OFICIAL, presságio de uma consequência

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Adam Warlock em Qua Maio 03, 2017 12:30 am

presságio de uma consequência
A primavera é uma  estação, em conjunto ao outono, de tempo muito instável. É tão comum ver chuvas dispersas durante os sete dias de uma semana, assim como a luminescência fervorosa dos raios solares. Céu fechado. Céu aberto. É um ciclo incontrolável, quase imprevisível a estações meteorológicas em meio a época. A população é americana é familiarizada com esses eventos climáticos.

A virada do inverno para a primavera foi marcada pela dominância do sol, dando a impressão a toda extensão dos povoados estadunidenses que o verão anunciou-se mais cedo nesse ano. Englobou o raio de radiações ultravioletas, até mesmo, os vizinhos como México e Canadá.

No entanto, quando marcou maio no calendário de todos, repentinamente, a atmosfera foi engolida por uma escuridão, mesmo estando em turno diurno.

O que era mais estranho em tal fato é que abrangia todos os povos, sem exceções. As nações ficaram coagidas com as nuvens obscuras. Embora, o fator que mais chamava a atenção dos setes bilhões de pessoas no plano terreno era o odor de enxofre, o qual emanava dos gases acumulados no espaço entre o solo e a estratosfera. Quem inalasse muito do químico gasoso sofreria com problemas superficiais de saúde como lacerações na cabeça, crise de espirros frequentemente e vermelhidão e inchaço na pele.

Tudo era uma questão de saber cuida de si mesmo.

Os postos de saúde foram visitados tantas vezes em um dia em comparação aos dias já preenchidos, do ano de dois mil e dezessete depois do nascimento do filho de Nosso Senhor. Centro de culto a religiões foram alvejadas pelos seguidores, que oravam pelo findamento da calamidade global, esta que iniciou-se há pouco empo e já causava aversão e medo; os crentes acreditavam que era o prólogo ou a introdução ao último livro do cristianismo, este nomeado como “Apocalipse”.

Se não bastasse só o cenário sem exibição do astro rei e o olfato captando um aroma irritante e doentio, a tormenta nos continentes continuou e afetando os outros sentidos. O áudio ambiental tido, certas vezes, era de estrondos assustadores, enquanto feixes luminosos cruzavam o céu. Vale ressaltar que o segundo, os raios, possuía uma aparência diferente do que o normal: não eram alvos e, sim, nitidamente avermelhados.

Finalmente, o que estava tardando a chegar, daria as caras em breve.  

Outro item a ser adicionado na lista de “anormais”. O que parecia ser chuva, expelida a enormes quantidades líquidas e pingos pela atmosfera, era vermelho. A impressão de todos era uma chuva de sangue, mas, conforme atingia matérias e corpos comprovava-se que a teoria estava absolutamente errada; ácido. Existe o termo “chuva ácida”, sendo usada como, de acordo com a Wikipédia, “a designação dada à qualquer outra forma de precipitação atmosférica, cuja acidez seja substancialmente maior do que a resultante do dióxido de carbono (CO2) atmosférico dissolvido na água precipitada”. Certamente quem diagnosticou isso nunca pensou em literalmente “chuva ácida”.

Como um reagente ácido não tão poderoso, causava sutis queimaduras na carne dos atingidos. E, a sua propriedade principal era o cheiro, pois todos que inalavam instantaneamente caiam contra o solo, desmaiados. Em alguns casos, muitos sofriam de tremulações durante o sono de poucas horas. Também, diziam ver mensagens fragmentadas enquanto sonhavam, com relação ao presságio do caos.


observações


i. É necessário narrar o que fazia antes do céu ficar do estado atual;
ii. O mesmo diante aos efeitos climáticos;
iii. Quando pego pela chuva, o que é obrigatório de acontecer, deve descrever o sonho. É claro, o que verá é uma ilusão, mesmo não sabendo, com referência ao caos em um futuro próximo. Cada miragem é diferente para cada pessoa, pois é obra do cérebro ao cheiro;
iv. O evento é conceitual, ou seja, não quer dizer que necessariamente o que vê, no sonho, será verdade. Ou será?;
v. Além do mais, a chuva afetou o mundo inteiro, então, pode indicar a sua localização em qualquer lugar do globo terrestre, sendo necessário que, em algum momento, tenha contato com a chuva. Por esse motivo, a oficial é um "Anúncio Global" hue;
vi. O evento contará com mais um estágio, o qual acontecerá dia 10 de maio de 2017, tendo uma semana para postar no primeiro.


avatar
ENTIDADES
2016

Vácuo do espaço-tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Vincenzo Stark em Qui Maio 04, 2017 5:33 pm

Meus dias pareciam nunca acabar, ia da casa pra escola e da escola pra casa sempre pensava no trabalho e hoje mesmo sendo um dia que não teríamos aula eu estava sempre pesquisando algo novo para meus alunos e ensiná-los tudo o que fosse possível e até mesmo promover um passeio ao museu quem sabe.

Meu pequeno passeio não iria durar muito e sendo assim eu iria tentar me limitar para ficar zanzando pela cidade sem motivo a não ser que eu parasse para um café ou algo assim, mas será que a minha irmã iria sentir a mão falta por pelo menos uns 15 minutos ou ela não ligaria por eu ter dado uma pausa, mas eu acho melhor eu ir tomar um cafezinho para que eu livre um pouco meus pensamentos das aula por pelo menos 15 minutos.

Entrava em uma pequena lanchonete de Manhattan um pouco sério de mais devido a toda pressão de quem ele realmente era e também de muitas das vezes ficar com medo de que seus poderes possam sair do controle ou simplesmente algum mutante que odiasse um telepata me descobrisse e com um sorriso logo pedia uma xícara de café para a mulher tentando me descontrair, mas de repente tudo ficou escuro. -Mas que... - Dizia a mim mesmo diante da escuridão repentina e em seguida me levantava rapidamente.

Saindo da lanchonete um pouco depressa para saber o que estava acontecendo, o cheiro que veio em minhas narinas assim que saí e todos confusos também saindo de suas casas e dos estabelecimentos próximos e foi quando senti os meus olhos ficarem um pouco pesados, parecia que meu corpo queria se deitar e que uma hora ou outra eu iria desabar.

Antes que eu pudesse me mexer uma chuva começou a cair, porém não era uma chuva normal e sim ácida como se o apocalipse estivesse vindo e se for pensar por esse lado Deus não iria fazer uma chuva ácida e sim usaria da natureza e dos mares para acabar com a humanidade, era o que eu pensava quando vi a maioria das pessoas sendo atingida pela chuva e com rapidez voltava a lanchonete para me proteger.

Porém assim que pulava para me proteger acabei desabando por inteiro fechando os olhos, quando achava que estava morto poderia ouvir a voz de uma pessoa me chamando, era a minha mãe? Quando a imagem dela se aproximou tudo a minha volta se mostrou ser o campo onde morávamos, ela estava com seu vestido preferido branco com um florido nas pontas.

-Mamãe, você está linda! - Era o que eu dizia com um grande sorriso ao vê-la muito bem, eu estava sonhando ou aquilo era realmente verdade? Será que ela poderia estar viva e seu caixão foi apenas uma lição que ela queria me passar? Eu me perguntava olhando para minha mãe ainda com um sorriso de felicidade em meu rosto também olhando para seus olhos.

_________________


avatar
HERÓIS
19

Manhattan

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Oceⱥn E. Kräwczyk em Sex Maio 05, 2017 2:05 am

OCEAN
Light-years away from you A distant orbit cast away, Your gravity, it pulls me near And it keeps me closer to your side. Hide from the light I'll navigate through the dark I feel in you



Não tenho muito o que falar sobre como fora a manhã de Oceⱥn. Após a última semana ele havia se estabelecido em uma residência em Manhattan, acordava para um expresso acompanhado de uma boa refeição, e passava a tarde na cama, se recuperando de fraturas e ferimentos leves. Acontece que desde os recentes acontecimentos no cartel de sua falecida mãe, sua vinda exasperada para tal região local foi afim de evitar não ter de matar também seus mais próximos subordinados e terceiros (por ora)...E até ter acesso novamente aos seus benefícios monetários, passou por uma afronta supérflua de sequestro e uns homicídios mais. Nada com o qual devesse se preocupar.

Enfim, até então, ele só queria se manter afastado de situações desnecessárias. Estava bem melhor de suas feridas e hematomas. A única dor que sentia era nas falanges das mãos, nas articulações; havia esmurrado um ou mais rostos, não lembrava exatamente. Oceⱥn havia acabado de sair de um banho termal quando tudo começou: gotículas d'agua desciam dos fios de suas madeixas, escorriam de sua pele, e repousavam sobre os lábios. Vadiando pela sala, estava atrás de um copo de água do qual tinha certeza de que havia deixado por lá. Foi bem rápido — assim que o achou, lentamente um breu se sobrepôs à claridade.

— Que merda é essa?

Ele levou o líquido à boca. tomando não mais do que um gole, e o deixou deslizar pela sua garganta. Ainda calmo, contorceu as feições antes de ir até as vidraças para ver o que estava acontecendo (e não só ele, muitos civis faziam o mesmo). Não era para ser algo usual de qualquer manhã como aquela: a atmosfera primaveril foi retida um cenário nebuloso. Isso não é possível, murmurou. O que quer que estivesse acontecendo, produzia um odor fétido que não demorou a alcançar suas narinas. Era ardido, deu-lhe certo desconforto.

Assim que tais sintomas começaram a surtir em sua inalação normal, o Kräwczyk deixou cair o que tinha em sua mão, espalhando pedaços finos de vidro ao seu lado. Suas pupilas se dilataram, e ele sabia que algo estava para acontecer; o que ele podia fazer? De onde estava, se ergueu no ar juntamente com os estilhaços que planaram bem ao seu lado. Com o as primícias de um temporal, só teve o relance de se virar e fitar uma silhueta masculina logo atrás de si.

— Eakheartd? — puta que pariu.

Sentiu-se como se abalos sísmicos fossem absorvidos pelos seus olhos, que percorrem seu pescoço formando nós, e chegam no peito, brotando rachaduras longínquas. Era seu...pai?

ADENDOS:
Detêm a. TELECINESE é o poder do ganho da manipulação e controle de corpos somente com a força mental, sem o auxílio de nenhum movimento físico. O uso de tal poder depende da vontade do telecinético, mas em geral permite a levitação e voo, e também, alcançar velocidades psiônicas, ou disparar, dizimar ou neutralizar seres vivos ou inanimados. É capaz, entretanto, de produzir campos de força a qual repelem, ou estagnam o que quer que seja lançado em sua direção.

b. TELEPATIA é o nome dado ao poder que concede a habilidade de invadir mentes alheias para escutá-las ou repassar seus pensamentos nelas como forma de comunicação, além de proferir demais interferências mentais. Sendo assim, cabe em sua telepatia: manipulação mental (a qual se refere à influência profunda, abordando suas percepções, julgamento, vontade e bom senso), rastreamento telepático (que permite-lhe detectar e acompanhar quaisquer senciente por suas emanações psiônicas únicas, ou melhor, padrões de pensamento contidos na porção psiônica do espectro), indetecção telepática (capaz de fazê-lo indetectável, física ou mentalmente), controle da mente e de massa (podendo ter pleno controle sobre um ou mais indivíduos), ilusões telepáticas (destas capazes de fazê-lo invisível, ou então proporcionar sensações ou visões distorcidas da realidade), paralisia mental (que induz, como diz por si só, paralisia mental ou física, dependente do que ele quiser), amnésia mental (que pode apagar qualquer consciência ou lembranças individuais/únicas, ou inferir amnésica completa); empatia psiônica (possibilitando ao tal incumbir sensações físicas ou mentais a quem quer que seja, como dor, afogamento, falta de ar, e até gerar inconsciência), absorver informações (com a capacidade de apidamente processar , aprender e armazenar informações através de transferência mental) e projeção (que pode projetar sua forma astral de seu corpo para planos astrais ou planos físicos. No plano físico ele só pode viajar em forma astral em distâncias curtas. No plano astral, ele pode criar mentalmente objetos psiônicos e manipular os aspectos de seu ambiente).

c. INTELIGÊNCIA PSÍQUICA é uma habilidade cognitiva e mental avançada que lhe permite organizar e construir seus pensamentos em taxas aceleradas, processar dados em altas velocidades, construir e formular seus raciocínios com grande quantidade e qualidade, transpassar idéias e impressões na mente dos outros intuitivamente. É capaz, também, de incapacitar reações psíquicas existentes e barreiras que até mesmo outros tipos de nível Omega tenham imposto.

d. E. PSIÔNICA é uma forma de vida não corpórea que existe como uma consciência desencarnada, feita de uma forma de energia psiônica.

e. CRIAÇÃO PSÍQUICA é a capacidade de, através esforço e concentração, poder criar uma nova realidade dentro de sua mente, cercado cenários reais (ou não) e milhares de NPCs, cada um com seus próprios antecedentes. Ao extraviar indivíduos para lá, elas entrarão em estado comatoso e, nesse caso, serão tomadas por uma personalidade secundária designada por Kräwczyk.

f. SUPER-INTELIGÊNCIA é a capacidade de possuir um QI muito acima do normal, podendo tanto memorizar qualquer coisa como relacionar tudo o que ele se lembra, criando novas teorias.

Especialização em RESISTÊNCIA A TORTURA (pedagogo), INTIMIDAÇÃO (pedagogo), FURTIVIDADE (pedagogo) e LEITURA CORPORAL (calouro). Seu alinhamento é de MALDADE LEGITIMADA.


FORÇA: 10
INTELIGÊNCIA: 25
RESISTÊNCIA: 20
AGILIDADE: 25
VIGOR: 30
CARISMA: 20




Wherever you are I dissolve into nothing; So far no signs of life Wherever we are We'll find home Though we know we've lost the way Through the void we've gone astray But you are not alone We'll find home




Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Corin Frost em Sex Maio 05, 2017 6:46 pm




Captain Cold
Estar em casa apenas curtindo um pouco com o irmão era o que eu queria e mesmo assim não consegui o sorriso em meu rosto diante da paisagem parecia nunca ser visto antes e eu queria mantê-lo longe daquelas pessoas que me achavam bom e sendo assim muitas das vezes em que as pessoas passavam por mim eu ficava com uma cara fechada.

Sentado no parque do Queens eu fiquei até umas 2 da tarde quando resolvi andar um pouco por ali e pensar na minha família pelo menos por algum tempo refletindo o que eu deveria fazer de agora em diante junto ao meu irmão e a saudade que tinha do mais novo, outra coisa que ninguém via em mim e nunca mais irão ver era a saudade que tinha por aqueles que eu mais amo e sendo assim olhava um pouco para o céu limpando a minha mente voltando a caminhar segundos depois.

Nada poderia estragar aquele momento e eu sabia muito bem disso, nunca mais tinha pesadelos com a mafia e eu estava bem mais calmo e feliz com meu irmão até que repentinamente tudo ficou escuro, meus olhos voltaram ao céu com uma cara de como se aquilo não fosse real. -Mas que merda é essa? - Eu me perguntava começando a sentir o cheiro de enxofre logo em seguida. -Puta merda, mas que cheiro. - Dizia a minha mesmo andando rapidamente até alguma proteção e com isso não tinha sucesso, então fazia uma improvisada com minha arma começando a gritar para as pessoas se protegerem também levando o máximo que podia até para do gelo grosso.

-Tudo bem gente podemos ficar bem aqui, eu acho. - Dizia as poucas pessoas que ali queriam se proteger, porém do nada uma chuva começa a cair e não era uma normal e sim uma chuva ácida que por sorte não afetava o gelo. -Mas o que uma chuva ácida? - Perguntava a minha mesmo vendo aquela cena e com um olhar perdido eu acabei caindo.

As pessoas ao meu lado também acabaram por desabar no chão logo depois de mim e foi quando meus olhos se fecharam começando assim mais uma vez a tortura da mafia, o mesmo chefe que não tinha expressão me olhando mostrando que ele não estava para brincadeira desta vez se aproximando de mim com uma corrente em mãos.

-Não, de novo não. - Era o que eu repetia em quanto via o homem se aproximar, eu tentava alcançar a minha arma fria, mas ela não estava comigo o pesadelo desta vez parecia mais real que nunca e o desespero começou a tomar conta de mim e com rapidez eu começava a correr, mas o correr da sala parecia não ter fim e eu continua a correr desesperado do homem.

Poderes:
Intelecto de alto nível / Técnico especialista: O traço mais notável e perigoso de Leonard é o intelecto elevado, o que o torna uma ameaça mesmo para os metahumanos como o Flash. Muito calculador e metódico em cada ação que ele toma, Leonard é infame para analisar e preparar-se para eventos bem adiantado. Ele é capaz de planejar para cada detalhe plausível vários passos à frente e mesmo quando novas variáveis ​​entram em jogo, ele pode calmamente mudar de tática para escapar ileso. Da mesma forma, ele é altamente adepto em misdirections e manipulações sutis de seus alvos / inimigos para atender aos seus planos. Apesar de abandonar o ensino médio, Leonard tem repetidamente mostrado um conhecimento avançado de vários assuntos, incluindo a biologia e engenharia, capaz de, pelo menos, compreender a natureza a que operam. Leonard é muito charmoso (quando ele quer ser), Capaz de seduzir Valentino Vostok . Ele também é mostrado para ser muito persuasivo, capaz de influenciar o tenente imensamente leal, Cassandra Savage , para ligar seu pai, Vandal Savage , e ajudar a resistência.

Memória Eidética: Em sua natureza para a preparação, Leonard repetidamente exibiu uma memória inusualmente adepta, sendo capaz de memorizar os detalhes de cada trabalho antes de se mobilizar simplesmente analisando a informação. Para um uso mais regular, Leonard é capaz de memorizar cada último detalhe meticuloso do altamente avançado tecnicamente Cold Gun para realizar pessoalmente manutenção regular e reparos sem a necessidade de instruções ou esquemas. Ele fez isso para ter um melhor controle e uso de sua assinatura Cold Gun , aprendendo todas as suas partes e funcionamento interno depois de desmontar e remontar sua arma.

Especialista: Embora não seja tão habilidoso como Cisco Ramon ou Ray Palmer , Leonard tem habilidade habilidosa em engenharia elétrica, obtendo essa habilidade de crescer com seu pai, forçado a juntar-se regularmente e ajudá-lo em roubos. Ele é capaz de entender rapidamente uma configuração de software e efetivamente desativá-la. Da mesma forma, ele foi mostrado capaz de modificar seu Cold Gun para recursos adicionais.

Especialista ladrão: Ao longo dos anos de experiência criminal, Leonard tem dominado a arte do roubo, de assaltos de carro blindado, roubo de jóia e roubo de banco, ele exibe a maior habilidade.

Exímio atirador / Armas de fogo: Enquanto normalmente preferindo evitar matar quando não for necessário, para não sujar seus planos, Leonard é mais do que proficiente com uma arma. Depois de fazer a arma fria sua arma de assinatura, Leonard mostrou um objetivo considerável e uso tático da arma, mesmo contra o Flash, capaz de bater seu inimigo, apesar de o ex mover-se em velocidade sobre-humana. Ele também é proficiente com armas regulares, como a pistola que ele usou antes de usar sua pistola fria eo revólver que ele usou no Velho Oeste, como ele poderia saquear pistoleiros experientes que estavam acostumados a usar essas armas. Ele foi mostrado para ser também um franco-atirador habilidoso e atirador, como ele usou um rifle para atirar uma arma da mão de um homem de uma janela de vários edifícios de distância.

Expert combatente mão-a-mão: Apesar de seu comportamento composto, Leonard é um lutador desarmado muito capaz. Quando aparentemente levado cativo por um chefe da máfia, ele e Rory rapidamente quebrou livre e matou o chefe da máfia ea maioria de seus homens com facilidade, enquanto suas mãos ainda estavam vinculados. Suas habilidades são um pouco inferiores às de Rory, como durante sua briga após a traição de Rory, ele rapidamente pummeled Leonard sem tomar muito dano próprio.

Indomável vontade / Alta tolerância à dor: Embora egoísta e cruel por natureza, Leonard é um homem com grande convicção em qualquer ação que ele toma. Quando foi algemado na parede por " Chronos ", quase sem hesitar, Leonard usou sua arma fria como meio de escapar, congelando sua mão direita e estilhaçando-a para escapar. Depois disso, apesar da imensa dor, ele rapidamente procurou seus aliados.

Sexto sentido: Leonard é capaz de sentir o perigo entrante sem depender de nenhum de seus cinco sentidos naturais. Mesmo enquanto jogava cartas com Sara, ele era capaz de sentir o perigo de entrada.

Perícias:
i. ARMA DE FOGO, nível pedagogo;
ii. RESISTÊNCIA A TORTURA, nível calouro;
iii. MIRA, nível calouro

Atributos:
Força: 24
Inteligência: 39
Resistência: 24
Agilidade: 24
Vigor: 12
Carisma: 12

Equipamentos:
Cold Gun : Gerando um feixe de temperatura zero absoluto, a arma congela tudo o que toca e cria gelo sólido. Pode também retardar o movimento de moléculas moventes rápidas, especificamente aquelas do flash , retardando sua cura acelerada e vastamente reduzindo sua velocidade. Ele também emite claros flashes brancos e azuis que o usuário protege seus olhos com óculos.

Óculos de proteção: Leonard também usa um par de óculos de proteção envolventes azuis, que são projetados para proteger seus olhos dos flashes dados fora por sua arma fria.

valeu @ carol!


_________________



avatar
ANTI-HERÓIS
19

Queens

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Madeline Simmons em Ter Maio 09, 2017 9:21 pm

Madeline Simmons

28 de Abril


- Vocês também estão sofrendo não é?! Esse calor malvado está acabando com a gente... - Madeline disse devaneando enquanto regava as plantas de sua varanda, definitivamente odiava o calor e nem 15 anos nos Estados Unidos fizeram com que ela se acostumasse com aquele calor opressivo e o suposto "verão na primavera" só a deixava mais irritada, apreciava muito as plantas e conversava com as suas como se fossem suas companheiras, mas que foi interrompida quando seu telefone tocou.
- Oi mãe, o que há?
Ela teve uma conversa animada com a mãe, que a convidava a passar o final de semana por lá, os detalhes foram arranjados enquanto terminava de se arrumar para o trabalho, o dia seguiu comum como todos os outros, traficantes, assaltantes, sequestradores tudo no mais perfeito caos comum de Manhattan.
O calor lhe cansava rapidamente de forma que no fim do dia foi direto para casa adormecendo de imediato.

30 de Abril
Um som distante e estridente soava tirou Madeline de seu sono, tateou o espaço de forma desesperada e descuidada, pegando o telefone rapidamente e tentando desligar o som em meio a sua confusão mental e antes que pudesse fazê-lo o celular escapa de suas mãos caindo sobre seu rosto.
- Aaargh!! Mas que inferno! - Gritou sentando-se na cama definitivamente acordada, era domingo e ainda estava na casa de seus pais, não lembrava de ter ligado o despertador, e como se assustado ou por ter cumprido seu dever o celular para de tocar. Esfregando o rosto dolorido e estreitando os olhos pela luminosidade da tela ela averigua o horário. - Essa não! - Pulou da cama assustada com o horário que vira, precisava voltar para casa, era bom rever sua família e até gostaria de ficar mais, mas não podia se dar ao luxo de afastar-se de tudo por tanto tempo ainda tinha pessoas no mundo que precisavam dela e esses não podiam esperar ela tirar uma folga.
Beijou a face da sua mãe retornando a chamada que recebera, era um longo caminho para casa então precisava ir imediatamente, saiu de casa prometendo voltar no final de semana seguinte.
O dia passou de forma abstrata, sentia um cansaço abismal, o peito pesado, parecia-lhe até difícil respirar, "só falta eu estar ficando gripada agora! Era tudo o que eu precisava, definitivamente!" , se lhe pedissem para descrever o dia ela provavelmente não conseguiria fazê-lo, o que era estranho, já que sua memória era um de seus pontos fortes, mas tudo naquele dia parecia um borrão acelerado e disforme. Mais uma vez foi direto para casa.

1 de Maio - 9:30
Acordou assustada sem saber que horas eram, notando que tudo ainda parecia escuro suspirou, mas de súbito uma inquietação lhe tomou, não sabia a causa, percebeu um leve aroma estranho pairando ali, seu apartamento tinha climatização interna, o que fizera questão na mudança sabendo de sua pouca aptidão ao calor, então não era tão afetada por fatores externos a ele. Levantou-se para averiguar a residência pensando se haveria algo podre por ali, não encontrou nada relevante.
Acreditando que estava adiantada ao sol tinha todo o tempo do mundo, tomou seu café preguiçosamente e foi cuidar de suas plantas, foi só então que a inquietação se transformou em um choque e uma certeza, diante da porta de vidro que dava para a garagem viu o estado de suas plantas e deixou o regador cair correndo para averiguá-las, mas não chegou nem perto de fazê-lo, pois quando abriu a porta todo o cheiro da rua invadiu o ambiente de uma só vez.
Ficou zonza e recuou aos tropeços fechando a porta rapidamente.
- Enxofre... - Escorou-se na parede, apesar da tontura seu cérebro trabalhava rapidamente fazendo conexões entre as coisas, não demorou muito para pôr-se em alerta. - As pessoas devem estar apavoradas!
Correu para o quarto a procura de seu telefone, 8 ligações não atendidas, cinco eram de sua mãe.
- Mãe! - Disse ao telefone quando retornou a ligação. - É, sim, não... Eu sei, mãe deix... Mãe, acalme-se! Eu estou bem, acordei agora, nem sei que horas são, vocês estão bem? Estão em casa? Ok...
- Minha filha, estão dizendo que é o fim dos tempos, o apocalipse, eu não sei o que é, mas não saia de casa hoje, o ar está tóxico, são nove da manhã e não tem sol, as ruas estão..
- O que?? - Interrompeu afastando o celular do rosto para ver as horas imaginando se ela não estava exagerando, mas era verdade, eram precisamente 9:45 da manhã naquele momento e seu sangue gelou - Mãe, olha eu vou ter que desligar, não se preocupe, vou ficar bem, não saiam de casa também, tomem cuidado e pare de ouvir as vizinhas fofoqueiras. Te amo.
Desligou antes que sua mãe pudesse responder e apesar do "também" sabia que não podia cumprir isso, era repórter, e mais do que isso, era uma vigilante, calçava os sapatos quando seu telefone tocou outra vez ao que atendeu no automático
- Se não estiver aqui em 30 minutos pode se considerar demitida! - a voz do outro lado desligou.
Que absurdo, onde ele achava que ela estava para ela chegar em 30 minutos? Mas iria mesmo assim, sabia que precisavam dela independente do horário que chegasse.
O que Madeline não sabia era que não chegaria nem em meia, nem em uma hora, a cidade estava uma loucura, motoristas bozinando ruidosamente, pessoas correndo, até as ambulâncias encontravam dificuldades em passar. O ar tóxico e pesado fazia tudo parecer lento, sua cabeça latejava, ergueu a gola da camisa até o nariz e andou em direção a um civil na rua que parecia desorientado. Um clarão avermelhado cortou o céu seguido por um estrondo.
O que? Vai chover agora? Enxofre... Chuva... Essa não!
Correu para o civil e o ajudou a se erguer o orientando para encontrar abrigo rapidamente, começou a pensar em todas as pessoas ali sob a chuva que estava por vir, tóxicos e água nunca geraram uma boa combinação. Esforçou-se para chamar a atenção do maior número de pessoas para que saíssem das ruas, mas não obteve muito sucesso diante daquele tumulto.
Sentiu algo gelado cair em sua pele e escorrer vermelho sobre sua pele deixando um rastro vermelho e ardido, avistou uma criança próxima e rapidamente se dispôs como uma cobertura para ela a agarrando e cobrindo para que não fosse pega pela chuva que despencou imediatamente, dobrando sua intensidade por segundo. A última coisa que viu antes de sua visão embaçar e escurecer foi um motorista de um ônibus desmaiando.
Abriu os olhos vagarosamente, sua cabeça ainda latejava, mas não sabia bem o que estava acontecendo, a imagem da criança voltou à sua mente, mas ela não estava ali, nem ela nem ninguém. A rua estava deserta e silenciosa, o ar quente e pesado, não chovia mais.
Madeline levantou-se averiguando o próprio corpo que não possuía marcas aparentes ou qualquer anomalia, mas não calçava mais o sapato e mais a frente podia ver o asfalto transformando-se em grama.
"O que é isso? Um sonho? Onde estou?"
Caminhou lentamente pelo caminho a frente e sentiu a grama sob seus pés, apesar do quão absurdo tudo parecia as sensações eram muito reais, a medida que deixava o asfalto para trás o ar se tornava mais leve e frio, sentia-se estranhamente bem.
Parou de andar, seus passos tinha a levado para o topo de uma colina, estava na Irlanda, conseguia ver toda a cidade natal lá de cima e estava começando a sentir-se eufórica.
Estava dividida entre correr para lá e sentar-se para apenas observar e descansar, uma parte dela tinha medo de que qualquer ação a fizesse notar que era mesmo um sonho e acabasse por acordar, mas não precisou se decidir, antes que fizesse qualquer coisa ouviu um grito desesperado de um lugar próximo.
Olhou ao redor e percebeu uma moça dependurada na beira do lado mais íngreme da colina que nem notara existir.
Madeline deitou-se no chão e esticou-se para ajuda-la.
- Ei, espere, não se debata... Segure minha mão!
Ela não parecia lhe ouvir, Mad empurrou o seu corpo um pouco mais para a borda tentando aproximar-se dela o máximo possível.
- Segure a minha mão...
Ainda não obtinha resposta, não encontrava forma de se manter presa na parte de cima, mas ainda assim tentou pegá-la. A mulher olhou para cima e lhe lançou um sorriso estranho. Assustou-se
- Quem é você?

_________________




Udyat
avatar
HERÓIS
25

Staten Island

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Rephain Herondale em Ter Maio 09, 2017 9:37 pm

Midori

Através dos vidros do laboratório Rephain observava a cidade que se estendia a sua frente. Triste pela falta da claridade do dia. Nuvens espessas cobriam o céu, bloqueando a luz solar, o que deixava o tempo bastante desagradável. Com seu olfato apurado, um cheiro novo ele vinha sentido o dia inteiro, desde quando surgiram as primeiras nuvens no céu. Um cheiro forte de enxofre preenchia a atmosfera, dando a Rephain uma enxaqueca que só fora resolvida há uns vinte minutos atrás, após quatro comprimidos. A máscara que agora cobria sua boca e nariz, assim como todos no laboratório evitava que ele inalasse tanto gás.

Nas Televisões, só havia uma notícia, em quase todos os canais. Aparentemente o globo terrestre inteiro havia sido afetado tanto pelas nuvens escuras, quanto pelo gás de enxofre. Lentamente as vozes começaram a invadir a cabeça de Rephain. O garoto havia recentemente aprendido como manter as vozes fora de sua cabeça, mas seu controle ainda era fraco e instável. A dor de cabeça provavelmente era o que mantivera os pensamentos dos outros ocultos de Rephain, mas agora que havia passado, as vozes voltavam. Seus problemas traídos involuntariamente até Rephain, suas alegrias e seus descontentamentos, tudo ao mesmo tempo. A telepatia podia ser um dom, quando controlada, quando não, se tornava uma maldição.

Um raio caiu bem em frente ao prédio, iluminando tudo com um clarão cegante seguido de imediato por um estrondoso trovão que assustou a todos. O barulho de vidro estilhaçado foi quase imperceptível, em comparação com o enorme estrondo feito pela queda do raio. E então começou. Tão vermelha quanto sangue, gotas de chuva despencavam do céu. O mundo parecia ter parado, para observar as gordas gotas despencando do céu. Rephain acompanhou uma delas de sua trajetória até o chão, impressionado pela cor.

E então sua mente foi invadida pela dor, pelo medo e pelo desespero. Tantos pensamentos que o garoto não conseguia ouvir mais ouvir nem os próprios pensamentos. Quase que de modo automático ele começou a correr, sem se dar ao trabalho de tirar o jaleco branco com o logotipo das indústrias Stark, ou a toca que prendia seu cabelo, nem mesmo a máscara que cobria sua boca, só queria se afastar daqueles pensamentos. Correu pelas escadas sem querer esperar pelo elevador, a adrenalina em seu sangue ajudava a bloquear parte dos pensamentos, mas eram muitos. Não demorou para as imagens começaram a surgir também, imagens que ele tentava evitar. Pesadelos de outras pessoas que agora começavam a se tornar dele também.

Logo estava no saguão de entrada do prédio, correndo para fora, sendo envolvido pela chuva que molhava suas roupas, grudando-as ao seu corpo, primeiro sem sentir a ardência que começava a afetar sua pele, e então ela atingiu outro nível. Rephain transformou sua pele, adquirindo escamas prateadas, seus olhos prateados brilhavam levemente, de um modo imperceptível.

A ardência lhe trouxe a memória do acidente de carro, quando descobrira seus poderes. Mal sentia seu corpo, parou e olhou para trás. Resolveu voltar. Havia corrido somente quinze metros desde o saguão de entrada, mas a distância para voltar agora parecia de mais de uma centena de quilômetros. Tentou correr, mas seu corpo não lhe respondia mais. Com grande esforço conseguiu ao menos chegar embaixo da área coberta onde os carros paravam e então desmaiou.

O mundo clareou novamente e Rephain estava em pé, em cima do próprio corpo. A visão de seu corpo caído no chão o chocou e impediu de ver o mundo a sua volta. Iluminado por uma luz vermelha, todos os prédios estavam destruídos, milhares de corpos no chão, pessoas chorando, pessoas sem partes do corpo, pessoas fugindo, era uma visão apocalíptica que Rephain não conseguia ver pois não sabia o que tinha acontecido com ele. Imaginava se estava morto, mas não conseguia lembrar de ter morrido. Não conseguia lembrar de nada. Tudo o que sabia sobre si mesmo se resumia aquele momento. Acordar em um mundo apocalíptico vendo o próprio corpo caído no chão. A esperança de que aquilo fosse um pesadelo era a única coisa que mantinha o garoto minimamente lúcido.


Poderes:
i. MIMETISMO DRACONIANO é a incrível capacidade de mimetizar seu corpo a forma de uma criatura semelhante ao mítico dragão. Descendente do animal, é visto como usuário dos poderes derivados do mesmo. A aparência e construção física fica a critério do portador de tal habilidade.
→ ADQUIRE: SENTIDOS AGUÇADOS, CRIOCINESE, SUPER-FORÇA, ESCAMAS (SUPER-RESISTÊNCIA), VOO, CAUDA PREÊNSIL.

ii. TELEPATIA é o nome dado ao poder que concede a habilidade de invadir mentes alheias para escutá-las, projetar seus pensamentos nelas como forma de comunicação. A telepatia é usualmente um gatilho para desbravar outros poderes do gênero mental, sendo a base de outras ramificações.
→ ADQUIRE: ILUSIONISMO, RAJADA PSIÔNICA, CONTROLE MENTAL, RESISTÊNCIA MENTAL, PROJEÇÃO ASTRAL;
Perícias:
i. FARMÁCIA, nível I calouro;
Atributos:

Nível :
   1

Velocidade :
   130m/s [+5]

Percepção :
   120m/s [+5]

Atributos       Pontos
Força           10
Inteligência   12
Resistência   10
Agilidade   13
Vigor           10
Carisma   10



(ross)

_________________


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Jasper Lenox em Qua Maio 10, 2017 1:14 am



walk the plank

O dia pela manhã não se anunciara como um bom dia, do jeito que usualmente acontece: Um belo e brilhante sol surgindo do horizonte. Ao invés disso, o sol parecia mais fraco, menos brilhante e nuvens esparsas corriam pelos céus. O clima para Jasper não fazia diferença. O mutante apenas continuou com sua vida, indo trabalhar de manhã, voltando para casa na hora do almoço e novamente indo trabalhar durante a tarde, como em um dia normal, até chegar ao fim da tarde.

Alguma coisa estava fora do normal, para Jasper era possível sentir isso. O mutante conseguia sentir toda a carga elétrica carregada nas nuvens acima do escritório. Nuvens negras, que escureciam o dia repentinamente, sem deixar que a luz do sol fizesse seu trabalho de alegrar as pessoas. Climas como esse deixam as pessoas normais tristes e menos falantes, mas havia mais do que isso incomodando as pessoas. Havia algo novo na atmosfera. Algum gás que Jasper desconhecia, embora conseguisse senti-lo no ar a sua volta.

Jasper só o inspirou uma vez e reconheceu o cheiro forte e azedo de enxofre, uma náusea forte o dominou no mesmo instante e ele expurgou o composto de si, mantendo-o afastado de seu nariz e boca, o que lhe exigia um esforço mínimo, mas constante. O barulho de chuva começou ao longe e se arrastou lentamente até onde Jasper estava. Os ventos vieram em seguida, uivando enquanto passavam pelas frestas da janela às costas.

Virou-se na cadeira giratório e olhou através das persianas abertas e através do vidro da janela. Sangue. A visão não fazia sentido. Tanto que esqueceu do que estava fazendo e deixou que seus poderes parassem de funcionar. Não estava mais controlando as moléculas que compunham o ar ao seu redor. Do céu caiam gotas vermelhas, que ele primeiramente achou ser sangue, mas não fazia sentido. Seria necessário um genocídio para acumular o mesmo volume do que quer que fosse que estivesse caindo do céu.

Curioso Jasper abriu a janela e esticou a para fora com a palma para baixo. Algumas gotas vermelhas caíram em sua mão e ele se arrependeu imediatamente. Uma ardência tomou conta dos pontas onde o líquido escarlate escorrera e um cheiro forte invadiu a sala. O mutante não conseguiu identificar o cheiro, e sua visão ficou turva enquanto o mesmo limpava as mãos na calça, para eliminar qualquer vestígio do líquido.

[...]

O vento soprava forte, levantando muita poeira e bloqueando a vista, fazendo com que Jasper protegesse os olhos para não entrar areia. O vento não durou muito e logo toda a areia e a poeira estavam se assentando novamente no chão extremamente irregular. Que logo Jasper percebeu se um amontoado de caveiras envelhecidas pelo tempo. Ao longe estruturas altíssimas se erguiam, mais esqueletos. Esqueletos que um dia foram casas e sedes de importantes empresas e no meio de tudo isso, o esqueleto mais alto e imponente, como o prédio que um dia fora. O Empire State Building. Agora somente as vigas de sustentação visíveis ao longe. E então a visão sumiu e Jasper estava sozinho, como sempre esteve, mas ao seu redor brilhavam estrelas longínquas, seu corpo flutuando em meio ao nada, em meio a escuridão.


text-transform

Detalhes:


PERSONAGEM:

PERÍCIAS: ARMAS BRANCAS, nível I. Calouro;
VELOCIDADE: 250m/s [+5]
PERCEPÇÃO: 250m/s [+5]
NÍVEL DA FAMA: 0, Alheio


ATRIBUTOS:

Força:     20
Inteligência:     25
Resistência:     20
Agilidade:     25
Vigor:     20
Carisma:     15


PODERES:
i. SUPER-FORÇA Shepherd possui uma grande força, a qual ainda não teve seus limites totalmente explorados, mas antes que as linhas temporais se unissem, já foi capaz de abrir um buraco no Blackbird dos x-men.

ii. SUPER-RESISTÊNCIA O corpo de Shepherd é muito mais resistente a lesões física do que o corpo de um ser humano comum, podendo suportar o fogo de um canhão naval de alto calibre, cair de alturas tremendas e ser exposto a temperaturas e pressões extremas.

iii. VOÔ Shepherd ainda tem a capacidade de levitar e voar através a velocidades altíssimas. Rápido o suficiente para não ser detectado por qualquer tipo de sensor ou aparelho de rastreamento.

iv. LONGEVIDADE O corpo de Shepherd é virtualmente imortal, ou o seu processo de envelhecimento é muito retardado, pois tem estado vivo há mais de 700 anos.

v. MAGNETOKINESIS: Ele tem a capacidade de controlar qualquer energia dentro do espectro eletromagnético, causando ondas de choque, luz de dobra, controle sobre  a energia elétrica, absorção de calor e um domínio de todas as formas de metal.

vi. TELEPATIA Shepherd possui poderes mentais que lhe permitem afetar, invadir e manipular as mentes de outros seres com consciência. Ele pode ler mentes e se comunicar mentalmente com outras pessoas a distância, além de possuir um poderoso escudo psíquico que pode se estender para as mentes dos outros.

vii. SUPER-SENTIDOS Dentre as habilidades físicas de Shepherd, ele possui sentidos extremamente apurados, podendo escutar conversas a uma grande distância, sentir as mínimas vibrações, diferenciar os mais parecidos gostos e cheiros e ver as mínimas diferenças de tonalidades entre as cores.

viii. MANIPULAÇÃO MOLECULAR A principal habilidade de Shepherd é de controlar mentalmente, transformar e manipular a estrutura atômica da matéria e da energia. É bastante provável que muitos de seus outros poderes aparentes sejam subprodutos deste.

ix. ASCENÇÃO DE ENERGIA PSIONICA: Jasper tem a habilidade de transformar todo seu corpo em um estado de energia e reconstituí-lo a vontade, embora nesse estado seus outros poderes não funcionem, até estar completamente reconstituído.


Make that bastard walk the plank With a bottle of rum and a yo ho ho

_________________


avatar
ANTI-HERÓIS
18

New York

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: OFICIAL, presságio de uma consequência

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum