ÉDEN - NARRADA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Eternity em Seg Fev 05, 2018 4:11 am

ÉDEN
Flores, muitas delas. Anne estava sentada conforme o ar era soprado morno em seu rosto, fazendo com que alguns de seus fios planassem sob ambos os ombros. Ela estava confortável; todo aquele jardim, sua flora, seu aroma afável. Era de encher os olhos.

Próxima a ela, a cerca de 1m para mais ou para menos, um homem de pele flácida e rugosa. Possuía o corpo pendendo para frente, e em seu corpo haviam vestes muito belas e impecáveis. Seu rosto, contudo, não era passível de se ver, já que estava de costas para Anne.

i. Deve-se por todas as suas especificações após o seu post.
ii. Você tem até 09 DE FEVEREIRO, nem mais nem menos, salvo exceções que precisam ser dadas por MP.
iii. Você obrigatoriamente deve falar com o homem. Se quiser, mencione porque estava neste jardim e o que fazia antes dele.
iv. ROLE 1 DADO DE 10.

VITALIDADE DE ANNE WOOLRIDGE YELICH, 80/80


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Anne Woolridge Yelich em Ter Fev 06, 2018 4:45 am








Keep me from the cages under the control


Q
uando olhei para a parede frontal do quarto observei atentamente o calendário torto e mal colocado, tentando decifrar qual dia era, o que piorou ainda mais minha dúvida; eu não riscava os dias que se passaram faziam quinzenas. Como sempre, péssima com planilhas, planejamentos e seja no que for. E eu não tinha nem ao menos um celular para me certificar facilmente disso. As coisas estavam realmente difíceis.

Liguei a tv e coloquei no jornal, enquanto fazia algo para comer -, tragédia por tragédia, aguardando o repórter dizer que dia era. Horário eu ao menos tinha, um relógio em cima da porta. Precisava dele, já que era meu auxiliar para não chegar atrasada no trabalho. Não que ele ajudasse muito. Mesmo morando muito próxima do local de trabalho, eu estava SEMPRE atrasada. Mas tenho meu jeito próprio de enganar meu chefe.

- Dia vinte e nove de janeiro... - Assim que escutei o que precisava, desliguei a televisão. Não precisava ouvir os trágicos acontecimentos, sempre similares, mas o resultado o mesmo. O mundo já estava caótico, não precisava alinhar minha mente com o âmbito também.

Preparada para um longo dia de trabalho, usava minhas vestes comuns e limpas, mas ainda sim conseguia sentir o aroma forte de café exalando através da minha pele. E meu expediente de trabalho nem tinha iniciado ainda. Eu já estava tão enojada daquele grão que fazia meses que eu não tomava nada dele sequer. Deixei meu cabelo de qualquer maneira e saí de casa. Eu estava indo trabalhar, e não sair. Não era necessário estar bonita. E, bem, estar bonita é um milagre. A genética não me auxiliou tanto.

...

Máquinas de café fazendo barulho o tempo inteiro - quando não, em pequenos intervalos. Poluição sonora total. Não daria cinco anos pra não ter mais audição. Mas também não me enxergava trabalhando mais ali em tanto tempo assim. Na realidade, nunca me enxerguei trabalhando nesse local, mas foi o que sobrou. Todo dia de manhã quando eu acordo me imagino fazendo uma coisa totalmente diferente, mas eu estava sempre ali.

- Eu quero um Tropical Frappuccino ... - Olhei para a moça atentamente, com meu pertinente olhar de desânimo, alternando com um de falso ânimo. Ela permanecia com seu dedo levantado de estúpid... elegância fazendo seu pedido. Como se tomar um café ali fosse grande coisa. No fim os que frequentam aquele local era sempre o mesmo tipo de pessoa, raramente fugia do esteriótipo. Finalizei o pedido e cobrei o valor. A cliente franziu o cenho e me entregou seu cartão. Depois do pagamento realizado, peguei um copo e escrevi o nome da madame errado propositalmente. Fazíamos isso sempre, e as pessoas aparentemente adoravam.

Com uma concha peguei grãos de café, esse ato era como quase semelhante a um banho. Dia após dia ele se fixava em mim. Eu já estava tendo pesadelos que eu me levantava da cama e, quando me olhava no espelho, era um grão de café com pernas. Fiz o frappuccino da mulher e chamei pelo seu nome erroneamente. Sorri. Ela pegou de minha mão e tomou o primeiro gole.

- Isso está horrível! - Ela pestanejou e com arrogância colocou o copo na bancada. - Cítrico e extremamente amargo. - Ela queria outro. Ou, talvez, o dinheiro de volta. Não duvidaria dela tirar o manual de direitos dos consumidor da bolsa.

- Deve ser porque é tropical - Apontei bruscamente para o anúncio grande de novos sabores, que mostrava todos os ingredientes.

- Onde está o gerente? - Ela fez como se meu tom de fala e meu movimento tivesse sido como uma faca em seu estômago. Todo mundo ao redor olhava.

- Não sei, procure. - Sorri falsamente, mas de um jeito tão falso que era pra ela perceber. Não queria discutir. Tinha vontade de dar uns tapas nela? Talvez. Criar um desiquilíbrio mental nela e deixar ela semelhante a uma anta? Mais ainda. Mas, infelizmente não podia. Quer dizer, poder posso, tenho os instrumentos pra isso. Mas a ética não permitia. Se bem que eu nunca li um manual de ética para mutantes desequilibrados. Então simplesmente tirei meu avental, joguei em cima do balcão e fui embora. Eu era um barril lotado de pólvora, com um rabo-acendedor extremamente curto. Todavia, que raramente se acendia. Mas aquela mulher conseguiu. Naquele dia, naquele horário, naquele momento.

...

Andei pela cidade procurando paz, mas eu nunca achava algo que me trouxesse paz. Talvez eu precisasse de alguém. Não sei. Apenas caminhava, acompanhada de minha mente - esta, que eu as vezes sentia que fosse como outra pessoa. É tão estranho pensar. É como se houvesse alguém que estivesse falando igual ao que você quer escutar. Podia existir alguma pessoa nesse mundo assim.

Avistei lindas flores em um jardim em uma distância, então vaguei pelo local indo aquela direção. Eu realmente amava flores, de todos os tipos, mas amava somente a companhia delas. Odiava ter que cuidar de alguma, mal cuidava de mim mesma quem dirá de outro organismo. Odiava também receber uma de presente. Você sempre gosta da ação de ser presenteada, mas é sem graça. Flor não se veste, não se come e muito menos se usa. Prefiro receber comida.

Analisei o local em volta e acariciei as pétalas de algumas flores, tocando-as. Queria saber se isso as causava conforto ou se doía. Avistei um local maravilhoso para me sentar, próximo de tudo e com vista de tudo. Então me sentei, em posição de índio - adorava aquela posição, minha favorita. Apenas curtindo o momento, vagando espiritualmente, acompanhada e ao mesmo tempo sozinha. O ar me acariciava, eu acariciava as flores, as flores o solo, o solo o mundo. A atmosfera me envolvia, a litosfera me aconchegava e a hidrosfera me acalmava. Perfeito.

Olhei para o lado por um momento e notei um semblante desconhecido - não que eu conhecesse alguém naquele lugar. Ele estava de costas, mas era um tanto quanto estranho. Não exatamente estranho, apenas não seguia o comum. Corpo pendendo pra frente, sua pele parecia quase como as das slimes de um rpg que jogava na infância. Desejava ver seu rosto. Sempre gostei de pessoas diferentes, pois sentia que eu era uma também.

- Ei, você, tudo bem? - Chamei o homem elegante, desejando que ele se virasse para poder fitá-lo. Quem sabe no que aquele diálogo poderia dar. O mínimo e o máximo de um resultado sempre esperamos conosco, mas na minha mente apenas existia o pior, e o melhor extremamente diluído.

We can talk it so good, we can make it so divine, we can talk it good, how you wish it would be all the time



especificações:

VITALIDADE 80/80
VELOCIDADE 150M/S
PERCEPÇÃO 150M/S

FORÇA 11
INTELIGÊNCIA 15
RESISTÊNCIA 11
AGILIDADE 15
VIGOR 08
CARISMA 05

informações:

ARMAS BRANCAS, nível calouro;

poderes:

i. TELECINESIA: A Habilidade de manipular e controlar psiquicamente os aspectos físicos da realidade. Ela também poder mover e levitar outras pessoas. Embora ela possa mover objetos a distância e voar como outros telecinéticos fazem, ela demonstrou não possuir tendências de fazer isso durante situações de combate. Ela também pode criar escudos telecinéticos de vários tamanhos e força. Sua telecinesia também é muito mais forte que era antes. Psylocke inicialmente descobriu que usar sua telecinesia de formas violentas era mais fácil do que de formas delicadas (ex, destruir uma parede se provou mais fácil do que levitar um lápis). No entanto, com o passar do tempo ela demonstrou um controle maior sobre objetos pequenos.

ii. TELEPATIA Ela possui poderes mentais para afetar e manipular as mentes de outros seres sencientes. Psylocke pode ler mentes e se comunicar mentalmente com outros por longas distâncias. Quando ela se comunica telepaticamente com outra pessoa a longa distância, essa pessoa geralmente percebe a presença dela como uma borboleta com grandes olhos em suas asas.

iv. INVISIBILIDADE A TODOS DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS Psylocke era invisível e imune a todas as maneiras de rastreamento e localização eletrônica em seu corpo original

v. MESTRE EM ARTES MARCIAIS Psylocke foi classificada como uma mestre em artes marciais, embora as artes de combate específicas que ela dominou nunca tenham sido reveladas. Provavelmente, como uma ninja, ela é hábil em várias técnicas de Ninjutsu, como Taijutsu e Kenpo

vi. MESTRE EM COMBATE TELEPÁTICO Como telepata, Psylocke tira proveito de seus poderes em uma luta lendo os movimentos de seus oponentes segundos antes de eles o realizarem, dando a ela a oportunidade de contra-atacar mais rápido, e ela também pode usar sua telepatia para mascarar sua presença de outras pessoas. Ela também cria ilusões telepáticas para distrair seus inimigos enquanto luta contra eles e como um ninja, ela usa sua faca psíquica para incapacitar seus oponentes sem matá-los, embora ela não tenha problemas quanto a matar e fará se necessário.
vii. COMBATENTE TELECINÉTICA HABILIDOSA Como uma telecinética, ela frequentemente usa seus poderes para aumentar sua força e velocidade, o que faz suas habilidades de combate tão fortes que ela pode combater e até mesmo derrotar outros oponentes com força super-humana, como uma versão holográfica do Dentes de Sabre na Sala de Perigo. Psylocke também foi capaz de se igualar aos ataques da Vampira durante uma sessão de treinamento, apesar do fato de que a Vampira possuía força e velocidade amplamente aumentadas no momento.
avatar
ANTI-HERÓIS
no coração de alguém

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Warlock em Ter Fev 06, 2018 4:45 am

O membro 'Anne Woolridge Yelich' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'Ação' : 10
avatar
ENTIDADES
2017

Vácuo do espaço-tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Eternity em Dom Fev 11, 2018 8:57 pm

ÉDEN
Ele ainda estava lá, parado, enquanto quase nada poderia ser notado dentre feição ou o que quer que fosse; isso até que ele se enfim volveu-se, tão pálido quanto um enfermo. Estava com as mãos enfiadas nas vestes e, de lá, ele ergueu a esquerda, estendendo o que seria uma pétala amassada e podre:

— O que vê nesta mão?

i. Deve-se por todas as suas especificações após o seu post.
ii. Você tem até 13 DE FEVEREIRO, nem mais nem menos, salvo exceções que precisam ser dadas por MP.
iv. ROLE 1 DADO DE 10 para sua percepção.

VITALIDADE DE ANNE WOOLRIDGE YELICH, 80/80


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Anne Woolridge Yelich em Ter Fev 13, 2018 10:51 pm








Keep me from the cages under the control


O
bservei o homem atentamente, ação por ação, tentando gravá-lo como se eu fosse uma câmera. Geralmente eu me perdia e vagava em pensamentos, retornando para esse plano após um tempo normalmente curto, mas que para mim soava longo. E eu estava tentando alterar isso.

O homem virou-se e pude vê-lo, mesmo que minimamente, extremamente pálido. Se minha mãe o visse, o faria tomar um chá especial e banhá-lo com babosa, mas talvez ele só precisasse tomar um sol mesmo.

Ele esticou sua mão esquerda e me pediu para analisá-la, era uma introdução de conversa um pouco bizarra, mas quem sabe ele fosse um mestre budista preste a me dar uma lição de vida que mudaria tudo a partir do dia de hoje?

- Bom... isso é... - Me aproximei intrigada para ver o conteúdo melhor, averiguando-o por um conjunto, era uma... pétala? quase tinha certeza sobre isso, só parecia uma pétala tirada de um aterro sanitário. - É uma pétala não? um pouco... estragada? - Tentei ser simpática, talvez ele tivesse apego ao cerne que segurava.

We can talk it so good, we can make it so divine, we can talk it good, how you wish it would be all the time



especificações:

VITALIDADE 80/80
VELOCIDADE 150M/S
PERCEPÇÃO 150M/S

FORÇA 11
INTELIGÊNCIA 15
RESISTÊNCIA 11
AGILIDADE 15
VIGOR 08
CARISMA 05

informações:

ARMAS BRANCAS, nível calouro;

poderes:

i. TELECINESIA: A Habilidade de manipular e controlar psiquicamente os aspectos físicos da realidade. Ela também poder mover e levitar outras pessoas. Embora ela possa mover objetos a distância e voar como outros telecinéticos fazem, ela demonstrou não possuir tendências de fazer isso durante situações de combate. Ela também pode criar escudos telecinéticos de vários tamanhos e força. Sua telecinesia também é muito mais forte que era antes. Psylocke inicialmente descobriu que usar sua telecinesia de formas violentas era mais fácil do que de formas delicadas (ex, destruir uma parede se provou mais fácil do que levitar um lápis). No entanto, com o passar do tempo ela demonstrou um controle maior sobre objetos pequenos.

ii. TELEPATIA Ela possui poderes mentais para afetar e manipular as mentes de outros seres sencientes. Psylocke pode ler mentes e se comunicar mentalmente com outros por longas distâncias. Quando ela se comunica telepaticamente com outra pessoa a longa distância, essa pessoa geralmente percebe a presença dela como uma borboleta com grandes olhos em suas asas.

iv. INVISIBILIDADE A TODOS DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS Psylocke era invisível e imune a todas as maneiras de rastreamento e localização eletrônica em seu corpo original

v. MESTRE EM ARTES MARCIAIS Psylocke foi classificada como uma mestre em artes marciais, embora as artes de combate específicas que ela dominou nunca tenham sido reveladas. Provavelmente, como uma ninja, ela é hábil em várias técnicas de Ninjutsu, como Taijutsu e Kenpo

vi. MESTRE EM COMBATE TELEPÁTICO Como telepata, Psylocke tira proveito de seus poderes em uma luta lendo os movimentos de seus oponentes segundos antes de eles o realizarem, dando a ela a oportunidade de contra-atacar mais rápido, e ela também pode usar sua telepatia para mascarar sua presença de outras pessoas. Ela também cria ilusões telepáticas para distrair seus inimigos enquanto luta contra eles e como um ninja, ela usa sua faca psíquica para incapacitar seus oponentes sem matá-los, embora ela não tenha problemas quanto a matar e fará se necessário.
vii. COMBATENTE TELECINÉTICA HABILIDOSA Como uma telecinética, ela frequentemente usa seus poderes para aumentar sua força e velocidade, o que faz suas habilidades de combate tão fortes que ela pode combater e até mesmo derrotar outros oponentes com força super-humana, como uma versão holográfica do Dentes de Sabre na Sala de Perigo. Psylocke também foi capaz de se igualar aos ataques da Vampira durante uma sessão de treinamento, apesar do fato de que a Vampira possuía força e velocidade amplamente aumentadas no momento.
avatar
ANTI-HERÓIS
no coração de alguém

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Warlock em Ter Fev 13, 2018 10:51 pm

O membro 'Anne Woolridge Yelich' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'Ação' : 3
avatar
ENTIDADES
2017

Vácuo do espaço-tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Eternity em Qua Fev 14, 2018 8:49 am

ÉDEN
Nem tudo é o que parece ser. O homem, assim que viu a mulher se aproximar e proferir o óbvio, esboçou um leve e sutil sorriso nos lábios. Dentes fétidos e caídos ficaram a mostra quando a flora que possuía em sua mão adentrou a boca de Anne Woolridge Yelich,
inexplicavelmente se enraizando e brotando como uma flor que saía da cavidade.

— Errado.

Tendo este acontecimento, a mulher desmaiou no mesmo instante. Suas órbitas ficaram vagas, porém, ela ainda respirava. Tudo ficou em breu até que ela "despertou", se vendo em uma vastidão esbranquiçada, sem quaisquer resquício de horizonte. Só havia ela, mais nada.

i. Deve-se por todas as suas especificações após o seu post.
ii. Você tem até 17 DE FEVEREIRO, nem mais nem menos, salvo exceções que precisam ser dadas por MP.
iv. Narre sua reação ao acordar em um vão, nem nada para trás ou para frente.
v. Obrigatoriamente, LANCE 1 DADO DE 10 para defesa.

VITALIDADE DE ANNE WOOLRIDGE YELICH, 80/80


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Anne Woolridge Yelich em Sab Fev 17, 2018 10:19 pm








Keep me from the cages under the control


E
nquanto aguardava o homem dizer alguma coisa, com as mãos para trás, pressionei a unha do meu indicador contra a pele de meu dedão, aquilo me gerava um alívio de vez em quando. Apenas nunca soube a origem dessa mania.

- O q... - Antes que conseguisse terminar ao menos uma frase de espanto, tentando ao menos formular uma frase de dúvida, meu corpo se chocou contra si, enquanto engolia aquela pétala que o desdentado germinara dentro de mim. Logo em seguida minha mente se perdia - desta vez profusamente - e meus olhos se fechavam.

...

- Que merda de lugar é esse? - Me perguntei, agitando meu corpo caído sobre o chão, me levantando. Agora entendia o erro que provocara, talvez não fosse uma pétala, mas sim uma droga pesada, só assim procurando uma maneira lógica para aquela situação. - Acho que não existe lógica nesse mundo. - Olhei para minhas mãos, enquanto criava um prisma rosa através de minha própria energia, apenas para verificar se nada tinha acontecido com meus poderes. Aquilo era a última coisa que eu gostaria de perder.

Andei e andei, e permanecia como se eu estivesse dando voltas, em uma eterna nevasca sem neve, apenas a cor, sem vento, sem significado. A única coisa que conseguia imaginar era como seria legal ter cinco baldes de tintas nesse momento. Ainda melhor seria NÃO estar naquela situação. Continuava procurando uma maneira de sair dali, e se encontrasse o podridão, procuraria uma resposta para tudo aquilo.
We can talk it so good, we can make it so divine, we can talk it good, how you wish it would be all the time



especificações:

VITALIDADE 80/80
VELOCIDADE 150M/S
PERCEPÇÃO 150M/S

FORÇA 11
INTELIGÊNCIA 15
RESISTÊNCIA 11
AGILIDADE 15
VIGOR 08
CARISMA 05

informações:

ARMAS BRANCAS, nível calouro;

poderes:

i. TELECINESIA: A Habilidade de manipular e controlar psiquicamente os aspectos físicos da realidade. Ela também poder mover e levitar outras pessoas. Embora ela possa mover objetos a distância e voar como outros telecinéticos fazem, ela demonstrou não possuir tendências de fazer isso durante situações de combate. Ela também pode criar escudos telecinéticos de vários tamanhos e força. Sua telecinesia também é muito mais forte que era antes. Psylocke inicialmente descobriu que usar sua telecinesia de formas violentas era mais fácil do que de formas delicadas (ex, destruir uma parede se provou mais fácil do que levitar um lápis). No entanto, com o passar do tempo ela demonstrou um controle maior sobre objetos pequenos.

ii. TELEPATIA Ela possui poderes mentais para afetar e manipular as mentes de outros seres sencientes. Psylocke pode ler mentes e se comunicar mentalmente com outros por longas distâncias. Quando ela se comunica telepaticamente com outra pessoa a longa distância, essa pessoa geralmente percebe a presença dela como uma borboleta com grandes olhos em suas asas.

iv. INVISIBILIDADE A TODOS DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS Psylocke era invisível e imune a todas as maneiras de rastreamento e localização eletrônica em seu corpo original

v. MESTRE EM ARTES MARCIAIS Psylocke foi classificada como uma mestre em artes marciais, embora as artes de combate específicas que ela dominou nunca tenham sido reveladas. Provavelmente, como uma ninja, ela é hábil em várias técnicas de Ninjutsu, como Taijutsu e Kenpo

vi. MESTRE EM COMBATE TELEPÁTICO Como telepata, Psylocke tira proveito de seus poderes em uma luta lendo os movimentos de seus oponentes segundos antes de eles o realizarem, dando a ela a oportunidade de contra-atacar mais rápido, e ela também pode usar sua telepatia para mascarar sua presença de outras pessoas. Ela também cria ilusões telepáticas para distrair seus inimigos enquanto luta contra eles e como um ninja, ela usa sua faca psíquica para incapacitar seus oponentes sem matá-los, embora ela não tenha problemas quanto a matar e fará se necessário.
vii. COMBATENTE TELECINÉTICA HABILIDOSA Como uma telecinética, ela frequentemente usa seus poderes para aumentar sua força e velocidade, o que faz suas habilidades de combate tão fortes que ela pode combater e até mesmo derrotar outros oponentes com força super-humana, como uma versão holográfica do Dentes de Sabre na Sala de Perigo. Psylocke também foi capaz de se igualar aos ataques da Vampira durante uma sessão de treinamento, apesar do fato de que a Vampira possuía força e velocidade amplamente aumentadas no momento.
avatar
ANTI-HERÓIS
no coração de alguém

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Warlock em Sab Fev 17, 2018 10:19 pm

O membro 'Anne Woolridge Yelich' realizou a seguinte ação: Lançar Dados


'Ação' : 6
avatar
ENTIDADES
2017

Vácuo do espaço-tempo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ÉDEN - NARRADA

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum