplendor e magnitude de um vigilante do amor, o garoto praticamente decidiu abandonar a vida que levava antes do ocorrido, passando a dar pouca importância a assuntos pertinentes a jovenzinhos de sua idade; estudos, namoro ou uma futura carreira profissional.

Na verdade, frequenta as aulas no colégio Berlinghieri apenas por insistência dos pais, além, claro, para preservar a imagem de filho dedicado que costumeiramente ostenta perante as reuniões familiares. Presenteia sorrisos e concorda com tudo o que o aconselham em casa, quando na verdade deseja sair por aí caçando e prendendo bandidos, fazendo uso de seus poderes para o bem - como ele gosta de imaginar.

Assim que o sinal soa, indicando o término de mais uma aula, Damian arruma os materiais usados e deixa o laboratório, atravessando os extensos corredores do prédio do ensino médio rumo ao gabinete onde os professores se reúnem com frequência. Por uma feliz coincidência, pelo caminho, os olhos acastanhados de Fairchild esquadrinham a figura de Heiko Grannzreich, a mulher com quem ele tem se afeiçoado há alguns bons meses e com quem vem partilhando segredos acerca do mundo dos heróis.

Ambos lutam por um mesmo ideal; um cidade melhor onde todos os nova-iorquinos passam desfrutar da paz.

— Bom dia, senhorita Grannzreich! — saúda com o atípico humor matinal, exibindo a fileira de dentes branquinhos e bem alinhados em um sorriso que toma boa parte do rosto — Podemos nos encontrar hoje a noite outra vez? Mamãe já não liga que eu chegue tão tarde. Dei a desculpa de que estou estudando na casa de um amigo para as provas finais, e ela acabou acreditando. Tenho carta branca agora! Isso não é o máximo? — a animação sempre fez de Damian um belo falastrão, visando que o jovem dificilmente consegue se manter quieto ou calado por mais que alguns poucos segundos.

Enquanto faz companhia a sua tutora durante o tempo que volve o intervalo, o rapaz pesca do interior da sua mochila uma folha de papel cujo conteúdo resguarda um bonito desenho. Na gravura, ele e Heiko jazem em uma pose autoritária sobre a estátua da liberdade, trajados com vestimentas de cunho peculiar - coloridas demais para agentes da justiça que não desejam lá chamar tamanha atenção.

Para todo o caso, é um designer incrível, e se tivesse a mesma disposição em enfiar a cara nos livros quanto teve em passar a madrugada em claro desgastando os poucos neurônios que possui com esta arte, o garoto de certo seria um aluno muito melhor do que realmente pensa que é.

— O que acha dos uniformes? Ainda estou trabalhando em algo que possa parecer confortável e descolado, sabe? Tipo do Batman e o do Robin — abana o papel defronte o rosto da tutora, bastante apreensivo com o número de reações que ela possa exibir. Damian ainda mal acredita que por detrás do porte de mulher jovem e bela, a outra resguarda idade suficiente para tomá-lo como neto - e reforçava sempre a nota mental de que nunca, jamais, em hipótese alguma deveria chamá-la de vovó.

— Mas voltando o assunto, talvez seja mesmo necessário estudar um pouco, às vezes. O professor Herondale disse que vou levar bomba na matéria dele. Papai vai ficar uma fera — a ideia de encarar o patriarca após a entrega do boletim escolar é assustadora demais para que o rapaz se prenda a ela, e ignorando um arrepio que percorre sua pele, eriçando os pelos da nuca, ele volta-se para encarar Heiko, ainda sorridente.

Uma amizade pouco saudável, levando em conta que Fairchild não vê necessidade alguma em ser notado pela mais velha - só o tempo inteiro.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — trainwreck

Mensagem por Heiko von Grannzreich em Dom Abr 16, 2017 1:58 am

ensinando a viver na prática
Treinando o aluno tagarela e correndo perigo
A doutora Grannzreich tem, como ganha-pão, o emprego de professora no colégio Berlinguieri para que pudesse divergir do rumo que tomou em sua outra vida como homem mais perigoso do mundo. Educar jovens especiais nas áreas em que possuía doutorado e ainda ensiná-los a sobreviver nesse mundo perigoso, era algo que o antigo Doutor Destino jamais pensaria em fazer. Sendo assim, ela pouco se importava com a própria felicidade em sua ocupação. Precisava deixar de ser egoísta para pagar pelos crimes que cometeu.

Em uma das salas daquele castelo refúgio, Heiko terminava de lecionar astrofísica. Aquela não era uma das matérias necessárias para uma turma de jovens menores de idade, mas isso não a impedia de adicionar áreas mais específicas, como astrofísica, física nuclear, engenharia, entre outros. Poucos de seus alunos conseguiam acompanhar o conteúdo, em consequência.

“Há quanto tempo estou aqui? Dois anos? Cinco? É difícil acompanhar o passar dos meses nessa vida”, pensou a doutora enquanto aguardava que os jovens a deixassem sozinha em sua sala de aula. Quem a observasse poderia notar uma expressão de cansaço, olheiras que escapavam da maquiagem e alguns descuidos em sua roupa, como as meias de pares diferentes — embora estivessem ocultas pela calça e sapatos.

Alguns documentos da aula foram ajeitados para ficarem todos em paralelo, um claro sintoma de transtorno obsessivo compulsivo que Heiko possuía, ou apenas perfeccionismo a tal ponto de perder seu tempo com coisas triviais. Isso lhe tomou alguns minutos para que pudesse deixar aquele lugar, caminhando para fora da sala com seus papéis em mãos, visto que não gostava de bolsas, apesar de práticas. Enfim caminhou até o gabinete dos professores de Berlinguieri para perder ainda mais algumas horas de sua vida em uma reunião desnecessária e diária com os demais mentores que ela subestimava. Aquela era uma das agonias necessárias para a purificação de sua alma malévola.

Saindo mais cedo da reunião, a doutora foi interceptada por um aluno alvoroçado — quiçá hiperativo —, Damian Fairchild. Ele parecia ter se apegado à professora depois que ela o levou para conhecer o submundo da cidade, esfregando-lhe a realidade como ela é em sua face sem nenhuma censura. Heiko esperava que isso deixasse o rapaz em desespero, fazendo-o adquirir demofobia ou algo do gênero. O resultado, entretanto, foi o completo oposto.

— Obrigada — disse para o cumprimento de Damian. Ainda era difícil ser educada com pessoas após viver sendo treinada para ser usada por metade de sua vida e passar o resto dos anos sendo enganada por demônios traiçoeiros. — Sim. Claro. Com certeza. — Para cada cinco palavras do jovem, Heiko escutava a metade de uma.

Pelo corredor, um quase monólogo de Fairchild estava se provando um método de tortura a ser estudado e testado em criminosos. A doutora Grannzreich não via o momento de escutar o sinal para o retorno à sala de aula. Somente aquele rapaz era mais falante que toda uma turma, literalmente. Havia uma turma especial formada pelas maiores mentes jovens do colégio, educados e silenciosos em consequência. “Gostaria de lecionar apenas para eles”.

Um desenho foi mostrado à Heiko, tratando de uniformes para que ela e Damian utilizassem em seus momentos heróicos. Porém, Doutor Destino já possuía um traje que não passaria por mudanças estéticas tão cedo.

— Ahn… — As sobrancelhas da alemã se uniram enquanto ela observava aqueles traços do outro, notando o talento dele naquilo, embora fugisse de seus gostos pessoais.

Antes que pudesse dar uma resposta, Heiko foi interrompida pelo aluno que dizia “talvez seja mesmo necessário estudar um pouco, às vezes. O professor Herondale disse que vou levar bomba na matéria dele”. Então a doutora apenas deu de ombros, tentando deixar claro mais uma vez ao jovem que não se importava tanto assim com ele, sobretudo as suas matérias. Aliás, o papel principal dela como mentora não era ensinar sobre física, e sim a sobreviver no mundo hostil para seres especiais como ele.

Mantendo-se indiferente quanto à dentição de Damian que era exposta em um largo sorriso, Grannzreich encarou seu pupilo e fez o máximo para ser clara:

— Arranjar tempo para estudos não é problema meu — disse sem falar um dos nomes dele, pois não se recordava. — Nessa noite, irei levá-lo para uma lição muito mais importante que seu boletim e fúria de seu pai.

O sinal soou. Heiko voltou para sua sala sem se despedir.




Frontispício de Berlinguieri
23h

Doutora Grannzreich aguardava o aluno hiperativo para mais uma vigília noturna. Suas mãos se encontravam no bolso da calça preta, estava claramente sem paciência como de praxe. Nessa noite poderiam chamar o que fariam de missão, mas era uma surpresa para o rapaz.

Assim que Damian se aproximasse, a heroína ativaria seu relógio, fazendo com que sua armadura cobrisse seu corpo com ligas metálicas de carbono nano-robótico, e uma capa surgiria com sua magia em seguida.
vitu

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — trainwreck

Mensagem por Damian Fairchild em Dom Abr 16, 2017 5:01 pm

you’ve always loved the strange birds
now i want to fly into your world

O rapaz gostaria de ter questionado sobre aonde iriam e o que fariam, mas não teve tempo por conta do maldito sinal que o alertara sobre o próximo pesadelo a enfrentar; matemática financeira. Passou a aula inerte às explicações e cálculos do tutor, imaginando todas as possibilidades que viria a encontrar na reunião noturna - e não havia uma que não envolvesse violência, pois era nisso que ele era bom.

Porém, na hora combinada, Damian comparece - com vinte minutos de atraso por ter se distraído jogando league of legends no computador. Boné, camisa polo, calça jeans e jaqueta de couro. Além, claro, do insubstituível artefato magenta que sempre leva consigo no dedo; um anel cuja pedra violeta resguarda um poder de limites desconhecidos. É por isso que ele vem se entrosando com Grannzreich; em troca de ajuda para que possa entender a extensão de seus dotes.

— Estou aqui, senhorita Grannzreich! — anuncia sua aproximação com o habitual tom animado. Os lábios se rasgam em um sorriso e, à medida que cobre a distância que os mantêm separados, flagra o semblante de sua mestre ser oculto por intermédio da ativação da icônica armadura tecnológica ornamentada com uma capa singular. — Uau! Incrível! — destila elogios sinceros, encantado, ciente de que não é o suficiente para conquistar a aprovação de Heiko.

Convivendo parte do tempo debaixo do mesmo teto - no instituto - acabou acostumando-se com o caráter e temperamento arrisco da mulher, que nunca poupou esforços para tratá-lo com desdém.

— Devo colocar meu uniforme também? É que você colocou o seu e... okay — abanando o rosto para dispersar a tagarelice habitual, Damian ergue o anel de pedraria magenta defronte o peito e murmura o juramento da tropa estelar a qual é um dos notórios partidários.

(pelos corações perdidos e cheios de horror
que na noite mais densa choram solitários de dor
aceite nosso anel e ajude a combater o terror
e a tudo conquistar com a luz violeta do amor)

Um halo de coloração fúcsia consome a figura esbelta, desfazendo as roupas em farrapos e dando espaço a um maiô que apossa-se do corpo e cobre a pele delgada. Mediante a ausência de um conhecido - excedendo-se Doutor Destino - uma máscara púrpura materializa-se na face, preservando a identidade real do garoto, o abonando com uma soberania inigualável. Agora, perante o olhar amável, Safira Estrela já não aparenta os mesmíssimos traços infantis de outrora.

— Estou pronto para acabar com alguns criminosos — estufa o peito, cheio de si — Aonde vamos? — e faz a pergunta que tanto o perturba.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — trainwreck

Mensagem por Heiko von Grannzreich em Dom Abr 16, 2017 10:29 pm

ensinando a viver na prática
Treinando o aluno tagarela e correndo perigo
Frontispício de Berlinguieri
23h20min

A figura feminina de Heiko permaneceu imóvel no gramado em frente ao castelo de Genosha durante uma longa espera. Um dos alunos especiais da professora deveria se encontrar com ela para mais uma lição que somente Berlinguieri oferecia aos seus estudantes: treinamento de sobrevivência no mundo de mutantes e meta-humanos. Nessa noite, os dois iriam sair um pouco da vigília costumeira onde apenas procuram por crimes em andamento ou atacam gangues em seus esconderijos, acabando com pequenos traficantes e porte de arma ilegal. Dessa vez, os poderes de Safira Estrela seria testados em um nível maior do que jamais fizera antes.

Grannzreich ainda não sabia as verdadeiras razões para ter sido convidada a educar esses super-jovens, visto que seu histórico é nem um pouco bom para um currículo de professor — mesmo que fosse difícil descobrir sobre seu passado que ocultara. O diretor era um poderoso mago, seria nem um pouco surpreendente para Heiko saber que ele tinha ciência de que contratou uma assassina, uma bruxa que utiliza magia negra sem pudor e ainda foi treinada duas vezes em sua vida para se tornar algo muito além de uma simples arma-viva. Talvez fosse exatamente isso que a tornava tão apta para a função, porque Berlinguieri tinha, como um de seus objetivos, preparar as crianças e jovens para tudo aquilo que podem vir a ser.

Mas o que Heiko von Grannzreich poderia vir a ser? Ou o que ela já se tornou? Essas perguntas eram alguns dos motivos para ela estar no colégio.

— Atrasado — informou Heiko ao seu aluno que se aproximava e não ofereceu uma desculpa sequer.

A armadura de Doutor Destino estava pronta, diferente do uniforme do rapaz. Ele parecia não ser capaz de acompanhar o ritmo dele, o que significava ser um problema sério a ser resolvido. Para a sorte do professor, e azar do aluno, logo seria feita uma atividade para que aquela condição de Damian fosse mudada.

Assim que ambos ficaram completamente prontos, Safira Estrela fez uma pergunta quanto o lugar para onde iriam. “Muito curioso. Muito apressado”, pensou Heiko irritada, o que era visível somente por detrás do elmo de Destino.

— Destino seguirá para algum lugar de Nova Iorque em um portal… — A explicação foi interrompida no momento que o homem de armadura notou a vestimenta de seu pupilo. O maiô e a indecência de cor púrpura deixaria Doutor Destino boquiaberto se não fosse pelo fato de que seu capacete não tinha essa capacidade de expressão. Um silêncio se prolongou por alguns instantes, até que Heiko voltou a se concentrar no que estava a dizer. — E você deverá me localizar voando pela cidade. Você não deverá usar scanners caso seu anel possua, nem nada do gênero. Somente sua velocidade de voo e sua própria percepção. Destino fará algum sinal simples para que possa notá-lo de longe caso esteja atento. — Um buraco no ar surgiu ao lado de Destino, um portal roxo com manchas pretas que o levaria para algum lugar dentro da cidade em um piscar de olhos. — Tem vinte segundos para encontrar Destino antes que mude de posição até que seja encontrado. A cada vez que Destino passar por um portal, você terá cinco segundos a menos. — Sem que antes pudesse ver o novato assentindo, o feiticeiro atravessou seu buraco de minhoca, seguindo para o topo de um prédio em Manhattan.

●●●

Manhattan
23h26min

Aquela missão de Safira Estrela faria com que seus sentidos fossem apurados, talvez não muito mais do que eles eram capaz antes de Damian conseguir entrar para a Tropa das Safiras. O uso de um artefato poderoso como aquele deixava qualquer humano acomodado, tornando-os bebês treinados. Qualquer um da turma de Heiko von Grannzreich não poderia demonstrar tal fraqueza e permanecer assim sem que pelo menos o paladar dessa pessoa fosse treinado a diferenciar o sabor do asfalto de cada avenida nova-iorquina.

Entretanto, Destino mentira sobre o que deveria ser feito. Nenhum sinal seria feito para que Safira pudesse encontrá-lo e sua posição permaneceria igual o tempo inteiro. Enquanto ele sobrevoasse a cidade, o rapaz seria perseguido por robôs de Destino que o atacariam com todo armamento disponível. De início seriam apenas dois robôs, mas a cada um que fosse destruído, outros três surgiriam entre prédios e outros lugares da cidade. Haviam mais de cinquenta robôs a disposição.

“Se ele fracassar nessa primeira etapa, irei dispensá-lo de minhas aulas”, pensou Heiko. Doutor Destino não vigiava o aluno naquele momento, e sim um grupo de indivíduos no interior de um edifício maior que estava em frente ao que ele se encontrava. Ainda estava cedo para agir.

Adendos:
i. Alcunha: Doutor Destino;
ii. Raça: Reencarnado;
iii. Nível: 1;
iv. Vitalidade: 200/200;

v. Perícias:

i. TECNOLOGIA, nível calouro;

vi. Atributos:

i. FOR: 20
ii. INT: 25
iii. RES: 20
iv. AGI: 20
v. VIG: 20
vi. CAR: 20

vii. Poderes:

MAGIA, Doctor Doom aprendeu diversas artes místicas com monges, pois havia uma profecia a seu respeito de que seria o maior entre eles. Doom também foi treinado pelo Feiticeiro Supremo em outro universo e, através do contato com seu antigo eu, é capaz de executar as magias que aprendeu com Stephen Strange. Doom é um candidato a se tornar Feiticeiro Supremo no lugar de Stephen.
EXPLOSÕES MÍSTICAS podem ser feitas por seu poder mágico com simples gestos de suas mãos.
CAMPOS DE FORÇA MÍSTICOS que Doctor Doom conjura são resistentes o bastante para suportar impactos diretos da armadura Hulkbuster do Homem de Ferro, magias de outros magos e muito mais.
INVOCAÇÃO DE ENTIDADES é uma habilidade que evita utilizar, pois significa que necessita de ajuda de outros seres para se proteger ou fazer qualquer coisa. Todavia, Doom pode invocar seres de outros planos para utilizá-las como desejar. Como acéfalos de pedra que disparam lasers pelo olho que possuem.
FEITIÇOS podem ser lançados por Doom para inúmeros efeitos, como banimento de criaturas para outros planos, ou apenas outros lugares. Como já fizera com outro usuário de magia ao bani-lo para outro país sem dizer uma palavra sequer.
TELETRANSPORTE pode ser feito para levar Doom e outros que ele desejar para qualquer lugar na Terra ou planos acessíveis e dimensões.
PORTAIS MÍSTICOS podem ser criados para ir até outros lugares dentro ou fora desta dimensão, pode levar outros seres e até objetos consigo enquanto mantiver o portal aberto.

INTELECTO DE SUPER-GÊNIO é o principal trunfo de Doctor Doom, sendo sua mente uma das mais mortais do planeta. Doom é capaz de construir centenas de espécies de dispositivos, como aparelhos capazes de imbuir tipos de poderes em outras pessoas e robôs. Heiko é especializada em física, robótica, cibernética, genética, tecnologia de armas e bioquímica.

MESTRE EM ARTES MARCIAIS após seu treinamento no monastério, pois não foi treinado para apenas magia. Ele é muito habilidoso em combates armados e desarmados. Sua habilidade é grande o suficiente para matar um leão com suas mãos, enfrentar o Demolidor e utilizar o escudo do Capitão América com a mesma proficiência dele.

VONTADE INDOMÁVEL de Doom é capaz de suportar o controle de telepatas como Emma Frost ou a persuasão de seres como o Homem Púrpura. Uma vez já foi torturado no inferno e, apenas com sua força de vontade, recusou-se a deixar uma única indicação audível de dor sair da sua boca.

ARMADURA MARK 2.1 oferece diversas habilidades a Doctor Doom além de sua magia, tornando-se uma mistura de máquina de combate tecnológica e mágica. Ela é feita de nanorrobôs e por essa razão pode alterar sua forma e cor à vontade de Doom pelo controle neural. Ainda também pode ser recolhida em um relógio de pulso quando for desejado.
VOO da armadura pode alcançar a velocidade do som, mas é possível superar esse limite com a adição dos propulsores de suas mãos.
FURTIVIDADE, ou invisibilidade, onde pode optar por deixar somente a armadura invisível ou o usuário também. Durante esse modo, até mesmo a energia dos propulsores não pode ser vista.
IA AVANÇADA capaz de auxiliar o usuário da armadura em análises complexas, como as feitas por pequenos drones (da armadura) e assim oferecer dados mais simples para Doom. Ela é tão sotisficada que pode disfarçar aassinatura de energia e qualquer emanação de frequência da armadura.
RAIOS REPULSORES são a arma primária da armadura. Encontram-se nas luvas a saída desse feixe de partículas. Podem repelir ataques físicos e energéticos, viajando como um único fluxo ou como uma dispersão de campo largo. Os repulsores também possuem capacidades multi-vibracionais para danificar seres intangíveis.
UNIBEAM é um dos principais ataques, senão o principal, da armadura. Ele dispara uma quantidade absurda de energia através do peitoral da armadura, um feixe em todos os espectros de luz. E, quando absorve energias disparadas contra si, pode-se usar essas energias absorvidas para um unibeam potencializado.
LASERS padrão que podem ser usados como armas ou para soldagem, incluindo laser UV para penetrar escudos permeáveis à luz.
MÍSSEIS INTELIGENTES que se direcionam sozinhos aos pontos fracos de um alvo da escolha de Doom para provocar o máximo de dano com uma carga útil mínima.
INIBIDOR DE TELEPATIA tão eficaz que pode bloquear sinais telepáticos até mesmo dos maiores telepatas do planeta.
DURABILIDADE MELHORADA que permite o usuário humano, Dr. Doom, sobreviver sem nenhum dano ao receber ataques de quaisquer arma de fogo comum, socos de seres super-fortes, lasers potentes, foguetes, mísseis, torpedos, fogo, impactos pesados, explosões de energia, frio intenso, temperaturas superiores a do Sol e até alguns ataques do próprio Thor. Uma explosão nuclear também é ineficaz contra essa durabilidade.
ESCUDO DE ENERGIA capaz de suportar quase toda espécie de ataque, incluindo explosões nucleares, ataques mágicos e ataques energéticos dos anéis de Mandarim que são capazes de quebrar ligações entre átomos.
FORÇA SOBRE-HUMANA capaz de erguer até 100 toneladas e ainda níveis maiores de força podem ser alcançados caso a armadura seja alimentada por forças externas no momento.
VELOCIDADE SUPER-HUMANA que permite Doom reagir muito rápido em combates, inclusive contra seres mais rápidos como o Homem Aranha e superar em corridas contra o Tocha Humana.
CÉLULAS DE PODER podem ser carregadas com luz solar, ataques energéticos desferidos na armadura ou no próprio laboratório de Doom.
CONVERSÃO DE ENERGIA pode ser feita através de fontes de energia próximas ou distantes, tais como calor, energia solar, elétrica, magnética, geotérmica ou cinética ou energia do próprio planeta em eletricidade, ou mesmo drenar energia diretamente nas baterias para recarga
SISTEMA DE SUPORTE DE VIDA AUTO-CONTIDO E PROTEÇÃO AMBIENTAL, a armadura pode ser completamente vedada para operações em vácuo ou subaquática, fornecendo seu próprio suporte de vida e protegida contra radiações, ataques biológicos, químicos, corrosivos, cinéticos e elétricos.
MAGNETISMO, a armadura pode gerar campos magnéticos para puxar ou empurrar objetos de metal à vontade.
ANTI-MAGNETISMO torna a armadura imune a controle de meta-humanos ou mutantes com magnetismo.
SENSORES como radar, visão noturna, scanners fisiológicos que permitem monitorar atividade cerebral e sinais vitais próprios ou de outras pessoas, varredura de todo um ambiente para determinar/localizar atmosfera, formas de vida e até projeções de energia astral.
ANTI-INTANGIBILIDADE torna ataques de seres intangíveis ineficazes contra a armadura.
vitu

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — trainwreck

Mensagem por Damian Fairchild em Sex Abr 21, 2017 11:06 pm

you’ve always loved the strange birds
now i want to fly into your world

— Como? — atordoado com a quantidade absurda de instruções advindas de sua tutora, Damian questiona, sem nem ao menos digerir parte delas no momento exato que em que a figura sinistra de Doutor Destino é engolida por um buraco interdimensional.

Suspirando profunda e lentamente, o lanterna violeta soergue os braços e iça o corpo no ar, ostentando-se em um voo que beira uma velocidade considerável. O ar frio da noite nova-iorquina eriça os pelos de seus braços - ele detém noção do quanto o traje da tropa é demasiadamente curto, mesmo nunca tendo reclamado pelo único motivo de adorar atenção no que condiz a um rapaz forte, bonito e cheio de músculos enfiado em um maiô rosa bem naquele planetinha azul e fechado.

Cortando os céus, os olhos de um castanho líquido atentam-se a tudo o que podem lá embaixo; o tráfego lento, o barulho da metrópole, a poluição desnecessária - mas nenhum sinal de sua protetora. Passa por avenidas, ruas fechadas, vielas e becos e nem por um curto instante vislumbra uma sombra de Destino. Onde diabos ela poderia estar? Fairchild questiona, alcançando um estado pleno de irritação e descuido.

Alvo na mira. Processando arsenal. O ruído entrecortante faz Damian erguer o rosto e se deparar com uma dupla de robôs que o rondam, tomando-o como possível vítima. Saraivadas de balas implodem das armas coligadas as armaduras tecnológicas e Safira Estrela ergue a destra bem a tempo de projetar um escudo de pura energia magenta que o protege de boa parte das investidas, sendo forçado a baixar voo.

Concentra o amor contido no seu coração e o canaliza ao artefato que molda o anelar; o escudo se liquefaz, dando origem a tentáculos violetas que encarceram os robôs, apertando-os firmemente em um abraço destrutivo. Pouco a pouco as peças eletrônicas entram em curto devido a pressão e então as maquinas explodem em um show de luzes e faíscas multicoloridas. Um sorriso molda os lábios do psêudo-herói, triunfante.

Antes de felicitar-se pela sucinta vitória, um míssil de curto alcance detona no perímetro adjacente à localização de Fairchild, que com o impacto do explosivo perde a estabilidade, sendo arremessando a poucos metros de distância do ocorrido para dentro de uma lata de lixo.

Turbinas e propulsores tornam-se audíveis. Para a infelicidade do moreno, outra dezena de protótipos o alcançam com facilidade ao deixarem as sombras de edifícios e construções inacabadas da cidade. O que estava acontecendo?

— Só pode ser brincadeira... — reclamão, tenta pôr-se de pé, estapeando as vestes e limpando uma casca de banana que jazia acoplada sobre a cabecinha oca. Mais disparos atravessam o ar, atingindo todos os tipos de objetos e materiais ao redor do rapaz. Safira Estrela torna a materializar um campo de força entorno de si, repelindo os projéteis perfurocortantes, rebatendo-os em direções opostas - grande parte voltando-se contra seus agressores que, após serem atingidos e severamente danificados, perdendo a capacidade de voo, são substituídos por mais e mais robôs.

Flexionando os joelhos, Damian toma impulso para retornar aos céus e reassumir a mobilidade de outrora, golpeando o vácuo e liberando rajadas concussivas de seus socos. Um a um, as máquinas vão sendo consumidas pelos raios violetas, varridos do céu como abelhas de um enxame e, assim esperado, tendo seus lugares ocupados por outros de mesma origem. Uma infinidade de corsários eletrônicos.

Cansado de ver seus esforços serem gatos em vão, Safira bate em retirada, buscando adquirir velocidade suficiente para despistar os inimigos. No meio do trajeto, ao mesmo tempo em que é atacado por lança-chamas e granadas que estouram a pouquíssimos centímetros de seu resto - e graças ao campo que o protege não é machucado pelos destroços - manuseia o anel em movimento vertical na diretriz de um prédio em construção, engajando uma esfera fúcsia que destroça a base do edifício e o faz tombar sobre metade dos robôs que o persegue logo atrás. Em consequência, a rua abaixo de si é interditada.

Receoso de que seus atos acabassem acometendo civis feridos - os olhos arregalados com a nuvem de poeira que subiu em algum canto da cidade por onde tinha passado e o burburinho das sirenes policiais invadindo seus ouvidos - coloca em ímpeto uma subida ainda maior, ultrapassando nuvens carregadas, quase limitando-se à estratosfera.

Com punhos cerrados, ilumina as mãos com mais uma parcela de energia violeta, observando os sentinelas virem a seu encontro.

— O amor conquista tudo, COM A LUZ VIOLETA DO AMOR! — proclama a pleno fulgor o icônico discurso da tropa estelar de Safiras Estrelas, propelindo os palmos arrojados ao passo que decai metros e metros de altura por entre os robôs, disparando discos luminescentes que, ao contato com a lataria dos maquinários, os carboniza, inutilizando seus sistemas.

Um, dois, três, e logo todos sucumbem ao poderio do anel. Pouco cuidadoso com o flanco, ao término do trabalho, Damian mal percebe a aproximação de um último míssil advindo de um robô que teve energia o suficiente para realizar uma descarga antes de explodir. A explosivo ativou às suas costas, impactando-o com brutalidade com a força da detonação.

Se antes já havia alcançado uma velocidade absurda durante a decida, agora então ele não conseguia controlar a queda. Um rombo fora feito na cobertura do prédio onde aterrissou - de muito mal jeito. Vislumbrou, então, a presença da sua tutora ali, quase a seu lado, de semblante indecifrável.

Ui! Oi, Senhor Destino! Me atrasei? — questiona, sem graça, um sorrisinho de muxoxo na cara de pau enquanto, ainda estirado no concreto, finge ignorar os destroços que despencam dos céus, todos pertencentes aos robôs que havia finalizado.

Se existia alguma chance de estarem preparando uma emboscada, certamente teriam de considerar um plano secundário, pois Safira Estrela acaba de comprometer a missão ao entregar o suposto esconderijo.

ADENDOS:

— Safira Estrela;
— Reencarnado;
— Nível: 9;
— Vitalidade: 200/200;

— Perícias:
i. CORPO A CORPO (KRAV MAGA), nível iii (pedagogo);
ii. FURTIVIDADE, nível iii (pedagogo);
iii. ARMAS BRANCAS, nível iii (pedagogo);

— Atributos:
Força: 20 | Inteligência: 15
Resistência: 20 | Agilidade: 15
Vigor: 20 | Carisma: 15

— Poderes:
O ANEL VIOLETA apresenta a variabilidade material, ou seja, pode se adaptar a qualquer acessório que seu portador prefira. Suas habilidades são extensas e, assim que é acoplado ao corpo do seu hospedeiro, o abona com OMNILINGUÍSTICA, a fluência em toda e qualquer língua ou dialeto falado no universo inteiro; como o representante do amor puro, resigna a capacidade de identificá-lo, forjá-lo ou modificá-lo através da EMPATIA, da MANIPULAÇÃO DE FEROMÔNIOS e SEDUÇÃO. Ainda, o anel consegue captar os desejos mais ínfimos e particulares de um coração. A versatilidade do anel também é transferida na área dos construtos físicos, que são sólidos moldados a partir da energia violeta do anel e criados nos princípios da MATERIALIZAÇÃO E DESMATERIALIZAÇÃO, além da projeção de raios energéticos a partir da EMISSÃO DE ENERGIA CONCUSSIVA. Podem ser criados armamentos, projéteis e objetos derivados da criatividade e conhecimento do portador do anel. Também há a possibilidade de criações de CAMPOS DE FORÇA de tamanhos e propriedades diversas e específicas a partir da capacidade energética do acessório, assim como a habilidade específica das tropas Safira-Estrela de CRISTALIZAÇÃO, em que o(s) alvo(s) é(são) inteiramente cristalizado(s) até que o conjurador o desfaça. Além de proporcionar a capacidade de VOO, o anel, por ser uma entidade alienígena, também capacita seu portador da adaptabilidade pulmonar e às propriedades gravitacionais do ambiente em questão, como a ausência de oxigênio ou a pressão do vácuo. Sob os atributos da joia interestelar, há a inviabilidade de mentiras; nem o portador da gema violeta e aqueles que a cercam são capazes de mentir diante do conceito de amor verdadeiro que é carregado no interior da pedra, sujeitos à loucura caso tentem, resistam e consigam. O anel também possui competência para criar links empáticos entre as mentes de indivíduos e o seu portador, o habilitando de conexões mentais para a performance de TELEPATIA e RAJADA PSIÔNICA. A CURA e REVITALIZAÇÃO são possíveis apenas em indivíduos que tenham o amor verdadeiro dentro de si; é possível curar qualquer espécie de ferimento e trazer pessoas de volta à vida. O TELETRANSPORTE tanto do portador quanto uma quantia ilimitada de outros sujeitos é uma aptidão adicional da joia. Outra singularidade do anel é a PSICOGÊNESE, a criação de criaturas energéticas embutidas de consciência e capacidade de raciocínio, embora todos controlados de acordo com a vontade de seu criador [A psicogênese de Star Sapphire é limitada à uma única criatura — O Predador, a personificação da obsessão e paranoia de todos os amantes]. Ainda há a COGNIÇÃO voltada aos princípios do amor, sendo possível prever a desenvoltura amorosa de alguém, assim como identificar a carência do sentimento em qualquer lugar do universo. A tropa Safira-Estrela é imune aos poderes do anel da avareza e, assim como qualquer outro anel, necessitam ser recarregados periodicamente.

— Item:
ANEL VIOLETA. os anéis da tropa percorrem o espaço à procura daquelas que possuem ou sofreram por um grande amor. o anel de uma Safira Estrela é energizado pelo espectro emocional violeta do amor e, assim como os demais anéis energéticos, seu anel confere ao usuário uma vasta gama de habilidades. antecedendo a ativação ou a recarga do artefato, é necessária a realização do juramento. (pelos corações perdidos e cheios de horror, que na noite mais densa choram solitários de dor. aceite nosso anel e ajude a combater o terror, e a tudo conquistar com a luz violeta do amor)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — trainwreck

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum