RESCUE - NARRADA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

RESCUE - NARRADA

Mensagem por Darkseid em Qua Jan 17, 2018 1:48 pm

rescue - narrada
Por todo um tempo, até os dias de hoje, os humanos tiveram medo daquilo que se era diferente deles. Quando os mutantes e meta-humanos haviam se revelado para a humanidade, surgiram aqueles que viviam com medo dos mesmos, gerando raiva contra todos. Algumas gangues e instituições contra meta-humanos e mutantes surgiram, e alguns humanos passaram a sequestrar os mesmos. Uns os levavam para essas instituições, outros, para lugares escondidos. De uma forma ou de outra, eles eram sempre tratados de maneira semelhante a presidiários, e eram torturados e feitos de cobaia. O objetivo de Alice e Daniel é destruir essas gangues e instituições, libertar os "presos" e levá-los para um lugar seguro e confiável. Favor, atentem-se ao tópico a seguir.

informações
i. Deve-se por todas as suas especificações após o seu post em spoiler -poderes, atributos e informações do Arquivo Morto-.
ii. Vocês têm até 22/01 para postar na missão, nem mais nem menos, salvo somente exceções que precisam, obrigatoriamente, serem dadas por MP.
iii. Vocês devem, obrigatoriamente, destruir uma gangue e uma instituição. Fica a critério de vocês coisas como nome dos membros da gangue e da instituição, assim como nome das mesmas.
iv. Como heróis, é preferível que vocês levem os membros da gangue e da instituição para presídios. Lembrando que matar alguém fica a critério de vocês, por sua conta e risco.

VITALIDADE DE DANIEL SUNDFØR, 250/250

VITALIDADE DE ALICE AMONDI ZAKAYO, 230/230



_________________




avatar
ENTIDADES
Apokolips

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RESCUE - NARRADA

Mensagem por Daniel Sundfør em Seg Jan 22, 2018 3:13 am


Rescue
Save Them All!


Enquanto lavava os pratos de meu almoço, deixava a televisão ligada passando as informações que o mundo tinha para oferecer. Era um tanto quanto triste ouvir as notícias, sabe? Atentados, morte, fome, destruição, ignorância, mentes fechadas buscando limitar, censurar e dominar os outros, era tudo muito injusto, e o pior era que, mesmo com tantas pessoas agindo de boa fé e buscando ajudar os outros, mesmo assim não era suficiente para realmente fazer a diferença. Era preciso mais esperança. Talvez eu sozinho não pudesse fazer a diferença, mesmo com todos os poderes que eu tivesse, mas me sentar e fazer nada também não iria ajudar em nada. Retirei o pano de meu ombro e me virei com a notícia de que uma casa especial para abrigar mutantes e meta-humanos havia sido invadida por um grupo radical que costumava sequestrar, torturar e mata-los brutalmente. Eles deixaram o símbolo deles desenhado na parede: um escaravelho, que inclusive era o nome do grupo.

Joguei o pano, decidido a fazer a diferença. Corri até meu quarto, puxando de debaixo de minha cama meu escudo e espada, peguei meu laço da verdade e então me vesti de forma apropriada; calça preta de couro, coturnos, jaqueta jeans e camisa branca por baixo. Amarrei o laço da verdade no cinto da calça, pus a espada acoplada a uma liga resistente de couro em minhas costas e o escudo o segurei em meu antebraço esquerdo, indo para a minha sacada e... Parei ali, respirando profundamente. Olhei meu celular, vendo a parca lista de conhecidos. Alice, Sieghart, Maximilian, Carmel... eram todas pessoas boas com intenções boas, que queriam o bem ao próximo e precisavam de alguma forma aprenderem a evoluir mais. Mas eram crianças, sua maioria, sendo Alice a mais velha e, portanto, apta a ir comigo. Liguei para ela, o pé esquerdo apoiado na beirada da sacada pronto para voar a qualquer instante.

— Ligue no canal de notícias. Um grupo que ajudava mutantes e meta-humanos desabrigados foi invadido e todos foram pegos. Precisamos cuidar disso. Vá para a casa onde estão os policiais e repórteres agora. — Sem esperar mais, desliguei assim que terminei meu recado e impulsionei o corpo para poder voar, indo no endereço da casa.

Tratava-se de uma casa no Bronx, simples e de esquina, de tintura cinza nas paredes e recém-comprada por um mutante de classe média-alta do Brooklyn. O fundador daquele projeto, Johan Morgan, era um jovem com poderes sobre o gelo que fora obrigado pelos pais a agir como humano para manter limpa a imagem da família, porém o jovem se rebelara, se revelando como mutante e comprando com as suas próprias economias um lar para dar conforto e um teto para muitos outros seres diferentes que, assim como ele, foram postos para fora do seio familiar por nascerem com genes diferentes. Suas ações eram admiráveis, mas, levados pelo preconceito, os Escaravelhos acabaram por sequestrar todos ali, ao todo um pequeno grupo de dezessete mutantes e meta-humanos. Haviam três viaturas da polícia e três grupos diferentes de repórteres ao redor da casa, de forma que o local estava excessivamente cheio. Assim que pousei na soleira da porta, os flashes dispararam, enquanto eu estreitava meus olhos com toda aquela atenção indesejada. Era como no supermercado novamente, onde todos paravam para lhe fotografar e registrar aquele ser estranho. Não sei porquê, mas me sentia um alienígena entre eles às vezes.

— Ei, não pode entrar aí, estamos investigando! — Gritou um dos policiais que cuidava da faixa para impedir que os repórteres e curiosos avançassem. Virei-me para ele.

— Nós também. — Falei, entrando no local antes de com o queixo apontar aos céus, cuja figura com asas aproximava-se do solo. Assim que entrei no local, encontrei as marcas de tiro, entretanto, não haviam sinais de sangue em canto algum, nem mesmo o cheiro – provavelmente foi uma forma de intimidação. O símbolo do escaravelho estava grafitado na parede em negro, contrastando com a parede cinza. Aos poucos, fui notando certos padrões ali que os policiais pareciam ignorar. Peguei meu telefone, fui no mapa e então apontei para o escaravelho e, em seguida, chamei Alice. Percebi que, estranhamente, o símbolo do grupo dava a exata localização do grupo, servindo como um mapa que só uma pessoa atenta poderia notar que o escaravelho era o mapa do próprio bairro.

— Bem, deveríamos ir logo. — E então fomos voando para o local.



...



O local era uma gigantesca mansão aparentemente abandonada bem longe da parte central do bairro do Bronx, de forma que inocentes transeuntes não iriam se machucar no embate. Ainda mantendo uma distância segura da casa, aterrissamos e criamos o nosso plano. Deveríamos ir pelos fundos, onde pularíamos o muro e pegaríamos os vigias armados ao redor da enorme piscina – a localização do local só indicava que aquele grupo tinha recursos de sobra – e, em seguida, invadiríamos o local, onde provavelmente os sequestrados estariam no porão. Ainda por detrás do muro contei de um até três e, ao nosso sinal, dei um enorme pulo e fiquei acima do muro, onde os homens no quintal trataram logo de me notar. Puxei meu laço e atirei-o contra um dos bandidos, enroscando seus braços e impedindo-o de atirar em mim.

Pulei, ainda o segurando, permitindo que Alice fizesse o seu trabalho sozinha. Como eram cinco homens, poderíamos ir cuidando deles com facilidade. Puxando o homem, lhe soquei na face, nocauteando-se, a tempo de me desviar, virei a cabeça para a direita vendo a bala passar por perto de mim. Rapidamente, com a mão direita puxei meu escudo de meu antebraço esquerdo e atirei-o na cabeça do homem, atingindo-o. Virando-me para Alice, assenti para a mesma, e então fitamos o último homem, à soleira da porta de vidro que era a nossa entrada na residência. Peguei meu escudo no chão, observando o homem e, como forma de derrubá-lo e também a porta que estava trancada, bati meus braceletes um no outro, liberando uma forte energia que, poderosa como era, derrubaria o homem, acabaria com a porta e provavelmente faria voar longe os homens lá dentro.



Informações:
Raça: Reencarnado
Personagem: Mulher Maravilha (DC Comics)
Vitalidade: 250/250
Nível: 1
Velocidade: 250m/s [+10]
Percepção: 200m/s [+10]
Perícias: Prontidão, nível calouro
Especialização: Resistente

Atributos:
Força: 25
Inteligência: 20
Resistência: 20
Agilidade: 25
Vigor: 25
Carisma: 10

Poderes:
1. Força Divina: Como um ser de origens divinas, Mulher Maravilha sempre pôde exercer uma força descomunal, de forma que seu reencarnado, Daniel, pode erguer com facilidade toneladas, podendo desferir socos mortais e mover e arremessar objetos pesados como se nada fossem.

2. Resistência Divina: Possui uma resistência sobre-humana, podendo ser capaz de aguentar o frio do espaço sideral, do fundo do oceano e das geleiras, ao calor dos desertos e a ferimentos graves.

3. Regeneração: Possui um poderoso fator de cura que pode fazê-lo curar-se quase que imediatamente de ferimentos infligidos, podendo recuperar-se de lesões, cortes e até mesmo amputamento em um período de poucos segundos ou horas, dependendo do ferimento.

4. Voo: Pode literalmente impulsionar seu corpo e, desta forma, voar por longas distâncias em velocidade ímpar.

5. Empatia: Como um herói nato e lutador pela causa dos inocentes, Daniel possui o poder de berço; o de sentir o que os outros sentem, ajudando-o a colocar-se no lugar dos outros, sentir suas emoções e compreender todas as pessoas à sua volta.

6. Reflexos Divinos: Possui reflexos extremamente rápidos para um humano qualquer, podendo ser extremamente ágil numa luta por sempre antever os movimentos com uma rápida inspeção das ações do oponente.

7. Olho de Atena: Graças a uma benção da deusa, Daniel herdou o poder nato de conseguir prever ataques alheios, estando extremamente apto a aprender com rapidez absolutamente qualquer coisa, pegando as "manhas" do assunto proposto e destrinchando-o com maestria. Isso também serve em lutas, onde Daniel pode rapidamente aprender novas técnicas.

8. Empatia Animal: Consegue compreender e domar qualquer animal, raramente sendo atacado por eles e sendo sempre respeitado e obedecido.

9. Resistência Mágica: Por ser basicamente uma prole divina e servir aos deus, Daniel herdou a capacidade de berço de ser resistente a poderes mágicos, podendo ser bastante complicado tentar utilizar poderes mágicos no mesmo.

10. Marca de Caçador: Consegue literalmente "marcar" o outro com seus poderes de forma que, mesmo que tal pessoa viaje a outro país ou planeta, Daniel consegue localizá-lo, sendo ele o perfeito caçador.

11. Sentidos Divinos: Possui os sentidos bem apurados, podendo ver além de onde os olhos humanos conseguem ver e farejando como poucos.

12. Telepatia: Raramente usado por achar o poder "inconveniente", Daniel possui a capacidade de ler mentes, apesar da relutância em usá-lo por achar errado invadir a mente alheia.

13. Resistência Telepática: Possui uma mente de ferro, sendo difícil invadir os pensamentos e memórias de Daniel e/ou manipulá-lo.

14. Agilidade Divina: Possui uma desenvoltura fantástica, conseguindo se mover com uma elasticidade fora do normal, podendo desviar com rapidez de golpes.

15. Velocidade Divina: Abençoada por Hermes no passado, hoje Daniel detém da capacidade de se locomover extremamente rápido, podendo desviar de balas e projéteis com exímia habilidade.

16. Estamina dos Deuses: Consegue se recuperar de uma batalha intensa para salvar o planeta em poucas horas de descanso e depois acordar com energia para lutar por um universo inteiro. Abençoado pelos deuses, Daniel consegue ter uma vitalidade fora do comum.

17. Língua Universal: Pode falar qualquer língua no mundo com fluidez, incluindo línguas alienígenas e línguas mortas.

18. Ocultismo: Pode detectar no ar quando há magia, encontrando seres e objetos mágicos e detectando-os.

19. Longevidade Divina: Apesar dos anos se passarem rápido, para Daniel sua aparência não muda desde que chegara ao ápice de sua beleza, mantendo o físico de trinta e poucos anos mesmo tendo quase um século de vida. Com tal dom doenças, toxinas e venenos perdem seus efeitos, fazendo com que Daniel se torne bem preservado com o passar dos anos, envelhecendo pouquíssimo.

20. Coragem Divina: Daniel possui uma bagagem gigantesca de experiências, vivenciou os terrores da Segunda Guerra Mundial, lutou nas trincheiras, salvou inúmeras pessoas e impediu até mesmo Hitler de matar mais inocentes, tendo matado-o por falta de opções. Daniel é um guerreiro que luta pelos inocentes, jamais por si mesmo. Esperança é o nome do meio do rapaz que consegue influenciar todos à sua volta, encorajá-los, liderá-los frente aos percalços da guerra e fazê-los triunfar, emergindo das cinzas. A coragem do guerreiro é titânica, fazendo-o sentir absolutamente medo algum frente aos inimigos, tudo em nome da esperança e do amor pela humanidade.

Itens:
1. Laço da Verdade: Um mítico laço aparentemente comum que brilha ao ser envolvido na pele de qualquer pessoa, compelindo-a a dizer a verdade mesmo que sua vontade seja a contrária. Qualquer ser é obrigado a falar a mais pura verdade ao ser tocado pelo laço.

2. Braceletes: Dois braceletes de cor cinza-escuro que se alongam até os dedos das mãos, deixando as pontas descobertas. Eles criam um forte campo de força que repele ataques com uma energia dourada, que também muda a cor do metal, que nada mais que é que os restos mortais de Zeus. Há duas palavras escritas em grego antigo em cada bracelete; no esquerdo está escrito "esperança" e no direito, "justiça".

3. Espada: Trata-se de uma espada mágica que tem como principal objetivo ferir seres vulneráveis à magia, de forma que os ataques da espada se tornam letais. A lâmina afiada consegue partir ao meio diamantes, perfurar a pele de kryptonianos e seres igualmente poderosos.

4. Escudo: Um resistente escudo escuro em tons de dourado que é bastante resistente a golpes, projéteis, balas e ataques de energia, como raios, fogo e outros tipos de poderes. Há palavras em grego antigo que significam "esperança", "justiça" e "filho de Zeus".
avatar
HERÓIS
28

Brooklyn, NY, USA, Earth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RESCUE - NARRADA

Mensagem por Alice Amondi Zakayo em Seg Jan 22, 2018 5:02 am



RESCUE
'Cause maybe the night and my dreams might let me know

All the stars are closer

All the stars are closer

All the stars are closer

All the stars are closer





O dia havia sido longo. Devido a intolerância e o preconceito que estavam impregnados na sociedade acabei por perder mais um dos alunos mais talentosos que a universidade possuía. Um grupo de preconceituosos que circulava o campus acabou por de descobrir a verdadeira natureza de Thomas Taylor, um mutante com o poder de se comunicar com os animais, estudante de Veterinária. Para a sua segurança o aconselhei a um abrigo de um antigo conhecido no Bronx, ao menos até as coisas se acalmarem.

Entrei em casa e a primeira coisa que fiz foi tirar meus sapatos e me dirigir ao banheiro. Abri a torneira da banheira e fui ao meu quarto preparar os restantes das coisas para o banho. Separei minhas roupas mais confortáveis e deixei em cima da cama. Tirei meu vestido e coloquei meu roupão e de forma calma me encaminhei até o banheiro. Infelizmente não pude chegar a entrar no banho. Quando estava próximo a porta do banheiro meu celular tocou.

Assim que atendi o celular pude ouvir a voz grave de Daniel me dizendo para ligar o canal no noticiário. Peguei o controle na comoda e coloquei no canal indicado por meu amigo. “Puta merda! O Thomas!” foi a primeira coisa que pensei. Corri até meu guarda roupa e peguei uma calça jeans preta, uma regata branca de algodão e uma jaqueta de couro preta. Prendi meu cabelo em um coque. Coloquei meu relógio no pulso, uma máscara no rosto e fui até o banheiro desligar a torneira. Daquele mesmo cômodo fui até a janela e deixei que minhas asas surgissem. Voei até o local indicado no noticiário.

Como o esperado a casa estava repleta de pessoas da mídia e oficiais da lei e da ordem. Conforme me aproximei observei que todos os repórteres estavam olhando para o Daniel e que começavam a querer fazer perguntas, enquanto os policiais claramente não gostaram muito da nossa “intromissão” em seus serviços. Os ignorei, Daniel parecia ter um apelo melhor com eles, e pousei esperando meu parceiro para entrar na casa.

_ Sabe, eu mandei um dos meus alunos vir para cá ontem, achei que fosse mais seguro que no Campus. Olha só a merda em que eu o meti_ disse enquanto investigávamos o local.

Enquanto olhava um dos cômodos e procurava por alguma pista ou indício que apontava para algum lugar que pudessem ter levados os jovens que viviam naquele refúgio agradeci aos deuses por não encontrar nenhum vestígio de sangue no local, o que me deu mais esperanças. Daniel parecia ter encontrado a pista por meio do símbolo do próprio grupo criminoso, o escaravelho. Sem nem hesitar alçamos voo para o local.

***



Antes de invadir o fato o local analisamos com cuidado o perímetro e observamos possíveis ponto de fugas e pontos fracos na segurança. Acabamos por definir que o mais efetivo seria atacar pelos fundos, o que nos daria uma vantagem na luta e portanto em nossa missão. Esperei que Daniel fizesse o primeiro movimento para invadir e logo fiz minha chegada.

Ouvi um dos bandidos sendo derrubados e pulei o muro. Enquanto caia fiz um sinal para que meu parceiro fechasse os olhos e fiz com que um forte raio de luz inundasse o local e atrapalhasse a visão dos guardas, nos dando uma vantagem a mais sobre eles. Com minhas asas fiz com que o ar empurrasse um dos guardas contra a parede, avancei para cima dele e com um chute acertei sua cabeça. Notei um dos guardas avançado por trás de mim. Alcei voo e quando estava uns metros acima dele me permitir cair em suas costas o lançando no chão e o deixando desacordado. Resta um. Olhei para o Daniel e dei um leve sorriso para ele. O observei acabar com o último dos adversários e também abrir caminho para que pudéssemos dar início a busca pelos jovens meta-humanos e mutantes



NOTA ▪️ NOTA ▪️ NOTA ▪️ NOTA






Informações:


RAÇA: Meta-humana
VITALIDADE: 230/230
NÍVEL: 1
VELOCIDADE: 20M/S [+10]
PERCEPÇÃO: 200M/S [+10]
PERÍCIAS:CORPO A CORPO: KRAV MAGA, NÍVEL CALOURO
ESPECIALIZAÇÃO: Energética

ATRIBUTOS:

FORÇA: 22
INTELIGÊNCIA: 20
RESISTÊNCIA: 21
AGILIDADE: 20
VIGOR: 18 (+5)
CARISMA: 19

PODERES:

i. ATMOCINESE:  Atmocinese é a capacidade de manipular o clima e dominar todos os seus elementos. Neste caso, só é possível usar o elemento em sua forma climática, como eletrocinese em um raio.  
ADQUIRE: Vôo, Criocinese, Eletrocinese, Aerocinese e Hidrocinese

ii. MIMETISMO ANGELICAL: Mimetismo Angelical é a capacidade de se transformar em uma figura angelical, esta de aproximadamente dois metros de altura, e assim, possuindo habilidades interligadas à uma benção que pode ser usada em si mesmo e em algum alvo.
ADQUIRE: Asas de Anjo,  Fotocinese, Cura, Sentidos Aguçados, Telecinese, Telepatia

ITENS:

-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RESCUE - NARRADA

Mensagem por Darkseid em Ter Jan 30, 2018 3:31 pm

rescue - narrada
o homem teve como primeira reação simplesmente chamar mais seguranças para ajudá-lo com os heróis, sinalizando em seu walkie-talkie código de alerta delta; invasão ao prédio. Cerca de quarenta seguranças, todos com armamento sofisticado, foram atrás do mesmo. Alice e Daniel devem achar uma maneira de entrar no prédio sem causar tanto estrago, afinal, não seria bom o líder do projeto saber que heróis, e principalmente mutantes/meta-humanos pisavam sobre o chão dele. Tentem achar o jeito mais prático e eficiente. Usem a criatividade e boa sorte.

informações
i. A partir de agora, lembrem-se que não são feitos de adamantium. Vocês poderão ser feridos, e deverão em algum momento.
ii. Vocês tem até 17/02 para postar na missão, nem mais nem menos, salvo somente exceções que precisam, obrigatoriamente, serem dadas por MP.

VITALIDADE DE DANIEL SUNDFØR, 250/250

VITALIDADE DE ALICE AMONDI ZAKAYO, 230/230



_________________




avatar
ENTIDADES
Apokolips

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RESCUE - NARRADA

Mensagem por Daniel Sundfør em Seg Fev 12, 2018 2:47 am


Rescue
Save Them All!


Esperança. Um nome relativamente simples, mas com um significado tão grandioso que é capaz de encher os corações dos homens e mulheres deste vasto e belo mundo. Tal sentimento fora o primeiro que eu havia sentido após literalmente salvar milhões de pessoas das garras do ditador tirano em 1945, esperança havia sido o que eu havia visto quando retornara à sociedade dezenas de anos após meu período de reclusão. Aqueles jovens apreendidos eram pessoas comuns com dons extraordinários, mutações em seus genes incompreensíveis para a maioria dos seres humanos, mas que diariamente tinham de enfrentar um verdadeiro calvário para fugirem do preconceito, do ódio e da perseguição. Não conseguia me conter diante daquele pandemônio e, assim que as comportas foram destruídas e Alice e eu tivemos acesso ao prédio, nos entreolhamos e respiramos profundamente diante de nossos futuros inimigos.

— Bem, teremos de sermos um pouco menos chamativos agora. Uma única ordem do líder do Escaravelho e os reféns podem morrer em segundos antes de os alcançarmos, devemos usar táticas mais... — maneei minha cabeça buscando uma forma apropriada de me expressar, pensando como iríamos nos manter disfarçados e sem chamar a atenção dada a nossos poderes bastante escalafobéticos — discreta...

Pegando meu escudo, avancei e adentrei o prédio sendo acompanhado a passos igualitários por Alice logo ao meu lado, atenta assim como eu e a postos para atacar nossos inimigos a qualquer momento. Ao ouvirmos o som pesado de passos descendo as escadas de concreto que davam no térreo onde estávamos, virei-me para a professora e então assenti, estreitando os olhos e utilizando meus sentidos apurados para detectar os passos e fazer um pequeno cálculo por alto de quantos inimigos nós possuíamos. Ao todo, uns vinte e cinco soldados, no máximo trinta e cinco, creio eu. Como forma de contê-los rapidamente antes que estes usassem seus dispositivos de comunicação com o chefe – provavelmente nos andares mais altos – fui até os elevadores do térreo e os abri à força, valendo-me de minha força e vergando o pesado metal, deixando as duas portas dos elevadores arrombadas. Voltei alguns passos, observando a porta de metal ao lado esquerdo dos dois elevadores pela qual os homens sairiam.

— Espere mais um pouco e, quando eles abrirem a porta, cegue-os com a sua luz. O resto deixe que eu resolverei. — Assenti para ela e então preparei-me, erguendo minhas mãos nuas e preparando meu golpe com os braceletes. Os passos aproximavam-se, pesados, como rinocerontes ou elefantes pisando furiosamente contra o solo cinzento de concreto e, assim que o rangido da porta metálica pôde ser ouvido, a luz fortíssima de minha parceira os deixou momentaneamente cego e, aproveitando-me de minha distração, bati meus braceletes um no outro, o tilintar dos metais mágicos ressoou, assim como a energia dourada que eles geravam.

Os homens foram atingidos em cheio pela energia maciça dos braceletes, provocando um impulso que os arrancou do solo e os fez ir com força para trás, chocando-se violentamente dentro do espaço cubículo que eram os dois elevadores, rapidamente enchendo-os e, rapidamente, utilizei minha velocidade sobre-humana para ir até ambos os elevadores e fui fechando-os ao prensar as duas portas, deixando-as impossíveis de serem abertas de tão amassadas – caso eles quisessem dali, teriam de sair pelo teto e escalar até o próximo andar e, dada a violência do ataque eles ficariam inconscientes por muito tempo. Os homens restantes queriam apontar armas, um deles indo direto para o comunicador e, pegando meu laço, atirei-o e enrosquei-o no braço do homem, puxando-o e o derrubando no chão, erguendo meu antebraço esquerdo impedindo uma bala de vir em minha direção, puxando meu laço e pondo-o enroscado de volta em minha coxa e desviando de mais balas, até que senti um tiro de raspão em meu ombro e, olhando-o distraído, acabei levando um segundo tiro que acertou meu ombro esquerdo em cheio, fazendo-me agachar-me de dor. Rangendo os dentes, fitei-os e esperei que Alice finalizasse com os homens – algo em torno de dez – para que eu pegasse o restante, próximo das escadas ainda, enquanto o restante ia até Alice um pouco mais distante de mim.

Dando uma cambalhota, desviei de alguns disparos e puxei com o laço da verdade a metralhadora de um dos homens, pegando-a e acertando de raspão o tornozelo de um deles, fazendo-o cair impotente ao chão e, quanto aos outros, atirei em seus ombros e tornozelos, não no intuito de mata-los ou deixá-los seriamente feridos, mas apenas incapacita-los. Com eles feridos, fui até eles a passos firmes e apontei a arma para a cabeça de um deles – óbvio que eu não iria matar ninguém, mas com meus poderes e agilidade qualquer um na posição deles se assustaria facilmente.

— Onde estão os reféns? — Perguntei com rispidez, encostando o cano da arma nos fios negros de um dos homens, cujas mãos amparavam a coxa superficialmente cortada pelo tiro de raspão. Fitando-me com medo, ele engoliu em seco, coberto por suor, seus olhos verdes arregalados de ocioso descontentamento em ter de me obedecer.

— Estão abaixo de nós, nosso chefe tem ordens para mata-los. Ele está lá guardando os reféns e espera alguma mensagem de nós quanto a invasão. — O homem tremia, fitando-me com os olhos fixos e repletos de desprezo.

— Obrigado. Ele sabe que estamos aqui? — De queixo erguido em imponência, buscava intimidar o outro e, assim que ele assentiu, lhe desferi um soco e o deixei desmaiado no chão, indo com Alice para as escadas.

Se me lembro bem, ouvi seus passos nas escadas de repente, como se tivessem surgido no meio das escadas já no primeiro andar, mas, agora que o subsolo havia sido citado, tratei de procurar algum tipo de passagem secreta para acessar a prisão secreta do psicopata que havia sequestrado os mutantes e meta-humanos do abrigo. Peguei minha espada e cravei-a numa das paredes, perfurando-a incessantemente, até bater em algo metálico. Trocando um olhar de confiança com Alice, assenti para a mesma e puxei com força minha espada, abrindo a porta pesada e sentindo um tiro perpassar por minha derme, fazendo-me cair e, enfiando os dedos em meu abdome, buscava retirar a bala enquanto Alice tomava a frente e adentrava o enorme salão para enfrentar o homem, o chefe. Soltando um gemido de dor enquanto retirava o nefasto projétil de meu corpo, apoiei as mãos na porta arrombada e encarava o homem caído, com Alice um pouco exausta, mas bem.

— Estão todos bem? — Adentrei rapidamente o recinto, perguntando tanto para Alice quanto para os próprios reféns se eles estavam bem. E eles estavam. Enjaulados como animais, pássaros livres com suas mãos sujas segurando firmemente as barras de ferro buscando, sonhando com a liberdade. Com minha espada, cortava as correntes, libertando cada um daqueles jovens junto à Alice, levando-os para fora daquele antro de perversidade e então, antes de sairmos do edifício, liguei para a polícia. Aqueles homens seriam presos e levados à justiça.



Informações:
Raça: Reencarnado
Personagem: Mulher Maravilha (DC Comics)
Vitalidade: 250/250
Nível: 1
Velocidade: 250m/s [+10]
Percepção: 200m/s [+10]
Perícias: Prontidão, nível calouro
Especialização: Resistente

Atributos:
Força: 25
Inteligência: 20
Resistência: 20
Agilidade: 25
Vigor: 25
Carisma: 10

Poderes:
1. Força Divina: Como um ser de origens divinas, Mulher Maravilha sempre pôde exercer uma força descomunal, de forma que seu reencarnado, Daniel, pode erguer com facilidade toneladas, podendo desferir socos mortais e mover e arremessar objetos pesados como se nada fossem.

2. Resistência Divina: Possui uma resistência sobre-humana, podendo ser capaz de aguentar o frio do espaço sideral, do fundo do oceano e das geleiras, ao calor dos desertos e a ferimentos graves.

3. Regeneração: Possui um poderoso fator de cura que pode fazê-lo curar-se quase que imediatamente de ferimentos infligidos, podendo recuperar-se de lesões, cortes e até mesmo amputamento em um período de poucos segundos ou horas, dependendo do ferimento.

4. Voo: Pode literalmente impulsionar seu corpo e, desta forma, voar por longas distâncias em velocidade ímpar.

5. Empatia: Como um herói nato e lutador pela causa dos inocentes, Daniel possui o poder de berço; o de sentir o que os outros sentem, ajudando-o a colocar-se no lugar dos outros, sentir suas emoções e compreender todas as pessoas à sua volta.

6. Reflexos Divinos: Possui reflexos extremamente rápidos para um humano qualquer, podendo ser extremamente ágil numa luta por sempre antever os movimentos com uma rápida inspeção das ações do oponente.

7. Olho de Atena: Graças a uma benção da deusa, Daniel herdou o poder nato de conseguir prever ataques alheios, estando extremamente apto a aprender com rapidez absolutamente qualquer coisa, pegando as "manhas" do assunto proposto e destrinchando-o com maestria. Isso também serve em lutas, onde Daniel pode rapidamente aprender novas técnicas.

8. Empatia Animal: Consegue compreender e domar qualquer animal, raramente sendo atacado por eles e sendo sempre respeitado e obedecido.

9. Resistência Mágica: Por ser basicamente uma prole divina e servir aos deus, Daniel herdou a capacidade de berço de ser resistente a poderes mágicos, podendo ser bastante complicado tentar utilizar poderes mágicos no mesmo.

10. Marca de Caçador: Consegue literalmente "marcar" o outro com seus poderes de forma que, mesmo que tal pessoa viaje a outro país ou planeta, Daniel consegue localizá-lo, sendo ele o perfeito caçador.

11. Sentidos Divinos: Possui os sentidos bem apurados, podendo ver além de onde os olhos humanos conseguem ver e farejando como poucos.

12. Telepatia: Raramente usado por achar o poder "inconveniente", Daniel possui a capacidade de ler mentes, apesar da relutância em usá-lo por achar errado invadir a mente alheia.

13. Resistência Telepática: Possui uma mente de ferro, sendo difícil invadir os pensamentos e memórias de Daniel e/ou manipulá-lo.

14. Agilidade Divina: Possui uma desenvoltura fantástica, conseguindo se mover com uma elasticidade fora do normal, podendo desviar com rapidez de golpes.

15. Velocidade Divina: Abençoada por Hermes no passado, hoje Daniel detém da capacidade de se locomover extremamente rápido, podendo desviar de balas e projéteis com exímia habilidade.

16. Estamina dos Deuses: Consegue se recuperar de uma batalha intensa para salvar o planeta em poucas horas de descanso e depois acordar com energia para lutar por um universo inteiro. Abençoado pelos deuses, Daniel consegue ter uma vitalidade fora do comum.

17. Língua Universal: Pode falar qualquer língua no mundo com fluidez, incluindo línguas alienígenas e línguas mortas.

18. Ocultismo: Pode detectar no ar quando há magia, encontrando seres e objetos mágicos e detectando-os.

19. Longevidade Divina: Apesar dos anos se passarem rápido, para Daniel sua aparência não muda desde que chegara ao ápice de sua beleza, mantendo o físico de trinta e poucos anos mesmo tendo quase um século de vida. Com tal dom doenças, toxinas e venenos perdem seus efeitos, fazendo com que Daniel se torne bem preservado com o passar dos anos, envelhecendo pouquíssimo.

20. Coragem Divina: Daniel possui uma bagagem gigantesca de experiências, vivenciou os terrores da Segunda Guerra Mundial, lutou nas trincheiras, salvou inúmeras pessoas e impediu até mesmo Hitler de matar mais inocentes, tendo matado-o por falta de opções. Daniel é um guerreiro que luta pelos inocentes, jamais por si mesmo. Esperança é o nome do meio do rapaz que consegue influenciar todos à sua volta, encorajá-los, liderá-los frente aos percalços da guerra e fazê-los triunfar, emergindo das cinzas. A coragem do guerreiro é titânica, fazendo-o sentir absolutamente medo algum frente aos inimigos, tudo em nome da esperança e do amor pela humanidade.

Itens:
1. Laço da Verdade: Um mítico laço aparentemente comum que brilha ao ser envolvido na pele de qualquer pessoa, compelindo-a a dizer a verdade mesmo que sua vontade seja a contrária. Qualquer ser é obrigado a falar a mais pura verdade ao ser tocado pelo laço.

2. Braceletes: Dois braceletes de cor cinza-escuro que se alongam até os dedos das mãos, deixando as pontas descobertas. Eles criam um forte campo de força que repele ataques com uma energia dourada, que também muda a cor do metal, que nada mais que é que os restos mortais de Zeus. Há duas palavras escritas em grego antigo em cada bracelete; no esquerdo está escrito "esperança" e no direito, "justiça".

3. Espada: Trata-se de uma espada mágica que tem como principal objetivo ferir seres vulneráveis à magia, de forma que os ataques da espada se tornam letais. A lâmina afiada consegue partir ao meio diamantes, perfurar a pele de kryptonianos e seres igualmente poderosos.

4. Escudo: Um resistente escudo escuro em tons de dourado que é bastante resistente a golpes, projéteis, balas e ataques de energia, como raios, fogo e outros tipos de poderes. Há palavras em grego antigo que significam "esperança", "justiça" e "filho de Zeus".
avatar
HERÓIS
28

Brooklyn, NY, USA, Earth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RESCUE - NARRADA

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum